James Akel critica apreensão de bens de Eike Batista

O empresário Eike Batista, em imagem de arquivo (Foto: Reuters)

Semana passada a mídia mostrou que a Polícia Federal a mande da Justiça foi até a casa de Eike Batista e levou várias coisas embora.

Ao invés disto a Justiça deveria apenas ter decretado Eike fiel depositário dos bens.

Levaram embora uma Ferrari e outro carro de luxo.

Alguém pode acreditar que no depósito onde vai ficar os carros vão ter manutenção?

Uai, se ficassem com Eike sendo fiel depositário ele teria responsabilidade de cuidar dos bens.

No depósito os carros vão ficar jogados a não ser que sejam usados pela polícia federal pra perseguir bandidos.

O mesmo se pode dizer do iate de Eike que está estimado em 80 milhões e tem custo caro de manutenção.

Alguém vai acreditar que o iate vai ter manutenção do setor público?

Tão simples de fazer.

 

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 09h33 no dia 18/02/2015

James Akel ironiza dívida que Eike Batista nega existir

 

Quando a Folha escreveu que Eike Batista tinha dívidas de 10 bilhões de reais, o próprio Eike tentou desmentir a Folha.

Agora a empresa de Eike entra em recuperação judicial exatamente por causa da dívida de 10 bilhões que ele dizia nem existir.

 

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 10h30 no dia 31/10/2013

James Akel comenta entrevista concedida por Eike Batista a jornal estadunidense

 

O empresário Eike Batista deu entrevista a um jornal americano onde atribuiu seu fracasso aos seus executivos.
Eike Batista deve ser o criador daquela frase “eu ganho, nós empatamos, vocês perdem”.
Declarou que foi enganado pelos executivos de sua empresa.
Parece que foi o vizinho que escolheu os executivos e não ele.
Disse que ele é apenas investidor e não entendia dos negócios, aliás a mesma frase que disse Silvio Santos quando houve o fracasso financeiro do Banco Panamericano que era dirigido pelo seu cunhado que era professor de educação física.
Eike ainda declarou que além de seus executivos teriam feito trabalho errado ainda faltou sorte.
Eu pensava que Eike tinha empresas de produção e não cassinos.
Aliás, até pra administrar cassinos precisa saber trabalhar.
Eike perdeu grande chance de deixar de falar merda.
Um cara que pegou 140 milhões do BNDES pra reformar o Hotel Glória no Rio e reduziu a capacidade do prédio de 610 pra 350 apartamentos, gastou o dinheiro e não reformou o hotel, poderia virar ministro.
 

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 08h06 no dia 17/09/2013

James Akel comenta a venda do Hotel Glória no Rio

 

 

A venda do hotel Glória no Rio de propriedade do pequeno milionário Eike Batista é de um grande mistério de matemática.
Eike pegou 190 milhões do BNDEs e ainda nada pagou.
Fez na verdade metade da obra e mal feita.
Reduziu a capacidade de apartamentos de 610 pra 350.
Agora está vendendo por 200 milhões pra um grupo suíço.
O grupo suíço vai ter que completar a obra e Eike, espera-se que use o dinheiro pra pagar o BNDES.
O tal grupo suíço vai gastar mais 50 milhões no mínimo pra terminar.
São então 250 milhões de reais pra 350 apartamentos longe do mar.
A diária média naquele lugar será nem 600,00 ao dia.
Um hotel ali não dá mais que 60% de média diária.
Isto quer dizer que vão ter recebimento mensal de no máximo de 5 milhões mês incluindo convenções.
O lucro disto é 10%.
Investir 300 milhões pra ganhar 500 mil ao mês é menos que caderneta de poupança.
Quando Eike vende um negócio  fuja dele.

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 10h43 no dia 04/09/2013