Ministério Público investiga demissões na Record e diz que TV frauda a lei

DANIEL CASTRO – Publicado em 03/12/2015, às 06h41

O Ministério Público do Trabalho abriu investigação para apurar irregularidades na demissão de cerca de 400 profissionais do complexo de estúdios RecNov após o fim das gravações de Os Dez Mandamentos, há pouco mais de uma semana. Parte dos funcionários da novela bíblica e do programa de Xuxa Meneghel está sendo recontratada pela produtora Casablanca. Para a procuradora Carina Bicalho, a Record está cometendo “desvirtuamento da terceirização de mão de obra” e poderá ser denunciada na Justiça por “fraude na organização empresarial”. Ela pedirá liminar para paralisar o processo de terceirização das produções da emissora.

No início da semana passada, os estúdios do RecNov, no Rio de Janeiro, foram fechados para inventário. A emissora ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto. Extraoficialmente, a versão que corre é a de que o RecNov será arrendado por cinco anos pela Casablanca. A produtora realizará lá, com equipamentos e em instalações da Record, novelas e programas da emissora. Para reduzir custos, deverá contratar funcionários de forma precária, como pessoas jurídicas ou temporariamente, apenas durante a duração das gravações.

De acordo com Carina Bicalho, isso afronta a legislação, porque a Record estaria terceirizando sua atividade fim, que é a produção de novelas e programas, o que caracterizaria “fraude na organização da empresa”. Nos próximos dias, ela vai requisitar cópias de contratos entre a Record e a Casablanca. “Vou descobrir o que aconteceu”, promete a procuradora. “Vou apurar qual a relação da Record com a Casablanca e quais as relações de trabalho dentro da Casablanca”.

Além do RecNov, a Casablanca também deverá assumir a produção de programas em São Paulo. Nesta semana, a dona da produtora, Arlete Siaretta, foi vista conhecendo as instalações da emissora na Barra Funda, zona oeste da capital. Isso ajudou a aumentar rumores de que haverá um pacote de demissões nesta sexta-feira (4).

Apesar de atuar no Rio de Janeiro, Carina Bicalho também investigará a terceirização em São Paulo. A Casablanca está encerrando nesta semana a produção de uma novela da Record, Escrava-Mãe, gravada em estúdios alugados pela Prefeitura de Paulínia, na região de Campinas.

Gabriela Moreyra, protagonista de Escrava-Mãe, novela produzida pela Casablanca

Bicalho investiga a Record há alguns anos e já move duas ações na Justiça trabalhista contra a emissora. Em uma delas, acusa a rede de Edir Macedo de contratar cenógrafos, cinegrafistas, assistentes de direção e demais profissionais qualificados da produção televisiva como pessoas jurídicas (PJs), o que é irregular. A ação foi julgada procedente em primeira instância.

Na outra ação, a procuradora pede que a Justiça obrigue a Record a contratar atores com carteira assinada, e não como PJs. “Isso também é irregular. O ator tem uma legislação específica, mas ele tem de ser celetista, mesmo que pelo tempo da obra, não PJ”, diz. Essa ação foi julgada improcedente em primeira instância.

A investigação das demissões pós-Os Dez Mandamentos e o arrendamento do RecNov foram juntadas a um inquérito que corre desde o início de 2014. Nele, Carina Bicalho apurou a terceirização de mão de obra para a produção da minissérie bíblica Milagres de Jesus. A procuradora chegou à conclusão de que a produtora contratada pela Record, a Academia Filmes, atuou como uma mera contratante de mão de obra temporária, já que toda a estrutura para as gravações (estúdios e equipamentos) eram da Record.

Outro lado

Procurada, a produtora Casablanca não se manifestou sobre o assunto. A empresa diz não ter autorização para falar sobre a questão. A Record não tem se pronunciado sobre terceirização e arrendamento do RecNov e não tem diálogo com o Notícias da TV _não responde aos e-mails enviados pelo site. De qualquer forma, o espaço está aberto para a emissora se posicionar.

Flávio Ricco comenta as recentes demissões na Rede Record

38340-record-hd
Não chega a ser novidade que a Record iniciou um processo de enxugamento nos quadros de suas produções em São Paulo…
… Desde a semana passada, os cortes estão atingindo as equipes do “Hoje em Dia” e “Programa da Tarde”…
… E, como próximos alvos, “Domingo Show”, Mion, Faro e cia…
A Record, como é natural e incontestável, tem todo o direito de fazer mudanças…
… Os seus apresentadores, no entanto, só lamentam que isso aconteça às vésperas do Natal.
Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Demissões de motoristas causa transtornos na Record

 

As demissões de motoristas na Record estão criando um problema operacional e outro trabalhista. Explica-se: em alguns casos, a emissora está obrigando assistentes de equipes de reportagem e de produção a dirigirem o carro da emissora, o que caracteriza dupla função. A situação é pior porque, há duas semanas, a Record demitiu 40 profissionais de equipes de externas.

 

Rede Record está demitindo motoristas

 

A Record está demitindo motoristas. Somente nesta semana, foram dispensados mais de duas dezenas. Alguns profissionais estão sendo substituídos por motoristas terceirizados, de uma empresa de Celso Macedo, irmão do bispo Edir Macedo, que já domina as áreas de segurança e a de limpeza. Nos bastidores da emissora, comenta-se que todos os motoristas serão demitidos.

 

Rede Record demitiu cerca de 40 pessoas na semana passada

A outra é que a Record, há coisa de duas semanas, dispensou as suas equipes de externas. Cerca de 40 pessoas foram demitidas.
Botaram para fazer este serviço uma empresa, a New Vision, que pertence aos bispos da igreja. O pessoal do Jornalismo e Entretenimento está sentindo na pele toda confusão que isto virou. Um Deus nos acuda.
Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Demitido faz suas necessidades no pátio da Record

 

Na Record, cada dia é uma novidade. Anteontem foi a vez de mandarem os seguranças e porteiros embora, os que eram contratados da casa. Um deles, mais exaltado e revoltado com tudo, baixou as calças e fez as suas necessidades, 1 e 2, bem no meio do estacionamento.

Pior é que não tinha outro segurança para impedi-lo. Uma situação.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Flávio Ricco comenta como Band e Record dispensam trabalhadores

 

Bandeirantes e Record continuam promovendo cortes em seus quadros, ainda como parte dos processos de reestruturação instalados. Um direito delas.

Mas chama atenção o fato de estarem utilizando a mesma desculpa no momento de anunciar as demissões. É dito que o profissional “não se enquadra mais no perfil da emissora”. Então tá.

As mesmas Bandeirantes e Record agora estão usando uma maneira diferente no momento de demitir quem não interessa mais.

É a dispensa no conta-gotas. Uns quatro ou cinco por dia para não chamar muito a atenção.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

A Rede Record não vai mais demitir em massa

 

O processo de reestruturação, colocado em prática na Record, está praticamente concluído.

Demissões, se acontecerem a partir de agora, serão apenas em casos pontuais, mas nada semelhante ao que vinha ocorrendo desde o começo do ano. Que assim seja.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Demissões na Record suspendem gravações de novela

 

Em função dos cortes realizados no RecNov, nos últimos dois dias, “Dona Xepa” terá agora apenas uma equipe, híbrida, para as suas gravações no estúdio e em externas.

Na terça, pela manhã, depois de anunciadas as demissões, os trabalhos foram suspensos por absoluta falta de condições.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

A Record demitiu mais de 100 pessoas ontem

 

Ontem, foi um outro dia muito triste na Record, com as demissões anunciadas, logo pela manhã, no seu complexo de novelas.
Cerca de 100 profissionais foram dispensadas, embora a emissora não confirme o número.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery