Esporte Interativo lança campanha para divulgar Champions League

Canal detém a competição com exclusividade a partir deste ano

O canal Esporte Interativo adquiriu pelas próximas três temporadas os direitos exclusivos na TV fechada da Liga dos Campeões da Europa (Champions League).
Com a transmissão da Champions Cup, torneio de pré-temporada que envolve clubes como Barcelona, Real Madrid, Bayern de Munique, Manchester United e Chelsea, o canal lançou a campanha “Os craques já se mudaram”.
O slogan remete a craques que trocaram de clubes, como o jogador alemão Bastian Schweinsteiger que saiu do Bayern de Munique para o Manchester United, mas também faz referência para a nova casa da Champions League, que agora é o Esporte Interativo, após 20 anos na ESPN.
A campanha publicitária também poderá ser vista em jornais, revistas, canais de TV e redes sociais. O Esporte Interativo ainda contratou sósias de Neymar, Messi e Cristino Ronaldo para aliar humor em relação a aquisição do maior torneio de clubes do mundo.
A temporada 2015/2016 da Champions começa em agosto.
NaTelinha

ESPN, é preciso saber perder

A emocionante despedida dos canais ESPN de seu principal produto futebolístico, a Champions League, foi realmente um dos pontos altos da transmissão esportiva neste 2015.

Depois de 20 anos transmitindo a principal competição de clubes do mundo, a ESPN se viu obrigada a despedir-se do evento após a perda dos direitos de transmissão para o canal Esporte Interativo, do grupo Turner.

A Turner ofereceu uma bela quantia a mais pelos direitos e fez com que a proposta conjunta ESPN/SporTV fosse descartada.

Até aí, nada de novo, não fosse o desabafo entusiasmado de José Trajano, um dos principais nomes do canal do grupo Disney e responsável pela consolidação da ESPN em território tupiniquim.

Trajano discorreu sobre a perda dos direitos, mas fez uma dura crítica ao dizer que “trataram a Champions de uma forma especial” e que “esse mercado é muito cruel, não se leva em jogo, não se leva em consideração o que você fez de carinho, de tratamento, essa coisa toda”.

Aí que Trajano se perde. Todo e qualquer investimento do canal com o evento, suas transmissões “carinhosas” e “in-loco”, foram muito bem remuneradas pelos patrocinadores. A maioria desses patrocinadores nem do canal era, mas da própria Champions.

A ESPN não tratava com carinho porque amava a Champions, simplesmente o fazia por uma questão mercadológica que Trajano agora critica. Qualquer canal dispensará à Champions o “carinho” citado, simplesmente porque esse “carinho” tem um preço… e, com o perdão do trocadilho, é bem carinhoso.

Trajano, ao tentar posar de grande vítima das práticas mercadológicas esquece-se que, por muito tempo, os canais ESPN nadaram solitários nas águas esportivas no Brasil e no mundo.

Hoje, não é mais assim. Primeiro no mundo, depois no Brasil, a ESPN conseguiu concorrentes à altura: Turner e Fox, e deixou de ser a única emissora a se preocupar exclusivamente com esporte.

O crescimento de Fox Sports e Esporte Interativo promete disputa acirrada por direitos de transmissão. Disputa que os canais da Disney não estão acostumados a enfrentar, mas terreno onde suas concorrentes se sobressaem em modelos de negócio que envolvem filmes, séries e entretenimento.

Não, Trajano, não creio que a cobertura do Esporte Interativo seja tão boa quanto a da ESPN, mesmo porque, sua linha editorial seque um padrão bastante diferenciado, mas confio que o canal fará uma transmissão decente, pois o próprio evento exige isso.

Trajano, bem-vindo ao mundo dos negócios e da livre concorrência.
Apaixonado por televisão, Helder Vendramini pesquisa e estuda esse meio há vários anos e está se formando no curso de Rádio e TV. Aqui no site, busca fazer análises aprofundadas dos mais variados temas que envolvem a nossa telinha.

 

NaTelinha

 

José Trajano lamenta perda da Champions pela ESPN: “esse mercado é muito cruel”

Trajano lamenta perda da Champions pela ESPN: "esse mercado é muito cruel"

 

Diretor de jornalismo da ESPN Brasil entre 1995 e 2012, quando preferiu reduzir o ritmo e ficar como comentarista titular do programa “Linha de Passse”, José Trajano falou sobre a perda dos direitos de transmissão da UEFA Champions League, que pertencia à emissora desde 1995.

Na abertura da edição desta sexta (05) do “Linha de Passe”, Trajano lamentou que o canal esportivo da Disney tenha perdido os direitos da principal competição interclubes do mundo, e disse que a transmissão da final deste sábado (06) é especial para todos os profissionais envolvidos: “Eu vou fazer um convite ao fã de esporte e o fã de esporte vai me entender. É meio óbvio, mas não é tão óbvio como você pensa. É que é a última transmissão desse contrato, que se renovava a cada três anos. Tenho certeza que daqui a três anos os canais ESPN vão se empenhar ao máximo para retomar a cobertura e a transmissão dos jogos da Champions League”.

Trajano também lamentou que a negociadora dos direitos de transmissão da Champions League não tenha considerado o passado e a tradição de 20 anos de transmissões da ESPN: “Esse mercado é muito cruel, não se leva em jogo, não se leva em consideração o que você fez de carinho, de tratamento, essa coisa toda”.

A partir da próxima temporada, o Esporte Interativo transmitirá a Champions League com exclusividade na TV fechada

 

NaTelinha

O estranho não é Champions no Esporte Interativo, é ESPN sem Champions

O estranho não é Champions no Esporte Interativo, é ESPN sem Champions

Divulgação

Escrevo este texto logo após a finalíssima da UEFA Champions League, entre Juventus e Barcelona, vencida pelo time catalão. Assisti pela ESPN Brasil, que depois de 20 anos deixa de exibir a principal competição europeia, que era seu principal evento.

O negócio da ESPN com a Champions não é simplesmente uma transmissão de campeonato, é algo que já estava ligado ao canal. 20 anos não são 20 dias. E nos últimos tempos, a Champions League ganhou uma importância imensa, chegando até na Globo.

O problema é que na ESPN era diferente. A cobertura era, de fato, diferenciada. Pré e pós-jogo, reportagens especiais, comentaristas, equipe in loco, transmissão no cinema, dentre outras coisas.

A ESPN fez um know-how tão bem feito nesses 20 anos com Champions, que a missão do Esporte Interativo é extremamente complicada.

E este é o ponto que quero chegar. Não vai ser estranho ver a Champions no E+I. Ela tem o seu estilo escrachado e divertido, mas com seriedade, e transmite a Champions desde 2009, com as famosas “Terças de Liga”. Já é um canal identificado – e muito – com a competição.

Mas a ESPN Brasil sem Champions, guardadas as devidas proporções, é como ver a Globo sem a sua novela das 21h, ou ver Xuxa na Record. É sim estranho, e vai demorar um pouco para o fã que acompanha há tempos na ESPN se acostumar. Mas eu confio no potencial do Esporte Interativo, e acho sim que o pessoal, ainda mais agora com o aparto financeiro da Turner, vai fazer uma cobertura muito boa.


André Henning é o principal narrador do Esporte Interativo

Não sei se será algo “à la” ESPN. Na verdade, acho difícil. São estilos totalmente diferentes de apresentar futebol e entretenimento. Mas não se pode duvidar do Esporte Interativo.

No mais, é isso: muito obrigado, ESPN. Oi, Esporte Interativo. Não nos decepcione.


Gabriel Vaquer escreve sobre mídia e televisão há vários anos. No NaTelinha, além da coluna “Antenado”, assinada todos os sábados, é responsável pelo “Documento NT” e outras reportagens. Converse com ele. E-mail: gabriel@natelinha.com.br / Twitter: @bielvaquer

 

NaTelinha

ESPN Brasil terá repórteres in loco nas semifinais da Champions League

FC Barcelona (crest).svgcrestJuventus Turin.svgReal Madrid CF.svg

Em sua última temporada de transmissão, a ESPN Brasil quer fechar um ciclo de Uefa Champions League com chave de ouro para o seu fã de esporte.

Segundo a jornalista Cristina Padglione, as partidas das semifinais, Barcelona x Bayern de Munique e Real Madrid x Juventus, terão repórteres especiais cobrindo cada equipe in loco em Barcelona, Madri, Munique e Turin.

Os profissionais serão os já correspondentes João Castelo-Branco e Thiago Arantes, que receberão o reforço dos jornalistas André Plihal e Mendel Bydlowski, que já embarcaram para o velho continente.

A ESPN Brasil transmitirá ambas as partidas ao vivo. Enquanto a primeira será exclusiva na TV paga, a segunda terá cobertura também do Esporte Interativo.

Os jogos de ida acontecerão nesta terça (05) e quarta-feira (06), enquanto os de volta serão na semana seguinte.

O canal esportivo da Disney se despedirá da Champions League depois de quase 20 anos de transmissão, sendo esta seu maior atrativo e consequentemente sendo uma perda muito sentida.

Nas próximas três temporadas, o Esporte Interativo transmitirá o maior campeonato interclubes do mundo com exclusividade na TV paga. A emissora promete exibir todos os jogos da competição

 

NaTelinha

Contrato diz que Esporte Interativo deve passar Champions League na TV paga

Emissora encontra dificuldades para fechar com Net e Sky

Contrato diz que Esporte Interativo deve passar Champions League na TV paga

Como se sabe, o Esporte Interativo, com o aporte da Turner, adquiriu os direitos da Uefa Champions League, que estavam com a ESPN desde os anos 90.

Porém, o canal tem tido dificuldades, mesmo com um evento de inegável apelo popular, de conseguir seu ingresso nas principais operadoras de televisão por assinatura, Net e Sky.

Segundo o jornalista Lauro Jardim, da revista Veja, caso não consiga sua entrada nelas, a Turner terá que bolar um plano B. Plano B, entenda-se, é exibir jogos em canais do grupo, como Space e TNT, com a equipe do Esporte Interativo.

Isso porque no contrato assinado com a Uefa há uma cláusula em que é obrigatória a exibição na TV paga. E a Turner não teria investido mais de 100 milhões de dólares para não transmitir as partidas nas principais operadoras.

As negociações estão complicadas, principalmente com a Net. O Esporte Interativo promete mostrar todos os jogos da Champions League nos próximos anos não só na TV, como também na internet.

Em entrevista à revista Tela Viva do último mês de novembro, o presidente da emissora, Edgar Diniz, disse que pela primeira vez todas as partidas do torneio serão exibidas ao vivo. Em alguns casos, terá até oito jogos simultâneos, e pela internet o Esporte Interativo exibirá em sua plataforma online, tudo isso gratuitamente aos assinantes.

O cotidiano dos clubes dentro da competição também será mostrado e o canal já está montando uma equipe capaz de realizar essa cobertura. Todos os jogos serão em HD com narração em português. Os jogos mais importantes terão equipe in loco, onde o ex-jogador Zico vai comandar o time.

NaTelinha

Western Sydney Wanderers can’t wait for next Asian adventure – and a date with the old enemy

December 13, 2014 – 12:07PM

Sebastian Hassett

Football reporter

League of their own: Ante Covic celebrates victory in Western Sydney's Asian campaign.

League of their own: Ante Covic celebrates victory in Western Sydney’s Asian campaign. Photo: Getty Images

When Ante Covic heard the news about Western Sydney Wanderers’ Asian Champions League draw for next season, he shook his head and laughed. “It just had to be them, didn’t it?” he said.

“Them”, of course, is Guangzhou Evergrande. The richest club in Asia – with ambitions to be the richest club in the world – and with resources so deep that they should be able to win the UEFA Champions League, let alone the Asian edition.

But it was, unforgettably, the Wanderers who managed to play David earlier this year, slaying the Chinese Goliath over two of the most controversial legs ever seen in Asian football, eventually booking their place in the semi-final against FC Seoul.

The hijinks undertaken by Guangzhou fans – the laser pointers, the attack on the Wanderers team bus, the hotel room intrusions – may or may not have been sanctioned by the club. We’ll never know, but it served to bond the Wanderers even tighter together.

That came after a first-leg in Parramatta, where World Cup-winning coach Marcello Lippi disgraced himself by taking to the field to remonstrate with the referee.

Lippi was given a four-match ban, a ban that will never be served as he is now the club’s technical director. Wanderers’ coach Tony Popovic, oddly, was given two matches and a $US2000 fine – probably just to keep Guangzhou happy.

It all sets the scene for the tastiest possible rematch at some point in early 2015. Both matches, at Parramatta Stadium and the 55,000-seat Tianhe Stadium, will sell out as soon as they go on sale.

“There’s going to be some feeling behind that game for sure. It’s going to be interesting. They’re going to be up for it,” Covic said.

“Maybe in those first games they underestimated us. They’re not going to do that this time, that’s for sure. They’re are quality side. We talked about it last season. I don’t think it’s going to be any different this time. They’re going to be a very difficult opposition.”

Officially, the Wanderers don’t know who the other two teams in the group will be. But if results go as expected, they’re likely to draw Japan’s biggest club – and Asia’s biggest, according to many – Urawa Red Diamonds, and will almost certainly get FC Seoul again, too.

If it pans out that way, it’s a genuine group of death, with four championship favourites all squashed into the same group.

“We’ve got a hard draw, and I don’t think you can get an easy draw in the Champions League, but it’s one that’s put a smile on my face,” Covic said. “You can’t help but think ‘here we go again’. I’m looking forward to it.”

Daniel Mullen, a veteran of Asian campaigns with two clubs, can’t wait for the Champions League to start in February – and having played in China himself recently, he’s only too aware of Guangzhou’s monolithic presence.

“I was sitting in the room with “Spira” [Wanderers’ defender Matthew Spiranovic] when it came out. It’s going to be interesting,” he said.

“I’m not sure if we’ll play [Evergrande] away first or at home, but I am sure they will get a pretty hostile reception when they come to our ground again.”

Of course, the elephant in the room is that playing in Asia again further compounds the Wanderers’ A-League troubles. After nine games, they’re winless and last.

“Without question it’s going to be difficult and for Australian teams it’s going to difficult when you do become successful and go a long way. We’ve only got a squad of 23, we can’t really do much about that and the schedule is so compacted,” Covic said.

“It does make things difficult. We’re not going to look at the A-League as we can brush it aside as we’d like to be part of the [ACL] again. Nobody is complaining of the lot of games, because that means we’re successful.

“If we’re saying we only want to concentrate on the A-League, you’re not really setting your ambition to a high level.”

Covic is only too aware that tiredness could affect the club badly in 2015 after their gruelling calender year in 2014.

“We know fatigue is going to be an issue. The mental side is going to be big one. We have to be mentally strong and hopefully that will keep us motivated enough to get through the next season,” he said.

“We know we’ve got a big job ahead of us, but we’re not putting any competition aside, A-League or Champions League. We want to be successful regardless of how we started the season.”

Calls have been made to give the Wanderers more time between their A-League matches when the ACL rolls around, but coach Popovic sees it as a problem without a solution.

“I don’t think there’s anything we can do that will fix that, and you will see in our fixture list come February and March that there’s not much we can do,” he said.

“When you actually see the draw and how many games we have to play, it’s a difficult proposition. But for the time being I don’t think there’s a fix.

“Maybe, looking forward in five or 10 years, we might be sitting here saying how it’s different. But for now I don’t see anything changing.”

Spare a thought for John Tsatsimas, the Wanderers’ chief executive, the man who is trying to make it all work and give the Wanderers the best chance of going back-to-back.

“The challenges in the logistics surround the campaign are obviously difficult,” he said. “But having said that, it’s very difficult to see any other way to alleviate the loads on the players in a truncated timetable, from February to early May.

“There’s no windows open to release some of the pressure. It will be a challenging time.”

The Wanderers wish the FFA could do more with A-League scheduling to help but Tsatsimas admit it’s not easy for the governing body, either.

“It’s a challenge for us but I concede it’s a challenge for the FFA,” he said. “Particularly because we’re multiple-venue hirers and we’re at the behest of what other schedules [for other sports] are in place. It’s a domino effect. It’s hard all round.”

 

Source : The Sydney Morning Herald

OFICIAL: G4 do Brasileirão dará vaga no Campeonato Mineiro

O estadual é maior campeonato do mundo, ao lado da UAIefa Champions League (IMAGEM: Leandro Donizete)

O estadual é o maior campeonato do mundo, ao lado da UAIefa Champions League
(IMAGEM: Leandro Donizete)

O ano em que o único time paulista a levantar uma taça foi o Ituano causou mudanças no futebol nacional. A partir de 2015, uma profunda transformação será vista no Brasileirão. O famigerado G4, que até 2014 dava vaga na Libertadores, servirá para dar vaga no Campeonato Mineiro. E o estadual – que acabará abrigando times de outros estados -, dará vaga na Libertadores.

O dirigente da CBF, Walter White, explicou: “Os times gaúchos estão comemorando vaga, os cariocas nem isso e nem a Série B o Vasco conseguiu ganhar. Por isso, para fazer com que o Brasil tenha grandes representantes na Libertadores, os melhores times do Brasileirão vão jogar com os melhores do Brasil. Ou seja, com os mineiros, para decidir quem vai para a Libertadores. Os 4 primeiros do Mineiro estarão classificados”, disse.

Desta forma, é provável que o América-MG ganhe uma Libertadores antes do Fluminense.

Dica: Dion Vieira

 

Rede Globo deve sublicenciar jogos de terça da Champions League para a Band

Globo deve sublicenciar jogos de terça da Champions League para a Band

Depois de adquirir todos os pacotes de jogos para TV aberta, a Globo já sabe o que fará com as partidas de terça-feira da Uefa Champions League.

Segundo o jornalista Rogério Jovaneli, a emissora carioca, a partir da temporada 2015/2016, licenciará os jogos de terça, anteriormente cedidos ao Esporte Interativo, para a Band, que terá dois duelos por semana: um na terça e outro, já tradicional, na quarta.

A Globo continuará entrando na competição a partir das quartas-de-finais, e ocasionalmente nas oitavas, caso um jogo de grande porte ocorra.

Na sexta (14), quando confirmou os direitos para TV paga com exclusividade, o Esporte Interativo já havia informado que os seus canais abertos (UHF e Parabólicas) não exibirão mais a Champions: “Infelizmente dessa vez não conseguimos comprar os direitos de transmissão para TV Aberta e, portanto, não poderemos transmitir pelas parabólicas e por nossos canais abertos. Esses direitos ficaram com a TV Globo. Através dos canais de clubes (Real Madrid TV, Barça TV, Bayern TV etc.) transmitiremos as reprises dos jogos. Nas negociações de direitos, continuaremos buscando as melhores atrações possíveis pra exibirmos nas parabólicas e por sinal aberto”.

Com as transmissões da Champions, a Band atinge boa audiência, chegando a ser vice-líder com picos de até 9 pontos no Ibope da Grande São Paulo.

 

NaTelinha

Esporte Interativo exibirá todos os jogos da Champions League em HD

Esporte Interativo exibirá todos os jogos da Champions League em HD

Com a compra dos direitos televisivos na TV fechada, o canal Esporte Interativo promete mostrar todos os jogos da Liga dos Campeões da Europa (Champions League) nos próximos anos não só na TV, como também na internet.

Em entrevista à revista Tela Viva deste mês, o presidente da emissora, Edgar Diniz, disse que pela primeira vez todas as partidas do torneio serão exibidas ao vivo. Em alguns casos, terá até oito jogos simultâneos, e pela internet o Esporte Interativo exibirá em sua plataforma online, tudo isso gratuitamente aos assinantes.

O cotidiano dos clubes dentro da competição também será mostrado e o canal já está montando uma equipe capaz de realizar essa cobertura. Todos os jogos serão em HD com narração em português. Os jogos mais importantes terão equipe in loco, onde o ex-jogador Zico vai comandar o time.

A emissora ainda não conseguiu espaço nos line ups das principais operadoras do país, Net e Sky, mas com a aquisição da Champions, espera convencer as gigantes da TV por assinatura.

NaTelinha