Pessoal da Record ignora recomendação da igreja e se joga no #Carnaval #Carnaval2016

Sabrina Sato no desfile da "Gaviões"

Sabrina Sato no desfile da “Gaviões”

Enquanto a igreja Universal, inclusive com direito a artigo, “Por que devemos nos desligar do Carnaval?”, desaconselhou a festa, reforçando que no período “há uma grande valorização da sexualidade e das traições amorosas” e que “muitas pessoas se perdem em vícios e consomem grandes quantidades de drogas”.

No entanto, o que se viu na prática, em se tratando dos contratados da Record, é que eles deram de ombros para tais conselhos ou colocações.

A maioria se jogou na folia. Sabrina Sato, aliás, brilhou uma vez mais, nos desfiles de São Paulo e do Rio, e os atores de “Os Dez Mandamentos” se “acabaram” no Rio de Janeiro.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

TV Assembleia Legislativa de São Paulo desistiu do carnaval

 

Vale informar: a TV Assembleia, da Assembleia Legislativa de São Paulo, informa que não fará a transmissão dos desfiles das escolas de samba…
… Como se imaginava, não existem condições para tal.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Rede Globo escala as suas equipes para a transmissão do Carnaval #Globeleza2016

Fátima Bernardes e Luís Roberto comandam o Carnaval da Globo

Fátima Bernardes e Luís Roberto comandam o Carnaval da Globo

A Globo já está com as suas equipes escaladas para os desfiles das escolas de samba em São Paulo e Rio de Janeiro:

– Grupo Especial Rio: Fátima Bernardes e Luís Roberto comandam a transmissão, com os comentaristas Milton Cunha, Eri Johnson e Pretinho da Serrinha

– Série A Rio: Alex Escobar e Mariana Gross repetem a dobradinha na série A, com o carnavalesco Chico Spinoza e os músicos Arlindo Cruz e Pretinho da Serrinha. A novidade é que neste 2016 o Milton Cunha irá para a avenida interagir com os integrantes das escolas.

– Em São Paulo, Chico Pinheiro e Monalisa Perrone serão os narradores, com os comentaristas Celso Viáfora, Ailton Graça e Alemão do Cavaco.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Escolas de samba precisam buscar novas fontes de recursos, diz especialista

Agência Brasil | 10h18 | 22/02/2015

A avaliação é do chefe do Departamento de Marketing da Escola Superior de Propaganda e Marketing e especialista em carnaval, Marcelo Guedes.

As escolas de samba do Grupo Especial deveriam renovar as fontes de recursos para não depender apenas de contratos vinculados aos enredos com os quais vão se apresentar no Sambódromo. Este foi o caso da Beija-Flor em 2015, que recebeu cerca de R$10 milhões para desfilar com uma referência à Guiné Equatorial.

“A Portela tem uma quadra que é um ícone do samba, da feijoada da Tia Vicentina, onde grandes bambas tocam o ano todo, ela precisa explorar esse ponto porque é uma grande fonte de receita. Além disso, precisa ter a inciativa privada ajudando”, disse Marcelo Guedes, especialista em carnaval.

Para Guedes, essa ajuda tem que ter critério para não arranhar a identidade da escola. “É preciso uma forma ética, porque hoje tudo acaba exposto. Tem que ver se o patrocínio está de acordo com a imagem e o posicionamento da escola. Hoje é cada vez mais necessário ter preocupação com o critério”, completou.

As escolas têm custos elevados para se manter na elite do carnaval carioca e, na avaliação do professor, precisam desenvolver mais ações de marketing. Uma forma de ampliar as fontes de recursos seria assinar contratos durante o ano com empresas que tenham produtos de interesse tanto dos torcedores, quanto de frequentadores das quadras. “O problema é que o conceito de patrocínio é ainda muito embrionário nas escolas de samba. Falta muito para ser questionado e trabalhado a fim de criar elementos ao patrocínio”, observou.

Saiba Mais

Beija-Flor ganha o carnaval do Rio com um enredo sobre a Guiné Equatorial

O especialista em escolas de samba não acredita que a criação de um regulamento específico possa evitar que as agremiações façam contratos polêmicos como o da Beija-Flor com um país que há mais de 35 anos vive sob uma ditadura. “O meu medo é que, muitas vezes, o tiro sai pela culatra e piora a situação. Teria que ser feito por gente que entenda da relação entre empresas e cultura. O patrocínio tem que estar ligado à identidade da marca”, destacou, acrescentando que assim é possível evitar que o carnavalesco fique preso a uma realidade que ele não gostaria. “O carnavalesco tem que ter liberdade. Ele tem que estar feliz para criar”.

O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), Jorge Castanheira, informou que, atualmente, não há um regulamento na instituição com a definição do que é permitido em termos de patrocínio. “Não há uma regulamentação a esse respeito. O que a gente pede é que não haja interferência na parte do espetáculo na avenida, por exemplo, a marca comercial, coisas desse tipo. Isso no regulamento tem”, explicou.

Castanheira não tem convicção sobre a necessidade de adoção de um novo regulamento para definir o assunto, mas ponderou que para isso ocorrer precisaria passar pelo plenário da Liesa. “Não sei, teria que avaliar com as escolas. Quem decide tudo isso é o plenário que vota o regulamento. Por enquanto, cabe a cada escola ter o bom senso do tema que vai ser apresentado na avenida”, disse.

A Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro informou que cada agremiação teve direito este ano a R$ 1 milhão para realizar o desfile. As escolas recebem 90% dos recursos da prefeitura do Rio, até o carnaval, e o restante só depois de prestar contas de itens mensuráveis como vigas para a construção de um carro alegórico. De acordo com a empresa, o dinheiro não pode servir para o pagamento do carnavalesco responsável pelo desenvolvimento do enredo. A RioTur não tem qualquer tipo de ingerência sobre os contratos de patrocínio fechados pelas agremiações com empresas privadas, governos de países, de estados ou de cidades.

A Liesa, segundo o presidente, distribuiu, em 2015, entre as escolas, cerca de R$ 4,5 milhões, dinheiro correspondente à venda de CDs com os sambas-enredo, ingressos para o Sambódromo e participação nos direitos de transmissão do desfile pela televisão. A distribuição dos recursos para as escolas varia conforme a classificação delas no carnaval anterior. “É proporcional, a cada colocação a escola tem um percentual a mais que a outra. Por exemplo, a quinta recebe um pouco mais que a sexta colocada, a oitava mais um pouquinho que a nona e a décima. Isso é para estimular as outras posições e não apenas a primeira colocação”, explicou Castanheira.

O patrocínio da Beija-Flor em 2015 ainda não está totalmente esclarecido. Enquanto a escola e o governo da Guiné Equatorial informam que o dinheiro foi de empresas brasileiras que estão fazendo obras no país, as empreiteiras relacionadas negam. O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro, que já tinha instaurado em 2013 uma investigação para apurar eventual crime de lavagem de dinheiro pelo vice-presidente da Guiné Equatorial, Theodore Obiang, analisa agora a possibilidade da liberação de recursos para a Beija-Flor por parte do pai dele e presidente do país.

No procedimento aberto em 2013 são listados imóveis, carros e outros objetos de luxo e de decoração pertencentes ao vice-presidente em vários países, entre eles um apartamento no bairro dos Jardins, em São Paulo, e um outro em Ipanema, na zona sul do Rio.

 

Diário do Nordeste – Nacional –  22/02/2015

Rede Record conquista vice-liderança com filmes nas tardes de Carnaval

38340-record-hd

Os filmes exibidos na segunda (16) e terça (17) no “Cine Record Especial” fizeram a Record recuperar a vice-liderança no horário da tarde.

Segundo dados consolidados do Ibope, na segunda, a reprise de “Titanic”, blockbuster protagonizado por Leonardo DiCaprio e Kate Winslet, marcou 7 pontos de média com 10 de pico, contra 5 do SBT, que exibia suas novelas no horário. O índice é três pontos acima do que marcou o “Programa da Tarde” na segunda retrasada, quando teve 4 pontos.

Já nesta terça (17), os filmes “A Era do Gelo” e a “A Era do Gelo 2” também foram bem. O primeiro marcou 7 pontos de média com 8 de pico, contra 5,5 do SBT, obtendo um crescimento também de três pontos se comparado à última passada. Já o segundo elevou ainda mais o Ibope da Record, e marcou 8 pontos com picos de 9, contra 6 do SBT, crescimento de 50% e quatro pontos a mais do que o “Programa da Tarde” havia atingod na semana antes do Carnaval.

Os números refletem a preferência de um seleto grupo de telespectadores da Grande São Paulo.
 

NaTelinha

Globo não mostrará todos os desfiles do Carnaval carioca ao vivo; entenda

Globo não mostrará todos os desfiles do Carnaval carioca ao vivo; entenda

A Rede Globo não transmitirá neste ano o desfile ao vivo de duas escolas de samba do Grupo Especial do Carnaval carioca. Isso porque não quer mexer em sua grade de programação.

Em conversa com o NaTelinha, o presidente da Liesa (Liga das Escolas de Samba do Rio), Jorge Castanheira, informou que a emissora não mostrará no domingo (15) e segunda-feira (16) as escolas de samba Unidos do Viradouro e São Clemente, respectivamente.

Os desfiles das agremiações serão exibidos em flashes ao vivo durante a programação, porém a íntegra será mostrada apenas depois da última escola passar pela Marquês de Sapucaí.

O contrato entre a Liesa e a Rede Globo não prevê nenhum tipo de punição para a emissora. Jorge ainda disse que a emissora financia grande parte do evento, e por isso não tem como brigar por essa transmissão.

Diferente do que aconteceu em anos anteriores, no domingo a Globo vai exibir o “Big Brother Brasil”, com formação de Paredão, às 20h e não às 19h. O “Fantástico” tem sua exibição programada para às 20h45, enquanto o “Carnaval Globoleza” começará às 22h57. A Unidos do Viradouro, primeira escola de samba a entrar na Marquês de Sapucaí, está agendada para pontualmente às 21h.

Na segunda, a novela “Império” começará às 21h07, seguida pelo “Big Brother Brasil” às 22h13 e a transmissão do Carnaval às 22h57. A escola de samba carioca São Clemente começará seu desfile às 21h, sem transmissão ao vivo da TV Globo.

Sobre o desfile das campeãs do Rio de Janeiro, Jorge Castanheira avisou que ainda não fecharam acordo até o momento com nenhuma emissora. O evento que acontece no próximo dia 21 de fevereiro tem um alto custo, assim inviabilizando muitos canais de fazerem a transmissão.

 

NaTelinha

Apesar da Prefeitura de Beberibe ter cancelado Carnaval, a folia é garantida pelos paredões de som

Fernando Maia | 20h17 | 14.02.2015

A turma dos paredões invadiu na tarde deste sábado (14) a Marina do Morro Branco para ditar o tom da festa

paredao

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Beberibe ressalta que o Município dará apenas o apoio logístico ao evento, através de policiais solicitados, fiscais e ambulâncias
FOTO: KID JUNIOR

A Prefeitura de Beberibe cancelou todas as festas oficiais, assim como as de Cascavel e Pindoretama. Entretanto, o Carnaval está garantido no Município pela galera dos paredões, que invadiu na tarde deste sábado (14) a Marina do Morro Branco para ditar o tom da festa.  Enquanto a cidade de Beberibe estava com suas ruas vazias, como se fosse um domingo normal, todos os caminhos levavam à Praia do Morro Branco, onde a concentração de paredões é a maior do Estado nesse período.

Músicas de duplo sentido, com refrões apimentados, fizeram a festa. Dezenas de paredões ocuparam a rua principal da Marina para delírio do público predominantemente jovem. Outra característica do evento é a grande quantidade de pessoas usando fantasias criativas e bem-humoradas. Como não poderia deixar de ser, o mela-mela também prevaleceu.

“Quando fui informado que não haveria Carnaval aqui fiquei, triste. Mas, logo vi pelas redes sociais que não era bem assim. Estava todo mundo combinando de vir. Já virou tradição. A maioria de quem vem para cá não costuma mesmo ir para a praça à noite”, explica a auxiliar de enfermagem Laryssa Sales.

Com sua turma quase toda residente no Bairro da Parquelândia, em Fortaleza, Laryssa promete agitar todos os dias. “Sem dúvida alguma. Não vou perder um só dia. Afinal de contas, é apenas uma vez no ano”.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Beberibe ressalta que o Município dará apenas o apoio logístico ao evento, através de policiais solicitados, fiscais e ambulâncias. A festa tem hora para começar e terminar, das 14 às 22 horas. O som dos paredões ficará restrito à área da Marina.

Muitas reclamações foram feitas por causa da ausência de banheiros químicos no local. Ao contrário do que acontecia em anos anteriores, até ontem à noite, os equipamentos não tinham sido instalados. Quem não estava alojado em imóveis próximo à Marina, resolvia o “problema” ali mesmo. Os amigos faziam uma “barreira” para ajudar. Até mulheres recorreram a essa “alternativa”.

Em contrapartida, a presença de policiais, inclusiva da cavalaria, era ostensiva. Durante o período de cerca de três horas que a reportagem esteve no local, não registrou nenhuma briga.

 

Diário do Nordeste – Regional – 14/02/2015

Canal Viva não transmitirá desfiles de Carnaval neste ano

Canal Viva não transmitirá desfiles de Carnaval neste ano

Diferente do que havia sido planejado no ano passado, o canal Viva não transmitirá eventos especiais do Carnaval 2015.

Em conversa com o NaTelinha, a emissora de TV por assinatura confirmou que não irá mais transmitir os desfiles do Grupo de Acesso de São Paulo e nem o Desfile das Campeãs do Carnaval paulista e carioca.

No ano passado, o Viva mostrou com exclusividade os desfiles do Grupo de Acesso e o Desfile das Campeãs, ganhando elogios dos telespectadores e da crítica especializada, assim animando os executivos do canal para a transmissão deste ano. Mas para 2015, a alta direção da Globo resolveu não repassar o evento.

Porém, o Viva não ficará sem programas especiais para a maior festa popular do Brasil. A emissora programou para os dias 14 a 18 deste mês o “Cassino do Chacrinha – Especial de Carnaval”, “Som Brasil – Daniela Mercury”, “Escolinha do Professor Raimundo – Especial de Carnaval”, “Som Brasil – Axé Bahia” e o “Som Brasil – Trio Elétrico”.

O canal Viva está presente em todas as operadoras de TV paga do Brasil.

 

NaTelinha

O Carnaval na TV está a cada ano mais sem graça

É de chamar a atenção a mesmice observada pelas emissoras de televisão na cobertura de todo Carnaval. Vai ano, vem ano e nada consegue ir além das escolas de samba do Rio e São Paulo ou do que acontece em Salvador e Recife, com a participação especial de Olinda, graças aos generosos repasses das suas prefeituras.

Antes ainda existiam os bailes, que consagraram coberturas de Bandeirantes e SBT, mas de uns anos para cá nem mais isso. O que sobrou é a indolência de sempre, com insignificantes variações em suas transmissões, mas que em nada surpreendem o público em casa ou servem para atrair novos anunciantes.

Material existe, basta verificar a quantidade de blocos que desfilaram no Rio e em São Paulo só no último fim de semana. Alguém já se deu conta de saber quantas pessoas saíram às ruas e foram envolvidas? E qual foi a emissora que se interessou em fazer qualquer coisa mais profícua do que apressados flashes em seus telejornais? Não esperem por nada de novo no Carnaval às vésperas. Tudo será exatamente como foi no ano passado, e no outro, no outro…

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Ney