Paulo César Norões comenta que Diogo Orlando teria vaga no banco do Ceará , pelo menos …

 

Volante Diogo Orlando, que chegou a ser contactado pelo Fortaleza, vai jogar o Campeonato Paulista pelo Santo André. Na minha opinião, teria vaga no elenco do Ceará. Ao menos como opção.

 

Paulo César Norões – Diário do Nordeste – Jogada – 15/12/2013

Diogo Orlando desfalcará o Ceará contra o América de Natal

O volante Diogo Orlando é o desfalque do Ceará para o duelo contra o América-RN, na próxima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Após ser expulso no empate contra o América-MG, o atleta cumprirá suspensão automática.

O árbitro Elmo Alves Resende Cunha, de Goiás, deu o segundo amarelo para Diogo Orlando aos 43 minutos do segundo tempo, fazendo o jogador deixar o jogo um pouco mais cedo.

O jogo contra o América-RN está marcado para o próximo sábado (26), às 16h20 (horário de Brasília) e 15h20 (horário local). A partida é válida pela 32ª rodada da Segundona.

Diogo Orlando Ceará (Foto: Divulgação/Cearasc.com)Diogo Orlando cumpre suspensão após expulsão contra o Coelho (Foto: Divulgação/Cearasc.com)
Globo Esporte

Chapecoense 1 x 1 Ceará

 1 x 1 

Era inegável. O duelo entre Chapecoense e Ceará, no Oeste de Santa Catarina, seria marcado pelo encontro entre Bruno Rangel e Magno Alves, os artilheiros do ano com 30 gols cada. Mas eles passaram em branco. Quem brilhou foram os goleiros Nivaldo e Fernando Henrique. Eles, porém, não pararam Diogo Orlando e Potita, que marcaram os gols do empate por 1 a 1 em Chapecó, resultado mais lamentado pelos visitantes. Quando vencia, o Vozão entrava no G-4, mas saiu ao levar o empate aos 47 minutos do segundo tempo, para alívio dos 7.986 torcedores presentes no Índio Condá.

A Chapecoense, que segue na segunda colocação, não vai esquecer tão cedo a atuação de Fernando Henrique. O camisa 1 do Ceará fez, no mínimo, três importantes defesas, em lances de perigo do time da casa. Sem criar muito, o artilheiro nordestino Magno Alves deu lugar a Diogo Orlando. E deu certo. Foi o volante quem abriu o placar, aos 29 minutos da segunda etapa. Mas, como sempre, o Verdão lutou até o fim, e, também com um reserva, empatou. Potita fez aos 47 minutos, para deixar tudo igual. Foi o primeiro gol dos dois jogadores nesta Série B.

Com o empate, a Chape vai a 57 pontos, e segue firme na vice-liderança. Já o Ceará perdeu duas posições, e agora é o oitavo. Na próxima rodada, a 31ª desta Série B, a Chapecoense volta a jogar em casa. No sábado, às 16h20m, o Verdão recebe o Sport. O Ceará também joga em casa, mas na sexta-feira. Às 21h50m, no Castelão, o Vozão encara o América-MG.

Chapecoense x Ceará (Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)Chapecoense de Murilo e Ceará de Vicente ficaram iguais: 1 a 1 (Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)

Goleiros se destacam no começo

A grande arma do time da casa apareceu logo a um minuto de bola rolando, quando Bruno Rangel desviou de cabeça para Tiago Luís colocar na frente, tirar da zaga e finalizar pela primeira vez na partida. Com mais homens de criação e ofensivos (Dinélson, Mota, Léo Gamalho e Magno Alves), o Ceará começou a tomar conta do meio-campo aos poucos, mas sempre cuidando os contra-ataques do Verdão do Oeste. Aos dez minutos, Athos achou o artilheiro Bruno Rangel de forma magistral, com um leve toque por cima da zaga, que se recuperou a tempo de evitar o gol. Pouco depois, o lateral-direito Murilo, estreante no onze inicial catarinense, avançou pela direita e assustou Fernando Henrique ao arriscar de fora. O mesmo fez Dinélson do outro lado, obrigando Nivaldo a fazer bela ponte em resposta cearense.

No duelo entre Bruno Rangel e Magno Alves, os artilheiros do ano, com 30 gols cada um antes da rodada começar, o segundo teve mais participação no primeiro tempo. Isso por causa de sua característica, de ser um atacante mais ‘leve’, de buscar o jogo. Assim, aos 22, criou o melhor lance do Vozão, ao buscar o ângulo da meta de Nivaldo, em bela finalização de longe. No gol alvinegro, Fernando Henrique também trabalhava, como em cabeçada quase mortal de Wanderson, evitada pelo arqueiro visitante. Sumido nos primeiros minutos, o camisa 9 da Chape ficou perto de marcar após cruzamento de Tiago Luís. Após início em ritmo intenso, o Ceará cansou, e a Chape aproveitou. Pelo menos tentou, num primeiro tempo marcado pelo equilíbrio e a boa atuação de Nivaldo e Fernando Henrique debaixo das traves.

Chapecoense x Ceará Fernando Henrique (Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)
Fernando Henrique fez belas defesas no Condá
(Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)

Ceará faz, mas Chape empata no fim

A etapa final começou de forma semelhante à primeira, mas com papéis trocados. Ao invés de estar na área esperando a bola, foi Bruno Rangel quem fez a redonda chegar com perfeição à cabeça de Tiago Luís, que, livre de marcação, mandou por cima. Nesse lance, Fernando Henrique não trabalhou, diferente de duas jogadas seguidas, aos 12 e 13 minutos. Primeiro, o camisa 1 do Ceará evitou o gol em chute de Tiago Luís, destaque do time da casa nesta terça. Depois foi o zagueiro Rafael Lima quem parou no arqueiro, ao tentar de cabeça à queima-roupa. Sem conseguir com os jogadores que iniciaram a partida no Índio Condá, os técnicos passaram a apostar nos reservas. Nesse quesito, melhor para Sérgio Soares, comandante do Ceará.

Aos 29, Diogo Orlando, que substituiu o artilheiro Magno Alves, saiu em disparada pela direita, ganhou de Fabinho Gaúcho na dividida, entrou na área e chutou entre Nivaldo e a trave. O goleiro do time da casa até tocou na bola, mas não o suficiente para evitar o gol cearense. Mesmo vice-líder isolada da Série B, a Chape de Gilmar Dal Pozzo ganhou mais atacantes em campo: Rodrigo Gral e Potita. Mas foi a dupla titular que quase empatou para o time da casa. Aos 41, Tiago Luís cobrou falta direto para o gol, mas foi parado por um tapinha providencial de Fernando Henrique. Em seguida, Bruno Rangel viu a bola passar por ele, que se esticou para tentar o empate. Com poucas chances de finalizar, Rangel, então, virou garçom, ao cruzar para Potita deixar tudo igual aos 47 da etapa final.

Diogo Orlando passa por exames e deve voltar a treinar durante a semana

Volante do Ceará levou a pior em dividida com adversário e foi submetido
a exames ainda em São Paulo. Ele voltou a Fortaleza no domingo.

Diogo Orlando Ceará (Foto: Divulgação/Cearasc.com)

Diogo Orlando deve voltar aos treinos ao longo da
semana (Foto: Divulgação/Cearasc.com)

Após exames feitos no fim de semana, o volante do Ceará, Diogo Orlando, deve voltar aos treinos normalmente ao longo da semana. O jogador sofreu uma pancada na cabeça após dividida com adversário na derrota para o Bragantino, neste sábado (20).

Diogo Orlando foi submetido a uma tomografia, mas o exame não diagnosticou nada grave. O atleta voltou para Fortaleza neste domingo.

No sábado, o Ceará voltou a jogar mal e perdeu para o Bragantino, por 2 a 0, em Bragança Paulista, SP. Já na próxima rodada, o Alvinegro de Porangabuçu encara o Paraná, no Durival de Britto, no sábado (27), às 16h20.

Coluna do Tom Barros-22/07/2013

 

Sem padrão, sem nada

Jogo ruim em Taguatinga. Brasiliense 1 x 0, Fortaleza, gol de Baiano. Restaram dúvidas: bola entrou? Vi e revi na TV Diário: impossível dizer se ultrapassou toda a linha da meta como manda a regra. Quanto ao jogo, anfitrião começou em cima com Bocão e Luquinha. O Leão, mesmo sem jogar bem, mandou duas na trave: Guaru aos 13; Ruan aos 31. Atrás, Fabrício e Charles andaram complicando: no primeiro caso, João Carlos salvou; no segundo, Valber perdeu. Reta final, Leão tudo ou nada com Jucimar e Maciel. Tarde demais. E quase levou o segundo, pois Jefferson Maranhão perdeu duas chances: na primeira João Carlos salvou; na outra, a bola bateu na trave. Placar justo teria sido o empate.

Amorfo

Mais que a derrota por 2 a 0 para o Bragantino, incomodou mesmo foi a maneira como o Ceará se comportou e perdeu, máxime no primeiro tempo. Parecia dormente, alheio ao que se passava em campo. Nenhum chute a gol. Uma defesa confusa, em pânico, e uma meia-cancha incapaz de dar sequência as jogadas. Time amorfo. Não entendo o que se passa com o Ceará: num jogo, dá sinais de progresso (4 a 1 no Asa): noutro, é retrocesso geral.

Senões

Opinei a favor de Diogo Orlando, quando este foi sacado. Mas reconheço: imperdoável a forma como perdeu a bola que resultou no primeiro gol do Braga. Em jogos anteriores, em duas desatenções, também cometeu equívoco assim. Ele vale pelo empenho, mas suas desatenções, embora esporádicas, comprometem. Talvez daí a preferência de Sérgio Guedes por Hamilton, que, por sinal, também não há correspondido.

Desrespeito

Não sei de quem a ideia e a ordem para o Fortaleza jogar às 10 horas da manhã em Brasília. Falta de respeito aos atletas. O futebol mundial está entregue a um grupinho de ditadores que, nas salas refrigeradas, decide e manda os atletas ao calor insuportável de Brasília, 10 da manhã, ou Salvador, 13 horas (Itália e Uruguai)… Até quando essa submissão? Não por isso justifico o futebol pífio do Leão no jogo de ontem. Foi ruim mesmo. Mas entendo que os jogadores deveriam bradar e protestar contra a cruel exposição a que estão sendo submetidos.

Marqueteiro

Sílvio Carlos é o maior marqueteiro que conheço. Como costumo dizer, ele é capaz de transformar um simples racha numa decisão de mundial. O “Papa do Amadorismo”, com extrema competência, estimula e divulga esse setor há mais de cinco décadas. Hoje Sílvio muda de idade e, por isso mesmo, alvo de especiais manifestações de carinho. A primeira delas cedo da manhã na Pesquisa do Diário do Nordeste.

Mira no G-2

O Guarany de Sobral, em casa, ganhou do Central de Caruaru, mas passou apertos. De qualquer forma, mais uma vitória sob o comando de Oliveira Canindé, o técnico cearense que sonha com o bi da Série D nacional. Mas para isso, Oliveira terá de fazer seu time jogar muito mais. Se não fosse o ótimo goleiro Eliardo, o Bugre poderia ter sofrido duro revés em casa. O gol salvador de Jonhy deixa o Guarany em condições de já entrar no G-2 na próxima rodada.

“Fora de casa é complicado. A coisa vai mudando de jogo para jogo. Em casa contra o Asa foi bom. Fora, vai variando. Mas já a gente acerta de vez”.

Raphael Macena
Atacante do Ceará

Recordando. 1968. Uma das formações do Fortaleza, com jovens que vinham subindo das bases: Cícero, Abel, Melo, Pedro Basílio, ? , Pedro Roberto, Hélio, Josias, Maromba, Beto, Danúsio, João Cunha, Fontoura, Teixeira e Aluires. (Colaboração de Elcias Ferreira).

 

Coluna redigida pelo jornalista Tom Barros para o jornal cearense Diário do Nordeste no dia 22 de julho de 2013

Ceará se reapresenta sob comando de Dimas Filgueiras, no Vovozão

Na partida contra o Boa Esporte, a equipe de Porangabuçu não terá Mota, suspenso. Vicente, Diogo Orlando e Douglas podem ser surpresas

Dimas FIlgueiras, técnico do Ceará (Foto: Divulgação/Ceará)

Dimas FIlgueiras treinou o Ceará
(Foto: Divulgação/Ceará)

Após a derrota para o Oeste, o Ceará se reapresentou, na tarde desta quinta-feira, para o duelo contra o Boa Esporte deste sábado, às 21 horas, no Estádio Domingão, em Horizonte, pela quinta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O desfalque na equipe cearense é o atacante Mota, que cumpre suspensão por ter recebido o terceiro amarelo na última rodada.

Por outro lado, o treinador interino do Vovô, Dimas Filgueiras, pode ter a volta de três jogadores titulares, que entrataram em “fase de transição” após liberação do departamento médico: o lateral-esquerdo Vicente, o volante Diogo Orlando e o zagueiro Douglas. Os dois primeiros estavam fora por conta de lesões, enquanto o zagueiro sofreu uma pancada no joelho que o tirou do jogo contra o Oeste.

O treino desta tarde foi comandado por Dimas, que assumiu a equipe após a demissão do técnico Leandro Campos. De acordo com presidente do Vovô, Evandro Leitão, cinco nomes interessam ao clube para o cargo. Sérgio Guedes, ex-Sport, é o mais cotado entre procurados pelo Ceará.

– A gente não pode se precipitar agora. Temos de fazer a melhor escolha. Não temos nome definido ainda, estamos analisando. Queremos alguém com certo sucesso na Série B, que conheça a competição. O profissional que chegar deve saber a hora de ousar e a hora de segurar o adversário – comentou o vice-presidente do Vovô, Robinson de Castro.

Antes da paralisação da Série B para a Copa das Confederações, a equipe cearense ainda enfrenta o Figueirense, no Domingão, na próxima terça-feira, às 19h30m. O Ceará é o 11º da Segundona, com cinco pontos somados.

Retornos próximos

O volante Eusébio e o atacante Romário também devem estar à disposição nos próximos dias. Eusébio atuou no Campeonato Cearense deste ano, mas passou por cirurgia no tornozelo devido a uma lesão. O atacante Romário fez cirurgia no púbis. Embora tenha jogado no início deste ano, sentiu uma nova lesão e ficou em tratamento. Os dois treinaram com bola nesta quinta-feira, no Vovozão.

Mota fez 27 gols pelo Ceará no ano passado (Foto: Divulgação / CearáSC.com)
Mota, suspenso, não joga contra o Boa Esporte (Foto: Divulgação / CearáSC.com)

Jogar para se manter vivo

Alvinegros buscam bom resultado em Arapiraca para não complicar decisão no segundo jogo, no Castelão

Os volantes Diogo Orlando (foto) e Régis serão os responsáveis por segurar a equipe do ASA na ausência de João Marcos, contundido FOTO: KIKO SILVA

A primeira partida das semifinais da Copa do Nordeste, contra o ASA, em Arapiraca (AL), hoje, às 16 horas, é considerada de alto risco para os alvinegros.

Eles sabem que um resultado ruim contra o inesperado adversário pode complicar sobremaneira as chances de classificação na partida de volta, no dia 3, na Arena Castelão.

Por isso, nem a histórica classificação diante do Vitória, no Barradão, ilude o elenco do Vovô, que rechaça qualquer rótulo de favorito. Tudo em nome da concentração necessária que um jogo semifinal exige.

“A concentração é total e o respeito ao ASA é muito grande. Não somos favoritos. Assim como nós, eles também eliminaram um forte adversário fora de casa (o ABC). Estamos em igualdade de condições. O objetivo é voltar vivo para decidir em casa”, declara o meia Ricardinho.

Mas frear a empolgação e respeitar o adversário não significa jogar retrancado. O técnico Ricardinho, do Ceará, sabe que marcar um gol na casa do adversário facilitará a tarefa da equipe na partida de volta.

“Como vamos decidir em casa, temos a necessidade de entendermos o confronto, que será diferente dos outros. O adversário é duro, será difícil jogar lá, mas a equipe está pronta para o confronto. E ciente que precisamos buscar o gol fora, que é critério de desempate”, afirma.

O volante Régis admite que a orientação é essa. Ele lembra que ficar só se defendendo pode trazer prejuízos ao time. “Não podemos ter receio de sair para o jogo porque é fora de casa. O time que só se defende acaba tomando um gol, não tem jeito. Além do mais, o Ricardinho (técnico), pediu para buscarmos o gol. Podemos até empatar, mas com gols. O gol fora vale praticamente dois”, explica.

Desfalques

A missão de escalar a equipe para hoje foi uma tarefa complicada para o técnico Ricardinho. Sem o lateral-direito Eric, suspenso, e com seu substituto, Rafael Cruz, lesionado, além dos volantes João Marcos e Fransérgio vetados também por lesão, o treinador foi forçado a improvisar na escalação.

Com Régis cotado para jogar na lateral-direita, mas substituindo João Marcos no meio-campo, o zagueiro Potiguar foi improvisado no setor.

O técnico Ricardinho confia no jovem, mesmo fora de posição. “O escolhi por convicção. Ele que melhor se encaixou nos testes que fiz. Ele é um zagueiro rápido, de porte físico bom e tem a minha confiança”.

Do outro lado, o ASA também tem problemas para a partida. O técnico Leandro Campos não conta com quatro jogadores (Cal, Marcus Vinícius, Geovane e Rodrigo Dantas) e deve escalar a equipe no 3-6-1.

Vladimir Marques
Repórter

Diário do Nordeste – 24 de fevereiro de 2013