Juventude 3 x 0 Guarani

O Juventude fez uma excelente partida e garantiu mais três pontos ao vencer o Goiás por 3×0, em partida realizada na noite desta terça-feira (27/06). Com um Alfredo Jaconi pulsante, Wallacer, Tiago Marques e Diego Felipe balançaram as redes. O resultado mantém a equipe na liderança da Série B pelo menos até sábado, quando o Guarani, segundo colocado, joga contra o ABC.
O jogo
O técnico Gilmar Dal Pozzo escalou a equipe com Matheus, Tinga, Micael, Ruan e Collaço; Fahel, Lucas (Diego Felipe) e Wallacer; Juninho (Wanderson), Ramon (Wesley Natã) e Tiago Marques. A partida iniciou-se bastante igual, com ambas as equipes propondo o jogo e buscando o ataque.
Aos doze minutos, Wallacer cobrou falta na área com muito perigo, mas o goleiro adversário conseguiu afastar.  Aos 19, Tiago Luís tentou surpreender o goleiro alviverde com um chute de fora. Tinga se colocou na frente e desviou a finalização. Dez minutos depois, Tiago Marques fez ótima jogada pela direita e cruzou para Ramon. Na hora da finalização, a marcação conseguiu afastar. No ataque seguinte, Lucas fez uma bela inversão para Juninho, que cruzou para Marques. O atacante alviverde arriscou um voleio, e a bola foi para fora.
Aproximando-se do final da primeira etapa, Ju foi para o ataque e abriu o placar. Aos 35, Tinga cruzou na área e o zagueiro adversário se enrolou com o goleiro. A bola sobrou para Wallacer, com calma, desviar para o fundo da meta. 1×0.  Três minutos depois, Wallacer cobrou falta na área e Ramon desviou, de cabeça, por cima do gol. Aos 41, Fahel lançou Ramon nas costas da defesa adversária, mas o atacante não conseguiu o domínio e o goleiro fez a defesa. No último lance do primeiro tempo, o segundo gol. Tiago Marques foi lançado, ganhou do zagueiro na velocidade e contou com uma falha do goleiro para balançar as redes. 2×0.
Nenhuma das equipes realizou alterações para a segunda etapa. Aos 6, numa triangulação entre Lucas, Wallacer e Ramon, o primeiro finalizou de fora para ótima defesa do goleiro. Dez minutos depois, Ramon arriscou de longe, por cima do gol. Aos 19, Collaço cruzou e a bola sobrou para Wallacer, que finalizou colocado, para fora. Aos 24, o Goiás respondeu com Carlos Eduardo, em chute cruzado, com perigo. Aos 33, Wesley Natã recebeu de Tiago Marques e cruzou. A bola respingou e sobrou para Juninho que, de voleio, obrigou mais uma defesa do goleiro.
Na reta final, o Ju não abdicou de atacar e ampliou com a ajuda de quem veio do banco. Wesley Natã recebeu de Diego Felipe e devolveu com categoria, de calcanhar. O volante finalizou de primeira, com muita força, no ângulo, sem chances para o goleiro. Um golaço. 3×0. Depois, em falta ensaiada, Wallacer recebeu e cruzou com perigo, mas a defesa afastou. O Goiás mal esboçou uma reação e, mesmo com quatro minutos de acréscimo, não conseguiu furar o bloqueio alviverde.
“Não fizemos uma primeira etapa excelente, mas soubemos aproveitar as chances que tivemos e saímos na frente. A partir do segundo tempo, nossa equipe passou a atuar mais junta, diminuindo os erros de passe e criando um número maior de chances de gol. Tenho de enaltecer esse poder de reação que os atletas tiveram, o desempenho em campo foi ótimo. Vamos trabalhar forte nessa semana e na próxima para enfrentarmos o Guarani”, destacou o técnico Gilmar Dal Pozzo ao final do jogo.
O próximo duelo é no dia 08/07, um sábado, contra o Guarani, no Estádio Alfredo Jaconi.
Site do Juventude Esporte Clube

Juventude 2 x 1 Paraná

O JOGO

À BASE DE LUTA

Não foi uma partida brilhante, com um jogo técnico e bom de ver. Mas, em um campo molhado e castigado pela chuva no Rio Grande do Sul, o Juventude virou para cima do Paraná nos últimos momentos da partida da noite deste sábado, no Alfredo Jaconi, à base de muita luta e determinação. Em duas jogadas de bola parada, a equipe gaúcha chegou ao seus gols – Felipe Alves abrira o placar em gol um pouco estranho. Com o 2 a 1, clube da Serra gaúcha agora é o vice-líder da Série B.

DESTAQUE

COMO FICA

O Paraná já jogou pela quarta rodada da Série B – vitória sobre o Goiás – e, por isso, só volta a jogar após 10 dias na competição, contra o Londrina, dia 6 de junho, no Estádio do Café, às 20h30. Já o Juventude enfrenta o clássico local com o Inter, no próximo sábado, dia 3, às 19h, no Beira-Rio.

Com a vitória, o Juventude chegou aos sete pontos e está atrás apenas do Paysandu na competição. Já o Paraná permanece com cinco, na oitava posição da tabela.

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

O Paraná dominou as ações da etapa inicial. Sem conseguir se articular para sair da defesa, o Juventude foi pressionado e viu o goleiro Matheus virar o personagem nos 45 minutos iniciais. Os paranaenses chegaram bem especialmente pelo lado esquerdo, mas não conseguiram ser efetivos, o que sempre cobra seu preço. E foi exatamente o que aconteceu no fim.

DESTAQUE

SEGUNDO TEMPO

A conversa no vestiário fez bem ao Juventude. Com as orientações de Gilmar Dal Pozzo, o time melhorou. Criou algumas chances e rondou a área do Paraná. Mas veio forte, mesmo, nas jogadas de bola parada. Quando Felipe Alves abriu o placar, o Paraná era dominado, mas encaixou um bom contra-ataque. O Ju respondeu muito rapidamente e empatou dois minutos depois, em cobrança de falta que Assis desviou para o próprio gol. E manteve a pressão até o fim, quando em cobrança de escanteio conseguiu balançar as redes.

 
DESTAQUE
NA BASE DA BOLA PARADA

O Juventude mostrou pouca aptidão para chegar ao ataque com a bola no pé. Mas, a cada falta, mesmo longe da área, levantava para tentar ficar próximo do gol de Marcos. Leilson, com batidas de qualidade, acertou a trave. Saiu dos pés dele a cobrança para o empate gaúcho. No fim do jogo, Caprini bateu dois escanteios que levaram perigo. O segundo deles se ofereceu para Diego Felipe após desvio de Micael. E a virada veio pelo alto.

DESTAQUE

A BOLA PUNE

O Paraná esteve bem no primeiro tempo a ponto de transformar o goleiro Matheus em um dos melhores em campo. Em três oportunidades, o camisa 1, campeão gaúcho com o Novo Hamburgo e eleito craque da competição, salvou o time em investidas. Além das defesas, Assis acertou a trave.

GLOBO ESPORTE.COM

Ceará sai na frente no placar, mas permite virada do Bahia, em Salvador

3 a 1 para os baianos na Arena Fonte Nova

Site do Ceará Sporting Club

Avaí 2 x 1 Vila Nova

 2 x 1

22ª RODADA
AVAÍ TOMA SUSTO, MAS VENCE VILA NOVA E ASSUME A LIDERANÇA DA SÉRIE B
Leão da Ilha tem dificuldades contra o lanterna da competição, mas usa bola aérea para quebrar sina em casa e garantir a ponta da tabela
A ponta da tabela da Série B ainda é catarinense, mas agora pertence a outro dono. Saiu o Joinville, entrou o Avaí. Neste sábado, o Leão acabou com a sina de não vencer em casa e bateu o lanterna Vila Nova por 2 a 1 – Marquinhos e Diego Felipe fizeram para os catarinenses, enquanto Jheimy marcou para os goianos, que, apesar do abismo na classificação, impuseram dificuldade.

Apoiado pela torcida, o Avaí conseguiu superar o nervosismo e vencer na Ressacada após duas rodadas e muita cobrança. Para conseguir o feito, contou com Diego Felipe, artilheiro do Leão na Série B com nove gols – sete deles marcados de cabeça, como nesta noite. Aos goianos, resta a esperança de repetir o futebol para lutar contra o rebaixamento, mas com melhor sorte nas finalizações.

O Avaí volta a campo na terça-feira para defender a ponta da tabela. Novamente na Ressacada, recebe o Sampaio Corrêa, às 19h30. No mesmo dia, às 21h50, o Vila Nova, ainda lanterna, encara o Icasa, em Juazeiro do Norte.

Bocão Avaí (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Com a vitória, Avaí assumiu a liderança da segundona (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

Um integrante do G-4 em casa contra o lanterna. Na teoria, ataque contra defesa. No primeiro tempo de Avaí e Vila Nova, no entanto, a situação foi diferente. Sem nada a perder, os goianos jogaram com a defesa alta, posse da bola, e levaram perigo para os catarinenses. O espaço foi dado para o Leão, que chegou nos contra-ataques e nas bolas paradas, grande arma da equipe, mas mostrou ansiedade. Na Ressacada, o time de Geninho apresenta muita dificuldade de jogar.

O nervosismo em casa durou sete minutos no segundo tempo. Empolgado pela torcida, o Avaí voltou disposto a quebrar a sina para assumir a liderança pela primeira vez na Série B. Contou com Marquinhos, que aproveitou cruzamento para abrir o placar. O gol deu sinais de que o jogo ficaria mais tranquilo, mas o time catarinense parece gostar de emoções. Em cruzamento, Jheimy empatou e comemorou por três minutos. Para vencer, o Leão usou sua arma fatal: a bola aérea. Marquinhos cobrou escanteio, e Diego Felipe marcou para dar um gosto inédito neste ano para a maioria dos 7.057 presentes na Ressacada.

Diego Felipe Avaí x Vila Nova (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Triunfo teve estreia de camisa comemorativa (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
GLOBO ESPORTE.COM

Bragantino 1 x 4 Avaí

 1 x 4 

21ª RODADA
CIRÚRGICO NO PRIMEIRO TEMPO, AVAÍ ATROPELA BRAGANTINO NA SÉRIE B: 4 A 1
No contra-ataque, Leão faz 3 a 0 no primeiro tempo e apenas administra a vantagem na segunda etapa. Marquinhos e Diego Felipe comandam triunfo
O Avaí precisou de 45 minutos na noite desta terça-feira para comprovar a campanha de melhor visitante e garantir a perseguição ao líder Joinville na Série B do Campeonato Brasileiro. Com três gols no primeiro tempo, o Leão venceu o Bragantino por 4 a 1 no Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, pela 21ª rodada do torneio nacional. Anderson Lopes, Diego Felipe (duas vezes) e Marrone marcaram para os catarinenses. Guilherme Mattis fez o gol de honra dos donos da casa.

A vitória leva o Avaí aos 38 pontos, um a menos que o JEC. Na segunda posição, os catarinenses criam gordura para se manter no G-4, já que abriram quatro pontos de frente para a Ponte Preta, quinta colocada. Já o Bragantino fica em situação complicada. Com 20 pontos, está na 18ª posição, quatro pontos atrás do América-RN, time pior colocado fora da zona de rebaixamento.

O próximo compromisso das duas equipes na Série B é no sábado, às 21h. O Massa Bruta visita a Portuguesa, no Canindé, enquanto o Leão recebe o lanterna Vila Nova, na Ressacada.

Avaí não perdoa falhas do Braga

O primeiro tempo pode ser dividido em antes e depois dos 22 minutos. Na primeira metade, o Bragantino pressionou, criou oportunidades, e o Avaí se defendeu como pôde. Depois deste período, no entanto, o Leão foi ao ataque e não desperdiçou suas principais chances. Aos 23 minutos, a zaga do Massa Bruta parou pedindo impedimento após lançamento de Marquinhos. Anderson Lopes saiu na cara de Renan e tocou na saída do arqueiro. Três minutos depois, nova cobrança de falta do camisa 10. Desta vez, Diego Felipe apareceu livre para cabecear e ampliar. Perdido após levar dois gols, o Braga ainda cochilou mais uma vez aos 43 minutos. Marrone recebeu livre de Diego Felipe e soltou uma bomba cruzada para decretar o terceiro gol dos visitantes.

Fora de casa e com vantagem de três gols, o Avaí se deu ao luxo de administrar o placar na segunda etapa. O Leão até mostrou que poderia fazer mais diante da bagunçada zaga bragantina. Aos nove minutos, Marrone avançou pela avenida direita e cruzou para Diego Felipe, que soltou a bomba da entrada da área. Renan fez a ponte para evitar uma goleada ainda maior. O gol de honra dos donos da casa veio aos 27 minutos. O zagueiro Guilherme Mattis cobrou falta de muito longe e acertou a gaveta de Vagner. O gol deu ânimo ao Massa Bruta, que se atirou ao ataque. Quem se aproveitou foi Diego Felipe. Em contra-ataque aos 47 minutos, o meia marcou seu segundo gol e decretou a goleada por 4 a 1 do Avaí.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Vasco 0 x 5 Avaí

 0 x 5 

19ª RODADA
AVAÍ GOLEIA NA COLINA, SOBE À SEGUNDA POSIÇÃO E PÕE O VASCO FORA DO G-4
Time catarinense se impõe em São Januário e passeia: 5 a 0. Torcida do Cruz-Maltino pede a saída de Adilson, que deixa o cargo após a partida
A tarde deste sábado em São Januário oferecia a Vasco e Avaí duas possibilidades de sabores distintos. Quem vencesse tinha a chance de saltar para a liderança da Série B do Brasileirão, mas o perdedor poderia terminar o primeiro turno fora da zona de acesso à Primeira Divisão. Melhor para os catarinenses, que fizeram valer a fama de visitantes indigestos e não só venceram, mas atropelaram: 5 a 0. Diego Felipe (dois), Diego Jardel, Roberto e Anderson Lopes marcaram para o Leão, que com o resultado chegou a 34 pontos e assumiu a vice-liderança da Série B. O Vasco se manteve com 32 pontos e termina a 19ª rodada em quinto lugar, fora do G-4.

Houve muita bronca por conta da torcida vascaína, que ainda no intervalo, quando o time perdia por 2 a 0, já pedia a saída do técnico Adilson Batista. No fim, gritou que “acabou o amor” e pediu novamente a demissão do comandante, que de fato deixou o cargo minutos após o apito final. O Vasco chegou a esboçar reação no jogo. No segundo tempo, Douglas perdeu um pênalti antes de ver o time levar mais três gols. Com este, é o quarto jogo seguido em que o Vasco não consegue a vitória (três pela Série B e um pela Copa do Brasil). O time, por sinal, volta a campo nesta terça, para encarar o ABC, em Natal, pela competição mata-mata. Além de jogar em casa, o rival potiguar leva a vantagem de poder empatar por 0 a 0. Pela Série B, o time volta a campo no próximo sábado, contra o América-MG, no Independência.

O Avaí, por sua vez, chega ao quinto jogo seguido sem derrota na Série B. Com 34 pontos, o time catarinense tem apenas um a menos que o líder Ceará, que também neste sábado derrotou o Luverdense e retornou à ponta. O Leão volta a campo no próximo sábado, quando encara o América-RN, na Ressacada.

anderson lopes vasco x avai (Foto: Alexandre Cassiano/O Globo)
Anderson Lopes celebra o primeiro gol do Avaí em São Januário (Foto: Alexandre Cassiano/O Globo)

Bola parada mortal

Os 20 minutos iniciais em São Januário apresentaram dois times com dificuldades de criação e muitos erros de passe. Depois disso, o Vasco cresceu e finalizou três vezes num curto espaço de tempo. Dakson, aos 24, quase marcou gol que seria antológico. Após saída em falso de Vagner, emendou uma bicicleta de fora da área, e a bola passou perto da trave esquerda do goleiro avaiano. Após essa rápida pressão cruz-maltina, ambas as equipes diminuíram o ritmo. E, numa falta cobrada de muito longe do gol, Diego Jardel encontrou Pablo, que ajeitou para Anderson Lopes abrir o placar. Quatro minutos depois, a mesma dobradinha, contando com auxílio luxuoso de Martín Silva, proporcionou o segundo gol: Diego Jardel bateu falta na área, Pablo cabeceou para o meio, o uruguaio afastou mal, e Diego Felipe conferiu: 2 a 0.

Na etapa final, o Vasco foi para cima para tentar a reação no jogo. Chegou a esboçar um quadro animador. Primeiro, balançou a rede com Rafael Silva, mas a arbitragem anulou corretamente, assinalando impedimento. Pouco depois, Douglas, de pênalti, teve a chance de diminuir, mas bateu no meio e Vagner fez a defesa. O Avaí aproveitou então para matar o jogo. Fez o terceiro com Diego Jardel, de falta. Depois, no contragolpe, ampliou com Diego Felipe. Luan, do Vasco, ainda foi expulso por entrada dura em Marrone. No fim, Roberto, em outra falta muito bem batida, fechou o caixão na Colina. Foi a senha para muitos protestos dos torcedores que compareceram ao estádio.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Portuguesa 1 x 3 Avaí

 1 x 3 

17ª RODADA
AVAÍ BATE PORTUGUESA NO CANINDÉ, SOBE PARA TERCEIRO E AFUNDA RIVAL
Leão chega aos 30 pontos. Lusa permanece na vice-laterna, com 13
Enquanto o Avaí segue subindo na tabela, a Portuguesa continua em péssima fase e ainda não venceu após a Copa do Mundo (quatro empates e três derrotas). Pela 17ª rodada do Brasileirão da Séria B, o Leão da Ilha venceu a Lusa na noite desta terça-feira, no Canindé, por 3 a 1 e subiu para a terceira posição da tabela, com 30 pontos. Já a equipe paulistana permanece na 19ª, com 13 pontos.

Na próxima rodada, a Portuguesa encara o Ceará, no sábado, às 16h10 (horário de Brasília), mais uma vez no Canindé. Já o Avaí retorna a Florianópolis para atuar no mesmo dia e horário diante do Santa Cruz, na Ressacada.

Diego Augusto e Willen Mota, Portuguesa x Avai (Foto: Rodrigo Gazzanel / Futura Press)
Diego Augusto e Willen Mota disputam bola no jogo entre Lusa e Avaí (Foto: Rodrigo Gazzanel / Futura Press)

O jogo

Apesar de ter criado as melhores chances de gol e de estar mais organizado, o Avaí não conseguiu abrir o placar na etapa inicial. Em uma delas, Marquinhos encontrou Pablo na área, que sozinho e muito próximo do gol cabeceou para fora. Já a Portuguesa procurou pressionar no início, mas faltou entrosamento para a equipe de Silas entrar na área catarinense trocando passes. A solução foi abusar das bolas aéreas. No único lance de perigo, Régis cruzou para Serginho desviar de cabeça e assustar Vagner.

A Lusa voltou mais ofensiva do intervalo e pressionou o Avaí no início da segunda etapa. Serginho quase fez a festa da torcida logo no minuto inicial, em chute de longe, que desviou em Pablo e quase encobriu o goleiro do Leão da Ilha. Mas, aos 29 minutos, foi o Avaí que se aproveitou de bola parada para abrir o placar, com Diego Felipe, que, de cabeça, fez o primeiro do jogo.

Silas adiantou seus jogadores e pressionou o time catarinense. Aos 39, Djalma aproveitou cruzamento de Jean Mota e cabeceou para igualar o marcador. Entretanto, a alegria da Portuguesa durou pouco. No minuto seguinte, Revson arriscou da intermediária e fez um golaço. Aos 45, Roberto recebeu passe de Diego Felipe e fuzilou Rafael Santos para fechar a conta no Canindé.

Diego Felipe comemora gol do Avai contra a Portuguesa (Foto: Rodrigo Gazzanel / Agência estado)

Diego Felipe comemora gol do Avai contra a Portuguesa (Foto: Rodrigo Gazzanel / Agência estado)
GLOBO ESPORTE.COM

Avaí 2 x 1 Atlético Goianiense

 2 x 1 

11ª RODADA
AVAÍ SAI ATRÁS, REAGE NA ETAPA FINAL E VENCE O ATLÉTICO-GO COM GOL AOS 46
Leão da Ilha aproveita espaços após expulsões, se impõe sobre Dragão e sela virada com estreante Diego Felipe já nos acréscimos

O gol de André Luís e a defesa de Márcio em cobrança de pênalti de Cleber Santana de nada valeram para o Dragão, que viu Pablo e Diego Felipe, ambos de cabeça, darem a vitória ao Avaí na Ressacada. Triunfo suado, mas que premiou o time da casa, mais eficiente no setor ofensivo.

Com a vitória, o Avaí foi a 17 pontos e se aproximou do G-4. Já o Atlético-GO segue estacionado com dez e cada vez mais perto da zona de rebaixamento. Na próxima rodada, o Leão joga de novo em seus domínios: recebe a Ponte Preta, às 21h50, sexta-feira. O Dragão viaja até Lucas do Rio Verde para enfrentar o Luverdense, sábado, às 16h20.

Diego Felipe Avaí Atlético-GO (Foto: Jamira Furlani / Avaí FC)
Autor do gol da vitória, Diego Felipe marca Jorginho, camisa 10 do Dragão (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

Bem posicionado em campo, sobretudo na intermediária, com forte marcação e boa saída para o ataque, o Atlético-GO teve em Jorginho uma importante válvula de escape. O meia mostrou que poderia se destacar aos 11 minutos, quando protagonizou jogada individual pela ponta esquerda, chegou à linha de fundo e cruzou na cabeça de André Luís. Thiago Carleto perdeu o tempo da bola, não alcançou, e o atacante rubro-negro testou para a rede: 1 a 0.

Para complicar a situação do Avaí, Antônio Carlos foi expulso aos 26. Com um a menos, o Leão da Ilha encontrava dificuldade para agredir. O jogo já se encaminhava para o intervalo quando Artur, em jogada infantil, agarrou Pablo, cometeu pênalti e também acabou excluído. Contudo, brilhou a estrela de outro importante atleta do Dragão: Márcio. O goleiro defendeu a cobrança de Cleber Santana e assegurou a vantagem parcial para o clube goiano.

Reação com emoção

Só que na etapa final não deu para o camisa 1. Logo aos cinco minutos, ele foi vencido por Pablo, que completou de cabeça cruzamento feito por Marquinhos e igualou o placar. Confiante, o Avaí partiu com tudo para cima do Atlético-GO e pressionou em busca da virada. Paulo Sérgio teve as melhores chances, mas desperdiçou.

Aos poucos, o ímpeto do Avaí parecia diminuir, já que oportunidades claras se tornavam mais raras. No entanto, o Atlético-GO em momento algum ameaçou em contra-ataques que lhe foram concedidos. Nos acréscimos, aos 46, o Leão da Ilha foi premiado com o gol da virada. Estreante, Diego Felipe marcou e deu a vitória aos catarinenses.

Em jogo movimentado e com chances para os dois lados, o Avaí soube se apropriar melhor dos espaços que surgiram após as expulsões de Antônio Carlos e Artur. A partida ficou aberta no segundo tempo, e o Leão da Ilha se impôs para virar e bater o Atlético-GO: 2 a 1.
GLOBO ESPORTE.COM

Chapecoense 4 x 0 Asa de Arapiraca

 4 x 0 

A Chapecoense suportou bem a pressão inicial do ASA na partida desta terça-feira à noite e, com frieza, goleou o adversário por 4 a 0, com gols de Athos, Burno Rangel (duas vezes) e Diego Felipe. O triunfo na Arena Condá, em Chapecó, manteve o time catarinense na vice-liderança do Brasileirão da Série B, agora com 49 pontos. Despencando na tabela, o time alagoano sofreu nesta 26ª rodada a sexta derrota seguida e segura lanterna, com apenas 23 pontos.

O meia Athos disse que havia estudado o posicionamento do goleiro do ASA, Gilson, e foi premiado no primeiro tempo com um golaço.

– Eu já tinha visto o jogo deles contra o Paraná e percebí que ele ficava adiantado. Daí, graças a Deus, tive a felicidade de marcar um belo gol – declarou o armador.

Atacante do ASA, Elionar Bombinha lamentou mais uma derrota na Série B.

– Entregamos praticamente o primeiro gol para eles. Estávamos bem na partida, mas fomos infelizes numa jogada e complicou depois. Saímos no segundo tempo para empatar e sofremos mais gols. Agora é levantar a cabeça para o jogo contra o Ceará.

A Chape volta a jogar no próximo sábado na Arena Condá, contra o Joinville, às 16h20m. No mesmo dia e horário, o ASA vai receber o Ceará no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca.

Chapecoense x ASA (Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)Chapecoense foi mortal quando subiu ao ataque (Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)

Chape é mortal na primeira chance

O ASA surpreendeu o adversário ao buscar mais o jogo nos minutos iniciais, criando boas chances nas bolas paradas de Glaybson e numa arrancada de Jefferson Maranhense, que invadiu a área aos 14 minutos e obrigou o goleiro Nivaldo a fazer uma defesa arrojada. O Alvinegro se assanhou no começo da partida, mas a Chape foi mortal na primeira oportunidade criada. Aos 15 minutos, o meia Athos recebeu a bola no ataque, após falha de Wellington, passou com facilidade por Samuel e, já dentro da área, encobriu o goleiro Gilson, que estava adiantado: 1 a 0.

O time alagoano continuou pressionando, enquanto a Chapecoense fechava os espaços na defesa para tentar explorar os contra-ataques, mas subia pouco. Os donos da casa só voltaram a assustar numa falta cobrada aos 42 minutos, por Wanderson.

Chapecoense x ASA (Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)Athos comemora o primeiro da Chape na partida (Foto: Aguante Comunicação/Chapecoense)

Vice-líder constrói goleada no segundo tempo

A Chapecoense nem precisou pressionar para ampliar o marcador. Aos seis minutos, Thiago Luís lançou para o artilheiro Bruno Rangel, que teve a liberdade para dominar e tocar na saída do goleiro Gilson: 2 a 0. O ASA sentiu o golpe, manteve a postura ofensiva, mas pouco incomodava o goleiro adversário. A Chape criou uma boa chance aos 21 minutos, com Nenén, que errou o último passe para Bruno Rangel, já pronto para marcar o terceiro.

Aos 27 minutos, Didira bateu, no capricho, uma falta frontal ao gol e viu a bola acertar o travessão da Chapecoense. Mas o dia era mesmo do Verdão, que aproveitou os espaços deixados pelo adversário para ampliar. Aos 32 minutos, Potita fez boa jogada pela esquerda e bateu cruzado: a bola acertou o travessão e, no rebote, Bruno Rangel cabeceou para a rede. Com o adversário nas cordas, a Chape ainda marcou o quarto aos 37 minutos. Diego Felipe foi lançado no ataque, o zagueiro Cássio caiu e o volante finalizou na saída de Gilson: 4 a 0 e fim de papo na Arena Condá.