Clube de Regatas Brasil 2 x 1 Paysandu

O JOGO

SUBINDO…

O CRB engatou a segunda vitória seguida na Segundona e saiu da zona do rebaixamento. Empolgou a torcida em Maceió. De virada, o Galo bateu o Paysandu por 2 a 1 nesta sexta, no Rei Pelé, e chegou ao décimo lugar, agora com 13 pontos. Subiu muito na classificação, mas ainda pode perder posições com a sequência da 10ª rodada. Edson Ratinho e Flávio Boaventura marcaram para o time alagoano, com Marcão descontando. O Papão não vence há seis jogos e caiu, pelos menos por enquanto, para o 14º posto, com 12 pontos.

DESTAQUE

COMEÇOU BEM

O técnico Dado Cavalcanti iniciou o trabalho na última segunda e mudou o cenário do CRB. Em dois jogos, conquistou duas vitórias e começa a conquistar a confiança da torcida regatiana. Ele chegou logo mexendo no esquema – agora é 4-1-4-1 – e em cinco posições. Para a partida desta sexta, repetiu o time que venceu o ABC. Se deu bem.

DESTAQUE

A PRÓXIMA

No dia 30, o CRB vai enfrentar o Náutico na Arena de Pernambuco, às 21h30. No mesmo dia, às 19h15, o Paysandu recebe o Luverdense, no Mangueirão, em Belém.

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

O jogo mal começou, e o Paysandu abriu o placar. A jogada começou num lindo calcanhar Jhonnatan. Airton recebeu pela direita, aos três minutos, e cruzou: Marcão finalizou para o gol de direita, ganhando a disputa com Flávio Boaventura. Perdendo, o time alagoano avançou. Aos 15, Danilo Pires disparou de longe e o goleiro do Paysandu espalmou para escanteio. O CRB quase empatou aos 16 minutos. Diego cobrou escanteio pela esquerda, Danilo Pires desviou no primeiro pau e Zé Carlos chegou para finalizar. Pery salvou o Papão em cima da linha. Aos 28, Chico cruzou por baixo, Danilo ajeitou e Ratinho bateu cruzado. Passou perto do gol do Paysandu.

DESTAQUE

SEGUNDO TEMPO

O CRB foi pra dentro no segundo tempo. Empatou aos quatro minutos. Chico bateu de fora da área e carimbou o travessão. Fernando Lombardi afastou mal e Edson Ratinho pegou de primeira, entre o goleiro do Papão e a trave. Depois, Zé Carlos escorou uma cobrança de falta de Diego e assustou o Paysandu. O Papão teve uma chance aos 10, numa falta frontal. Airton bateu e errou o alvo. De tanto tentar, o CRB virou o jogo aos 16. Elvis acionou Ratinho, que cruzou da direita, Marcão cortou errado, pra dentro da área, e Flavio Boaventura acertou uma cabeçada fatal: 2 a 1. Aos 27, Tiago Mandi colocou o goleiro do Galo para trabalhar com um chutaço de longe. Foi a última jogada de perigo da partida.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Ceará 2 x 3 Mogi Mirim

Ricardinho marcou duas vezes, mas o time perdeu por 3 x 2

GLOBO ESPORTE.COM

América Mineiro 3 x 1 Mogi Mirim

Em casa, América-MG vence lanterna Mogi Mirim e volta ao G4 da Série B

Coelho chega a 20 pontos na tabela enquanto time paulista segue sem vencer na competição

América-MG e Mogi Mirim fizeram um jogo muito bom, na noite deste sábado, no Independência, em Belo Horizonte. O Coelho se deu melhor. Fez 3 a 1 no Sapo, gols de Mancini, Marcelo Toscano e Richarlison, contra um de Edson Ratinho, e termina a rodada no G4 do Campeonato Brasileiro da Série B, com 20 pontos, na quarta colocação.

O Mogi Mirim permanece na lanterna, com apenas três pontos.

América-MG e Mogi Mirim se enfrentaram no Independência (Foto: Divulgação/AFC)
América-MG e Mogi Mirim se enfrentaram no Independência (Foto: Divulgação/AFC)

Apesar da posição dramática na classificação, o Mogi Mirim mostrou qualidades e dificultou a vida do América-MG, que teve que ter muita paciência para sair de campo vitorioso. O Coelho foi premiado com os gols da vitória depois dos 30 minutos do segundo tempo e o Sapo sai de campo com a sensação de que pode dar a volta por cima e se reabilitar.

A próxima rodada terá os dez jogos disputados na próxima terça-feira, dia 7. Tanto América-MG quanto Mogi Mirim vão entrar em campo às 19h30 (de Brasília). Os mineiros vão ao Moacyrzão, no interior do Rio de Janeiro, enfrentar o Macaé, enquanto os paulista recebem o Náutico, no Romildo Ferreira, em Mogi Mirim.

O jogo  

O roteiro imaginado para a partida, desde antes de a bola rolar, foi cumprido à risca por América-MG e Mogi Mirim, no começo do jogo. O time da casa, lutando por uma vaga no G4, tinha a obrigação de atacar e buscar o gol, enquanto o visitante, na lanterna da Série B e ainda sem vencer, se defendendo com todas as suas forças. A diferença na posição dos dois times na classificação dava a impressão de que o Coelho teria vida fácil, mas não foi isso que aconteceu. O Sapo se armou muito bem defensivamente e criou grandes dificuldades para o adversário penetrar e conseguir espaços. Além disso, o Mogi adiantou a marcação, depois dos 20 minutos, e complicou a saída de bola americana.

Sem ter grandes oportunidades de gol até então, o América-MG abriu o placar, aos 37 minutos, através de um pênalti cobrado por Mancini. A penalidade foi cometida pelo lateral Leonardo, que desviou um chute de Bryan com o braço. O empate do Mogi Mirim veio na mesma moeda, cinco minutos depois. O goleiro João Ricardo derrubou Júnior Juazeiro na área. Edson Ratinho cobrou bem e deixou tudo igual. O primeiro tempo ficou no 1 a 1, num jogo de variações táticas interessantes e muito empenho dos jogadores.

Mancini comemora gol do Coelho na vitória do América-MG sobre o Mogi (Foto: Divulgação/AFC)
Mancini comemora gol do Coelho na vitória do América-MG sobre o Mogi (Foto: Divulgação/AFC)

O segundo tempo manteve o bom nível do primeiro. Os dois times continuaram buscando o gol e mantendo a organização em campo. O Mogi voltou um pouco mais solto, acreditando na primeira vitória no campeonato, e isso deu espaços para o América-MG ter o contragolpe com mais uma opção ofensiva.

Os dois times se alternaram no ataque durante toda a segunda etapa e tiveram a chance de decidir a partida, com lances claros de gol, dentro da área. O Sapo foi valente durante todo o jogo. Buscou a vitória, com raça e valentia, mas não foi capaz de segurar o Coelho de Marcelo Toscano. Aos 34 minutos, o artilheiro americano fez seu quinto gol na competição. Ele recebeu de Mancini e bateu sem chances para o goleiro Daniel, colocando o América-MG na frente do placar. O dono da casa ainda teve tempo para fazer mais um, com o garoto Richarlison, que aproveitou o rebote de um voleio de Toscano, para empurrar para as redes, aos 41 minutos.

Quem olhar a classificação da Série B do Campeonato Brasileiro verá o América-MG, merecidamente, no G4. E o Mogi Mirim, na última colocação, ainda sem vencer. Fica um alento para o time paulista de que se continuar apresentando o futebol competitivo deste sábado, tem boas chances de se reabilitar. Ao Coelho, fica a certeza de que o trabalho está sendo bem feito e, se for mantido, tem tudo para levar o time de volta à Série A, em 2016.

GLOBO ESPORTE.COM

Mogi Mirim 1 x 1 Vitória

Ainda em jejum, lanterna Mogi busca empate em casa e tira Vitória do G-4

Baianos saem na frente e dominam praticamente o jogo inteiro, mas permitem reação de rival. Resultado é ruim para os dois: rubro-negro cai para 7º, Sapo segue em último

O Vitória teve o jogo nas mãos. Saiu na frente, criou mais oportunidades e quase não foi ameaçado pelo adversário durante a estadia no interior de São Paulo. Até que permitiu chance para o Mogi Mirim, em uma cobrança de pênalti, buscar o empate no Estádio Romildo Ferreira, na tarde deste sábado. O placar de 1 a 1 não resolve os problemas do Sapo, que continua como lanterna, e ainda por sinal frustra os planos rubro-negros na estreia do técnico Vagner Mancini.

Elton e Edson Ratinho, cada um em um tempo, marcaram os gols da partida deste sábado à tarde, mais uma vez disputada para pouquíssimas pessoas em Mogi Mirim. Os dois times foram equivalentes pelo misto de acertos e erros. O Vitória, é verdade, tem mais a lamentar, porque poderia ter matado o jogo assim que saiu na frente. Em vez disso, voltou mal do intervalo e pagou caro pelo erro.

Os dois voltam a campo daqui uma semana, pela oitava rodada da Série B. O Mogi Mirim viaja a Curitiba para enfrentar o Paraná na sexta-feira, às 19h30, no Estádio Durival de Britto. A equipe ainda persegue a primeira vitória. Os baianos, em compensação, recebem o ABC no sábado, às 16h30, em Salvador. A meta é retornar o quanto antes ao G-4.

O jogo

O aspecto psicológico fez a diferença no primeiro tempo. Pressionado pelos recentes maus resultados, o Mogi Mirim tentou resolver tudo rapidamente. Assim, até criou lances de perigo, mas Geovane parou no experiente goleiro Wilson, mas não soube decifrar o jogo. Foram inúmeros cruzamentos de Edson Ratinho que não deram em nada. O Vitória, bem mais relaxado, soube esperar a chance de sair em vantagem. Ela veio nos pés de Elton, que recebeu livre dentro da área e só tocou na saída de Daniel. Os baianos ainda tiveram mais duas chances de ampliar a vantagem, graças a erros do adversário, mas pecaram em detalhes.

Para o segundo tempo, o Mogi voltou mais ousado, muito pela entrada de Serginho, que tinha a missão de se revezar com Geovane pelos flancos. A jogada pelas laterais funcionou, mas sem a participação dos atacantes. Foi assim que o Sapo empatou o jogo: da direita, Hygor viu Leonardo na esquerda e virou o jogo. O camisa 6 sofreu pênalti, bem convertido por Edson Ratinho. O Vitória fez o papel de coadjuvante na etapa final e foi punido pela atuação protocolar.

GLOBO ESPORTE.COM

Joinville 2 x 0 Atlético Goianiense

 2 x 0 

24ª RODADA
JEC JOGA O SUFICIENTE PARA VENCER O ATLÉTICO-GO E ROUBA PONTA DA SÉRIE B
Catarinenses não têm grande atuação, mas conseguem um gol em cada tempo para vencer o Dragão e se aproveitam do empate entre Avaí e Ceará
Líder da Série B, seis pontos de vantagem sobre o quinto colocado, mas longe de ser brilhante. Neste sábado, na Arena, o Joinville fez o suficiente para vencer o Atlético-GO por 2 a 0, com gols de Anselmo e Edson Ratinho, um em cada tempo. Em uma competição de pontos corridos, o futebol exuberante pouco importa. O JEC somou mais três e se aproveitou do empate entre Avaí e Ceará, na sexta-feira, para roubar a ponta da tabela do rival catarinense.

O triunfo consolida o Joinville como melhor mandante da competição. Agora são 10 vitórias, um empate e apenas uma derrota dentro de casa. O adiamento da partida por problemas de logística do Atlético-GO, inicialmente prevista para a sexta, não afetou o público. 11.093 pessoas foram à Arena assistir ao triunfo – com renda de R$ 161.610,00. No lado goiano, o revés é o primeiro do técnico Wagner Lopes em quatro jogos e freia a recuperação do Dragão, que está a 11 pontos do G-4.

Na próxima rodada, o Joinville segue em casa e vai defender a liderança. Na terça-feira, às 19h30, recebe o América-MG, clube que perdeu 21 pontos justamente por uma denúncia dos catarinenses. No mesmo dia e horário, o Atlético-GO volta a campo, outra vez longe da torcida. O adversário é o ABC, no estádio Frasqueirão.

O jogo

A possibilidade de reassumir a liderança animou o Joinville. Mas o time catarinense se baseou apenas na empolgação para tentar vencer o Atlético-GO. Os visitantes começaram a partida armados, sem dar espaços. Não contavam, no entanto, com uma falha do goleiro Márcio, que aceitou o chute de Anselmo, aos 16 do primeiro tempo. Depois do gol, a qualidade técnica ficou longe de ser um primor. Os times brigaram bastante, mas criaram poucas chances.

A entrega do Atlético-GO se repetiu na etapa final. Contra um JEC muito confortável com a vantagem, o Dragão tentou dentro de suas limitações. Pressionou, arriscou chutes de longe, mas faltou a precisão. Algo que sobrou ao Joinville dentro da partida. Aos 25, em ótimo contragolpe, Edson Ratinho tabelou com Jael para fazer o segundo e garantir a tranquilidade. Aos goianos, a tentativa após o tento foi mais para um desencargo de consciência, e o jogo se arrastou com a vantagem catarinense até o final.

Joinville x Atlético-go (Foto: José Carlos Fornér/JEC)
Anselmo comemora o gol pelo Joinville, seu primeiro na Série B (Foto: José Carlos Fornér/JEC)
GLOBO ESPORTE.COM

Ceará 1 x 3 Joinville

 1 x 3 

11ª RODADA
JOINVILLE TEM INÍCIO AVASSALADOR, VENCE POR 3 A 1 E TOMA A LIDERANÇA DO CEARÁ
Catarinenses marcam três gols nos primeiros 45 minutos e, com ótima atuação de Marcelo Costa, ganham por 3 a 1 em Presidente Vargas cheio
Depois de receber os treinos do Brasil e da Holanda na Copa do Mundo, o Presidente Vargas abriu suas portas para a Série B do Campeonato Brasileiro. Os 17.834 torcedores que encheram o estádio nesta terça-feira até tentaram empurrar o Vovô, mas um gol relâmpago surpreendeu os alvinegros que estavam no campo e na arquibancada. O Joinville, que no ano passado frustrou o sonho do acesso do Ceará na última rodada, aplicou outro duro golpe, venceu por 3 a 1 e tomou do adversário a liderança da Segundona, com 23 pontos. Os donos da casa, com 21, caíram para a terceira colocação, ultrapassados também pelo Luverdense.

As vaias da torcida do Vovô no intervalo foram o espelho da desilusão que se estabeleceu nos primeiros 45 minutos. Marcelo Costa, aos 39 segundos e aos 46 minutos, e Jael desenharam a vitória precoce. Na etapa complementar, o Alvinegro de Porangabuçu até tentou, mas faltou capricho. Os torcedores deixaram o estádio cedo e mal viram o único gol dos donos da casa, que esboçaram uma reação, mas já sem tempo de conseguir mudar o resultado.

O próximo compromisso do Ceará é contra o Icasa no sábado, às 16h20, na Arena Castelão. Para se manter na ponta, o Joinville enfrenta o ABC na sexta-feira, às 19h30, no Frasqueirão.

Ceará x Joinville (Foto: Kiko Silva/Agência Diário)
Joinville bate Ceará fora de casa e abocanha a liderança da Série B (Foto: Kiko Silva/Agência Diário)

Goleada precoce, e reação tardia

No reencontro com o estádio do bairro Benfica, o torcedor do Ceará vibrou antes de a bola rolar. E continuou apoiando mesmo depois do primeiro gol sofrido, nos segundos iniciais, com Marcelo Costa aproveitando cruzamento de Bruno Costa. Em campo, Nikão era o que mais apresentava perigo ao goleiro do Joinville, acertando a trave em uma das tentativas. Os visitantes, com menos posse de bola, tinham pela frente uma zaga insegura. E aproveitaram a falha de Jaílson para ampliar, com Jael, aos 27. Contando com sorte e desvio de bola em Marcelo Costa, o time catarinense aplicou o último golpe nos segundos finais. O chute foi de Edson Ratinho, mas a arbitragem confirmou o gol para Costa.

No início da etapa complementar, os donos da casa partiram para o ataque. Precisando de gols para diminuir a vantagem catarinense, o Ceará não conseguia passar pela sólida defesa adversária. A pressão durou pouco tempo, e a torcida logo notou. Tanto que muitos começaram a deixar o PV antes dos 30 minutos. Nem viram o gol de Lulinha, aos 43, completando o chute de Magno Alves, que encobriu o goleiro. O mesmo Lulinha ainda fez mais um, anulado equivocadamente pela arbitragem, que assinalou impedimento. No fim, o Ceará pressionou, mas já era tarde. A liderança da Segundona agora é catarinense.

Ceará x Joinville (Foto: Kiko Silva/Agência Diário)
Derrota para o Joinville foi a primeira do Vovô sob seus domínios (Foto: Kiko Silva/Agência Diário)
GLOBO ESPORTE.COM