Chefão da Globo está satisfeito com novelas e aprova onda de remakes

b395e-redeglobo

Carlos Henrique Schroder, diretor-geral da Globo, tem se mostrado bastante satisfeito com o resultado das novelas em seus diversos horários. Foi isso o que se constatou durante a confraternização com autores, elenco e direção de “Haja Coração”, segunda-feira passada, no Projac, quando também assistiu ao capítulo com a equipe.

Após destacar o ibope de várias praças, em especial o de Brasília, a respeito do rendimento de “Haja Coração”, ele comentou o bom momento da teledramaturgia e deixou aberto o caminho para outros remakes e releituras de antigos sucessos – esta última, com Mariana Ximenes, foi apontada como um grande acerto.

Como é normal acontecer, não é possível acertar sempre, e, às vezes, uma ou outra história pode enfrentar problemas, porém a liderança da Globo em todos os horários é incontestável.

A onda de remakes ou releituras, como se observa, não é algo exclusivo das novelas e também está liberada para programas do Entretenimento, como “Escolinha”, “Trapalhões”, “Você Decide”…

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Carlos Henrique Schroder cita a descoberta de “um novo horário nobre” na TV

Diretor-geral da Globo falou sobre a relevância da TV no futuro.

Foto: Divulgação/Globo
Foto: Divulgação/Globo

Carlos Henrique Schroder cita a descoberta de “um novo horário nobre” na TV. Diretor-geral de uma das maiores emissoras de televisão do mundo, Schroder concedeu uma longa entrevista exclusiva à Variety. “Fornecemos temas para discussão, emoção, cultura e informação. A TV tradicional continuará a desempenhar um papel extremamente importante nas vidas das pessoas”, disse Schroder, que citou as atrações que ainda reúnem as pessoas na frente da TV: “Funciona como um termômetro da população; traz todo mundo para o mesmo lugar, ao mesmo tempo. Alguns dos gêneros que contribuem para isso são as novelas, os reality shows, o jornalismo e os eventos esportivos. Todos têm um elemento importante de gerar conversas em tempo real”.

Um dos enfoques da entrevista foi a expansão da Globo para a plataformas digital. “Os resultados do aplicativo (Globo Play) estão sendo muito bons, mas mais do que se preocupar com a audiência o nosso objetivo é manter a relevância e expandir o alcance de nosso conteúdo”, disse o diretor. O Globo Play, segundo a revista Meio & Mensagem, teve dois milhões e meio de downloads em seu primeiro mês.

“Na entrevista, Schroder citou uma nova faixa de destaque na programação. “Descobrimos em transmissão ao vivo que temos um horário nobre, que é a hora do almoço, parte do dia em que transmitimos notícias locais e o Globo Esporte”, disse ele.

 

Fonte : Notícias Da TV

Rede Globo pede mais empenho a profissionais por 2016 “complicado”

Carlos Henrique Schroder, diretor-geral da TV Globo

Carlos Henrique Schroder, diretor-geral da TV Globo

Durante encontro de confraternização com diversos profissionais da Globo, segunda-feira (14), no Projac, o diretor-geral Carlos Henrique Schroder aproveitou a ocasião para pedir a todos o máximo de empenho em suas respectivas áreas, alertando que 2016 será um ano muito difícil, complicado.

Schroder referiu-se ao fato de o país sediar uma Olimpíada, entre 5 e 21 de agosto, e promover eleições municipais, em outubro.
No seu entendimento, apresentadores, atores, diretores, jornalistas, produtores e técnicos terão que se desdobrar ainda mais para que seus produtos possam se destacar em meio a esse cenário conturbado.
E recomendações que chegaram até aos horários de trabalho, porque o trânsito no Rio de Janeiro, palco dos Jogos Olímpicos, deve virar um caos.
Um “plano de guerra” será traçado para evitar que esses fatores interfiram nas gravações de novelas, séries e outros do gênero.
Mas a Globo já admite que, no caso de externas, a missão será bem complicada.
Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

James Akel pergunta se Carlos Henrique Schroder esqueceu a competência no Rio Grande do Sul

Quem imaginaria um dia que a TV Globo mudaria sua programação pra fugir do Gugu três vezes por semana.

Hoje, amanhã e depois a novela da TV Globo vai até 23 horas pra segurar o ibope do Gugu na TV  Record.

Em qualquer época do mundo se alguém dissesse isto a gente daria risada.

Quer dizer que se não for a novela a TV Globo, que fatura 12 bilhões ao ano, não tem programa pra bater no Gugu?

Alô, alô, Carlos Henrique Schroder comandante da TV Globo, você esqueceu a competência no Rio Grande do Sul?

É um absurdo a TV Globo esticar novela pra enfrentar Gugu.

Outro dia o Schroder declarou que não se preocupava com ibope mas sim com a qualidade.

Está aí o fato que vai contra o que ele falou.

Se o Profissão Repórter não tem conteúdo pra enfrentar Gugu, então joga o programa no lixo.
Onde já se viu a TV Globo fugindo da disputa com Gugu.

Schroder não entendeu que Gugu pegou o caminho pior de todos que é lastrear seu ibope em entrevistas de criminosos conhecidos.

Quantos criminosos destes vocês acreditam que existam no Brasil?

No máximo 6.

Mesmo assim com muita imaginação.

Tirando isto o programa do Gugu não tem conteúdo.

E Schroder, por desconhecer a área de entretenimento mesmo sendo comandante da TV Globo, foge da disputa com Gugu mudando a programação da emissora.


Escrito por jamesakel@uol.com.br às 09h51 no dia 03/03/2015

Ninguém mais vai ganhar no grito nas novelas ou séries da Globo

e6d71-rede-globo

Há quem jure, de pés juntos, nos corredores da teledramaturgia da Globo, que partiu do diretor-geral  Carlos Henrique Schroder a solicitação para que sejam evitados destemperos em todos os trabalhos da área.

Em outras palavras, isto se confirmado, será um basta definitivo na histeria, comum em algumas direções, como se isso servisse para alguma coisa ou pudesse tornar a atuação de alguém mais convincente ou não.

Ninguém ganha no grito em situação nenhuma, muito menos nas novelas, séries ou outros do gênero. Importante que isto, em sendo verdade, passe a ser observado e fiscalizado.

Para ser obedecido ou fazer com que as suas ordens sejam cumpridas, não há necessidade nenhuma de extrapolar. O Schroder está certo em mais essa. Quer que os seus diretores estejam cada vez mais abertos ao diálogo. E que sejam respeitados e não temidos.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Modo de dirigir de Carlos Henrique Schroder já é perceptível

e6d71-rede-globo
78513-tv-verdes-mares1

Dupla Imbatível

Em primeiro lugar

Os diversos setores de produção da TV Globo, depois de um período de estranhamento, parecem mais acostumados com o jeito do Carlos Henrique Schroder ver e dirigir televisão: a qualidade deve ser priorizada a qualquer custo. Mesmo que a concorrência não ofereça maiores riscos, este nível de exigência será cada vez mais alto.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Rede Record aguarda para hoje uma resposta de Xuxa

A direção da Record espera para esta sexta-feira (19) uma resposta da Xuxa, se aceita ou não a proposta oferecida.

O problema é que ela não irá tomar nenhuma decisão sobre o futuro, enquanto não se reunir com Carlos Henrique Schroder, o número 1 da Globo – muito provavelmente este ano ainda ou só depois da viagem dela em janeiro.
Até esta semana restrito apenas a Globo e Record, o assunto Xuxa também virou interesse do SBT.
O próprio dono da emissora, Silvio Santos, se ainda não falou, está querendo conversar com ela.
Flávio Ricco com colaboração José Carlos Nery