Avaí 1 x 3 Palmeiras

Palmeiras vence o Avaí, volta ao G-4 e agora secará rivais; Leão teme Z-4

Verdão precisará torcer contra Santos e São Paulo para permanecer entre os quatro melhores; já a equipe catarinense pode terminar rodada abaixo da linha vermelha

O Palmeiras se recuperou das duas derrotas consecutivas (para Chapecoense, por 5 a 1, e Ponte Preta, 1 a 0) com um triunfo sobre o Avaí, por 3 a 1, neste sábado, na Ressacada, em Florianópolis, pela 31ª rodada do Brasileirão. O Verdão vai a 48 pontos e entra no G-4. Para permanecer na zona de classificação à Taça Libertadores, precisará torcer por tropeços de Santos e São Paulo, neste domingo. Já o Avaí, com 33, está em 16º, mas pode entrar na zona de rebaixamento se Goiás ou Coritiba vencer. Gabriel Jesus, Cristaldo e Dudu marcaram para o time paulista; André Lima descontou para os catarinenses.

O Verdão contou com a boa atuação de seus três jogadores argentinos: Mouche, Allione e Cristaldo comandaram a equipe boas jogadas e entrosamento.

Avaí x Palmeiras (Foto: Ag. Estado)
Palmeirenses festejam o gol na Ressacada (Foto: Ag. Estado)

O jogo

Mesmo atuando com um time misto (Lucas, Vitor Hugo, Dudu iniciaram a partida no banco; Zé Roberto e Barrios não viajaram), o Palmeiras começou demonstrando melhor qualidade com a bola no pé. Controlado o ímpeto inicial do Avaí, que ameaçou no início em investidas às costas do lateral-esquerdo palmeirense Egídio, o Verdão chegou ao gol aos 16 minutos.

Mouche, que disputava apenas o seu quarto jogo no ano, assumiu o controle do meio-campo. Após ganhar dividida de Emerson, o argentino lançou o conterrâneo Cristaldo, que entrou pela direita e rolou para Gabriel Jesus marcar.

O primeiro tempo ficou nisso. A partir do gol, o jogo apresentou acentuada queda, com os times mais interessados em chutões e faltas.

No segundo tempo, o técnico Marcelo Oliveira reforçou a marcação no meio-campo palmeirense, colocando Amaral no lugar de Andrei Girotto. Com a mudança, a princípio, o Avaí passou a ter mais dificuldades para chegar – a cobertura de Egídio melhorou.

Assim, o Verdão tinha mais tranquilidade para chegar à frente e, aos 14, chegou ao segundo gol, com Cristaldo aproveitando cobrança de escanteio de Allione e falha da zaga catarinense.

Para tentar mudar o panorama da partida, Gilson Kleina arriscou: tirou o volante Adriano, que já tinha amarelo, e reforçou o ataque do Leão com Roberto. O time catarinense cresceu, ganhou terreno no campo de ataque e diminuiu aos 23, com André Lima completando cruzamento da direita.

O jogo se tornou mais agradável, com as duas equipes buscando o ataque sem se preocupar tanto com a marcação. Dudu, que começou o jogo no banco, poupado, entrou aos 21 minutos. Em seu primeiro lance de perigo, aos 32, o gol: Thiago Santos acertou o lançamento, a zaga do Avaí falhou, e a bola sobrou para o atacante, que ainda driblou o goleiro antes de marcar e fechar o placar.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Cruzeiro 2 x 1 Palmeiras

Cruzeiro vence, se afasta da confusão e barra chegada do Palmeiras ao G-4

Em reencontro com Marcelo Oliveira, ex-técnico, Raposa volta a vencer após três rodadas do Brasileiro e faz adversário amargar segunda derrota seguida no torneio

Vinícius Araújo disputa bola com Lucas (Foto:  Fred Magno/ LightPress)

Vinícius Araújo disputa bola com Victor Ramos na partida realizada no Mineirão

(Foto: Fred Magno/ LightPress)

O encontro do Cruzeiro com o técnico Marcelo Oliveira, na maioria das vezes, termina com vitória azul. Mas, diferentemente do que ocorrera na maioria das vezes dos poucos mais de dois anos, quando os dois estiveram juntos, só a Raposa saiu feliz. Com gols de Alisson e Arrascaeta, o time mineiro, agora comandado por Luxemburgo, venceu por 2 a 1 o Palmeiras de Marcelo, pouco mais de dois meses após o técnico ter deixado o comando do time. Os 20.839 torcedores que foram ao estádio viram um grande espetáculo, com emoção, raça e valentia das duas equipes. Foi, sem dúvida, um excelente programa de Dia dos Pais. A renda foi de R$ 781.710.00.

Alisson foi o nome do jogo. O garoto fez o primeiro gol do Cruzeiro e criou toda a jogada do segundo. A vitória fez os mineiros subirem para a 11ª colocação do Campeonato Brasileiro com 21 pontos, afastando-se mais ainda dos times que lutam contra o rebaixamento. O Palmeiras permanece em sexto, com 28, e não conseguiu entrar no G-4.

Os dois times voltam a campo no meio da semana. Quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), o Palmeiras enfrenta o Coritiba, no Couto Pereira, em Curitiba. O Cruzeiro joga um dia depois. Às 21h, enfrenta o Joinville, na Arena Joinville.
O jogo

Cruzeiro e Palmeiras fizeram um primeiro tempo muito bom. No reencontro do time azul com Marcelo Oliveira, o cartão de boas vindas ao treinador veio logo aos quatro minutos. Os dois times ainda se estudavam em campo, quando Vinícius Araújo roubou uma bola de Leandro Almeida na direita, invadiu a área e tocou para Alisson empurrar para o gol. No lance, o time palmeirense reclamou de falta. Em vantagem no placar, o Cruzeiro dominou o jogo até os 20 minutos, com boas atuações do trio de volantes e da dupla que participou do gol.

Entretanto, o Palmeiras equilibrou as ações e também passou a rondar a área de Fábio. Os avanços dos laterais Lucas e Egídio incomodaram muito o sistema defensivo cruzeirense. Apesar da melhora do Verdão e do jogo parelho, foi o Cruzeiro quem esteve bem perto de marcar o segundo. Aos 46 minutos, Marinho cruzou na área, a bola bateu no braço de Victor Ramos, e o árbitro marcou pênalti. O próprio Marinho cobrou, mas Fernando Prass fez a defesa, no canto esquerdo do gol.

Arrascaeta comemora gol contra o Palmeiras (Foto: Fred Magno/ LightPress)
Arrascaeta comemora gol contra o Palmeiras (Foto: Fred Magno/ LightPress)

O segundo tempo começou aberto. O pênalti perdido por Marinho, no último lance do primeiro tempo, deu uma injeção de ânimo no Palmeiras, que voltou do intervalo com Cleiton Xavier e Alecsandro. Os dois times se alternaram no ataque e, antes dos 15 minutos, já tinham perdido, cada um, uma boa chance. Melhor em campo, o Palmeiras já tinha obrigado Fábio a fazer duas excelentes defesas quando chegou ao empate. Aos 29 minutos, Cristaldo, que havia acabado de entrar, bateu de perna esquerda, da entrada da área, para deixar tudo igual no Mineirão.

Acreditando que poderia virar o jogo, o Palmeiras se mandou para o ataque. Este foi o grande erro do time paulista. Com espaços para contra atacar, o Cruzeiro renasceu na partida e conseguiu o gol da vitória. Aos 37 minutos, Alisson arrancou pela esquerda e tocou para Arrascaeta marcar e dar um belo presente de Dia dos Pais para os cruzeirenses que foram ao Mineirão.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Brincalhão, Cristaldo comete gafe nas redes sociais: “Foto com a taça do Mundial do Palmeiras”

Fica tranquilo, Cristaldo: a zoeira não tem limites (FOTO: Gareca)

Fica tranquilo, Cristaldo: a zoeira não tem limites
(FOTO: Gareca)

 

O atacante, talismã, tuiteiro e comediante Cristaldo cometeu uma gafe daquelas ao brincar nas redes sociais. O argentino postou uma foto abraçando o vento, com o comentário: “De boas aqui, dando aquele abraço na taça do Mundial do Palmeiras”.

Obviamente, o caso pegou mal com a torcida do Verdão e Cristaldo se viu obrigado a explicar a gafe. Deixando claro que não houve má intenção na brincadeira, o Churry disse:

“Eu vi muita gente comentando que o Palmeiras não tem Mundial, aquela coisa de avisar que o Palmeiras não tem Mundial nos comentários nas redes sociais e achei que os palmeirenses também estavam brincando com isso. Resolvi fazer a foto para entrar na brincadeira, mas acabei descobrindo que só os rivais estão nessa. Só posso pedir perdão pelo vacilo, não quero ser visto como vacilón”, disse.

A sorte de Cristaldo é que o short de beleza exótica chamou mais atenção do que a própria zoeira.

 

Palmeiras 3 x 0 Avaí

O JOGO

O Palmeiras não foi brilhante e chegou a sofrer pressão do Avaí em alguns momentos. Ainda assim, impôs sua melhor qualidade técnica, suportou a pressão, aproveitou melhor as chances que teve e venceu por 3 a 0, nesta quarta-feira, na arena, e entrou no G-4 do Campeonato Brasileiro. Rafael Marques, Lucas e Cristaldo marcaram os gols.

O jogo poderia ter terminado 4 a 0. Kelvin acertou a bola por baixo do goleiro. Ela ultrapassou a linha quando o zagueiro a afastou. O bandeirinha, porém, não viu a bola entrar.

Com o resultado, o Palmeiras chegou ao quarto lugar do Brasileirão, com 21 pontos. Para seguir no G-4, tem de torcer para um empate entre Corinthians e Atlético-PR e uma derrota do Fluminense, ambos nesta quinta. O Avaí, com apenas 13, está na 15ª posição.

37.530 torcedores pagaram ingresso para ver o jogo. A renda foi de R$ 2.405.755,00.

O jogo contra o Avaí foi o quarto seguido do Palmeiras sem sofrer gols. São Paulo, Chapecoense e Ponte Preta foram as outras vítimas. O Verdão ganhou todos.

No início do segundo tempo, o Avaí teve pelo menos 15 minutos de superioridade e pressão, mas não conseguiu converter isso em gols. Perdeu grandes chances e mandou uma bola na trave, com Anderson Lopes.

Cristaldo mostrou mais uma vez que vive fase iluminada. Novamente ele entrou no segundo tempo e fez um gol. Foi o 12º dele na temporada. É o artilheiro do time no ano.

O zagueiro Vitor Hugo teve de deixar o jogo no intervalo após um choque de cabeça com o atacante William. Ele sofreu uma concussão cerebral por conta da pancada, mas ficou no banco até o fim do jogo.

 

GLOBO ESPORTE.COM

 

Palmeiras 2 x 0 Chapecoense

RESUMÃO

  • O JOGO
    O Palmeiras não teve a intensidade demonstrada no clássico contra o São Paulo, domingo passado, quando goleou por 4 a 0. Mesmo assim, não sofreu para vencer a Chapecoense, por 2 a 0, nesta quarta-feira à noite, em sua arena, pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. Egídio e Cristaldo marcaram os gols. Com o resultado, o Verdão subiu mais três posições: saiu de 12º para nono, com 15 pontos. Já a Chape, irregular na competição, está em 10º, com 13.

    DESTAQUE 

    CASA CHEIA

    Mais uma vez a arena do Palmeiras recebeu grande público. Foram 32.742 torcedores, com renda de R$ 1.663.574,99.

    DESTAQUE

    BATEU SAUDADE?

    O atacante Edmilson, revelado pelo Palmeiras, reencontrou o ex-clube e teve atuação muito fraca. Perdeu duas boas chances no começo do jogo e uma inacreditável no segundo tempo. Deu sorte que o árbitro já havia marcado impedimento.

    DESTAQUE

    GRANDE FASE

    O lateral-esquerdo Egídio cresce de produção a cada partida. Após as três assistências contra o São Paulo, ele fez o primeiro gol com a camisa do Palmeiras em chute que contou com o desvio na zaga.

    DESTAQUE

    QUE ESTRELA!

    Cristaldo, mais uma vez, mostrou que está em grande fase. Ele entrou no jogo e, menos de um minuto depois, apareceu sozinho na área para fazer o segundo gol do Verdão, seu 11º na temporada – é o artilheiro do time em 2015.

     

     

    DESTAQUE

    PRÓXIMOS JOGOS

    O Palmeiras vai até Cuiabá enfrentar a Ponte Preta, no domingo, às 18h30, na Arena Pantanal. A Chape recebe o Vasco na Arena Condá, sábado, às 21h.

    GLOBO ESPORTE.COM

     

Palmeiras 4 x 0 São Paulo

28/06/2015 – 17h51 – Atualizado em 28/06/2015 17h51

Com direito a olé, Palmeiras mostra força e goleia o São Paulo em casa

Com contra-ataques rápidos e correção nos passes, Verdão atropela o rival e sobe na tabela do Brasileirão. Tricolor se mantém no G-4, mas perde moral com a derrota

Foi um massacre. O Palmeiras passou por cima do São Paulo neste domingo, na arena alviverde, pela nona rodada do Brasileirão, com uma goleada por 4 a 0 que fez o Tricolor entrar em parafuso. Mesmo sem ter a bola na maior parte do tempo, mas apostando em contra-ataques muito bem armados, o Verdão atropelou. Leandro Pereira, Victor Ramos, Rafael Marques e Cristaldo marcaram. O Tricolor apresentou deficiência nos passes, arremates a gol e marcação. Assim, acabou virando presa fácil para o time da casa.

O São Paulo tinha esperança de revanche após o Choque-Rei do Paulistão, quando também foi mal e perdeu por 3 a 0. Ficou só na vontade. O Verdão mostrou mais uma vez quem manda na arena.

Com o triunfo, Palmeiras vai a 12 pontos e sobe para o 10º lugar. O São Paulo se mantém no G-4, mas caiu para o quarto lugar, com 17 pontos.

 

leandro pereira palmeiras x são paulo (Foto: Marcos Ribolli)
Leandro Pereira festeja o gol que abriu a goleada do Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)

O Palmeiras foi preciso, objetivo, não enrolou. Enquanto o São Paulo, com 68% da posse de bola no primeiro tempo, acertou bola na trave, com Pato, e desperdiçou três chances claras, todas em chutes errados de Michel Bastos, o Verdão mostrou como se faz: quando o espaço se abriu, o time da casa não perdoou.

Primeiro, com Leandro Pereira, chutando de primeira, de fora da área, aos 31 – a bola desviou em Souza e enganou Ceni, que chegou a desviar, mas não o suficiente para evitar o gol. O segundo, com Victor Ramos, que subiu livre para completar de cabeça a cobrança de escanteio de Robinho, aos 40.

Ao tentar reagir, o Tricolor abusou dos passes errados, entregando a bola de bandeja para contra-ataques do Verdão.

O panorama se manteve no segundo tempo: o São Paulo, que perdeu o técnico Juan Carlos Osorio, expulso no intervalo por reclamação, tinha a bola, mas não sabia o que fazer com ela. O Palmeiras, muito mais encorpado, seguiu apostando em contra-ataques rápidos, com passes certos.

Foi assim que saiu o terceiro gol, aos 13 minutos: a bola roubada no meio-campo passou por Dudu, Arouca e Egídio antes do toque final de Rafael Marques.Tudo de primeira. Detalhe: essa jogada saiu quando o Verdão tinha um a menos: Leandro Pereira se machucou e teve de deixar o campo. Cristaldo, o substituto, aguardava autorização para entrar enquanto a jogada se desenrolava.

Cristaldo, aliás, deixou o dele, completando a goleada. Com o São Paulo totalmente desorganizado, deixando enormes espaços às costas de seus laterais, o Verdão se aproveitou. Egídio acertou um cruzamento longo e achou o argentino livre para ampliar.

À essa altura, o São Paulo era uma bagunça só. Um time sem coordenação e força, o que permitiu ao Palmeiras tocar a bola e ouvir o “olé” nas arquibancadas da arena.

GLOBO ESPORTE.COM

Renato Maurício Prado comenta Palmeiras 2 x 1 Fluminense

 

Absurdos tricolores

E o Magno Alves, hein? Como pode se admitir que um jogador experiente como ele cometa duas autênticas agressões, num mesmo lance, provocando a própria expulsão? E o Gérson? Parecia completamente desinteressado da partida. Perdia a bola e voltava caminhando, como se estivesse num tranquilo passeio na praia. Será que já está com a cabeça no Barcelona? É inadmissível um jovem da sua idade não correr e lutar o campo todo, ainda mais quando o seu time está com um a menos.

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 16/06/2015