No segundo jogo do dia, Bahia vence Juazeirense pela Copa do Nordeste

Tricolor chega aos 15 pontos e garante primeira colocação do Grupo C da competição regional. Eliminada, Juazeirense concentra forças no Campeonato Baiano 2016

Se era para jogar duas vezes no mesmo dia, nada melhor do que ganhar duas vezes. Nesta quarta-feira, o torcedor do Bahia descobriu o que é vencer em dose dupla. Poucos minutos após o elenco profissional golear o Galícia por 4 a 0 no Campeonato Baiano, o grupo sub-20 entrou em campo no estádio Paulo Coelho, em Petrolina, e bateu a Juazeirense por 2 a 1 pela quinta rodada da Copa do Nordeste. Os gols do Tricolor foram marcados por Mayron e Hugo Freitas. Emerson descontou para o Cancão de Fogo, que escalou time misto para o confronto.

 

Com o resultado, o Tricolor garantiu a primeira colocação do Grupo C, com 15 pontos, cinco a mais que o Santa Cruz, último adversário da primeira fase da competição. A partida entre os dois será realizada na próxima quarta-feira, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Sem chances de classificar, a Juazeirense encerra a Copa do Nordeste diante do Confiança, também na quarta-feira, no Batistão, em Sergipe.

Antes, Bahia e Juazeirense entrarão em campo pelo Campeonato Baiano. No domingo, com a primeira colocação geral do estadual garantida, o Tricolor encara o clássico com o Vitória na Fonte Nova. A Juazeirense, classificada para a segunda fase, visita o Jacuipense, lanterna da competição.

Bahia sub-20 (Foto: Divulgação / Esporte Clube Bahia)
Bahia utilizou os garotos da equipe sub-20 na partida disputada em Petrolina
(Foto: Divulgação / Esporte Clube Bahia)

O jogo

Em campo, o Bahia estava representado por garotos do grupo sub-20. O início da partida do Tricolor, contudo, foi de gente grande. Logo aos cinco minutos, os meninos deram uma aula de contra-ataque que deixou Mayron na frente de Guido. O meia só teve o trabalho de deslocar o goleiro rival para inaugurar o placar. O time da capital baiana se manteve no ataque, e ampliou aos 18 minutos com Hugo Freitas, que aproveitou cruzamento e chutou forte para estufar as redes. Com os gols, o ritmo da partida caiu. A emoção foi recuperada no lance final da primeira etapa, quando Emerson cobrou falta no contrapé de Dejair e diminuiu a desvantagem da Juazeirense.

Atrás no placar, a equipe do Cancão de Fogo se lançou ao ataque no segundo tempo. Com bolas lançadas na área e chutes de longa distância, a Juazeirense tentava igualar o marcador. O Bahia recuou para tentar o contra-ataque, mas não conseguiu encaixar as jogadas. O panorama deixou o jogo mais faltoso, e os cartões amarelos surgiram para os dois lados. Apesar da pouca experiência, os garotos do Tricolor conseguiram suportar a pressão e garantiram a manutenção do aproveitamento de 100% em jogos oficiais na temporada.

GLOBO ESPORTE.COM

Renato Maurício Prado comenta que o último Flamengo x Vasco de 2015 foi uma pelada

 

Pontapés generalizados
O clássico de domingo passado, assim como já tinham sido os confrontos anteriores entre os dois clubes, foi um autêntico show de pontapés, cotoveladas, empurrões e simulações. Um triste exemplo do que há de pior no futebol brasileiro de hoje em dia. Pouquíssima técnica e violência em abundância. Junte-se a isso uma arbitragem conivente e desastrosa e foi o que se viu. Uma pelada de lascar.

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 29/09/2015

Renato Maurício Prado comenta o último Clássico dos Milhões de 2015 : Flamengo 1 x 2 Vasco

É sem sombra de dúvida a maior freguesia entre clubes grandes nos últimos tempos. O Vasco venceu, mais uma vez, o Flamengo, de virada e prosseguiu assim na sua fantástica reação, tentando fugir do terceiro rebaixamento em oito anos. Ainda é difícil, mas a cada rodada fica um pouquinho menos complicado. Os cruz-maltinos estão agora a apenas cinco pontos do primeiro clube fora da zona da degola. E tendo enfileirado nada menos do que quatro vitórias e um empate nos últimos cinco jogos, quem pode dizer que não conseguirão aquilo que até bem pouco tempo parecia só ser possível através de um milagre?

Os rubro-negros, por sua vez, viram o G-4 afastar-se um pouco mais. Após os seis triunfos consecutivos, sob o comando de Oswaldo de Oliveira, sofreram hoje a terceira derrota seguida. Saíram na frente, no placar (1 a 0, gol de Emerson) mas não conseguiram manter o resultado no segundo tempo, permitindo a virada em duas penalidades. A primeira, fora da área, foi cobrada por Rodrigo e Paulo Victor não conseguiu espalmar a bola, embora tivesse chegado a tocar nela. Na segunda, pênalti que Nenê bateu com perfeição, no canto.

As duas marcações do sempre polêmico árbitro Vuaden podem ser contestadas. Na primeira, a impressão que fica, ainda mais quando se vê o lance no replay, é que Andrezinho atirou-se ao chão, quando Emerson chegou para o combate. Na penalidade máxima, evidentemente Jorge não tinha a intenção de colocar a mão na bola, mas dentro da nova (e ridícula) orientação da comissão de arbitragem, como estava com os braços levantados, o juiz apitou e colocou a bola na marca da cal. Detalhe: foi Jorge mesmo quem cabeceou a bola na própria mão. Só um débil mental faria isso de propósito…

Seja como for, é justo dizer que o Vasco foi bem melhor no segundo tempo e soube neutralizar os ataques rubro-negros, após virar o placar. Afobado, o Flamengo limitou-se a alçar bolas altas sobre a área, todas sem o menor efeito prático. Fazer com que as jogadas cheguem ao seu artilheiro Paolo Guerrero parece ser o maior desafio de Oswaldo de Oliveira, daqui pra frente. O peruano não recebeu nem sequer um passe decente dentro da área, a não ser o cruzamento bem feito por Jorge, que ele, de cabeça, tocou para o Sheik marcar.

Não adianta nada ter um centroavante da sua categoria e não municiá-lo decentemente. O estabanado Leandrão, do Vasco, recebeu muito mais bolas perigosas dentro da área. Perdeu todas, é verdade. Exatamente porque se trata de Leandrão e não de Guerrero. Mas o Vasco foi muito mais efetivo na tarefa de servir o seu goleador.

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 28/09/2015

Flamengo 1 x 2 Vasco

O JOGO
DEU VASCO DE NOVO

Em mais um encontro entre flamenguistas e vascaínos no ano, melhor para o Gigante da Colina. De virada, o Vasco venceu o Flamengo por 2 a 1, neste domingo, no Maracanã, e segue firme na luta para escapar do rebaixamento do Brasileirão. Os gols de Rodrigo e Nenê (Sheik descontou) garantiram uma sequência de cinco jogos sem derrotas no torneio. De quebra, o time de São Januário chegou à quarta vitória sobre o arquirrival nos oito jogos disputados em 2015. O Fla, por sua vez, amarga sua terceira derrota consecutiva na competição.

DESTAQUE

PANORAMA

Apesar do resultado, o Vasco segue na penúltima colocação do Brasileirão, mas agora com 26 pontos, cinco atrás do Goiás, primeiro clube fora do Z-4. O Flamengo, por sua vez, com 41 pontos, caiu um posto e está na sétima posição, a quatro pontos do G-4. Na próxima rodada, Flamengo e Vasco encaram rivais catarinenses. O clube da Gávea recebe o Joinville às 11h do próximo domingo, no Maracanã. No mesmo dia e horário, o time da Colina visita o Avaí. Antes, porém, na quarta-feira, o Vasco faz o jogo de volta contra o São Paulo pelas quartas de final da Copa do Brasil. Na ida, vitória tricolor por 3 a 0.

DESTAQUE

PÚBLICO E RENDA

O Clássico dos Milhões teve 44.361 torcedores presentes (40.240 pagantes), com renda de R$ 1.986.400.

 

O JOGO

OS 90 MINUTOS

Ambas as equipes entraram em campo com novidades. No Flamengo, o retorno de Emerson Sheik, recuperado de lesão. No Vasco, a formação da equipe. O técnico Jorginho lançou apenas um volante de ofício (Bruno Gallo) e três meias de características mais ofensivas (Julio dos Santos, Nenê e Andrezinho). No entanto, quem mostrou ofensividade foi o Flamengo, que abriu o placar logo aos 11 minutos. Após cruzamento de Jorge pela esquerda, Guerrero escorou para o meio da área, e Sheik, com oportunismo, marcou. No segundo tempo, o Vasco voltou com tudo e conseguiu a virada mesmo depois de Leandrão perder um gol incrível. Aos 12, Rodrigo cobrou falta com violência e empatou. Quatro minutos depois, Nenê, em pênalti marcado após toque de mão do lateral Jorge na área, fez 2 a 1 para o time da Colina. Em desvantagem, o Fla pressionou em busca do empate, mas em vão.

DESTAQUE

EXPERIÊNCIA

O Vasco chegou ao quinto jogo sem derrota no Brasileirão graças à experiência de Rodrigo e Nenê. O primeiro comandou a defesa e empatou a partida em forte cobrança de falta. O segundo fez o da virada mostrando frieza na cobrança de pênalti, além de comandar o time em campo.

DESTAQUE

NOVA AUSÊNCIA

Após quase 20 dias afastado por lesão, Sheik voltou e deixou sua marca no clássico. No entanto, levou amarelo e, como estava pendurado, não enfrenta o Joinville na próxima rodada.

 

GLOBO ESPORTE.COM

 

 

 

 

Avaí 2 x 1 Goiás

Avaí faz gol aos 48, vence o Goiás e ganha fôlego na luta contra a degola

André Lima marca no triunfo por 2 a 1, e catarinenses continuam na zona de rebaixamento; Esmeraldino cai uma posição na tabela e sai frustrado

Muito mais na vontade do que na qualidade, o Avaí venceu o Goiás neste domingo, na Ressacada. O triunfo por 2 a 1, com um gol aos 48 minutos do segundo tempo, marcado por André Lima, faz os catarinenses respirarem no Campeonato Brasileiro. O lance do tento, aliás, gerou reclamação do Esmeraldino, que pediu falta em cima de Renan – Emerson e Bruno Henrique também anotaram no duelo.

Os goianos saíram de campo muito frustrados. Venciam até os 39 minutos do segundo tempo, mas vacilaram em dois momentos e desperdiçaram a chance de subir na tabela e afundar um rival direto.

Com a vitória, o Leão segue em 18º, com 26 pontos e volta a jogar na quarta-feira, às 21h. O adversário é o Figueirense, no Orlando Scarpelli, o clássico da capital de Santa Catarina. Em 15º, com 28, o Esmeraldino tem outro desafio direto. Entra em campo no mesmo dia, mas às 19h30, diante da Ponte Preta, no Serra Dourada.

Gol de Emerson  (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Jogadores comemoram o gol de empate do Emerson (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

O jogo

A história do primeiro tempo de Avaí e Goiás começa a partir dos 28 minutos. Antes disso, mera troca de passes sem objetividade dos donos da casa diante de uma marcação fechada, um jogo chato e de pouca qualidade. A emoção em Florianópolis aconteceu depois que Bruno Henrique foi lançado por Murilo e bateu no contrapé do goleiro Vagner, que falhou na jogada. Com o tento, o Esmeraldino trancou-se ainda mais, enquanto o Leão, visivelmente nervoso, não conseguia criar e terminou a etapa inicial sem finalizar. Ao fim dos 45 minutos, vaias das arquibancadas da Ressacada.

A volta do intervalou seguiu burocrática, com o Goiás à espera do erro avaiano. Ele apareceu em uma bobeira defensiva, aos quatro, Liniker saiu na cara de Vagner, que defendeu. Gilson Kleina fez alterações para abrir o jogo e dar mais velocidade ao Avaí. A postura segura do Esmeraldino não dava brechas. Restavam as bolas aéreas e quando Fred e Felipe Macedo pareciam soberanos, Emerson subiu mais alto que a defesa para empatar, aos 39 minutos. O empate parecia o resultado a se confirmar, mas aos 48 André Lima desempatou, em lance que gerou reclamação dos visitantes, em falha do goleiro Renan e disputa polêmica com o atacante avaiano, que comemorou no final. Um triunfo que faz os catarinenses ganharem fôlego.

Avaí x Goiás (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Avaí vence de virada no final (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
GLOBO ESPORTE.COM

Fluminense 1 x 3 Flamengo

Kayke comemora o gol com a Nação

O Mais Querido do Mundo trouxe toda felicidade para a Nação Rubro-Negra ao vencer o clássico deste domingo (6.09), no Maracanã, com grande atuação. O Flamengo se mantém forte na briga pelo G4 em um Fla-Flu que Emerson, Kayke e Paulinho marcaram os gols rubro-negros com Jean, de pênalti, descontando. Agora, a equipe enfrenta o Cruzeiro na quinta-feira (10.09), às 21h, no Maracanã.

O Flamengo iniciou a partida com pressão total, dominando o tricolor desde os primeiros minutos de jogo. Aos três minutos do primeiro tempo, Wallace cabeceou com perigo e Cavalieri rebateu. Em seguida, Kayke aproveitou falha de Gum e chutou com perigo. O atacante voltaria a aparecer quatro minutos depois em jogada iniciada por Everton.

Aos oito, Emerson aproveitou o rebote após cobrança de escanteio e converteu o primeiro gol rubro-negro. Apenas cinco minutos depois, Pará lançou Kayke que não perdoou e fez o segundo. Em seguida, a equipe passou a tocar a bola garantindo o placar até o fim do primeiro tempo.

Segundo tempo

Aos onze do segundo tempo, a arbitragem marcou pênalti para o Fluminense. Jean converteu e o tricolor buscou o empate, mas onze minutos depois Paulinho encerrou o placar em nova jogada de Kayke.

No final da partida, Everton recebeu o segundo amarelo e foi expulso, mas nada que pudesse estragar a festa rubro-negra. O Flamengo segue subindo posições no Brasileiro com a força da Nação Rubro-Negra.

 

Flamengo.com .br

Renato Maurício Prado comenta Flamengo 3 x 2 Atlético Paranaense

Estreia auspiciosa

Foi animadora a estreia de Ederson no Fla. Não chegou a fazer nenhuma jogada excepcional, mas já deu pra perceber a sua desenvoltura do meio-campo pra frente e a intimidade com a bola (coisa cada vez mais rara nos nossos gramados). Ele sofreu a falta que originou o golaço de Alan Patrick, na cobrança direta, e arriscou arrancadas interessantes, que poderão se tornar uma nova arma rubro-negra, quando ele estiver em boa forma física.

Na vitória por 3 a 2, sobre o Atlético Paranaense, entretanto, uma antiga e nunca corrigida falha do Flamengo voltou a ficar evidente: a zaga é extremamente vulnerável nas bolas altas. Por isso, um jogo que parecia ser tranquilo, quase se complicou. Sorte dos rubro-negros que, na hora em que esboçavam a reação, os atleticanos ficaram com um a menos, por conta de uma expulsão. Na ausência de Guerrero, Emerson Sheik foi o nome do jogo, fazendo gol e correndo com a disposição de um jovem.

Renato Maurício Prado – O GLOBO -14/08/2015