Náutico 1(5) x 1(3) Salgueiro

 

Semifinal
NÁUTICO LEVA DECISÃO PARA OS PÊNALTIS, DERROTA SALGUEIRO E ESTÁ NA FINAL DO PE
Com um gol de Vinícius aos 23 minutos do 2º tempo, o jogo foi para a cobrança de penalidades; Todos os alvirrubros convertem e Alessandro defende chute de Valdeir
Para o Salgueiro, a missão era mais simples. Bastava segurar o Náutico para fazer história no Campeonato Pernambucano, chegando a uma final pela primeira vez. Por ter perdido a primeira partida no Sertão, por 2 a 0, o Náutico estava em desvantagem. Teria que vencer no tempo normal e levar o jogo para os pênaltis. Foi o que aconteceu. O Timbu ganhou o jogo por um a zero, também derrotou o Carcará na marca da cal e está na final do estadual.

O torcedor do Náutico teve que esperar até os 23 minutos do segundo tempo ver o time garantir a cobrança das penalidades, com um belo gol do meia Vinícius, que tinha acabado de entrar em campo. A decisão foi levada para os pênaltis. Alessandro defendeu a cobrança de Valdeir. Todos os jogadores do Náutico acertaram as penalidades e, após três anos, o Alvirrubro volta disputar uma final de Campeonato Pernambucano.

O Náutico espera agora o resultado da outra seminfinal. Sport e Santa Cruz se enfrentam neste domingo, às 16h, na Ilha do Retiro. O Santa Cruz tem a vantagem do empate. O Sport precisa vencer para levar a decisão para os pênaltis.

GLOBO ESPORTE . COM

Tom Barros comenta folga que Ceará e Guarany de Sobral tiveram e têm até o fim de semana

Ceará e Guarany/S numa boa, beneficiados com alguns dias de folga na Copa do Nordeste. Mas no próximo fim de semana já enfrentam respectivamente Vitória e Santa Cruz. Estes, ao contrário de Ceará e Guarany, já trabalham nos “estaduais”. Aliás, duas ótimas estreias: o Vitória goleou o Serrano e o Santa goleou o Central. Muito cuidado.

 

Tom Barros – Jogada – Diário do Nordeste – 11/02/2014

Classificação do Campeonato Pernambucano após a décima quinta rodada

Ficheiro:Bandeira de Pernambuco.svg

Pos Times Pts J V E D GP GC SG Classificação ou rebaixamento
1 Bandeira salgueiro.gif Salgueiro 32 14 10 2 2 20 7 +13 Zona de classificação à Segunda fase e vaga na Série D
2 Bandeira caruaru.jpg Central 28 14 8 4 2 22 13 +9 Zona de classificação à Segunda fase
3 Bandeira vitoria de santo antao.jpg Vitória das Tabocas 21 15 6 3 6 12 13 –1
4 Bandeira caruaru.jpg Porto 20 14 6 2 6 14 11 +3 Zona de classificação ao Hexagonal do rebaixamento para aSérie A2 de 2015
5 Bandeira serra talhada.PNG Serra Talhada 20 14 5 5 4 17 17 0
6 Bandeira-pesqueira-pernambuco.jpg Pesqueira 15 14 4 3 7 17 20 –3
7 Bandeira de chã grande.jpg Chã Grande 15 14 4 3 7 14 18 –4
8 Bandeira scc.jpg Ypiranga 14 15 4 2 9 9 19 –10
9 Band recife.gif América do Recife 13 14 3 4 7 12 19 –7

Na primeira fase, que não conta com Santa Cruz, Sport e Náutico, equipes participantes da Copa do Nordeste, os nove clubes restantes jogam entre si no sistema de pontos corridos com jogos de ida e volta. As três primeiras colocadas estão classificadas para a segunda fase da competição, na qual se juntarão as equipes da capital. O clube que obtiver o maior número de pontos sera o campeão receberá um trófeu e 50 medalhas douradas , assegura o direito a uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro de 2014 e na Copa do Brasil de 20151 .

A segunda fase será disputada por dois grupos: um hexagonal decisivo incluindo as três primeiras equipes da primeira fase mais Santa Cruz, Sport e Náutico e, um “grupo da morte” com as seis equipes que foram eliminadas na primeira fase, no qual os dois últimos colocados serão rebaixados para a Série A2 de 2015. Em ambos os grupos, as equipes jogam entre si, também no sistema de ida e volta.

Na fase final, as quatro primeiras equipes do hexagonal da segunda fase disputam um cruzamento eliminatório: 1º com o 4º e 2º com 3º, em confrontos de ida e volta. Os ganhadores das semi-finais se classificam para a final, que também será disputada em ida e volta, para decidir o grande campeão. Se por acaso uma equipe vencer por 5×0 o primeiro jogo e perder o segundo por 2×0, a decisão vai para os pênaltis.

Santa Cruz se sagra tri campeão pernambucano

O preto, o branco e o vermelho dominam Pernambuco há três anos. Essa superioridade coral foi confirmada neste domingo com a vitória do Santa Cruz por 2 a 0 sobre o Sport. O Tricolor superou o Rubro-Negro pelo terceiro ano seguido – o segundo na Ilha do Retiro – e se tornou campeão pernambucano. Ou melhor: tricampeão. O título vai para o Arruda um dia antes do aniversário do rival, que completará 108 anos nesta segunda. O público no estádio foi de 26.806 torcedores, para uma renda de R$ 552.420,00.

A primeira bola que garantiu o título ao Santa Cruz saiu dos pés mais improváveis. Criticado por perder bolas fáceis no ataque, Flávio Caça-Rato mostrou por que, apesar dos vacilos em campo, é um dos xodós da torcida coral. O folclórico atacante balançou a rede aos 25 minutos do primeiro tempo. No fim da etapa inicial, porém, quase pôs tudo a perder ao ser expulso e deixar a equipe com um homem a menos durante todo o segundo tempo. A três minutos do fim da partida, Sandro Manoel tratou de ampliar a festa tricolor na Ilha do Retiro.

A tarde foi de Caça-Rato e também do goleiro Tiago Cardoso. Após o gol, o Santa Cruz abdicou do jogo, e o Sport foi só pressão. O Rubro-Negro mandou uma bola na trave e só não acertou o gol graças ao capitão da equipe coral, que fez defesas milagrosas e frustrou as tentativas adversárias. Pela primeira vez em sua história, o Leão perdeu três finais seguidas. De quebra, ainda adiou o tão sonhado 40º título estadual. Já a Cobra Coral voltou a ser tricampeã após 42 anos.

Agora, a atenção das duas equipes se volta para a Copa do Brasil. Na quarta-feira, o Santa Cruz vai a Porto Alegre enfrentar o Inter no segundo duelo entre as equipes. O primeiro, no Arruda, terminou empatado por 0 a 0. O Sport só joga no torneio nacional no dia 22 de maio, contra o ABC-RN. E precisará vencer por uma diferença de três gols se quiser avançar, pois perdeu o primeiro embate, em Natal, por 2 a 0.

sport x santa cruz flávio caça-rato (Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)

Caça-Rato abre caminho para o título do Santa na Ilha do Retiro (Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)

Santa Cruz marca e aguenta pressão do Sport

A tensão inerente a uma final de campeonato estava presente desde o início do jogo. O primeiro chute a gol saiu aos seis minutos, em cobrança de falta de Marcos Aurélio para a defesa de Tiago Cardoso. Aos oito, Renatinho respondeu pelo Tricolor, mas a bola foi para fora. A partir dos dez, os donos da casa passaram a ter mais presença na área de ataque e assustaram os visitantes com chutes de Marcos Aurélio e Lucas Lima.

sport x santa cruz cicinho (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
Cicinho deixou jogo com amnésia temporária
(Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

Aos poucos, o Santa Cruz voltou a equilibrar o jogo. No entanto, as chegadas ao ataque eram desperdiçadas na hora do toque final. Mas, aos 25 minutos, Flávio Caça-Rato não vacilou. Xodó da torcida coral, ele recebeu um lançamento preciso de Raul, livrou-se da marcação e do goleiro Magrão e estufou a rede. O Sport não se entregou e quase chegou ao empate com Gabriel, Marcos Aurélio e Reinaldo, que pararam nas mãos de Tiago Cardoso.

Além da habilidade do seu goleiro, o Santa Cruz contou com a sorte para evitar o empate. Aos 34, Felipe Menezes chutou cruzado, a bola passou por Tiago Cardoso e bateu na trave. O Tricolor abdicou do ataque, e o Sport foi só pressão, exigindo bastante de Tiago Cardoso. Antes do fim do primeiro tempo, Caça-Rato recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Mesmo com um homem a menos, o time desceu para os vestiários com uma das mãos na taça.

Gol no fim para confirmar a festa

Para o segundo tempo, o Sport voltou com o atacante Érico Jr. no lugar do meia Felipe Menezes. Antes, ainda no primeiro tempo, Moacir ficara com a vaga de Cicinho. O experiente lateral-direito foi atingido por uma bola na cabeça e ficou com amnésia temporária. A mudança e o fato de ter um jogador a mais tornaram o Leão mais ofensivo. Encurralado, o Santa Cruz só conseguiu uma jogada de ataque aos 15 minutos, quando Tiago Costa avançou pela lateral e chutou para a defesa de Magrão.

Aos 19, o técnico Sérgio Guedes tirou o zagueiro Maurício para a entrada do atacante Mateus Lima e tornou o Sport ainda mais ofensivo. Sem conseguir furar a defesa do Santa Cruz, o time passou a arriscar de longe. Aos 20, Tiago Cardoso deu rebote em um chute de Marcos Aurélio, mas Renan Fonseca apareceu antes de qualquer rubro-negro. A equipe coral passou a apostar no contra-ataque e assustou Magrão em pelo menos três oportunidades.

O volante Sandro Manoel, que entrou no lugar do atacante Dênis Marques, foi um dos que desperdiçaram gol pelo Santa Cruz. Aos 29, ele ficou cara a cara com Magrão e tentou encobrir o goleiro, que livrou o gol com um toque na bola. Os 15 minutos finais foram de blitz do Sport, que só não mandou Magrão ao ataque. Mas uma tentativa de contra-ataque do Tricolor deu certo aos 42 minutos, quando Sandro Manoel invadiu a área, passou por Tobi e concluiu no ângulo: 2 a 0. Fim de jogo, Santinha tricampeão.

Para jogadores do Sport, time está de parabéns e vaga na final é merecida

Jogadores comemoram vitória sobre o Ypiranga-PE e esperam para saber quem será o adversário da decisão do Pernambucano 2013

Mais uma vitória convincente. Mais uma final garantida. Esta é a oitava vez consecutiva que o Sport fica entre os dois primeiros colocados no Campeonato Pernambucano. Com o papel cumprido, os jogadores agora aguardam qual o adversário na decisão. O atacante Felipe Azevedo não arriscou um palpite sobre o possível oponente.

– Agora, a gente tem um dia a mais para descansar. Em clássico, tudo se iguala e eu acho que vai ser difícil. Não quero arriscar entre Náutico e Santa Cruz. São duas grandes equipes.

O meia Felipe Menezes parabenizou a equipe pelo objetivo alcançado. E disse que vai estar ligado na outra semifinal entre Náutico e Santa Cruz.

– A equipe está de parabéns, porque conseguimos correr bastante e passar para a final, que era o nosso objetivo. Eu vou acompanhar o clássico sim. Quero ver quem vai nos enfrentar. Só aí então, vamos pensar na final.

Já o meia Lucas Lima rasgou elogios ao técnico Sérgio Guedes e evitou falar em favoritismo para a decisão.

– Desde que o Sérgio chegou, o nosso futebol melhorou. Ele é fora de série. Mas eu acho que não existe favorito nessa final. Será um clássico e isso já diz tudo. Vão ser dois grandes jogos e estamos bem preparados.

Sport x Ypiranga Felipe Menezes (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)Felipe Menezes marcou um dos quatro gols do Sport sobre o Ypiranga-PE na Ilha do Retiro neste sábado (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
GLOBO ESPORTE.COM
_____________________________________________________________________________________

Náutico vence Santa Cruz por 2 a 1, mas vaga na final é dos tricolores

 

Elton marca duas vezes, mas o Timbu precisava vencer por dois gols de diferença; Dênis Marques, de pênalti, coloca os corais na decisão

 

O derradeiro jogo entre Náutico e Santa Cruz em 2013 fez juz à alcunha. O Clássico das Emoções teve gols, pênaltis, bola na trave e tensão por cartões amarelos. O Tricolor perdeu do Alvirrubro por 2 a 1 nos Aflitos, mas ainda assim deu mais um passo rumo ao tricampeonato pernambucano. Como havia batido o rival por 1 a 0 no último fim de semana no Arruda, a Cobra Coral só ficaria sem vaga na final se perdesse por dois gols de diferença. O Timbu marcou duas vezes com Elton, mas um gol de Dênis Marques, de pênalti, fez a diferença para os visitantes.

A conquista do primeiro turno do Campeonato Pernambucano de nada adiantou para o Náutico, que passou boa parte do estadual comemorando o fato de ter o ataque mais positivo do torneio. O time tem o artilheiro da competição – Elton, com 16 gols – mas fica mais uma vez de mãos vazias. A equipe não conquista o título pernambucano desde 2004, quando foi campeã justamente em cima do Santa Cruz. O embate deste domingo foi o último clássico entre as equipes nos Aflitos já que a partir do segundo semestre o Timbu vai mandar seus jogos na Arena Pernambuco.

Eliminado do Pernambucano e da Copa do Brasil, o Náutico decidirá o posto de terceiro colocado contra o Ypiranga e depois voltará as atenções para o Brasileirão 2013 e para a Copa Sul-Americana. No torneio nacional, a estreia será contra o Grêmio no Rio Grande do Sul. Antes de encarar o Sport na final, o Santa Cruz vai receber o Internacional às 22h da próxima quarta-feira, pela Copa do Brasil.

Náutico x Santa Cruz (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)Náutico teve bons momentos na partida e fez dois gols, mas vaga na final é do Santa Cruz (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

Torcida comemora gol e cartões amarelos

O Náutico começou o jogo precisando fazer logo pelo menos um gol, mas foi o Santa Cruz quem primeiro partiu para o ataque. Aos 36 segundos, William Alves pegou uma bola na área adversária e chutou por cima do gol. A resposta do Náutico veio logo depois em uma arrancada de Rogério. ele tocou para Elton, mas o chute do atacante alvirrubro parou nas mãos do goleiro Tiago Cardoso. Depois desse lance, os jogadores sentiram o “peso” do duelo e a partida ficou tensa e truncada no meio-campo.

Náutico x Santa Cruz - Elton e Rogério (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)
Elton marcou e se isolou na artilharia do Estadual
(Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

Aos 15 minutos, Rogério avançou até a área, driblou o zagueiro Renan Fonseca e tocou para Elton abrir o placar e marcar seu 15º gol no estadual. Aos 31 minutos, a torcida alvirrubra voltou a comemorar como se fosse gol. Isso porque Luciano Sorriso levou cartão amarelo e o Santa Cruz passou a ficar em desvantagem em um possível desempate a partir do número de cartões como manda o regulamento da Federação Pernambucana de Futebol se o jogo terminasse 1 a 0 para o Náutico.

O jogo voltou a se igular no número de cartões amarelos aos 37 minutos quando Martinez foi punido. O resultado parcial levava o duelo para o sorteio. Três minutos depois, com a bola em jogo, foi o Santa Cruz que levou perigo em cobrança de falta de Dênis Marques. O atacante coral chutou no ângulo, mas o goleiro Felipe foi buscar a bola. Antes do primeiro tempo acabar, o goleiro Tiago Cardoso precisou agir para evitar que um chute de Douglas Santos se tornasse o segundo gol alvirrubro.

Dois pênaltis e tensão a cada cartão amarelo

No segundo tempo, com o 1 a 0 no placar, a torcida do Santa Cruz passou a comemorar. Isso porque Jones Carioca recebeu cartão amarelo aos nove minutos e foi o tricolor que passou a ficar na frente do critério de desempate. Aos 15, Tiago Costa, da equipe coral, tomou cartão e a decisão voltaria a ser definida por sorteio. A partir daí, o que se viu foi uma pressão cada vez maior dos atletas de cada time para que algum dos adversários fosse advertido. A cada falta mais ríspida o juiz Gilberto Castro Júnior era “enquadrado” por alvirrubros e tricolores.

Com a bola em jogo, quem teve a melhor chance foi o Náutico. Aos 19 minutos, o zagueiro Renan Fonseca tentou afastar um ataque alvirrubro e chutou contra o gol, acertando o travessão. Dois minutos depois, Luis Eduardo, zagueiro do Timbu, recebeu amarelo e o Santa Cruz voltou a ficar na frente no critério de desempate. Os visitantes ainda acertaram uma bola na trave aos 30 minutos com Dênis Marques. O atacante tricolor voltou a aparecer, agora com muita festa, aos 33 minutos. Ele cobrou pênalti sofrido por Renatinho para empatar o jogo. Com o resultado, os alvirrubros precisavam fazer mais dois gols para poder ir à final, mas só tiveram forças para desempatar com Elton, também de pênalti, após falta de Tiago Cardoso sobre Rogério dentro da área: 2 a 1 para o Náutico, mas vaga na decisão para o Santa Cruz.

Náutico x Santa Cruz (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)Jogadores pressionam Gilberto Castro Júnior a dar cartão ao rival (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)
GLOBO ESPORTE.COM