Fortaleza podia ter colocado a mão na taça, mas jogar pelo empate é excelente

Zagueiro Genilson celebra o primeiro gol do da vitória tricolor sobre o Ceará (Foto: Bruno Gomes/Diário do Nordeste)

 

Não é que foi uma atuação de gala, nem uma partida memorável. Mas o Fortaleza foi melhor do que o Ceará, tanto que venceu por 2 a 1, o primeiro jogo da decisão do Campeonato Cearense.

Agora, o Tricolor joga por qualquer empate para conquistar o título depois de cinco anos. Enquanto para o Alvinegro só a vitória (por qualquer placar) lhe dará o tão sonhado pentacampeonato.

Foi um jogo com dois tempos bem distintos. Não só pelos gols, que só apareceram na etapa inicial, mas também pela intensidade dos dois times. No segundo tempo, caiu muito a produção das duas equipes e só nos 10 minutos finais o Ceará acordou para tentar o empate.

No primeiro tempo, o Fortaleza foi superior. Fez dois a zero em dois vacilos da zaga alvinegra e só não fez o terceiro e o quarto por pura incompetência dos seus atacantes, que perderam chances claras (duas) com Lúcio Maranhão e uma com Pio em um contra-ataque com apenas dois defensores do Vovô e três leoninos do lado.

Só que não dá para os comandados de Marcelo Chamusca lamentarem, pelo contrário, é preciso celebrar por terem conseguido reverter a vantagem do time do técnico Silas. Jogar pelo empate numa decisão é excelente. Principalmente pelo ótimo sistema defensivo tricolor.

Ao Ceará, infelizmente ou felizmente, com a final da Copa do Nordeste na quarta-feira, tem de esperar para saber se o time vai entrar em campo de ressaca por uma conquista inédita ou por uma derrota improvável.

De uma coisa é certa, se jogar como atuou neste domingo, diante do Fortaleza, perde a Copa do Nordeste e perde o Estadual. O time, ainda mais o setor de defesa, não foi nem sombra das atuações contra o Bahia e Vitória.

Ao Fortaleza, não existe receita para segurar um empate. Se inventar de ficar lá atrás esperando o adversário, só tem a perder. Tem de jogar da mesma forma que atuou nos primeiros 45 minutos deste domingo. Aí, sim, tem grandes chances de ser o campeão cearense de 2015.

 

Mário Kempes

Campeonato Cearense 2015: Clubes venceram, mas competição só deve “pegar” em abril

É bom que se diga que diferentemente deste ano, quando foi preciso disputa voto a voto para definir a fórmula do campeonato, para 2015, o formato do Estadual foi escolhido por unanimidade.

Ceará, Fortaleza, Icasa, Guarany de Sobral, Guarani de Juazeiro, Horizonte, Quixadá, Itapipoca, Maranguape e São Benedito optaram pelo certame com 18 datas, diferentemente das mais de 30 rodadas de 2014.

Uma grande vitória dos clubes pequenos. Afinal, cada time, até mesmo quem for rebaixado, jogará no mínimo 14 partidas, enquanto o campeão e o vice, 18. Se o Campeonato adotasse o calendário da CBF, com apenas 12 datas, era possível encerrar a participação no Certame com apenas 10.

A fórmula também privilegia a quantidade de partidas. Na primeira fase, serão oito jogos, quem avançar à segunda fase ou cair para o quadrangular da morte, fará mais seis. O único porém é que há a possibilidade de um pequeno só enfrentar ou Fortaleza ou Ceará.

Tirando esse porém, nada melhor para aqueles que estão sem atuar desde julho, agosto ou setembro e vão ter três meses de campeonato pela frente.

Com relação aos grandes Ceará e Fortaleza, esses também saíram vencedores. Afinal, acreditar que eles não vão se classificar à segunda fase e entre seis clubes em jogos de ida e volta, sem mata-mata, não conseguirão chegar à decisão do Campeonato é até difícil de imaginar.

O grande entrave, contudo, é que neste ano, a primeira fase rendia uma vaga na Copa do Brasil e pontos de bonificação para a outra etapa. O que deixou mais animado.

Para 2015, com uma primeira fase que não premia ninguém, com oito partidas para cada equipe (classificando três), um time folgando a cada rodada e ainda concorrendo com a Copa do Nordeste, poderemos ter uma primeira etapa já esvaziada a partir da metade.

Se não bastasse, o Esporte Interativo vai transmitir os jogos de Ceará e Fortaleza, direto da Capital, o que já deve causar um pequeno impacto nas bilheterias.

E se levarmos em conta que a Copa do Nordeste é prioridade (financeira) para alvinegros e tricolores, então a partir de fevereiro poderemos ver um Estadual preterido. Quem sabe no final de março e início de abril, enfim, já com a volta dos jogos da segunda fase, o Cearense empolgue e seja valorizado.

Ou melhor e que seria ainda mais impactante e causaria uma grande reflexão, se os times do Interior surpreendessem Ceará e Fortaleza.

Aguardemos por 14 de janeiro.

Ah, ia esquecendo. Ceará x Itapipoca e Fortaleza x São Benedito: PV ou Castelão?

 

Blo0g do Mário Kempes