#PrimeiraLiga – Grêmio 1 x 0 Coritiba

DESTAQUE

Em um jogo equilibrado e repleto de chances para os dois lados, uma falha incomum acabou determinando o vencedor. O Grêmio contou com um presentão da defesa do Coritiba para vencer o duelo deste domingo por 1 a 0, na Arena, e assumir a liderança do Grupo B da Primeira Liga. O único gol da partida foi marcado por Douglas, que aproveitou a bobeada de Wilson e Amaral na saída de tiro de meta para decretar a vitória gremista.

 

As duas equipes chegaram para o duelo na Arena invictas na temporada e com 100% de aproveitamento nos estaduais, com duas vitórias cada. Em casa, o Grêmio começou pressionado, mas não conseguiu impor seu jogo de posse de bola e troca de passes. Com postura ofensiva o tempo todo, a equipe de Gilson Kleina só não saiu com pelo menos um empate da Arena graças as defesas de Marcelo Grohe e a uma mãozinha da arbitragem, que marcou impedimento duvidoso em gol de Leandro, já no final do jogo.

 

COMO FICA

Com a vitória, o Grêmio assume a liderança do Grupo B da Primeira Liga, com quatro pontos. Já o Coritiba, que empatou em 0 a 0 com o Inter na estreia, segue com um ponto e cai para o quarto lugar. Os dois times voltam a jogar pelo torneio em março. No dia 6, o Tricolor recebe o rival Inter na Arena, em clássico que valerá também pelo Campeonato Gaúcho. Já no dia 10, uma quinta-feira, o Coxa recebe o Avaí no Couto Pereira.

PÚBLICO E RENDA

Público pagante: 10.026
Público não pagante: 1.092
Público total: 11.118
Renda: R$ 308.922,00

 

LAMBANÇA

Grêmio e Coritiba faziam um duelo equilibrado até um erro da zaga do Coxa alterar os rumos da partida. Ou melhor, não foi um erro, mas uma verdadeira trapalhada. Aos 21 minutos da primeira etapa, Wilson cobrou tiro de meta curto para Amaral. O volante tentou devolver para o goleiro, mas não viu Douglas atrás dele. O camisa 10 gremista interceptou o passe e chutou para as redes. Wilson e Amaral ficaram sem entender direito o que aconteceu. Assim como a transmissão da TV, que passava um replay no momento do gol gremista.

 

ZAGUEIRO E GOLEIRO

As qualidades de Geromel na zaga são bem conhecidas dos gremistas. O torcedor só não sabia que ele também “atacava” de goleiro. No último minuto do primeiro tempo, Grohe saiu de soco e a bola sobrou para Juan cabecear de primeira. Com o goleiro batido, o zagueirão subiu no terceiro andar e tirou em cima da linha, de cabeça. Juan não acreditou. E Geromel recebeu os cumprimentos dos companheiros após a “defesa” de cabeça.

 

NO TRAVESSÃO

O Coritiba pressionou o Grêmio fora de seus domínios e esteve muito perto do gol. Foram várias chances, nos dois tempos. Na primeira etapa, Geromel salvou, em cima da linha, cabeçada de Juan. Na segunda, Guilherme Parede, que havia entrado no lugar de Negueba, carimbou o travessão de Marcelo Grohe.

 

A 2 MINUTOS DE RECORDE

Sem ter sido vazado até o duelo deste domingo na Arena, o goleiro Wilson ficou a dois minutos de entrar para o top 10 dos goleiros que ficaram mais tempo sem sofrer gols no Coritiba. Precisava resistir até os 22 minutos do primeiro tempo para superar a marca de Anselmo e Renato, que ficaram 572 minutos sem sofrer gols. O gol gremista saiu aos 20.

APAGÃO NA ARENA

Não foi só a defesa do Coritiba que sofreu apagão no jogo. A iluminação da Arena do Grêmio também falhou. Quando os jogadores retornavam ao gramado para o segundo tempo, os refletores do lado das cabines apagaram completamente. A energia foi restabelecida 10 minutos depois, mas caiu novamente em seguida. Alguns minutos a mais de espera e jogo foi reiniciado, mas ainda sem 100% da iluminação. No total, foram mais de 20 minutos de atraso.

GLOBO ESPORTE.COM

 

 

 

 

 

Grêmio 2 x 3 Chapecoense

Chape reage no final, surpreende na Arena e vira sobre o Grêmio: 3 a 2

Tricolor abre dois gols de vantagem, com Douglas e Bobô, mas Túlio de Melo marca duas vezes e Apodi marca no último lance e decreta a virada catarinense

Ah, o futebol. Em um duelo de tempos completamente distintos, a Chapecoense foi valente até o último instante e conseguiu o improvável na Arena: venceu o Grêmio por 3 a 2, de virada. Enquanto o Tricolor abriu vantagem com gols de Douglas e Bobô, na etapa inicial, Túlio de Melo conduziu a reação e anotou duas vezes. No último lance do jogo, Apodi surgiu completamente livre na área e decretou o resultado de forma justa.

Com a derrota, o Grêmio perde duas oportunidades, embora permaneça na terceira colocação, com 55 pontos, a sete rodadas do final do Brasileirão. Desperdiça a chance de praticamente se assegurar na Libertadores e, ao  mesmo tempo, encostar no vice Atlético-MG. No próximo domingo, o Tricolor tentará reencontrar o caminho das vitórias contra o Vasco, no Maracanã.

A Chape, por sua vez, permanece em 14ª, com 38 pontos. Mas se afasta da incômoda proximidade com a zona da degola. Último time que seria rebaixado hoje, o Coritiba está em 17º, com 33. No próximo domingo, o duelo será na Arena Condá, mas em clássico local contra o Avaí. Antes, no entanto, encara o River Plate, pelas quartas de final da Sul-Americana, na quarta-feira, no Monumental de Nuñez.

Túlio de Melo comemoração Chapecoense Grêmio (Foto: Estadão Conteúdo)
Túlio de Melo marcou duas vezes (Foto: Estadão Conteúdo)

GRÊMIO DOMINA

Assim que o árbitro Luiz Flavio de Oliveira sinalizou o apito inicial, o duelo se apresentou eletrizante, com o time gaúcho em cima. Logo aos quatro minutos, Douglas mostrou o cartão de visitas aos catarinenses: aplicou um belo chute da intermediária e que morreu nas redes de Silvio. Valente, a Chapecoense tentou a resposta aos oito. Da frente da grande área, Camilo desferiu chute cruzado, mas que rebateu na trave esquerda de Bruno Grassi.

A partida era equilibrada, com duas equipes dispostas ao ataque. Até que aos 33, Galhardo recebeu bem posicionado na ponta direita e cruzou rasteiro para Bobô ampliar de carrinho. No lance, quem levou a pior foi o Silvio. O goleiro levou uma pancada do centroavante na face e precisou ser substituído. Túlio de Melo quase descontou no primeiro tempo, mas Galhardo afastou bola em cima da linha.

CHAPE CRESCE E VIRA

O segundo tempo apresentou quadro completamente diferente da etapa inicial. Sonolento, o Tricolor gaúcho cedia espaços aos catarinenses. Empurrados por um Túlio de Melo inspirado, os visitantes se empolgavam e cresciam em campo. Logo aos 10 minutos, Erazo derrubou Apodi na área: pênalti bem marcado. Túlio soltou a bomba e venceu Bruno Grassi.

O Grêmio seguia sob pressão e, com dificuldade para se lançar ao ataque, cedeu o placar. No contra-ataque, Maranhão entrou na área, passou por Geromel e cruzou na medida para Túlio de Melo igualar tudo. Na comemoração, ainda aplicou um salto mortal.

Roger bem que tentou modificar o panorama. Sacou Luan, Bobô e Maicon, para as entradas de Pedro Rocha, Mamute e Braian. Na Chape, Wanderson e Gil haviam entrado nas vagas de Camilo e Elicarlos. Nos instantes finais, Galhardo caiu na área em dividida com Dener. O Grêmio pediu pênalti, o que gerou revolta nos catarinenses. Após um empurra-empurra, Vilson foi expulso. Só que nos descontos dos descontos, Apodi foi lançado em contra-ataque. Com incrível liberdade, venceu Bruno Grassi e anotou o gol da virada, o que fez Roger deixar o campo antes do juiz apitar o final.

Erazo e Tulio de Melo Grêmio x Chapecoense (Foto: Ag. Estado)
Erazo disputa bola com Túlio de Melo (Foto: Ag. Estado)
GLOBO ESPORTE.COM

Atlético Paranaense 1 x 2 Grêmio

Grêmio vence o Atlético-PR por 2 a 1 e consolida terceira posição no Brasileiro

Equipe gaúcha aproveita as poucas oportunidades, enquanto Rubro-Negro pressiona de todas as formas em um final de jogo cheio de chances desperdiçadas

O Grêmio venceu o Atlético-PR por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, no estádio Couto Pereira, com gols de Douglas e Luan. Ewandro descontou para o Furacão. A partida no estádio do rival – em razão da realização do show do cantor Rod Stewart na Arena da Baixada – deixou a equipe gaúcha tranquila na terceira colocação com 48 pontos. Para o Rubro-Negro, a segunda derrota seguida manteve o time com 38 pontos e mais distante da briga pelo G-4.

O Grêmio entrou em campo para deixar o Atlético-PR  jogar e se aproveitar das poucas oportunidades criadas. Em toda a partida, a equipe gaúcha finalizou com perigo apenas três vezes, fez dois gols e resolveu a situação. Precisando do resultado, o Atlético-PR era puro ímpeto e pouca definição. O time chutou 16 vezes para o gol, mas apenas uma bola entrou mesmo com a blitz do Furacão nos minutos finais do segundo tempo.

Na próxima rodada, o Atlético-PR joga o clássico com o Coritiba no domingo, às 18h30, no Couto Pereira. O Grêmio vai a São Paulo e enfrenta o Palmeiras no estádio do Pacaembu, sábado, às 18h30.

Grêmio gol contra o Atlético-PR (Foto: Joka Madruga/Futura Press)
Efetivo, Grêmio faz o resultado de 2 a 1 contra o Atlético-PR (Foto: Joka Madruga/Futura Press)

Atlético-PR tenta, mas Grêmio marca

Atlético-PR iniciou o jogo na pressão. Com a marcação ainda no campo de defesa, o time dominou os primeiros minutos, mas tinha pouca efetividade na hora da finalização. O jogo seguiu com o rubro-negro apertando, e o Grêmio esperando a boa oportunidade, que aconteceu aos 31 minutos, quando Douglas recebeu na área e marcou.  Antes do final, o jogo teve mudanças com a saída do goleiro Marcelo Grohe, do Grêmio, que sofria com dores no pescoço, e a entrada de Tiago. Pelo lado do Atlético-PR, Milton Mendes tentou acertar o pé do ataque e trocou Ytalo por Ewandro.

Pressão incrível no final: Grêmio segura

O segundo tempo começou com o Grêmio aproveitando outra oportunidade para ampliar no primeiro minuto com Luan. Sob efeito do placar, o técnico Milton Mendes mudou o esquema do time e tirou o volante Deivid para a entrada do meia Hernández ainda aos quatro minutos de jogo. O gol do Furacão veio depois dos 30 minutos com uma assistência de Otávio, que achou Ewandro entrando na área. A mudança no placar incendiou torcida e Atlético-PR, que foi todo ao ataque – até o goleiro Wéverton estava na linha -, o time, assustou, tentou de todas as formas, mas não mudou o resultado.

GLOBO ESPORTE.COM

Grêmio 2 x 1 Goiás

Grêmio supera perda de pênalti, bate o Goiás e segue na cola dos líderes

Tricolor fica com um a mais desde 33 do 1º tempo, mas sofre para desfazer vantagem do Esmeraldino diante de pênalti perdido por Douglas e de boas defesas de Renan

Único invicto como mandante no Campeonato Brasileiro, o Grêmio novamente fez valer sua força em casa e derrotou o Goiás neste domingo por 2 a 1, de virada. Douglas, que perdeu pênalti na etapa inicial, e Everton marcaram para o Tricolor já no segundo tempo. Bruno Henrique marcou o gol do Goiás, que atuou com um jogador a menos desde os 33 minutos de jogo, quando Felipe Macedo cometeu pênalti em cima de Bobô, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. A pressão gremista, que já era grande desde o início da partida, ficou ainda maior e deu resultado no fim.

A justa vitória mantém o time gaúcho em alta na temporada. A equipe ocupa a terceira colocação na Série A, com 44 pontos, e não perde há nove rodadas. Na próxima quarta-feira, o Grêmio terá jogo fundamental na briga pelo título. Visitará o Corinthians, às 22h, e poderá reduzir a diferença para o primeiro colocado para apenas três pontos. Já o Goiás, que chegou a dar um salto na tabela enquanto vencia o jogo, é ultrapassado pelo Coritiba e volta para a zona de rebaixamento, com 26 pontos. O Verdão voltará a campo na próxima quinta-feira, às 19h30, contra o Sport, no Serra Dourada.

Apesar dos vários desfalques, o Grêmio partiu para o ataque e sufocou o Goiás. Regido por Douglas, o Tricolor atuou no campo do adversário e deu trabalho para o goleiro Renan. Bastante acionado, o atacante Bobô perdeu boa chance ao chutar em cima de Renan, quase sem ângulo. Com três atacantes, mas sem inspiração no meio-campo, o time esmeraldino não conseguia sair para o jogo e atraía o adversário cada vez mais. O gol parecia questão de tempo, e a chance apareceu aos 33 minutos.

Felipe Macedo, de volta ao Verdão após negociação frustrada com o Mônaco, cometeu pênalti em Bobô, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Douglas foi para a cobrança, tirou do goleiro Renan e acertou a trave. Acuado e com um jogador a menos, o Goiás se defendia do jeito que dava. Julinho Camargo trocou Erik por Alex Alves para recompor a zaga. A equipe jogava por uma bola para tentar superar o goleiro Tiago e conseguiu aos 43 minutos. David cobrou falta para a área, Bruno Henrique subiu mais alto e marcou de cabeça aproveitando saída atrapalhada do arqueiro gremista: 1 a 0 Goiás.

Pressão gremista e vitória justa

A pressão na etapa final era inevitável. Com um jogador e mais e em desvantagem, o Tricolor foi pra cima e não demorou a empatar. Logo aos seis minutos, Douglas aproveitou cruzamento de Bobô e, com o pê direito, finalizou para vencer o goleiro Renan e se redimir do pênalti perdido: 1 a 1. À medida que o tempo passava, o Goiás se defendia ainda mais. Sem válvula de escape, o Esmeraldino era sufocado e só aparecia no ataque em lances isolados de Bruno Henrique e Zé Love.

O Grêmio continuou em cima e quase virou. Walace apareceu livre na entrada da área aos 18 minutos, mas finalizou mal e carimbou Giuliano, que estava impedido. Logo depois, Douglas finalizou de esquerda e obrigou Renan a fazer grande defesa. A insistência deu certo no fim da partida. Aos 37minutos, Everton recebeu com liberdade na ponta esquerda, invadiu a área e tocou na saída de Renan. A bola bateu na trave antes de balanças as redes: 2 a 1 Grêmio. A vitória foi garantida com bela defesa de Tiago em chute de Bruno Henrique logo depois.

Everton marca para o Grêmio (Foto: Diego Guichard)
Everton marca no fim e dá a vitória ao Grêmio contra o Goiás (Foto: Diego Guichard)
GLOBO ESPORTE.COM

Grêmio 3 x 1 Coritiba – Copa do Brasil 2015

Grêmio domina, volta a bater Coritiba e avança às quartas da Copa do Brasil

Reservas do Coxa chegam a empatar duelo, mas não resistem à superioridade dos gaúchos, que ficam com um a mais no segundo tempo e administram a classificação

Foi sem brilho, mas também sem sustos, a confirmação da classificação do Grêmio diante do Coritiba na Copa do Brasil. Após vitória no Paraná por 1 a 0, o Tricolor até chegou a sofrer o empate na noite desta quinta-feira na Arena, em falha individual, mas soube retomar as rédeas contra um rival com suplentes e que insistiu em entradas mais duras do que o normal. Prevaleceu a qualidade técnica dos gaúchos no 3 a 1, gols de Geromel, Douglas, Luan e Rafhael Lucas.

O Grêmio só conhecerá o seu rival nas quartas da Copa Brasil na segunda-feira, em sorteio a ser realizado pela CBF. Há chance inclusive de ocorrer um Gre-Nal na próxima fase, uma vez que o Colorado batera o Ituano.

Ao Coritiba, que ainda não havia perdido para o Tricolor na Arena, resta o Brasileirão. E a retomada será justamente no mesmo local, contra o mesmo Grêmio, às 11h do próximo domingo.

Grêmio x Coritiba - gol (Foto: PEDRO H. TESCH - Agência Estado)
Grêmio venceu novamente o Coritiba, pela Copa do Brasil
(Foto: PEDRO H. TESCH – Agência Estado)

O time reserva do Coritiba foi mais valente do que os 22 mil gremistas presentes nas cadeiras da Arena poderiam supor. Mas também boa parte dessa coragem teve contornos de violência. A caixa de ferramentas se abriu logo cedo. O futebol, por sua vez, demorou para aparecer de ambos os lados. A primeira chance de gol só saiu aos 28, com Luan.

Aos 37, o Grêmio, longe de suas melhores atuações, abriu o placar em escanteio de cabeça em cabeça. De Erazo para Geromel. Para as redes. A resposta do Coritiba foi veloz e oportuna como o próprio autor do gol. Após Marcelo Oliveira errar a saída de bola, Rafhael Lucas fez bonita jogada dentro da área e finalizou com perfeição.

O resultado ainda classificava o Grêmio, mas o Coritiba estava a um gol de mudar tudo. No entanto, às vezes um gol a mais pode ser muito para quem não está com todas as suas forças. No segundo tempo, prevaleceu a melhor técnica dos mandantes.

O time de Roger Machado voltou aos bons tempos e dominou os paranaenses, que ainda tiveram Ícaro expulso por falta dura em Giuliano. O gol da vitória saiu dos pés de Luan para Douglas, que arrematou, ainda no início da etapa final, sem goleiro. Nos acréscimos, Luan foi de garçom a matador ao ampliar de pênalti. E, sem maiores sustos, o Grêmio avança na Copa do Brasil.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Atlético Mineiro 0 x 2 Grêmio

Grêmio suporta pressão, é mortal nos contragolpes e bate Galo no Mineirão

Mineiros reclamam de pênalti não dado quando placar estava igual em lance semelhante ao anotado em favor do Corinthians

O Mineirão recebeu 49.047 torcedores em noite de grande festa, mas quem comemorou no final foi a minoria gremista, e porque não, os corintianos espalhados por todo o Brasil. O Tricolor gaúcho obteve uma vitória maiúscula por 2 a 0, gols de Douglas e Luan, que favoreceram também a equipe paulista, consolidada na liderança do Brasileirão, com 37 pontos. Apelidado de Imortal por seu torcedor, o Grêmio mostrou-se letal nos contragolpes. Em dois deles, com a assinatura de Giuliano, o time chegou ao triunfo que o manteve em terceiro na tabela e na rota do título, agora com 33 pontos.

Atlético-MG x Grêmio (Foto: Douglas Magno)
Jogadores do Grêmio comemoram vitória sobre Atlético-MG, no Mineirão (Foto: Douglas Magno)

Com muita posse de bola e pouca criatividade, o Atlético-MG perdeu o jogo e a liderança, caindo para segundo lugar, permanecendo com 36 pontos. O goleiro Marcelo Grohe trabalhou bastante, mas também foi ajudado pela trave e pela falta de pontaria do rival. O belo espetáculo, no entanto, não ficou livre de polêmica. Quando o placar ainda era igual, Leonardo Silva tentou arremate dentro da área que acabou interceptado pelo braço aberto do equatoriano Erazo. Muita reclamação por parte de torcedores e jogadores, sobretudo pelo fato de o lance ter sido parecido com o do dia anterior, em favor do Corinthians.

Reclamações e discussões à parte, os dois times voltam a campo para fechar o turno no próximo final de semana. O Galo vai até Chapecó, encarar a Chapecoense às 18h30 (de Brasília). No mesmo dia e horário, o Grêmio recebe o Joinville, na Arena Grêmio, em Porto Alegre.

O jogo

Com um Mineirão lotado empurrando o Atlético-MG rumo à retomada da liderança, perdida na noite de quarta, após a vitória do Corinthians sobre o Sport, com pênalti muito contestado pelo time pernambucano. Os jogadores atleticanos corresponderam em campo desde os primeiros minutos. Em um ritmo alucinante e sem deixar o Grêmio respirar, o Galo encurralou o adversário e quase marcou antes dos três minutos em cabeçada de Jemerson.

O time da casa mantinha a supremacia na posse de bola. Aí veio a polêmica para esquentar ainda mais as discussões sobre arbitragem. Numa tentativa de chute de Léo Silva dentro da área, a bola explodiu no braço de Erazo, que estava aberto. O estádio veio abaixo pedindo a penalidade, assim como os jogadores dentro de campo, num lance que lembra a infração assinalada a favor do Corinthians nessa quarta. Nada foi marcado.

Nos 15 minutos finais, o Galo passou a errar passes na transição, permitindo um respiro ao Grêmio. Mas ainda faltava o contragolpe perfeito, que saiu aos 40 minutos. O Atlético-MG perdeu a bola na linha de fundo pelo lado esquerdo, num escorregão de Thiago Ribeiro. Galhardo se aproveitou e iniciou a jogada, concluída num lindo passe de Giuliano que deixou Douglas à vontade para sair para o abraço.

Atlético-MG; Dátolo; Marcelo Oliveira (Foto: Bruno Cantini/CAM)
Atleticano Dátolo teve dificuldades em jogo diante do Grêmio do volante Marcelo Oliveira
(Foto: Bruno Cantini/CAM)

Veio a segunda etapa, e o apoio vindo das arquibancadas continuou. Porém, com uma postura irretocável, o Grêmio continuou postado como nos primeiros 45 minutos no aguardo de uma nova chance. Ela veio em novo contragolpe. A defesa alvinegra parou, Giuliano se mandou sozinho. Ele poderia até ter finalizado, mas rolou para Luan ampliar com o gol praticamente vazio aos nove minutos.

Atordoado, os jogadores do Galo passaram a errar ainda mais no meio, sobretudo Guilherme. Vieram os pedidos por Luan, e ele entrou. Dátolo foi deslocado para o meio, e o time passou a ter lampejos. O argentino chegou a acertar a trave e perder uma ótima chance para diminuir logo depois. Mas nada disso foi o suficiente para superar o ótimo sistema defensivo gaúcho, que teve em Geromel e Erazo peças fundamentais para o triunfo, sem falar em Giuliano, dono de duas assistências, e de Marcelo Grohe que fechou o gol nos minutos finais.

GLOBO ESPORTE.COM

Náutico 2 x 1 Vitória

Náutico reage e consegue vencer o Vitória para voltar ao G-4 da Série B

Time baiano abriu o placar no início da partida, mas o Timbu, na base da raça, conseguiu fazer dois gols e garantir a festa na Arena PE; partida teve três expulsões

Na Arena Pernambuco, o Timbu continua inabalável. O alvirrubro chegou à sua sétima vitória em casa (também acumula um empate) na Série B e despachou o Vitória por 2 a 1. Os alvirrubros, que estavam fora do G-4, venceram de virada, subiram para a terceira colocação – com 27 pontos – e deixaram justamente o Leão para trás, em quarto, com 26. Os baianos marcaram com Rhayner. Os pernambucanos, com Douglas e o estreante Rafael Pereira.  Na próxima terça-feira, o Náutico volta a entrar em campo. No Estádio Durival de Britto, o Timbu encara o Paraná às 19h30. No mesmo horário, o Vitória recebe, no Barradão, o Macaé.

O início da partida foi de tirar o fôlego do torcedor das duas equipes. Tanto os alvirrubros quanto os rubro-negros se lançaram ao ataque. Mas foi a equipe baiana foi mais eficiente. Que o diga Rhayner. Quando o atacante passou pelo Timbu, em 2012, não fez um gol sequer. Mas no reencontro com seu ex-clube, só precisou de cinco minutos para abrir o placar.  Ao ser lançado, avançou e bateu cruzado, sem chances par Júlio César.

A marcação forte das duas equipes era visível por conta das inúmeras faltas e o clima ríspido entre os jogadores.  Numa das jogadas, o lateral do Náutico, Gaston Filgueira e o atacante do Vitória Elton se desentenderam, trocaram empurrões e acabaram sendo expulsos pelo árbitro.  O camisa 9 rubro-negro ainda empurrou o lateral-esquerdo depois que recebeu o cartão vermelho. O clima esquentou.  Rhayner, do banco de reservas, fez gestos obscenos para a torcida dona da casa (ao final da partida, o atacante revelou ter sido vítima de insultos racistas). Os pernambucanos – que  reclamaram de dois pênaltis não marcados – ainda perderam uma oportunidade incrível com João Ananias, que, cara a cara com o goleiro, chutou para fora. Gil Mineiro ainda chutou uma bola em cima do zagueiro antes do intervalo. Parecia mesmo que era o dia do Leão. Só parecia.

No segundo tempo, a intensidade não mudou em nada. Já a história do jogo… Se o Náutico tinha reclamado de dois pênaltis não marcados no primeiro tempo, empatou – ironicamente – desta forma. Douglas sofreu e converteu para empatar o jogo. O poder de reação do Timbu fez a correria aumentar e, em uma dessas, Mansur acabou expulso e prejudicando ainda mais o Vitória. Foi quando o dedo de Lisca e a estrela de Rafael Pereira apareceram. Estreante, o zagueiro saiu do banco e, quatro minutos depois, aproveitou a falha da defesa do Vitória para estufar as redes. Depois do lance, o Náutico se fechou e garantiu os três pontos que garantiram a volta do Timbu ao G-4.

Náutico x Vitória (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)
Rafael Pereira saiu do banco de reservas para garantir vitória do Náutico
 (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)
GLOBO ESPORTE.COM

Grêmio 1 x 0 Cruzeiro

Grêmio vence, encosta nos líderes e aumenta série negativa do Cruzeiro

Com gol de Douglas, Tricolor chega à quarta vitória seguida no Brasileiro, fica a
dois pontos do líder Sport; Fábio impede goleada do time celeste em Porto Alegre

Com um gol de Douglas, em cobrança de pênalti, o Grêmio venceu o Cruzeiro por 1 a 0, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, nesta quarta-feira, e atingiu uma marca pessoal histórica. Desde que o sistema de pontos corridos foi instituído no Campeonato Brasileiro, em 2003, este é o melhor começo do Tricolor Gaúcho. Com 10 rodadas disputadas, o time tem 20 pontos e ocupa a terceira colocação da tabela, na quarta vitória seguida pela competição. O Cruzeiro, por sua vez, perdeu a terceira seguida, tem a metade de pontos e está no 13º lugar.

Com exceção de alguns lampejos do Cruzeiro, no final do primeiro tempo e no começo do segundo, o Grêmio foi amplamente superior em campo. O time gaúcho teve o domínio das ações, batalhou intensamente pela vitória e acabou premiado. O terceiro revés consecutivo assusta os cruzeirenses, pois o time azul está cada vez mais perto da zona de rebaixamento. A única figura que se salvou da má atuação em Porto Alegre foi o goleiro Fábio. Se não fosse por ele, o Cruzeiro seria goleado.

Na próxima rodada, o Cruzeiro enfrenta o Atlético-PR, no sábado, às 21h (de Brasília), no Mineirão. O Grêmio joga um dia depois. Às 16h, encara o Santos, na Vila Belmiro.
O jogo
O Grêmio fez valer a boa fase e o fato de atuar em casa e começou o jogo em cima do Cruzeiro, pressionando muito e forçando o adversário a se fechar no campo de defesa. Com a pressão, foi natural que as chances de gol para o time gaúcho surgissem. Luan, Marcelo Oliveira e Galhardo tiveram boas oportunidades, mas pararam em Fábio ou na falta de pontaria.

Um chute de Charles da intermediária, no travessão, aos 28 minutos, além de ter sido a primeira finalização do Cruzeiro na partida, foi a chama que o time precisava para acordar em campo. A partir daí, as ações ficaram mais equilibradas, com os dois times se alternando no ataque. O 0 a 0, entretanto, ficou no placar, até o final do primeiro tempo.

grêmio cruzeiro douglas arena fábio (Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Douglas comemora gol do Grêmio na vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro, em Porto Alegre

(Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Na volta para o segundo tempo, Vanderlei Luxemburgo fez duas mudanças: Allano e Marcos Vinícius entraram no lugar de Leandro Damião e Marquinhos, respectivamente. O Cruzeiro ficou com outra cara, muito mais veloz e ofensivo. Apesar disso, foi o Grêmio que teve uma excelente, perdida por Luan, logo no primeiro minuto. E não demorou para que o Grêmio tomasse as rédeas do jogo novamente. A pressão do Tricolor foi intensa, obrigando Fábio a fazer várias defesas difíceis. Até o ponto em que a pressão ficou insuportável, e o time gaúcho abriu o placar, num pênalti cobrado por Douglas, aos 22 minutos.

A partir daí, o Cruzeiro foi só pressão, tentando o empate a qualquer custo. Mas foi o Grêmio quem esteve mais perto de marcar o segundo. Fábio evitou que o Cruzeiro tomasse mais gols e deixasse o campo com um placar vexatório.

Náutico 2 x 1 Oeste

Náutico vence, sobe para terceiro e deixa Oeste ameaçado pelo Z-4

Com gols de Douglas e Gil Mineiro, Timbu volta a vencer e segue firme no G-4; Júnior Negão marca para paulistas, que podem entrar na zona da degola após fim da rodada

Foi difícil, mas o Náutico, enfim, voltou a vencer na Série B do Brasileiro. Após três jogos sem o sabor da vitória, o Timbu bateu o Oeste por 2 a 1 na Arena Pernambuco, neste sábado. Com o resultado, a equipe pernambucana se manteve firme no G-4 (de onde não saiu desde que entrou, na segunda rodada), ocupando a terceira colocação, com 21 pontos. Já a derrota foi um golpe duro ao Rubrão, que está na 16ª posição, com 10 pontos e vê a zona de rebaixamento de muito perto. Uma vitória do Boa diante do CRB, as 21h, empurra os paulistas para o Z-4.

O prognóstico que o elenco do Náutico fez durante toda a semana se confirmou: o Oeste jogou retraído, abusando da marcação e esperando um erro para contra-atacar. O primeiro tempo foi assim. Mas apesar disso, o Timbu não conseguiu chegar ao gol. Tentou, é verdade – principalmente nos primeiros minutos – mas não conseguiu ser efetivo. Já o rubro-negro, que muitas vezes se postava atrás da linha do meio campo, fez o seu papel. Marcou (mesmo que de forma confusa) e aos poucos foi se soltando. Mas não teve nenhuma chance clara de gol.

O que faltou no primeiro tempo, sobrou no segundo. Sentindo a necessidade da vitória, os dois times se lançaram ao ataque. O Náutico, que começou a todo vapor, marcou aos 11 minutos, quando Douglas recebeu na grande área e fuzilou. À frente no placar, o Timbu passou a se defender e foi sufocado pelo Oeste, que chegou a colocar uma bola na trave com Marcelinho três minutos depois.

Aos 25, o Rubrão chegou ao empate, após Júnior Negão encobrir Júlio César. Os alvirrubros precisaram tomar um gol para acordarem e retomarem o ímpeto inicial. Coube a Gil Mineiro – que recebeu um bom passe de Hiltinho – fazer o seu primeiro gol com a camisa alvirrubra e dar números finais ao jogo: 2 a 1.

As duas equipes voltam a campo na próxima terça-feira, pela 11ª rodada da Série B. O Náutico encara o Mogi Mirim, no estádio Romildo Ferreira. O Bragantino pega o Criciúma, também fora de casa.

Náutico x Oeste (Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)
Douglas abriu o placar para o Náutico na vitória diante do Oeste
(Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)
GLOBO ESPORTE.CON

Náutico 2 x 1 América Mineiro

Náutico mantém embalo diante do América-MG e amplia série invicta

Sem perder há nove jogos, Timbu se mantém no topo e divide a liderança da Série B com o Botafogo, mas leva desvantagem no saldo de gols. Coelho deixa o G-4

Não há quem pare o Náutico. Invicto há nove jogos consecutivos, o Timbu fez mais uma vítima na Série B. Na noite desta sexta-feira, bateu o América-MG por 2 a 1 na Arena Pernambuco e se manteve entre os líderes, ao lado do Botafogo, com 16 pontos, graças aos gols de Diego e Douglas (de pênalti). Marcelo Toscano descontou para o Coelho, que deixou o G-4 e caiu para a 6ª posição. Foi a quinta vitória do Náutico nas últimas seis partidas. O time mineiro vinha embalado por três resultados positivos.

Agora, as duas equipes ganham uma folga na tabela e só voltam a campo no dia 13 de junho. No próximo sábado, o Timbu vai até Goiânia enfrentar o Atlético-GO às 16h30 no Serra Dourada, enquanto o América-MG recebe o CRB no Independência, às 21h.

Foram precisos mais de 25 minutos para o jogo esquentar. Até então, o ritmo era truncado, com muitas faltas. Os técnicos Givanildo Oliveira e Lisca pediam para que os times se lançassem ao ataque a todo momento, mas o primeiro lance de perigo só veio aos 28 minutos. Após um chute prensado de Marcelo Toscano, Cristiano tentou de bicicleta e a bola bateu no travessão. Quase um golaço do América-MG. Na volta, Mancini chutou para fora.

Náutico x América-MG gol de Diego (Foto: Antônio Carneiro/Pernambuco Press)
Jogadores do Náutico festejam o gol de Diego no primeiro tempo
(Foto: Antônio Carneiro/Pernambuco Press)

Aí o Náutico acordou. Quatro minutos depois, Diego aproveitou um cruzamento na área para emendar com categoria, de pé direito, para o fundo das redes e abrir o placar para o Timbu. Rogerinho ainda mandou uma na trave aos 39. E os alvirrubros foram para os vestiários na frente.

A conversa no intervalo fez bem aos dois times. O segundo tempo começou mais elétrico. Com o jogo mais aberto, as chances de gol apareceram com mais frequência. E, aos 4 minutos, o América-MG não desperdiçou. Bryan fez uma ótima jogada pelo lado esquerdo e cruzou na área para Marcelo Toscano conferir de cabeça e deixar tudo igual no placar.

Em vez de acusar o golpe, a torcida do Náutico respondeu com gritos de incentivo ao time. Que entendeu o recado e começou a buscar o segundo gol com insistência. Acabou premiado aos 29 minutos, quando Hiltinho foi derrubado na área e o juiz marcou pênalti. Douglas bateu bem e fez o segundo. Festa alvirrubra na Arena Pernambuco, sob a regência do performático Lisca na área técnica. No fim, Júlio César ainda fez ótima defesa para impedir o gol de Mancini e garantir os três pontos.

 

GLOBO ESPORTE.COM