Seleção brasileira poderá disputar jogos das eliminatórias para a Copa de 2018 em Fortaleza

A Arena Castelão poderá receber jogos da seleção brasileira nas eliminatórias para a Copa do Mundo da FIFA Rússia 2018 . Mauro Carmélio , presidente da Federação Cearense de Futebol , enviou ofício confirmando Fortaleza como candidata á cidade-sede para receber as partidas . A Conmebol manda que cada país confirme apenas 2 cidades como cidades-sedes para receber jogos das eliminatórias . Mauro Carmélio afirma que Fortaleza atende às exigências da Confederação Sul-Americana para sediar partidas das eliminatórias como pouca distância em relação ao aeroporto e hotelaria .

Jogada – Diário do Nordeste – 24 de julho de 2015

Conmebol aplica multa de US$ 12 mil a clube peruano

Ficheiro:USDnotes.png

Depois de 40 dias das ofensas racistas sofridas por Tinga durante a disputa de um jogo na Copa Libertadores, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) anunciou ontem a punição ao Real Garcilaso. O clube peruano foi multado em apenas US$ 12 mil (cerca de R$ 28 mil) e levou uma advertência pelo episódio discriminatório.

“O clube peruano foi punido com uma multa de USD 12.000 e com uma advertência formal pela qual seu estádio será fechado em caso de nova infração deste tipo”, anunciou a Conmebol.

O volante do Cruzeiro ouviu as manifestações racistas toda vez que tocava na bola no segundo tempo, quando entrou em campo no lugar de Ricardo Goulart, na partida disputada na cidade peruana de Huancayo. Abatido em razão das ofensas, Tinga disse ao fim do jogo que trocaria todos os seus títulos, de uma vitoriosa carreira, pelo fim do preconceito.

Sem ações mais rigorosas

Em nota oficial de apenas três parágrafos, a Conmebol condenou o racismo no futebol, mas não fez projeções mais severas contra os clubes.

Pelo Regulamento Disciplinar da entidade, casos de discriminação durante jogos organizados por ela podem levar a perda de pontos e até a eliminação do time na competição. Mas, no caso do Real Garcilaso, a punição foi apenas uma multa.

 

Diário do Nordeste – Jogada – 25.03.2014

World Cup Confederations Preview: CONMEBOL

Tuesday, 26 November 2013 4:21 PM

World Cup Confederations Preview: CONMEBOL

With the World Cup draw 10 days away, we take a look at how the rest of the world qualified, starting with South America.

World Cup Stats – South America:
Number of Participants: 5 (including the host, Brazil)
Numbers of qualifiers: 9 (excl. Brazil)

Numbers of winners: 9
– Brazil: 1958, 1962, 1970, 1994 and 2002
– Argentina:1978 and 1986
– Uruguay: 1930 and 1950

2014 Entrants:
– Brazil (hosts)
– Argentina
– Columbia
– Chile
– Ecuador
– Uruguay

The South American Football Confederation qualifiers are known as the toughest in the world.

The fact that two of the strongest teams in the world are from South America, is only part of the deal. It is a simple format – a round robin involving nine teams (Brazil, the tenth, qualified automatically as hosts) playing for four and a half places.

There is also the issue of matches played at altitude, notwithstanding the cauldron that is playing away from home in South America.

As it were, Argentina, Columbia, Chile and Ecuador filled the first four places and thus gained automatic qualification. Uruguay finished fifth, equal on points with Ecuador, but with an inferior goal difference were thrown into a play-off.

Socceroos fans will remember with equal pain and joy the occasions when CONMEBOL’s fifth placed team would take on Oceania’s best for a place at football’s top table. This time, though, Uruguay came up against Jordan, who had finished only three points in arrears of the Socceroos in Group B of the AFC qualifiers.

The qualifiers started way back in June 2011. 16 matches home and away is an arduous, lengthy journey.
Argentina, with one of the world’s very best, Lionel Messi, in their ranks, was expected to qualify with ease. That they finished only two points clear at the top of the standings, is a clear indication of the strength of the South American qualifying group.

As well as Messi, they have Gonzalo Higuain, Sergio Aguero, Angel Di Maria and Ezequiel Lavezzi. Their task was made a little bit easier by the absence of Brazil and they eventually qualified as winners, two points clear of Columbia.

Columbia, like Argentina, won exactly half of their matches. Spurred on by the firepower of their superstar striker, Radamel Falcao, the Columbians finished with nine wins, three draws and four losses from their campaign.

Chile finished third, two points behind Columbia. Whilst the Columbians have Falcao, the Chileans have Barcelona forward, Alexis Sanchez, whose brilliant chip against Real Madrid in the recent Classico was the talk of La Liga.

Sanchez is Chile’s diamond and he has proven invaluable. At the age of 24, he has already accrued 64 caps and scored 22 goals to go with them. Among them was a brace against England at Wembley Stadium in the last round of international friendlies.

Ecuador snuck in to automatic qualification in fourth place. They finished with a goal difference of +4, enough to beat the Uruguayans into the much coveted automatic place.

Most of their players ply their trade in their home country, but their captain is easily recognisable – Manchester United’s Antonio Valencia. Although he is in and out of the side at Old Trafford, he is an integral part of the Ecuadorian side and he was a big part of their qualification campaign.

Finally, Uruguay. They finished with a goal difference of 0, despite beating Argentina 3-2 in their final match.

In Edinson Cavani and Luis Suarez, they possess two of the world’s most lethal strikers and in many ways it is a surprise that they qualified the long way around.

107-cap forward Diego Forlan, captain Diego Lugarno and Juventus defender, Martin Caceres, are all familiar names.

As it were, Uruguay’s play off against Jordan was terribly one-sided. Uruguay smashed the Jordanians 5-0 in the first leg, before cruising through a 0-0 draw in the second to guarantee their place in Brazil.

And what of the hosts?

With Luis Felipe Scolari, the coach of the 2002 World Cup winning squad, back in charge, the Seleção will be gunning for a sixth World Cup.

Their squad is a galaxy of stars. David Luiz, Oscar, Ramires, Robinho, Willian, Neymar and Hulk are regulars. This Brazilian side is so good that Ronaldinho, Kaka and Alexandre Pato sit on the periphery.

One thing is for sure: There are no bad teams in South America.

 

Football Federation Australia

Conmebol encerra discussão e define o Mineirão como palco da final

Entidade sul-americana garante que estádio Defensores del Chaco tem
capacidade superior a 40 mil lugares, diferentemente do Independência

 

A Confederação Sul-Americana de Futebol, Conmebol, confirmou que a partida decisiva da Libertadores, entre Atlético-MG e Olimpia, do Paraguai, será mesmo realizada no Mineirão. Uma nota oficial foi enviada ao presidente da CBF, José Maria Marín, que havia solicitado que o Galo fosse atendido no desejo de realizar a partida da semana que vem no Independência, onde vinha mandando seus jogos na competição.

Mineirão Brasil x Uruguai (Foto: Getty Images)
Mineirão será o palco da grande final da Libertadores (Foto: Getty Images)

O presidente do Galo, Alexandre Kalil, vinha tentando nos bastidores a manutenção do Independência como sede da final. A alegação era de que o Defensores Del Chaco, estádio do Olimpia, também não tem a capacidade mínima de 40 mil lugares exigida pela Conmebol – o jogo de ida está marcado para o Defensores na noite desta quarta.

A alegação da Conmebol para manter o estádio paraguaio é de que a capacidade oficial é de 40.759 lugares, apesar de não usar a totalidade dos assentos. O Independência tem apenas 23 mil lugares.

O secretário-executivo da Associação Paraguaia de Futebol, Francisco Brítez, já havia explicado que o Defensores del Chaco teria, além dos 32 mil ingressos colocados à venda, mais 8.759. Esses lugares estariam reservados para sócios-torcedores, convidados especiais e patrocinadores, além dos profissionais de imprensa. Assim, está encerrado o assunto, e o Galo terá mesmo que jogar no Mineirão.

Confira a íntegra da nota enviada à CBF nesta terça-feira:

“Estimado Presidente e amigo,

Em referência à sua carta de ontem, que fez menção às partidas finais da Taça Libertadores e aos estádios onde serão sediados os duelos entre Olimpia e Atlético-MG.

A este respeito, lhe comunicamos que, conforme informação da Associação Paraguaia de Futebol, o estádio Defensores del Chaco conta com 40.759 lugares, discriminados corretamente, de acordo com a documentação anexa, adequado para receber jogos finais.

Vale ressaltar que o estádio Defensores del Chaco já foi sede, em várias oportunidades, de partidas finais deste mesmo torneio e das Eliminatórias para a Copa do Mundo da Fifa.

Quanto à razão pela qual a Conmebol determinou que a partida de volta seja realizada no estádio Mineirão, e não no Independência, é simplesmente pelo fato de que o citado estádio não cumpre com os requisitos estabelecidos pelo regulamento (art. 9.4), quanto à capacidade para uma partida final (40 mil pessoas). O Independência tem capacidade inferior (23 mil pessoas).

Espero que possa compreender que a posição se baseia em fundamentos, no regulamento vigente e, principalmente, para dar maior brilho e realce ao evento, o mais importante da Conmebol.

Com o apreço de sempre,

Eugênio Figueiredo
Presidente da Conmebol”

Conmebol determina Mineirão como local da final da Libertadores

Entidade publica decisão no site oficial, contrariando desejo da diretoria do Galo de ficar no Independência, apesar da capacidade de cerca de 23 mil

 

A Confederação Sul-Americana de Futebol divulgou, em seu site oficial, que o segundo jogo da decisão da Taça Libertadores, no dia 24 de julho, será realizada no Mineirão, em Belo Horizonte. O primeiro jogo será na próxima quarta, no Defensores del Chaco, casa do Olimpia.

Na última quarta-feira, após a épica classificação atleticana, nos pênaltis, sobre o Newell’s Old Boys, da Argentina, o presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, afirmou que ainda tinha esperanças de que o confronto final pudesse ser realizado no Independência. O problema é que o estádio do Horto tem capacidade para apenas cerca de 23 mil pessoas, enquanto o regulamento da competição internacional determina que, para as duas decisões, a capacidade mínima tem de ser de 40 mil. Assim, nesta quinta-feira, a Conmebol publicou que o jogo será no Mineirão, com capacidade para 63 mil espectadores.

Mineirão, Atlético-MG (Foto: Reprodução / Site Oficial da Conmebol)

Conmebol marca final da Libertadores para o Mineirão (Foto: Reprodução / Site Oficial da Conmebol)

– O Galo venceu por pelo mesmo marcador a revanche com o Newell’s Old Boys e ganhou acesso à final nos pênaltis. Para a final, o Galo sairá do estádio Raimundo Sampaio, mais conhecido como Estádio Independência, propriedade do América-MG, onde se realizou a semifinal – diz o texto do site.

A diretoria do Atlético-MG ainda deverá tentar manter o jogo no Horto. Os ingressos para a primeira partida, em Assunção, começam a ser vendidos nesta sexta.

Renato Maurício Prado comenta Abel Braga

 

Abel deve ter começado a noite de quinta-feira praguejando contra a sorte, por causa da derrota do Tigres para o Olímpia. Mas, com certeza, foi dormir mais tranquilo, após a eliminação do Grêmio.

A combinação perfeita para o Flu teria sido se o Tigres e o Santa Fé se classificassem, pois assim, o tricolor das Laranjeiras se livraria do Grêmio, numa possível semifinal, e ainda faria o segundo jogo das quartas como mandante. Mas se fosse para escolher entre um e outro, melhor que saísse o tricolor gaúcho, responsável por um revés acachapante do campeão brasileiro nessa Libertadores.

 

Coluna redigida pelo jornalista Renato Maurício Prado para o jornal carioca O GLOBO no dia 19 de maio de 2013

Renato Maurício Prado comenta que Abel Braga e Cuca poderão se encontrar na Libertadores

 

Ao final das oitavas de final da Libertadores, dos seis brasileiros, restaram dois: Atlético Mineiro e Fluminense. Pelo belo futebol exibido desde o início da competição, a equipe de Cuca é a favorita. Mas não se deve desprezar a estrela de Abel. Ainda que o time de guerreiros não venha jogando bem. Pena que não poderão mais se enfrentar na final. Agora, o cruzamento é obrigatório na semi.
Cheguei a sonhar com semifinais entre clubes daqui: Atlético x Corinthians, de um lado; Grêmio x Fluminense, do outro. A arbitragem, porém, se encarregou de eliminar os comandados de Tite, no duelo contra o Boca; enquanto Luxemburgo tratou de cavar a própria cova, com uma inexplicável e inaceitável tática covarde na segunda partida diante do apenas empolgado e esforçado Santa Fé — onde é titular Cristian Borja (!!!), aquele atacante que exibia toda a sua ruindade por aqui, nos tempos de Internacional e Flamengo!

Com o cruzamento de Boca Juniors e Newell’s Old Boys, na próxima fase, são grandes as possibilidades de nova final entre argentinos e brasileiros. Nas duas últimas vezes em que isso aconteceu, um título pra cada lado: o Estudiantes bateu o Cruzeiro, em 2009, e o Corinthians derrotou o Boca, no ano passado. O Brasil, porém, luta pelo tetra: venceu em 2010 (Inter); 2011(Santos) e 2012 (Corinthians). Será que a Conmebol está achando graça?

 

Coluna redigida pelo jornalista Renato Maurício Prado para o jornal carioca O GLOBO no dia 19 de maio de 2013