Flamengo 1 x 1 Atlético Mineiro

O JOGO

No jogo de estreia do Campeonato Brasileiro 2017, a nação rubro-negra teve seu pedido atendido no Maracanã. Joia do Flamengo e com venda encaminhada ao Real Madrid, Vinicius Junior fez sua estreia como profissional contra o Atlético-MG, mas teve exibição discreta e não conseguiu levar o time ao triunfo. Em jogo eletrizante principalmente no segundo tempo, o Galo não se portou como visitante e levou perigo ao Flamengo. Os donos da casa abriram o placar no primeiro tempo com Matheus Sávio, mas sofreram o empate na etapa final com gol de Elias: 1 a 1 placar final.

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

O Atlético-MG começou tendo mais a posse de bola e jogando na frente, mas pouco concluiu. O único trabalho de Alex Muralha foi em falta cobrada com curva por Otero. A primeira finalização do Flamengo, que na verdade foi um cruzamento, terminou em gol. Aos 23 minutos, Matheus Sávio marcou pela sexta vez com a camisa rubro-negra. Sem correr riscos na defesa, os donos da casa ainda chegaram em duas boa chances dentro da área com Guerrero e Berrío depois dos 40, mas não acertaram a meta de Victor.

O JOGO

SEGUNDO TEMPO

A segunda etapa começou a mil por hora, com uma chance real de gol para cada lado nos três primeiros minutos. Cazares, que substituiu Otero, fez linda jogada mas teve finalização tirada por Rafael Vaz. Everton respondeu, mas parou em Victor. O Galo se animou, martelou e empatou com Elias em belo chute no ângulo após passe de Fred, aos 13. A partir daí, teve atuação superior e contou com erros do Flamengo, mas o placar não foi mais movimentado. Guerrero e Cazares desperdiçaram as últimas chances.

DESTAQUE

PRÓXIMOS JOGOS

Pela 2ª rodada do Brasileiro, o Flamengo vai visitar o Atlético-GO em Goiânia no próximo sábado, às 21h, enquanto o Atlético-MG receberá o Fluminense, domingo, no Independência, às 16h.
Antes, pela Libertadores, o Rubro-Negro decide a classificação para as oitavas de final na Argentina, quarta-feira, contra o San Lorenzo – precisa apenas de um empate para se garantir sem depender de outro resultado. O Galo, já classificado, decide a liderança de seu grupo em casa contra o Godoy Cruz.

DESTAQUE

PÚBLICO E RENDA

Público presente: 50.220
Pagante: 42.575
Renda: R$1.874.265,00

DESTAQUE

EM CIMA DA LINHA!

Lances de quase gol movimentaram a etapa final. Primeiro, no duelo entre Cazares e Rafael Vaz, o zagueiro rubro-negro evitou duas chances claras após o equatoriano superar Alex Muralha. Depois, foi a vez do atleticano Gabriel evitar gol de Guerrero de forma incrível debaixo do travessão.

DESTAQUE

12 MINUTOS DE VINICIUS JUNIOR

O camisa 20 rubro-negro entrou na vaga de Berrío aos 37 minutos da etapa final e teve pouco tempo para aparecer – o jogo foi até os 49. Errou dois passes dos três que tentou e, marcado, pouco criou. Após o apito final, a revelação falou sobre a sensação de estrear após ter seu nome gritado pela torcida e sobre o pedido de trocar a camisa com Robinho.

 

– Fico muito feliz pelo reconhecimento da torcida. Hoje pude estrear. Quero agradecer ao Zé Ricardo e a comissão por me darem a essa oportunidade. O grupo que me acolheu muito bem. Que seja um ano de muita vitória, muitos títulos. Eu pedi a camisa dele (Robinho) antes. Ele falou que vai me dar depois da entrevista. É meu ídolo desde pequeno e hoje pude jogar contra ele.

DESTAQUE

DESTAQUES NO CARTOLA

Autores dos gols, Matheus Sávio e Elias fizeram alguns cartoleiros felizes. Eles foram os jogadores que mais pontuaram na partida, com 12,10 e 9,60, respectivamente.

GLOBO ESPORTE.COM

Figueirense 1 x 3 Corinthians

Corinthians bate o Figueirense em Floripa e abre sete pontos na liderança

Com boa atuação de Jadson, Timão vence e vê Atlético-MG tropeçar no Joinville, também em Santa Catarina. Figueira segue na zona do rebaixamento

Com bela atuação de Jadson, o Corinthians bateu o Figueirense por 3 a 1, na tarde deste domingo, em Florianópolis. Faltando dez rodadas para o fim do Brasileirão (ou seja, com 30 pontos em jogo), o Timão foi a 60, com sete de vantagem sobre o Atlético-MG, que cedeu o empate para o Joinville, também em Santa Catarina. Já o Figueira se complica ainda mais, estacionado nos 28 pontos, na antepenúltima colocação.

Elias, Gil e Renato Augusto fizeram os gols da vitória do Corinthians, mas Jadson foi o nome do jogo. Além de duas assistências, o meia deixou os companheiros frente a frente com Alex Muralha em diversas outras ocasiões. Transitando por todo o campo, sem se restringir ao setor direito, Jadson fez o que quis e saiu aplaudido de pé, aos 30 da etapa final, para a entrada de Danilo, quando a fatura já parecia liquidada – o Timão ainda fez o terceiro aos 37, com Renato Augusto. O Figueirense descontou no fim, com Leandro Silva.

Elias gol Corinthians (Foto: Cristiano Andujar / Ag. Estado)
Elias comemora seu gol com os jogadores do banco do Corinthians
(Foto: Cristiano Andujar / Ag. Estado)

O Corinthians tem agora 71,4% de aproveitamento dos pontos. Pelas contas de Tite, o time que mantiver 70% e bater 75 pontos leva o título. Ou seja: faltam cinco vitórias em dez jogos para o Timão ser campeão. Já o Figueirense, se quiser chegar nos sonhados 46 pontos que garantiriam a manutenção na Série A, precisará conquistar 18 nos 30 que seguem em disputa – um aproveitamento de 60%, quase o dobro do que conseguiu no campeonato inteiro (33,3%).

Os dois times voltam a jogar pelo Brasileirão no domingo. O Corinthians encara a Ponte Preta em Campinas, às 16h. No mesmo horário, o Figueirense pega o Goiás, no Serra Dourada. Antes, o Figueira ainda encara o Santos pela Copa do Brasil, quinta-feira, no Pacaembu.

O jogo

Com o campo encharcado, o Figueirense apostava na bola aérea. Só no cinco primeiro tempo foram cinco escanteios. Mas o Corinthians conseguiu neutralizar bem essa jogada e ainda abriu o placar aos 14, com Elias, aproveitando belo passe de Jadson. Quatro minutos depois, Jadson tornou a colocar um companheiro na cara do gol. Desta vez, porém, Vagner Love não conseguiu aproveitar.

No segundo tempo, Love (duas vezes), Malcom e Renato Augusto desperdiçaram chances claras em 20 minutos. O Figueirense tentava atacar na base do abafa, mas deixava muito espaço para o contra-ataque corintiano. Parecia questão de tempo até que saísse o segundo gol do Timão. E ele veio com Gil, completando cruzamento de Jadson aos 21. Já em ritmo de olé, o Corinthians ainda fez o terceiro, com Renato Augusto, aos 37.O Figueira descontou no fim, com Leandro Silva, numa bola cruzada na área e que espirrou em Danilo. Vitória justa, do único time que tentou jogar.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Chapecoense 1 x 3 Corinthians

DESTAQUE

VITÓRIA TRANQUILA

Sem maiores sustos, o Corinthians mostrou estar recuperado da eliminação na Copa do Brasil e venceu a Chapecoense na tarde deste domingo, por 3 a 1, na Arena Condá. Líder do Brasileirão há quatro rodadas, o Timão chegou a 46 pontos, mantendo quatro de vantagem para o Atlético-MG, que venceu o Fluminense no Maracanã. Com 28, a Chape se mantém na parte intermediária da tabela, longe do G-4 e vendo a zona de rebaixamento ainda de uma distância confortável. Elias, Vagner Love e Jadson (de pênalti) fizeram os gols do Corinthians. Bruno Rangel descontou para a Chapecoense

O JOGO

Aproveitando erros incríveis do adversário, o Timão já vencia por 2 a 0 com menos de 15 minutos. Um cochilo do setor defensivo no fim do primeiro tempo resultou no gol de Bruno Rangel. A tentativa de pressão da Chape no início da etapa final foi logo abafada pela equipe de Tite. Com tranquilidade, o time alvinegro chegou ao terceiro gol, em pênalti de Vilson em Rildo, convertido por Jadson, já aos 44.

DESTAQUE

PRÓXIMA RODADA

Os dois times voltam a campo no meio de semana. Na quarta-feira, o Corinthians joga em Itaquera contra o Fluminense. A Chapecoense visita o Santos, na Vila Belmiro.

DESTAQUE

BIZARRO

O jogo teve um lance impressionante: Malcom, do Corinthians, e Ananias, da Chapecoense, ficaram “presos” pelo cadarço da chuteira, após dividida na lateral.

DESTAQUE

FALA, CLEBER SANTANA!

“Tem que estar ligado, não podemos ter derrota, principalmente dentro de casa. Conversamos onde erramos no começo do jogo. No segundo tempo, igualou. Infelizmente, tomamos gol agora no final. Levantar a cabeça e trabalhar, porque na quinta-feira temos mais um jogo difícil”.

DESTAQUE

FALA, JADSON!

“No segundo tempo, a equipe deles cresceu um pouco, mas, graças a Deus, conseguimos os três pontos. Jogar aqui não é fácil. É um campo pequeno, nossa equipe estudou muito a Chapecoense”.

 

GLOBO ESPORTE.COM

 

 

 

 

 

Corinthians 3 x 0 Vasco

Corinthians fura retranca, afunda mais o Vasco e segue na cola do líder Galo

Em jogo de ataque contra defesa, Renato Augusto marca com um minuto da segunda etapa e desmorona time de Celso Roth, que leva nova goleada (3 a 0) e segue no Z-4

Era questão de tempo. A previsão era de Tite, que dizia antes da partida: Renato Augusto logo vai fazer gol. O Vasco vai cansar era a previsão do meia corintiano, no intervalo, pouco antes de fazer o primeiro dele na temporada e abrir a porteira com 60 segundos de bola rolando na segunda etapa. No placar de 3 a 0 do Corinthians sobre o Vasco, na Arena de Itaquera – com 30.340 pagantes e renda de R$ 1.608.159,76 -, o retrato do momento dos dois clubes.

Nos primeiros 45 minutos, o time de Celso Roth evitou o que parecia realmente previsível: a goleada que se desenhou com um golaço de Gil e outro bonito gol marcado por Elias, o melhor em campo.

Foi a décima derrota vascaína em 16 jogos. O Vasco, imerso na zona de rebaixamento desde a quarta rodada, permanece desesperado em 18º lugar com apenas 12 pontos. Com 33 pontos, o time de Tite segue na cola do líder Atlético-MG, que venceu o São Paulo em Belo Horizonte – o tricolor paulista é o próximo adversário corintiano, no jogo de 9 de agosto no Morumbi (16h). O Vasco enfrenta o lanterna Joinville no mesmo domingo, às 11h, no Maracanã.

Corinthians x Vasco Renato Augusto (Foto: Marcos Ribolli)
Renato Augusto abre o placar para o Corinthians contra o Vasco (Foto: Marcos Ribolli)

Com três volantes novamente, Roth tentou trancar o espaço dos corintianos no centro do campo. Não foi nada eficiente. Logo no início, Elias teve duas chances e Vagner Love, que saiu no intervalo, perdeu a chance mais clara – em chute cruzado para boa defesa de Jordi. As tentativas de Riascos, Herrera e Jhon Cley eram inócuas. O Vasco resistiu o quanto pôde, mas sucumbiu às suas falhas no início com o gol de Renato Augusto, após Elias levar vantagem novamente sobre a defesa adversária. Minutos depois, Gil tentou duas vezes, sozinho na área vascaína, e fez um golaço para o Corinthians. Jordi, que fez boa partida, tentou sair para cortar o cruzamento e foi enganado.

Pressionado no comando do Vasco, Roth lançou Thalles no lugar de Riascos e Andrezinho na vaga de Serginho – Emanuel Biancucchi ainda entraria no lugar de Herrera nos minutos finais. Aos trancos e barrancos, a melhor chance do Vasco veio com Thalles, que perdeu boa chance. Do outro lado, Elias não perdoou e fez o terceiro gol corintiano aos 31 minutos, selando mais uma goleada sofrida pelo Vasco. A defesa mais vazada do campeonato sofria seu 29º gol – média de 1,8 por jogo. E o Timão segue forte atrás do Atlético-MG.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Renato Maurício Prado usa o Bagá para criticar atuação do Flamengo contra o Corinthians

Gol Elias, Flamengo x Corinthians (Foto: André Durão)

Corintianos festejam o gol de Elias, que abriu caminho para a vitória corintiana

(Foto: André Durão)

Eu sabia que essa semana não tinha escapatória. Foi botar o pé na Praça General Osório e o urro do ciclope provocou uma revoada de pardais e um tremendo susto em vários incautos, que entravam, distraídos, na estação do Metrô. Claro, era ele: Bagá em toda a sua fúria, causada pela tremenda chinelada que o seu adorado Mengo levou do Corinthians, em pleno Maracanã.

Chegou correndo, esbaforido, quase botando os bofes pela bocarra, mas disparando a sua metralhadora giratória, sem piedade:

— Chefia, não aguento mais o Cristóvão! Até domingo eu ainda achava que podia dar certo e que você estava de má vontade. Mas o que ele fez nessa partida contra o Timão foi indesculpável.

Embora desde a contratação do técnico eu venha criticando a infeliz ideia de Rodrigo Caetano e do conselho gestor, me fiz de bobo e provoquei a fera:

— Mas a culpa foi também dos jogadores, Bagá! Afinal, ninguém jogou bulhufas…

Olho rútilo e baba bovina (ave, Nélson!) escorrendo da beiçola, o gigante de ébano bramiu:

— Amizade, o meu Mengão não pode ir pro vestiário apanhando de 2 a 0 e voltar com o mesmo time, como se nada tivesse acontecido. Em 40 anos de arquibancada, é a primeira vez que vejo um treinador agir assim! Tinha que ter voltado com pelo menos duas alterações, pra tentar logo a reação. A apatia do Cristóvão é de enlouquecer.

Não dava pra discordar do sacrossanto crioulo. Como de hábito, a figura estava prenhe de razão. E continuava a sua colérica ladainha:

— Com 10 minutos, o que ele fez? Tirou um atacante, Gabriel, e pôs um meia, Alan Patrick! Só mais tarde, quando a vaca já tinha ido pro brejo, ele sacou um dos três volantes! Parei contigo, Cristóvão.

Como eu nem comecei, preferi deixar a bola com o gigante de ébano. E ele ainda tinha o que falar:

— O cara escala três volantes e manda o time pro ataque? Como assim? Atacar de que maneira, senão tem ninguém pra armar as jogadas? O Flamengo ficou rondando, rondando a área, que nem peru bêbado na véspera do Natal e, na primeira bobeada, contra-ataque e gol do Corinthians. Claro! O Cristóvão escala três cabeças de área e nem assim a defesa fica protegida. Tá brincando, né?

Tento amenizar o tom da conversa, lembrando que a partir de agora o Flamengo terá Emerson e Guerrero e o monstro solta um rugido enfurecido, antes de trocar de alvo:

— Esse Bandeira também… Que tremendo acordo Caracu! O Timão tava louco pra aliviar a folha de pagamentos, a gente ajudou e o cara exige que os seus ex-jogadores não o enfrentem? Ah, vai…

Prefiro nem fazer o advogado do diabo e o Bagá continua soltando a lenha no cartola:

— O que esse presidente está esperando pra botar o Cristóvão no olho da rua? Errou, irmão, admite e conserta. Chama logo o Oswaldo (de Oliveira) que ainda está aí dando sopa. Aliás, na saída do Luxa, se tivessem deixado o Jayme como interino, poderiam ter pegado o Marcelo Oliveira, antes do Palmeiras. Resolveram apostar no Mourinho do Pelourinho, deu nisso.

Amanhã, o Fla volta a campo, pela Copa do Brasil, com Emerson e Guerrero. Esperançoso?

— Sei, não, chefia. Jogar lá é osso duro de roer e o 0 a 0 é dos caras. Só se o Guerrero estiver numa outra noite iluminada, como a da estreia…

Esperemos, Bagá, esperemos.

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 14 de julho de 2015

 

Flamengo 0 x 3 Corinthians

Corinthians atropela o Flamengo no Rio e sobe para a terceira posição

Desfalcado de seus dois principais atacantes, Fla comete muitos erros e vira presa fácil para o Timão, que mostra mais organização para quebrar jejum no Maracanã

O Corinthians passou por cima do Flamengo, sem nenhuma dificuldade, neste domingo à tarde, no Maracanã, pela 13ª rodada do Brasileirão, e subiu para a terceira posição, com 26 pontos. Os 3 a 0 diante de um Rubro-Negro sem qualidade técnica, mal posicionado e desfalcado de seus principais atacantes (Guerrero e Sheik não jogaram por causa de um acordo entre os clubes), garantiram ao Timão a segunda vitória consecutiva. O Fla, com 13, segue rondando a zona de rebaixamento.

Com o triunfo, o Timão quebra uma sequência de 14 partidas (oito anos) sem vencer no Maracanã (a última havia sido em 2007, contra o Botafogo, por 3 a 2). Contra o Flamengo, no estádio, a escrita durava oito jogos (13 anos), desde 2002, quando o Alvinegro fez 1 a 0.

 

Gol Elias, Flamengo x Corinthians (Foto: André Durão)
Corintianos festejam o gol de Elias, que abriu caminho para a vitória corintiana
(Foto: André Durão)

O Corinthians esteve longe de fazer uma partida brilhante. Diante de um limitado e desfalcado Flamengo, porém, bastou um pouquinho de organização e acerto nos passes para que o Timão abrisse vantagem no primeiro tempo sem muito esforço.

O Rubro-Negro tentou uma pressão inicial, mas tropeçou na falta de qualidade de seus atacantes. Um pouco mais retraída, a equipe visitante esperava o espaço para contra-atacar.

Aos 25, surgiu esse espaço, graças à colaboração de Everton, que entregou a bola de graça Jadson. O meia passou para Elias, que lançou para Vagner Love. Tudo em velocidade. O atacante tentou tirar de César, mas o goleiro conseguiu defender. Elias ficou com a sobra e tocou por cobertura.

O Flamengo não tinha força para reagir. Cometia muitos erros de passe. Sem um pingo de coordenação, dava campo e bola para o Corinthians jogar. Aos 48, saiu o segundo: Renato Augusto acertou belo passe cruzado para Uendel tocar sem chances para César.

O Rubro-Negro esboçou uma pressão no início do segundo tempo. Foi só um esboço. Seguiam os problemas de posicionamento e coordenação que tornaram os jogadores do Flamengo presas fáceis para os corintianos.

Prova disso é a jogada do terceiro gol, aos 17 minutos. Wallace e Jonas perderam a bola para Elias, no campo de defesa. O volante corintiano acertou belo passe para Jadson bater de primeira e marcar. O meia alvinegro estava livre dentro da área na posição que deveria estar ocupada por Wallace.

Com a desvantagem, o Flamengo se lançou ao ataque para tentar diminuir um pouco o vexame. Chegou até marcar um gol, com Jonas, aos 31 minutos. A bola foi cruzada na área, e o volante apareceu livre para marcar. A arbitragem marcou impedimento inexistente e prejudicou o time da casa.

Pelo que o Fla apresentou, o gol não teria feito muita diferença. Após esse lance, o Timão apenas controlou o jogo, fechando a entrada de sua área e deixando o Flamengo sem ter o que fazer a não ser arriscar chutes de fora da área sem direção.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Corinthians 2 x 0 Atlético Paranaense

Corinthians passa sufoco, mas vence o Atlético-PR em casa e volta ao G-4

Nos momentos em que sofria maior pressão, tanto no primeiro como no segundo tempo, Timão resolveu com Jadson, que passou para Elias marcar e fechou o placar

O Corinthians venceu o Atlético-PR por 2 a 0 em Itaquera, na noite desta quinta-feira, e voltou ao G-4 do Brasileirão. Jadson foi o destaque do jogo, dando um passe para Elias marcar o primeiro gol e fazendo o segundo. A arena alvinegra recebeu mais de 32 mil pagantes, mas, dentro de campo, parecia que era o time visitante que jogava em casa.

corinthians x atletico-pr (Foto: Marcos Ribolli)
Jadson (ao fundo) é abraçado pelos companheiros após marcar o segundo gol do jogo em Itaquera (Foto: Marcos Ribolli)

O Furacão teve mais posse de bola, mas errou todas as oportunidades que criou (foram 12 finalizações contra oito). Mas quando corria mais riscos, tanto no primeiro quanto no segundo tempo, o Timão chegou aos gols, aos 33 e 31 minutos, respectivamente.

Com 23 pontos, o time paulista assumiu a quarta posição na tabela. Era o terceiro assim que o jogo acabou, mas a vitória do Fluminense sobre o Cruzeiro, no Maracanã, fez o Alvinegro descer um degrau. O G-4, porém, está garantido.

O Atlético-PR também sonhava voltar ao grupo dos quatro melhores, mas estaciona nos 19 pontos, com duas derrotas consecutivas, e termina a 12ª rodada no oitavo lugar.

 

Na 13ª rodada, o Corinthians vai ao Maracanã enfrentar o Flamengo, no domingo, às 16h. Nos mesmos dia e horário, o Atlético-PR recebe o Fluminense na Arena da Baixada.

O jogo

O primeiro tempo foi travado até o gol do Corinthians, marcado por Elias, aos 33 minutos. O Atlético marcava a saída de bola adversária pelo meio, obrigando o Timão a jogar pelas laterais, sem perigo. Tanto que quem criou o primeiro lance de perigo da partida foi o Furacão, quando Cássio teve que sair de sua meta para travar Cléo, aos 26.

Mas Jadson surpreendeu a defesa rival ao dominar a bola dentro da área, após cobrança de lateral de Fagner e desvio de cabeça de Gil, e girar para fazer o passe para Elias completar. Com o gol, a disputa ficou mais aberta. O time paranaense terminou a etapa inicial com mais posse de bola: 55% contra 45% do time paulista.

O segundo tempo começou com pressão do Furacão, que aumentou a posse de bola (chegou a ter 60%) e encurralou o Timão. Marcos Guilherme, Nikão e Cléo perderam boas chances num jogo que parecia ser disputado em meio campo. Do outro lado, Jadson apareceu somente aos 24 minutos, quando obrigou Weverton a fazer uma grande defesa em chute da entrada da área.

A essa altura da partida, Tite já tentava ocupar melhor o meio de campo para equilibrar as ações. Danilo tinha entrado no lugar de Vagner Love, e Ralf no de Bruno Henrique. Mas o Atlético continuava em cima quando o Timão aproveitou mais uma de suas raras chances para ampliar o placar. Aos 31, Jadson levantou a bola na área em cobrança de falta, mas ninguém conseguiu desviá-la até que entrasse no ângulo.

Como diz aquele velho ditado do futebol, quem não faz toma. Sorte, e eficiência, do Timão.

 

 

GLOBO ESPORTE.COM

Elias aconselha para as Eliminatórias: Tocar mais a bola e evitar contatos

Volante ressalta que Seleção precisa fazer o que sabe. Jogador diz que se sentiu um pouco cansado por virose, mas garante que não atrapalhou no rendimento

Os jogadores da Seleção deixaram na manhã deste domingo o hotel em Concepción, no Chile, depois da eliminação nos pênaltis para o Paraguai na Copa América no sábado. O volante Eliaslamentou a saída já nas quartas de final da competição e fez um alerta para as Eliminatórias, próxima disputa da equipe comandada por Dunga. É preciso tocar mais a bola e evitar brigas e contatos.

– Vai ser competitiva onde temos que fazer o que sabemos melhor que é tocar bola, evitar brigas e contatos – afirmou o jogador à TV Globo antes de ingressar no ônibus rumo ao aeroporto.

O atleta comentou ainda sobre os riscos que o Brasil pode sofrer também nas Eliminatórias diante de praticamente os mesmos adversários da Copa América. Para ele, as equipes estão atualmente muito parecidas.

– Risco sempre vai ter então sabemos das dificuldades que será enfrentar as eliminatórias com equipes parecidas e padronizadas, mas temos que dar sequência.

Sobre o empate no tempo normal e depois as penalidades, Elias colocou que o time não repetiu a atuação do primeiro tempo e acabou deixando que o Paraguai “gostasse da partida” na etapa complementar.

– Acho que deixamos de fazer o que fizemos no primeiro tempo de girar a bola rápido e fugir do contato. No segundo tempo, o jogo ficou igual como eles queriam.

A virose citada por Dunga não foi colocada como problema maior por Elias. De acordo com o jogador, houve um maior cansaço, mas ele garantiu que não atrapalhou no rendimento durante o confronto.

– No final do jogo um pouco cansado, mas não atrapalhou meu rendimento durante a partida – disse ele, completando: – Nunca tive uma virose. Sentia mais na madrugada. Corpo inteiro. Começou lá em Santiago.

SPORTV.COM

Corinthians 2 x 1 Criciúma

2 x 1

38ª RODADA
CORINTHIANS BATE CRICIÚMA, MAS NÃO ESCAPA DA FASE PRÉVIA DA LIBERTADORES
Como o Inter também venceu a sua partida, o Timão vai ter de disputar vaga contra um colombiano para chegar à fase de grupos do torneio
Nem tudo deu certo para o Corinthians na tarde deste sábado. O Timão venceu o Criciúma por 2 a 1 na arena de Itaquera, chegou à 19ª vitória no Campeonato Brasileiro, mas não conseguiu subir para a terceira colocação e, consequentemente, conquistar a vaga direta na Taça Libertadores da América. Com os mesmos 69 pontos do Internacional, que bateu o Figueirense por 2 a 1 nos acréscimos em Florianópolis, o Alvinegro acabou prejudicado por ter duas vitórias a menos que o time gaúcho, terminou a competição na quarta posição e disputará a primeira fase da competição continental, em jogos eliminatórios.

O já rebaixado Criciúma deu trabalho além do esperado pelo Corinthians. Com um time repleto de jogadores jovens, buscou o empate após sair atrás do placar e se esforçou até o final. Com gols de Elias e Fábio Santos, o Timão venceu. Roger Guedes descontou para o Tigre. Foi o recorde de público da Arena Corinthians pós-Copa do Mundo: 38.044 pagantes, superando os 37.119 do jogo contra o Botafogo, no primeiro turno.

Para o Criciúma, foi a despedida na elite do futebol nacional e a “prova final” de jogadores da base, que serão aproveitados na próxima temporada. Os catarinenses jogarão a Série B do Campeonato Brasileiro em 2015. Para o Corinthians, a vitória não serviu para evitar um duelo eliminatório logo de cara na Libertadores, competição que o Timão voltará após ter ficado fora neste ano. O adversário na fase preliminar será um time colombiano que ainda não foi definido. A primeira partida será em casa e a decisão, fora. Se passar por esse duelo, o Alvinegro vai para o Grupo 2, com São Paulo, San Lorenzo-ARG e Danubio-URU.

Elias gol, Corinthians x Criciuma (Foto: Marcos Ribolli)
Elias comemora o gol marcado pelo Corinthians ainda no primeiro tempo (Foto: Marcos Ribolli)

Bolas na trave, gol, polêmica…

Roger Guedes, Corinthians x Criciuma (Foto: Marcos Ribolli)
Roger Guedes vibra com o gol do Criciúma
(Foto: Marcos Ribolli)

Com um time repleto de garotos e sem nada a perder, o Criciúma partiu para cima do Corinthians, mas demorou poucos minutos para ser neutralizado. Aos 17, o Timão já havia batido na trave, literalmente, duas vezes: primeiro em cabeçada de Guerrero, depois em chute de Petros. Insistente, a equipe de Mano Menezes pressionava um adversário assustado e cada vez mais recuado, mostrando que o gol era questão de tempo. E o placar seria aberto em um vacilo dos visitantes: o lateral Maicon Silva perdeu a bola para Renato Augusto, que encontrou Petros. O meia deixou Elias, dentro da área, em posição para tocar no canto direito de Bruno, que se esticou, mas não encontrou nada.

O goleiro do Criciúma se machucou no lance, tentou continuar na partida, mas teve de ser substituído por Edson minutos depois. Mesmo dependente de contra-ataques criados nos espaços dados pelo Corinthians, o Tigre chegou ao empate, em um gol mal anulado pela arbitragem. Lucca lançou para Ricardinho, dentro da área. Com espaço, ele rolou no buraco deixado pela defesa alvinegra, e Gustavo empurrou para o gol. O árbitro Dewson Freitas da Silva marcou impedimento inexistente no lance que deu início à jogada.

Susto e alegria

Fabio Santos, Corinthians x Criciuma (Foto: Marcos Ribolli)
Fábio Santos, autor do segundo gol do Corinthians
(Foto: Marcos Ribolli)

O segundo tempo começou bem para o Corinthians antes mesmo de a bola rolar. O gol do Figueirense contra o Internacional tornava a combinação de resultados ainda mais perfeita para o Timão. A notícia, somada a um chute de Malcom que passou raspando a trave direita de Edson logo no primeiro minuto da etapa complementar, foi o suficiente para fazer a Fiel aumentar ainda mais a festa na Arena. Mas não por muito tempo: Roger Guedes aproveitou vacilos de Cássio e Fábio Santos em escanteio para empatar o jogo.

O barulhento ambiente, o jogo ofensivo e a experiência de Danilo, que entrou no lugar de Petros, pareciam suficientes para tornar a tarde perfeita para os corintianos. Em uma troca de passes muito rápida entre o Danilo, Fábio Santos, Renato Augusto e Guerrero, o lateral-esquerdo chutou forte, dando os três pontos que o Timão precisava. Mas…

A festa estava pronta. Mas Wellington Silva, a mais de 700 km de Itaquera, estragou tudo. Aos 50 minutos de jogo, o lateral do Internacional conseguiu o gol da virada sobre o Figueirense no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, e fez com que o Colorado ultrapassasse o Corinthians no primeiro critério de desempate. Ambos terminaram o Brasileirão com 69 pontos, mas o Inter, por ter 21 vitórias contra 19 do Timão, acabou em terceiro e vai para a fase de grupos da Libertadores. Aos corintianos, em quarto, coube a fase preliminar da competição continental, com um mata-mata a ser disputado diante de um rival colombiano ainda a ser definido.

Malcom, Corinthians x Criciuma (Foto: Marcos Ribolli)
Malcom teve atuação destacada no duelo contra o Criciúma, na Arena (Foto: Marcos Ribolli)
GLOBO ESPORTE.COM

Corinthians 2 x 2 Coritiba

2 x 2

32ª RODADA
NO ÚLTIMO LANCE DO JOGO, CORINTHIANS EMPATA E MANTÉM CORITIBA NO Z-4
Em noite inspirada, Alex faz grande primeiro tempo e garante vantagem parcial. No entanto, meia sai machucado, Timão reage e marca aos 49
Frustração de um lado, alívio de outro. Até os 49 minutos do segundo tempo, o Coritiba vencia o Corinthians por 2 a 1, neste sábado, na Arena do Timão, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com esse resultado, o Coxa ia saindo da zona de rebaixamento, graças a uma grande atuação de Alex no primeiro tempo. Mas havia Bruno Henrique. Numa cabeçada forte, certeira, completando cobrança de escanteio, o volante corintiano empatou a partida no último lance, aos 49 minutos do segundo tempo.
Frustração de um lado, alívio de outro. Até os 49 minutos do segundo tempo, o Coritiba vencia o Corinthians por 2 a 1, neste sábado, na Arena do Timão, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com esse resultado, o Coxa ia saindo da zona de rebaixamento, graças a uma grande atuação de Alex no primeiro tempo. Mas havia Bruno Henrique. Numa cabeçada forte, certeira, completando cobrança de escanteio, o volante corintiano empatou a partida no último lance, aos 49 minutos do segundo tempo.

Com o resultado, o Coxa segue no Z-4. Está em 17º, com 34 pontos. Já o Timão, com 54, caiu uma posição e agora está em sexto. As vitórias de Fluminense e Grêmio, também neste sábado, prejudicaram o Timão, que pode se distanciar ainda mais do G-4 dependendo dos resultados deste domingo. O time paranaense também pode perder posições, já que Botafogo e Bahia ainda jogam.

O próximo jogo do Timão será contra o Santos, domingo que vem, às 19h30 (horário de Brasília), novamente na Arena. O Coritiba recebe o Fluminense, sábado, também às 19h30, no Couto Pereira.

alex robinho CORINTHIANS X CORITIBA (Foto: Marcos Ribolli)
Alex foi bem no primeiro tempo, mas acabou se machucando no segundo (Foto: Marcos Ribolli)

Gênio supera jogo maluco

Mano Menezes fez o que pôde para deixar o Timão mais ofensivo, colocando Danilo como centroavante, soltando Malcom e Luciano pelas pontas, contando com a pressão da Arena Corinthians. O jogo até começou bom para os donos da casa, mas tudo ruiu em poucos e inusitados minutos.

Dos 15 aos 19 minutos, quase tudo aconteceu: Jean Pierre Gonçalves Lima, o juiz, marcou pênalti de Welinton em Luciano. Pouco depois, foi chamado pelo auxiliar que fica atrás do gol. Após breve conversa, Jean voltou atrás e desmarcou a penalidade, para revolta dos corintianos. Enquanto isso, um cão atravessou o campo duas vezes e foi retirado pelos bombeiros. No fim, Anderson Martins teve um gol corretamente anulado por impedimento.

Com tanto em tão pouco tempo, o Corinthians se perdeu e acabou abrindo espaço para o gênio: Alex, 37 anos, o craque do Coritiba. Em dois atos, ele puniu o time da casa: passe perfeito para Robinho abrir o placar, aos 24 minutos, e chute certeiro de fora da área para fazer 2 a 0, aos 31.

A entrada de Ángel Romero no lugar de Malcom, no intervalo, surtiu efeito no primeiro minuto da segunda etapa, quando o paraguaio recebeu pela direita, chutou e viu Elias completar para diminuir o placar. A Arena virou um caldeirão, e o cenário passou a ser favorável ao Corinthians, que, todo no ataque, deixava espaços: Alex, numa escapada, só não marcou o terceiro porque adiantou demais a bola e foi barrado por Cássio.

O Coxa parou. A partir daí, pressão total do Timão: gols perdidos, pontaria longe de estar afiada. Romero errou cabeçada na pequena área, Luciano errou um chute fácil… Quando acertava o gol, o Alvinegro parava no goleiro Vanderlei. Nos últimos minutos, o Timão passou a jogar dentro da área do Coxa, que se segurava como podia. A pressão era intensa, e os visitantes não aguentaram: aos 49, em cobrança de escanteio de Uendel, Bruno Henrique apareceu sozinho para cabecear e empatar a partida.

cachorro invasão CORINTHIANS X CORITIBA (Foto: Marcos Ribolli)
Cachorro invadiu o campo e foi retirado pelos bombeiros (Foto: Marcos Ribolli)
GLOBO ESPORTE.COM