Renato Maurício Prado comenta que o Club de Regatas Vasco da Gama terá que se dividir entre duas frentes

Club de Regatas Vasco da Gama.png

A diferença
Nenê é o grande reforço da Colina, no ano. Ele trouxe talento e capacidade de organização ao meio-campo e ao ataque do Vasco. Graças a isso, Jorginho e Zinho puderam montar um esquema forte defensivamente, sem abrir mão do lado ofensivo. Os vascaínos balançaram a rede sete vezes nas últimas quatro rodadas, contra apenas nove, nas outras 23. É outro Vasco. Bem melhor. Mas será capaz de se dividir em duas frentes? Amanhã e na quarta-feira da próxima semana têm jogos contra o São Paulo, pela Copa do Brasil. Vale a pena correr o risco de sofrer baixas importantes?
O Fluminense que realizou milagre semelhante, em 2009, conseguiu ir à final da Sul-Americana (perdeu para a LDU), encarando as duas frentes de batalha com os titulares. Já o Palmeiras, em 2012, ganhou a Copa do Brasil mas foi rebaixado. Decisão difícil… Eu daria prioridade ao Brasileiro. Mas a Copa do Brasil, apesar de ainda ter na disputa adversários do naipe do São Paulo, Palmeiras, Internacional, Santos e Grêmio (além de Fluminense e Figueirense) é sempre sedutora. Aguardemos a decisão de Jorginho

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 22/09/2015

Renato Maurício Prado comenta odisseia vivenciada pelo Club de Regatas Vasco da Gama

Club de Regatas Vasco da Gama.png

Em quatro jogos, três vitórias e um empate, conquistado heroicamente, na casa do adversário. Retrospecto do líder Corinthians? Não, do penúltimo colocado (e até a rodada passada, lanterna), Vasco da Gama. Assim é o Campeonato Brasileiro. Assim, quem sabe, o Gigante da Colina possa mesmo realizar uma tarefa até então inimaginável: escapar do terceiro rebaixamento em apenas oito anos.

Dizem os matemáticos (mas, muitas vezes, o que eles dizem não se confirma) que um clube para escapar da segundona, precisa de, no mínimo, 43 pontos. Ou seja, os cruz-maltinos teriam de somar, pelo menos, mais 20 pontos, nas 11 rodadas restantes (seis vitórias e dois empates). Ainda é uma tarefa muito árdua para uma equipe que vinha fazendo uma campanha tão pífia nas primeiras 23 rodadas, quando tudo começou a mudar. Mas não parece impossível se o enfoque for o do time que começou a se acertar, embalou, e ganhou três dos últimos quatro jogos, empatando o outro.

Resumindo as contas, o Vasco não pode perder mais do que quatro jogos até o final do campeonato. E se forem quatro derrotas, é obrigatório que triunfar nas outras sete rodadas – perdendo apenas três, como dito acima, pode escapar desde que haja mais dois empates.

O próximo confronto vascaíno é o clássico contra o Flamengo, seu maior rival e que este ano tem se mostrado um fiel freguês. O jogo é importantíssimo também para o rubro-negro, que depois de ganhar seis seguidas, perdeu as duas últimas e saiu do G-4. O empate é ruim para os dois. Vai sair lasca…

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 22/09/2015

 

EXCLUSIVO: CBF adota medidas para ajudar o Vasco

Jorginho entrou numa barca afundada  (FOTO: Respeito)

Jorginho entrou numa barca afundada
(FOTO: Respeito)

Novidade no Brasileirão. A CBF estudou uma saída para deixar os jogos do Vasco mais equilibrados e uma das soluções encontrada foi obrigar os adversários do Vasco a fazerem dois gols para valer um.

“Você sabia que estatisticamente, a cada nascimento na China, o Vasco leva um gol? Eu, como dirigente da entidade máxima do futebol brasileiro, preciso zelar pelos clubes tradicionais. Vou ajudar a salvar o Vasco”, explicou Atila Drão, um do diretores da CBF.

E o auxílio não deve parar por aí. Segundo a CBF, mais ações serão tomadas e o Olé do Brasil traz essas informações com exclusividade. Confira abaixo:

  • O adversário só poderá chutar de fora da área
  • Não vale bomba (chute forte) contra o Vasco
  • Os adversários poderão dar apenas dois toques por jogada
  • O goleiro adversário poderá segurar a bola por apenas 2 segundos, não 7
  • O goleiro adversário jogará de costas
  • Falta a favor do Vasco perto da área será pênalti

O treinador vascaíno, Jorginho, gostou: “Ótima notícia, principalmente porque esta deve ser a única solução para o nosso time”, disse.

 

Para cada gol sofrido, Vasco doará uma cesta básica: “Vamos acabar com a fome no mundo”

Imagem rara do goleiro do Vasco fazendo uma defesa (FOTO: Roth)

Imagem rara do goleiro do Vasco fazendo uma defesa
(FOTO: Roth)

O Vasco tem um projeto grandioso: acabar com a fome no mundo. E a execução do trabalho passa pelos pés tortos de seus atacantes e pelas mãos de alface de seus goleiros.

Para não ficar com a imagem arranhada devido ao inevitável rebaixamento, o Vascão decidiu que cuidará dos mais necessitados, doando uma cesta básica a cada gol sofrido pela equipe no Brasileirão. O diretor de marketing do clube, Gilsô Corro, comentou a expectativa dos vascaínos.

“Antes do jogo contra o Inter, nossa meta era acabar só com a fome no Brasil, mas depois do resultado de 6 a 0, vamos erradicar a fome no mundo todo. Estamos animados, porque a ideia de transformar um problema em uma solução para a imagem do clube é genial”, disse.

Até o momento, 177 mil cestas básicas já foram encomendadas.

 

Luto: morre o Club de Regatas Vasco da Gama.

Jogadores lamentam o falecimento do clube (FOTO: Marcão)

Jogadores lamentam o falecimento do clube
(FOTO: Marcão)

Noite triste para o futebol brasileiro. Um tradicional clube acaba de falecer no Rio de Janeiro: trata-se do Club de Regatas Vasco da Gama. Aos 117 anos de idade, a agremiação estava em coma, sofrendo lentamente mas não aguentou o gol de Marcão, feito em pleno Maracanã e partiu dessa para a série B:

“Eu estava acompanhando esse paciente crítico, ele me chamou, segurou minha mão e disse: No céu tem respeito? E morreu. Foi muito triste. Caíram duas lágrimas do meu rosto”, disse o Doutor House.

Honrando as tradições do clube, a missa será no segundo dia: “Nossa esperança é o respeito chegar ao menos pelo velório”, disse o técnico Jorginho.

Após a cerimônia, o corpo será enviado para a Sibéria.

Renato Maurício Prado ironiza o fato do Vasco ter prejuízos em todos os jogos do Estadual até agora

cfdd7-cem

Mentor da política de preços baixíssimos para o Carioquinha, o Vasco teve prejuízos em todos os jogos do Estadual até agora. Genial, não?

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO –  28 de Fevereiro de 2015

Programa do vascaíno neste sábado de aleluia será ver a estreia do Vasco na SEGUNDONA

Club de Regatas Vasco da Gama.png

 

Neste sábado, às 16h15, começam as transmissões do Campeonato Brasileiro da Série B na Rede TV!…
… A partida será entre Vasco e América-MG, diretamente de São Januário, no Rio, com narração de Silvio Luiz e reportagem de Tony Vendramini.

 

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Reginaldo chega e já ouve pedido por gol no Flamengo: ‘Se Deus quiser’

Atacante comemora acerto com Vasco e espera estar à disposição já na volta do Campeonato Brasileiro, após a disputa da Copa das Confederações

Reginaldo desembarque atacante Vasco (Foto: Raphael Zarko)

Reginaldo chega ao Rio (Foto: Raphael Zarko)

Mal chegou ao Brasil, ao Rio de Janeiro, e Reginaldo já conheceu sua primeira missão: fazer gol no Flamengo. Foi o que o novo atacante do Vasco escutou pouco após conceder rápida entrevista no aeroporto Antônio Carlos Jobim, onde chegou nesta tarde de quinta-feira, após sair de Milão e fazer conexão em Lisboa. O jogador, que deixou o Siena e deve realizar exames médicos nessa sexta, encarou com bom humor a “cobrança”:

– Se Deus quiser, se Deus quiser – repetiu o atacante, que vai assinar com o Vasco até dezembro.

Na Itália, Reginaldo deixou a esposa e o filho, que nasceu há 20 dias. A vontade de chegar e começar a trabalhar falou mais alto nesse importante momento da carreira do jogador de 29 anos, que estava desde os 17 fora do país.

– Acho que vou precisar de um pouco de tempo para readaptação, mas o período da Copa das Confederações vai servir para me dedicar ao máximo e, quem sabe, já ser útil na volta do Brasileiro – disse Reginaldo, com português bem arrastado, pela influência da língua italiana.

Reginaldo desembarque atacante Vasco (Foto: Raphael Zarko)
Atacante posa para fotos com fãs no aeroporto e já ouve pedido de gol sobre o Fla (Foto: Raphael Zarko)

Vasco 2 x 0 Atlético Mineiro

A casa era alugada, mas serviu muito bem para a reabilitação do Vasco. Após duas derrotas longe do Rio no Campeonato Brasileiro, o time voltou a vencer ao fazer 2 a 0 sobre o Atlético-MG, na noite desta quarta-feira, em Volta Redonda, já que São Januário foi cedido à Fifa para a Copa das Confederações. O Galo, desfalcado de quatro titulares (Réver, Bernard, Ronaldinho e Tardelli), pressionou no fim da partida, mas não foi capaz de empatar e pecou pela falta de eficiência ao longo dos 90 minutos. Os gols foram marcados pelo ex-cruzeirense Alisson e, já nos acréscimos, pelo volante Abuda.

Aliás, não faltou motivação para a recuperação dos cariocas, que tiveram relacionados cinco jogadores com passagem pela Raposa: Sandro Silva, Wendel, Pedro Ken, Alisson e o reserva Thiaguinho – os três últimos emprestados pelo arquirrival do time de Cuca. O público no Raulino de Oliveira foi pequeno, refletindo o mau momento do Vasco. Somente 1.601 pagaram ingresso (2.744 presentes), para uma renda de R$ 30.770.

Com o resultado, o Vasco saltou para a sétima posição, com seis pontos, e encosta nos líderes. Enfrenta o Bahia no sábado, novamente no Raulino, às 18h30m. Já o Atlético-MG, que prioriza a Libertadores e vem poupando alguns destaques, amarga a lanterna, com um ponto, mas um jogo a menos. Encara o Grêmio, às 18h30m de domingo, na Arena do Jacaré.

Eufórico, o meia Alisson disse que a equipe ainda vai evoluir na competição.

– Fico feliz, estamos desacreditados, mas mostrando a cada dia que podemos dar mais. Carlos Alberto voltou, mesmo sem estar 100%, e mostrou que vai ajudar a equipe.

Já o volante Pierre, do Galo, lamentou o cenário e pediu mais empenho.

– Precisamos dar um pouquinho mais, acordar. Depois, para recuperar, será muito difícil. É difícil explicar (jejum de seis jogos sem vencer), não tem desculpa de cansaço, pois temos feito um trabalho de recuperação muito bom. Temos que focar no Brasileiro, pois recuperar esses pontos perdidos é complicado – ponderou.

Alisson gol Vasco jogo Atlético-MG (Foto: Luciano Belford / Agência Estado)
Alisson comemora muito o gol marcado sobre o Galo (Foto: Luciano Belford / Agência Estado)

Jogo aberto e equilibrado

A torcida vascaína presente ao estádio Raulino de Oliveira tentou se aquecer e combater o clima frio com apoio ao time no início da partida, apesar das duas derrotas seguidas. E foi correspondida, com um elétrico Carlos Alberto, de volta após dois meses, buscando o jogo e criando as duas melhores oportunidades no primeiro tempo: de cabeça, aos três minutos, que parou na defesa de Victor, e com um chute cruzado, aos 13, passando rente à trave.

O Galo, em contrapartida, demorou a se acertar e pareceu sentir a mudança de esquema – sem Bernardo, Ronaldinho e Tardelli, atuou com três volantes e com Guilherme recuado na armação. A velocidade de Luan foi a principal arma para confundir a defesa adversária. E quando a equipe de Cuca equilibrou as ações, Michel Alves salvou duas vezes, redimindo-se de um lance em que quase engoliu um frango, em desvio para trás do zagueiro Luan.

Pierre jogo Vasco x Atlético-MG (Foto: Luciano Belford / Agência Estado)
Pierre e Carlos Alberto disputam a bola no primeiro
tempo (Foto: Luciano Belford / Agência Estado)

Eficiência do Vasco decide

Na volta do intervalo, o panorama de jogo corrido, animado, mas recheado de passes errados e pouca inspiração se repetiu. Vasco e Atlético procuraram explorar as laterais e, por ali, produziram mais. Ex-cruz-maltino, Alecsandro entrou no lugar de Guilherme. Logo depois, o técnico Paulo Autuori mudou duas vezes: Tenorio, sacado de última hora, tomou a vaga do apagado Edmílson, e Dakson substituiu Carlos Alberto, cansado.

Os goleiros, aos poucos, se tornavam os melhores em campo, espalmando bolas à queima-roupa. Mas uma tabela de dois jogadores curiosamente formados na base do Cruzeiro abriu o marcador, aos 24: Wendel rolou na medida para Alisson, que deu um tapa de pé direito no cantinho de Victor. Na sequência, Cuca agiu e finalmente colocou Leleu, um meia de ofício que faltava no time, no lugar do volante Josué. O Galo cresceu, dominou o terreno e ensaiou uma pressão. Mas trabalhava pouco a bola e insistia em cruzamentos isolados para a área.

Alecsandro teve, aos 43, a grande chance para empatar, mas bateu por cima. Nos acréscimos, Luan limpou a jogada e parou em Michel Alves mais uma vez. Quando o árbitro já olhava para o relógio para alívio dos vascaínos, Elsinho tocou para Abuda, que partiu livre em contra-ataque fulminante e fechou o marcador com chute no canto direito de Victor.

Renato Maurício Prado comenta a opinião de um vascaíno após Vasco 1 x 0 Portuguesa

 

De um vascaíno bem-humorado e realista, após a magra vitória na estreia contra a Portuguesa:

— Tremendo jogo de seis pontos…

 

Coluna redigida pelo jornalista Renato Maurício Prado para o jornal carioca O GLOBO no dia 27 de maio de 2013