Corinthians 6 x 1 São Paulo

Corinthians atropela o São Paulo e aplica maior goleada do Majestoso

Em tarde de gala, Timão usa apenas três titulares, faz 6 a 1 no rival com facilidade e ouve gritos de “olé” desde o primeiro tempo. Tricolor permanece no G-4

“É campeão, é campeão”.  Antes do clássico era uníssono em Itaquera. Com a bola rolando, a Fiel teve motivos de sobra para aumentar o volume. Foram necessários apenas 31 minutos para os primeiros gritos de “olé”, que ganharam ainda mais corpo no decorrer da partida. Um passeio traduzido pelo placar: Corinthians 6 x 1 São Paulo.

Foi uma tarde de gala. O placar é a maior goleada da história do Majestoso – o Timão já havia vencido por 5 a 0 em 96 e em 2011. A Fiel também deu show: 44.967 pagantes, para uma renda bruta de R$ 2.339.497,50, quebraram o recorde de público do estádio.

A vitória deixou o Timão com 80 pontos. Assim, mesmo na 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, a equipe comandada por Tite já igualou o Cruzeiro de 2014, que tem até então a melhor campanha dos pontos corridos com 20 clubes.

O São Paulo perdeu a oportunidade de ficar confortável no G-4. O clube do Morumbi ainda ocupa a quarta colocação, com 56 pontos, empatado com o Internacional, mas leva vantagem nos critérios de desempate .

Passeio de domingo

Com o título confirmado, Tite escalou apenas três titulares para o clássico: Cássio, Felipe e Ralf. Do outro lado, na briga pela última vaga no G-4, Milton Cruz colocou em campo o que tinha de melhor à disposição. Quando a bola rolou, os papéis pareciam invertidos.

A primeira chance de perigo até foi do São Paulo, aos 15. Rogério aproveitou o vacilo de Bruno Henrique, saiu na cara de Cássio, mas tocou em cima do goleiro adversário. Depois disso, o time visitante assistiu ao passeio do Corinthians em Itaquera.

O pesadelo da bola aérea voltou a assombrar a zaga do São Paulo. Aos 26 minutos, Uendel fez o cruzamento da esquerda, Felipe testou no canto direito e obrigou Dênis a fazer grande defesa. No rebote, porém, Bruno Henrique completou para as redes.

O roteiro seria semelhante nos minutos seguintes. Aos 28, Lucca cobrou escanteio, e Romero sequer precisou sair do chão para ampliar o placar. Ainda no primeiro tempo, Edu Dracena também apareceu na área, viu Dênis defender na primeira oportunidade, mas se esticou para aproveitar o rebote e, deitado no gramado, fez o terceiro.

Corinthians x São Paulo romero  (Foto: Marcos Ribolli)
Mesmo com três titulares, equipe de Tite foi superior ao adversário desde o primeiro tempo
(Foto: Marcos Ribolli)

Olé… olé… olé…

Os primeiros gritos de olé foram ouvidos em Itaquera já aos 31 minutos do primeiro tempo. Mas o Corinthians ainda queria mais. Milton Cruz ainda tentou melhorar o São Paulo para o segundo tempo, colocou Reinaldo e Luis Fabiano. Nada adiantou.

Os reservas de Tite precisaram de 15 minutos para mostrarem quão bem treinado é o Corinthians. Bruno Henrique girou sobre o marcador, fez o passe para Danilo, que entregou a Lucca de letra. O talismã apenas completou. Um golaço.

Mas não parou por aí. Apenas três minutos mais tarde, Romero apareceu livre pela direita, recebeu o passe de Fagner, invadiu a área e bateu cruzado. A bola ainda bateu em Hudson antes de balançar as redes pela quinta vez em Itaquera.

Carlinhos ainda fez o de honra para o São Paulo. O Corinthians, no entanto, tinha Romero em tarde inspirada. O paraguaio passou por Reinaldo com facilidade, foi derrubado dentro da área e o árbitro marcou o pênalti. Cristian fez o sexto.

Ainda teve tempo de Cássio defender pênalti de Alan Kardec. A festa do título estava completa.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Atlético Mineiro 2 x 2 Goiás

Atlético-MG e Goiás empatam por 2 a 2 e frustram torcida no Independência

Resultado é ruim para o Galo, que perde chance de garantir o segundo lugar no Brasileirão, e pior ainda para o Esmeraldino, que fica mais perto do rebaixamento

Bom jogo no Independência, mas resultado ruim para os dois times. Neste domingo, Atlético-MG e Goiás empataram por 2 a 2 e saíram de campo lamentando a falta de melhor sorte. O Galo, que ficou à frente no placar duas vezes, marcou com Luan e Marcos Rocha. Com 66 pontos, aumenta a vantagem para o Grêmio, mas perde chance de garantir matematicamente o vice-campeonato. O Goiás, que balançou as redes com Erik e Bruno Henrique, cai para a penúltima colocação e está praticamente rebaixado para a Série B.

O Atlético-MG tentará garantir a segunda colocação e maior premiação ao fim do campeonato no próximo domingo, justamente contra o Grêmio, terceiro colocado. O jogo será em Porto Alegre. O Goiás, por sua vez, soma apenas 35 pontos e depende de improvável combinação de resultados para permanecer na elite do futebol brasileiro. O time esmeraldino visitará a Chapecoense no próximo domingo e poderá ser rebaixado até mesmo em caso de vitória se concorrentes como Figueirense, Avaí e Coritiba conquistarem bons resultados.

O Galo começou melhor e chegou a ter mais de 70% de posse de bola nos primeiros 20 minutos. Apesar disso, não conseguia criar chances claras de gol até Luan mostrar oportunismo em bonito lance. Aos 22, o atacante aproveitou rebote do goleiro e, de voleio, abriu o placar no Horto: Atlético-MG 1 a 0. O zagueiro Jemerson, que participou da jogada ao dividir bola com Renan, estava em posição irregular. Só a partir daí o Goiás começou a sair para o ataque. Mais uma vez a válvula de escape era Bruno Henrique, destaque do time nesta Série A.

Em uma de suas arrancadas características, ele correu pela esquerda e chutou com perigo. Quem também apareceu foi o zagueiro Fred, especialista nas cobranças de falta. Ele assustou o goleiro Victor, mas mandou por cima do gol. O empate saiu aos 38 minutos. Após recuo de Leonardo Silva para Victor, Bruno Henrique foi mais esperto, ganhou a bola do goleiro atleticano e tocou para Erik estufar as redes: 1 a 1. O Goiás quase teve chance para virar ainda na etapa inicial quando o árbitro Nielson Nogueira Dias marcou pênalti de Marcos Rocha em Rafael Forster. Porém, após conversa com o auxiliar, a marcação foi anulada.

Empate ruim para os dois

O segundo tempo foi eletrizante. Logo aos sete minutos, Erik ganhou de Jemerson na velocidade, invadiu a área e perdeu oportunidade de retribuir a jogada do primeiro gol esmeraldino para Bruno Henrique. O companheiro estava livre, porém, Erik tentou o chute e carimbou o goleiro Victor. No contra-ataque, Dátolo fez grande jogada e lançou Giovanni Augusto. O meia saiu na cara do gol e obrigou Renan a fazer grande defesa. O castigo para o Goiás veio no lance seguinte. Giovanni Augusto lançou para a área, Marcos Rocha apareceu livre e balançou as redes: 2 a 1 Galo.

Mas o Goiás não desistia. Bruno Henrique não desistia. O atacante continuava levando perigo em suas arrancadas e era um verdadeiro pesadelo para a defesa do Atlético-MG. Aos 14 minutos, após lançamento de Erik, ele dominou no peito, saiu livre, driblou Victor e deixou tudo igual em Belo Horizonte: 2 a 2. À medida que o tempo passava, a torcida pressionava o Galo, que não convencia. Foi aí que o goleiro Renan começou a aparecer. Ele fez boas defesas em chutes de Luan e Thiago Ribeiro. No fim, Douglas Santos fez boa jogada e cruzou. Lucas Pratto não conseguiu o desvio, e a bola saiu pela linha de fundo.

Atlético-MG x Goiás (Foto: Bruno Cantini / Atlético MG)
Atlético-MG e Goiás empatam por 2 a 2 em Belo Horizonte (Foto: Bruno Cantini / Atlético MG)
GLOBO ESPORTE.COM

Goiás 2 x 1 Internacional

Goiás aproveita erros da zaga do Inter, vira no Serra Dourada e atenua crise

Esmeraldino fez 2 a 1 na noite deste domingo, encerrou sequência de cinco derrotas consecutivas pelo Brasileirão e segue na luta pela permanência na elite

O Inter traçou como estratégia marcar um gol cedo para evitar o desgaste e deixar a torcida do Goiás nervosa. Deu certo. Ocorre que o plano não contava com os erros de sua defesa. O Esmeraldino aproveitou as bobeadas, conseguiu a virada e construiu o 2 a 1 na chuvosa noite deste domingo no Serra Dourada. De quebra, acabou com a sequência de cinco derrotas consecutivas pelo Brasileirão e respira na competição, ainda na luta para evitar o rebaixamento.

Alex Goiás x Inter (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)
Zé Love fez o primeiro gol do Goiás no Serra Dourada (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)

Valdívia abriu o placar aos 19 minutos, com uma pintura. No segundo tempo, o Goiás precisou de cinco minutos para mudar o resultado. Aos dois, Zé Love mostrou oportunismo após erro de Réver. O zagueiro colorado voltou a bobear três minutos depois. Desta vez, para Bruno Henrique vencer Alisson.

Com o resultado, o Goiás chega aos 34 pontos e está em 17º lugar. Já o Inter tem 50 pontos e ocupa a sexta colocação, três pontos atrás de Santos e São Paulo quarto e quinto colocados, respectivamente, na luta por uma vaga à Libertadores. Na próxima rodada, o Esmeraldino pega o Flamengo. A partida será realizada no domingo, às 17h, no Maracanã. Um dia antes, o Colorado recebe a Ponte Preta no Beira-Rio. O duelo está previsto para ocorrer às 17h.

O jogo

O jogo começou com as duas propostas claras. O Goiás se posicionou todo no campo de defesa, à espera de um erro do Inter para sair no contra-ataque. Já os gaúchos, para evitar o desgaste, trocavam passes curtos, até encontrar um espaço. Entretanto, foi graças a um lançamento que os visitantes criaram a primeira chance de perigo. Aos 11 minutos, William recebeu lançamento na direita e cruzou para Lisandro López. O gringo chutou de primeira, no contrapé de Renan, que fez grande defesa.

O lance animou o Colorado. Na sequência, Lisandro teve nova oportunidade, mas pegou errado e chutou torto. Melhor em campo, não demorou a abrir o placar. Oito minutos depois, após dois erros da defesa do Goiás na tentativa de afastar, a bola sobrou para Valdívia. O meia-atacante escolheu o canto direito de Renan, que nada pôde fazer.

O Inter quase ampliou em seguida. Alex recebeu na área e arriscou, mas o goleiro mandante conseguiu evitar e mandar para escanteio. A facilidade que alcançava virou desconcentração. O final do primeiro tempo quase custou a vitória parcial. No último lance antes do intervalo, Artur recebeu lançamento e encobriu Alisson. Antes de a bola cruzar a linha, Paulão voou e salvou o que seria o empate.

Os cochilos ocorridos no final da etapa inicial voltaram a se repetir no começo do segundo tempo. Desta vez, o Goiás não desperdiçou. Aos dois minutos, Bruno Henrique ganhou de cabeça de Paulão. Réver falhou e a bola sobrou para Zé Love. O atacante só teve o trabalho de deslocar Alisson. O gol acordou o Inter, que se atirou para o ataque. No minuto seguinte, Lisandro quase marcou, mas Renan defendeu. Anderson ainda teve duas chances, perdendo ambas. E um dos clichês mais batidos do futebol apareceu. Quem não faz, leva. Aos cinco, Diogo Barbosa cruzou. Em mais um equívoco de Réver, que se desequilibrou, a bola sobrou para Bruno Henrique, que completou e conseguiu a virada.

As falhas do zagueiro acabaram com a paciência de Argel, que o sacou para a entrada de Artur. Ernando retornou a sua função de origem. Na tentativa de empate, D’Alessandro entrou na vaga de Alex. Danny Sergio, por sua vez, sacou Zé Love e colocou Rodrigo, para segurar o resultado. Desorganizado, o Inter tentava invadir a área na base da vontade. Bem postado, o Goiás evitava deixar espaços. Quando encontrava uma brecha, parava nas defesas de Renan.  Aos 33, um lance polêmico. Eduardo Sasha recebeu dentro da área e, ao tentar se livrar de dois marcadores, desabou. O árbitro Marcelo Aparecido de Souza entendeu que a jogada foi normal e assinalou mão do atacante gaúcho. A luta colorada seguiu até o fim, mas não surtiu efeito: 2 a 1 para o Goiás.

GLOBO ESPORTE.COM

Avaí 2 x 1 Goiás

Avaí faz gol aos 48, vence o Goiás e ganha fôlego na luta contra a degola

André Lima marca no triunfo por 2 a 1, e catarinenses continuam na zona de rebaixamento; Esmeraldino cai uma posição na tabela e sai frustrado

Muito mais na vontade do que na qualidade, o Avaí venceu o Goiás neste domingo, na Ressacada. O triunfo por 2 a 1, com um gol aos 48 minutos do segundo tempo, marcado por André Lima, faz os catarinenses respirarem no Campeonato Brasileiro. O lance do tento, aliás, gerou reclamação do Esmeraldino, que pediu falta em cima de Renan – Emerson e Bruno Henrique também anotaram no duelo.

Os goianos saíram de campo muito frustrados. Venciam até os 39 minutos do segundo tempo, mas vacilaram em dois momentos e desperdiçaram a chance de subir na tabela e afundar um rival direto.

Com a vitória, o Leão segue em 18º, com 26 pontos e volta a jogar na quarta-feira, às 21h. O adversário é o Figueirense, no Orlando Scarpelli, o clássico da capital de Santa Catarina. Em 15º, com 28, o Esmeraldino tem outro desafio direto. Entra em campo no mesmo dia, mas às 19h30, diante da Ponte Preta, no Serra Dourada.

Gol de Emerson  (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Jogadores comemoram o gol de empate do Emerson (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

O jogo

A história do primeiro tempo de Avaí e Goiás começa a partir dos 28 minutos. Antes disso, mera troca de passes sem objetividade dos donos da casa diante de uma marcação fechada, um jogo chato e de pouca qualidade. A emoção em Florianópolis aconteceu depois que Bruno Henrique foi lançado por Murilo e bateu no contrapé do goleiro Vagner, que falhou na jogada. Com o tento, o Esmeraldino trancou-se ainda mais, enquanto o Leão, visivelmente nervoso, não conseguia criar e terminou a etapa inicial sem finalizar. Ao fim dos 45 minutos, vaias das arquibancadas da Ressacada.

A volta do intervalou seguiu burocrática, com o Goiás à espera do erro avaiano. Ele apareceu em uma bobeira defensiva, aos quatro, Liniker saiu na cara de Vagner, que defendeu. Gilson Kleina fez alterações para abrir o jogo e dar mais velocidade ao Avaí. A postura segura do Esmeraldino não dava brechas. Restavam as bolas aéreas e quando Fred e Felipe Macedo pareciam soberanos, Emerson subiu mais alto que a defesa para empatar, aos 39 minutos. O empate parecia o resultado a se confirmar, mas aos 48 André Lima desempatou, em lance que gerou reclamação dos visitantes, em falha do goleiro Renan e disputa polêmica com o atacante avaiano, que comemorou no final. Um triunfo que faz os catarinenses ganharem fôlego.

Avaí x Goiás (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Avaí vence de virada no final (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
GLOBO ESPORTE.COM

Grêmio 2 x 1 Goiás

Grêmio supera perda de pênalti, bate o Goiás e segue na cola dos líderes

Tricolor fica com um a mais desde 33 do 1º tempo, mas sofre para desfazer vantagem do Esmeraldino diante de pênalti perdido por Douglas e de boas defesas de Renan

Único invicto como mandante no Campeonato Brasileiro, o Grêmio novamente fez valer sua força em casa e derrotou o Goiás neste domingo por 2 a 1, de virada. Douglas, que perdeu pênalti na etapa inicial, e Everton marcaram para o Tricolor já no segundo tempo. Bruno Henrique marcou o gol do Goiás, que atuou com um jogador a menos desde os 33 minutos de jogo, quando Felipe Macedo cometeu pênalti em cima de Bobô, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. A pressão gremista, que já era grande desde o início da partida, ficou ainda maior e deu resultado no fim.

A justa vitória mantém o time gaúcho em alta na temporada. A equipe ocupa a terceira colocação na Série A, com 44 pontos, e não perde há nove rodadas. Na próxima quarta-feira, o Grêmio terá jogo fundamental na briga pelo título. Visitará o Corinthians, às 22h, e poderá reduzir a diferença para o primeiro colocado para apenas três pontos. Já o Goiás, que chegou a dar um salto na tabela enquanto vencia o jogo, é ultrapassado pelo Coritiba e volta para a zona de rebaixamento, com 26 pontos. O Verdão voltará a campo na próxima quinta-feira, às 19h30, contra o Sport, no Serra Dourada.

Apesar dos vários desfalques, o Grêmio partiu para o ataque e sufocou o Goiás. Regido por Douglas, o Tricolor atuou no campo do adversário e deu trabalho para o goleiro Renan. Bastante acionado, o atacante Bobô perdeu boa chance ao chutar em cima de Renan, quase sem ângulo. Com três atacantes, mas sem inspiração no meio-campo, o time esmeraldino não conseguia sair para o jogo e atraía o adversário cada vez mais. O gol parecia questão de tempo, e a chance apareceu aos 33 minutos.

Felipe Macedo, de volta ao Verdão após negociação frustrada com o Mônaco, cometeu pênalti em Bobô, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Douglas foi para a cobrança, tirou do goleiro Renan e acertou a trave. Acuado e com um jogador a menos, o Goiás se defendia do jeito que dava. Julinho Camargo trocou Erik por Alex Alves para recompor a zaga. A equipe jogava por uma bola para tentar superar o goleiro Tiago e conseguiu aos 43 minutos. David cobrou falta para a área, Bruno Henrique subiu mais alto e marcou de cabeça aproveitando saída atrapalhada do arqueiro gremista: 1 a 0 Goiás.

Pressão gremista e vitória justa

A pressão na etapa final era inevitável. Com um jogador e mais e em desvantagem, o Tricolor foi pra cima e não demorou a empatar. Logo aos seis minutos, Douglas aproveitou cruzamento de Bobô e, com o pê direito, finalizou para vencer o goleiro Renan e se redimir do pênalti perdido: 1 a 1. À medida que o tempo passava, o Goiás se defendia ainda mais. Sem válvula de escape, o Esmeraldino era sufocado e só aparecia no ataque em lances isolados de Bruno Henrique e Zé Love.

O Grêmio continuou em cima e quase virou. Walace apareceu livre na entrada da área aos 18 minutos, mas finalizou mal e carimbou Giuliano, que estava impedido. Logo depois, Douglas finalizou de esquerda e obrigou Renan a fazer grande defesa. A insistência deu certo no fim da partida. Aos 37minutos, Everton recebeu com liberdade na ponta esquerda, invadiu a área e tocou na saída de Renan. A bola bateu na trave antes de balanças as redes: 2 a 1 Grêmio. A vitória foi garantida com bela defesa de Tiago em chute de Bruno Henrique logo depois.

Everton marca para o Grêmio (Foto: Diego Guichard)
Everton marca no fim e dá a vitória ao Grêmio contra o Goiás (Foto: Diego Guichard)
GLOBO ESPORTE.COM

Goiás 1 x 0 Palmeiras

Com arbitragem polêmica, o Goiás vence, respira e tira Palmeiras do G-4

Time goiano conquista três pontos importantes no Serra Dourada e deixa a zona de rebaixamento. Verdão perde chance de se manter entre os primeiros colocados

Três pontos e uma rodada de alívio: o Goiás venceu o Palmeiras por 1 a 0, nesta quarta-feira, no Serra Dourada, e deixou a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. A vitória fez o Esmeraldino ultrapassar Avaí e Coritiba e saltar para a 16ª colocação. O Verdão, que lutava para se manter no G-4, caiu para a sexta posição.

O atacante Bruno Henrique marcou o único gol da partida, em bela jogada individual, no segundo tempo. O Palmeiras desperdiçou diversas chances com Lucas Barrios, Dudu e Gabriel Jesus e ficou na bronca com a arbitragem, após um gol mal anulado e um pênalti não marcado, ambos quando o jogo ainda estava empatado. O Goiás também pediu uma penalidade máxima na etapa complementar.

Goiás x Palmeiras Dudu (Foto: André Costa/Estadão Conteúdo)
Rodrigo (à dir.) tenta roubar a bola de Dudu no Serra Dourada: Goiás vence por 1 a 0
(Foto: André Costa/Estadão Conteúdo)

A “fama” do time goiano no Brasileirão se manteve: o Esmeraldino não perdeu para nenhum dos atuais seis primeiros colocados do torneio. Venceu o Palmeiras duas vezes e bateu também Atlético-PR e São Paulo, além de ter empatado com Atlético-MG, Corinthians e Grêmio.

O Goiás volta a campo no próximo domingo, às 16h (horário de Brasília), contra o Grêmio, em Porto Alegre. No mesmo horário, o Palmeiras recebe o Corinthians para clássico na arena.

O jogo

Os visitantes dominaram a etapa inicial em Goiânia. Com Lucas Barrios bem postado como pivô, o Palmeiras manteve a bola em seu setor ofensivo, limitando os donos da casa aos contra-ataques. As melhores chances do Goiás foram em chutes de Zé Love, que se desvencilhava da zaga adversária com certa facilidade.

Além dos lançamentos longos pouco proveitosos partindo de seus zagueiros e da liberdade dada por Egídio na lateral esquerda, o Palmeiras foi prejudicado pela arbitragem. Em cobrança de falta de Robinho, Vitor Hugo desviou e Lucas Barrios, em posição legal, mandou para o gol. O assistente Marcelo Barison assinalou impedimento inexistente.

A poucos minutos para o intervalo, outro lance polêmico contra o Verdão: em belo corta-luz do volante Thiago Santos, Barrios finalizou dentro da área, e a bola bateu no braço do lateral Gimenez. O árbitro Leandro Pedro Vuaden marcou apenas impedimento de Robinho na sequência do lance.

Goiás x Palmeiras - Gol Bruno Henrique (Foto: Reprodução / TV Globo)
Autor do gol, Bruno Henrique é abraçado pelos companheiros (Foto: Reprodução/TV Globo)

Quem começou assustando no segundo tempo foi o Goiás: em chute forte de Fred, a bola parou no travessão de Fernando Prass, que apenas observou. Um sinal do ritmo que a etapa complementar ganharia, com chances claras de gol para ambos os lados.

De um lado, Barrios e Dudu apareceram livres diante de Renan, mas desperdiçaram a chance. Do outro, Zé Love continuava sendo o principal empecilho da zaga palmeirense. Mas quem encontrou a brecha foi Bruno Henrique: em jogada individual pela esquerda, o camisa 10 do Goiás deixou João Pedro sentado com drible desconcertante e fez o gol com categoria.

Marcelo Oliveira trocou Barrios e Thiago Santos por Alecsandro e Rafael Marques, respectivamente. O Palmeiras continuou criando, mas não conseguiu o empate. Os donos da casa, mesmo com dificuldades nas laterais, apenas administraram a vantagem até o apito final.

GLOBO ESPORTE.COM

Goiás 2 x 0 Atlético Paranaense

Bruno Henrique ofusca Walter, marca dois, e Goiás vence o Atlético-PR

Atacante mostra oportunismo no Serra Dourada e decreta primeira vitória esmeraldina no Brasileirão; artilheiro “gordinho” até se esforça, mas não consegue marcar pelo Furacão .

DESTAQUE

NOITE DE BRUNO HENRIQUE

As atenções estavam todas voltadas para Walter, mas quem roubou a cena no Serra Dourada foi um atacante “magrinho” do Goiás. Neste sábado, Bruno Henrique aproveitou duas assistências de Felipe Menezes e marcou os dois gols da vitória esmeraldina por 2 a 0 sobre o Atlético-PR, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. O Furacão foi melhor no primeiro tempo e poderia ter aberto o placar com Walter e Douglas Coutinho, no entanto, a equipe paranaense esbarrou no goleiro Renan. Na etapa final, o time esmeraldino voltou melhor e contou com noite inspirada de Bruno Henrique. Aos nove minutos, ele subiu mais alto após cobrança de escanteio e abriu o placar. Aos 35, aproveitou lançamento de Felipe Menezes e fechou o marcador. Foi a primeira vitória do Verdão na Série A 2015.

COMO FICA?

O Goiás chega aos quatro pontos e fica na liderança provisória do Campeonato Brasileiro. O time do técnico Hélio dos Anjos ainda não sofreu gols na competição e volta a campo no domingo (24), contra o Palmeiras, em São Paulo. O Atlético-PR fica com três pontos e jogará no mesmo dia contra o Atlético-MG, na Arena da Baixada.

DEFESA FORTE

O Goiás entra no Campeonato Brasileiro bem protegido no sistema defensivo. O Atlético-PR até teve algumas oportunidades, mas quando a bola passou pelos zagueiros lá estava o goleiro Renan para fazer boas intervenções. Além de jogar com três volantes, a equipe esmeraldina também conta com a solidariedade dos atacantes, que ajudam a marcar.

 

WALTER

O atacante que foi ídolo do Goiás até que tentou. No primeiro tempo, principalmente, saiu muito da área, deu bons passes e teve uma grande oportunidade. Após falha de Felipe Macedo, ele driblou Alex Alves como quis, mas chutou em cima de Renan.

 

ERRO DE ARBITRAGEM

Walter poderia ter balançado as redes não fosse um equívoco do assistente Carlos Berkenbrock no segundo tempo. Ele recebeu bom lançamento em condição legal, mas a arbitragem marcou impedimento. Depois do apito, o atacante ainda chutou para o fundo do gol.

 

 

GLOBO ESPORTE.COM

Corinthians 2 x 2 Coritiba

2 x 2

32ª RODADA
NO ÚLTIMO LANCE DO JOGO, CORINTHIANS EMPATA E MANTÉM CORITIBA NO Z-4
Em noite inspirada, Alex faz grande primeiro tempo e garante vantagem parcial. No entanto, meia sai machucado, Timão reage e marca aos 49
Frustração de um lado, alívio de outro. Até os 49 minutos do segundo tempo, o Coritiba vencia o Corinthians por 2 a 1, neste sábado, na Arena do Timão, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com esse resultado, o Coxa ia saindo da zona de rebaixamento, graças a uma grande atuação de Alex no primeiro tempo. Mas havia Bruno Henrique. Numa cabeçada forte, certeira, completando cobrança de escanteio, o volante corintiano empatou a partida no último lance, aos 49 minutos do segundo tempo.
Frustração de um lado, alívio de outro. Até os 49 minutos do segundo tempo, o Coritiba vencia o Corinthians por 2 a 1, neste sábado, na Arena do Timão, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com esse resultado, o Coxa ia saindo da zona de rebaixamento, graças a uma grande atuação de Alex no primeiro tempo. Mas havia Bruno Henrique. Numa cabeçada forte, certeira, completando cobrança de escanteio, o volante corintiano empatou a partida no último lance, aos 49 minutos do segundo tempo.

Com o resultado, o Coxa segue no Z-4. Está em 17º, com 34 pontos. Já o Timão, com 54, caiu uma posição e agora está em sexto. As vitórias de Fluminense e Grêmio, também neste sábado, prejudicaram o Timão, que pode se distanciar ainda mais do G-4 dependendo dos resultados deste domingo. O time paranaense também pode perder posições, já que Botafogo e Bahia ainda jogam.

O próximo jogo do Timão será contra o Santos, domingo que vem, às 19h30 (horário de Brasília), novamente na Arena. O Coritiba recebe o Fluminense, sábado, também às 19h30, no Couto Pereira.

alex robinho CORINTHIANS X CORITIBA (Foto: Marcos Ribolli)
Alex foi bem no primeiro tempo, mas acabou se machucando no segundo (Foto: Marcos Ribolli)

Gênio supera jogo maluco

Mano Menezes fez o que pôde para deixar o Timão mais ofensivo, colocando Danilo como centroavante, soltando Malcom e Luciano pelas pontas, contando com a pressão da Arena Corinthians. O jogo até começou bom para os donos da casa, mas tudo ruiu em poucos e inusitados minutos.

Dos 15 aos 19 minutos, quase tudo aconteceu: Jean Pierre Gonçalves Lima, o juiz, marcou pênalti de Welinton em Luciano. Pouco depois, foi chamado pelo auxiliar que fica atrás do gol. Após breve conversa, Jean voltou atrás e desmarcou a penalidade, para revolta dos corintianos. Enquanto isso, um cão atravessou o campo duas vezes e foi retirado pelos bombeiros. No fim, Anderson Martins teve um gol corretamente anulado por impedimento.

Com tanto em tão pouco tempo, o Corinthians se perdeu e acabou abrindo espaço para o gênio: Alex, 37 anos, o craque do Coritiba. Em dois atos, ele puniu o time da casa: passe perfeito para Robinho abrir o placar, aos 24 minutos, e chute certeiro de fora da área para fazer 2 a 0, aos 31.

A entrada de Ángel Romero no lugar de Malcom, no intervalo, surtiu efeito no primeiro minuto da segunda etapa, quando o paraguaio recebeu pela direita, chutou e viu Elias completar para diminuir o placar. A Arena virou um caldeirão, e o cenário passou a ser favorável ao Corinthians, que, todo no ataque, deixava espaços: Alex, numa escapada, só não marcou o terceiro porque adiantou demais a bola e foi barrado por Cássio.

O Coxa parou. A partir daí, pressão total do Timão: gols perdidos, pontaria longe de estar afiada. Romero errou cabeçada na pequena área, Luciano errou um chute fácil… Quando acertava o gol, o Alvinegro parava no goleiro Vanderlei. Nos últimos minutos, o Timão passou a jogar dentro da área do Coxa, que se segurava como podia. A pressão era intensa, e os visitantes não aguentaram: aos 49, em cobrança de escanteio de Uendel, Bruno Henrique apareceu sozinho para cabecear e empatar a partida.

cachorro invasão CORINTHIANS X CORITIBA (Foto: Marcos Ribolli)
Cachorro invadiu o campo e foi retirado pelos bombeiros (Foto: Marcos Ribolli)
GLOBO ESPORTE.COM

Portuguesa 2 x 0 Atlético Mineiro

 2 x 0 

A Portuguesa está perto de deixar definitivamente para trás o fantasma do rebaixamento. E faltam apenas três jogos para o Atlético-MG se concentrar totalmente no Mundial de Clubes da Fifa. Foi nesse clima, de garra contra o descenso e descaso pelo Brasileirão, que a Lusa venceu o Galo por 2 a 0.

Neste domingo, no estádio do Canindé, em São Paulo, a Lusa não deixou de procurar o gol sequer um minuto e foi premiada com uma importante vitória, com gols de Bruno Henrique e Henrique. Agora com 44 pontos, em 13º lugar, o time rubro-verde se afasta da zona de rebaixamento e fica perto de escapar de vez.

O Galo, por sua vez, caiu para a sétima colocação, agora com 52 pontos. Mas também pouco importa para o atleticano a posição na tabela. O interesse agora é em preparar a equipe para os jogos que terá pela frente no Marrocos.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG joga no sábado, às 21h, contra o Goiás, no Independência, em Belo Horizonte. A Portuguesa, por sua vez, visita o Bahia, domingo, às 19h30m, na Fonte Nova, em Salvador.

Prêmio para Lusa

De tanto insistir, a Portuguesa se deu bem no primeiro tempo. Não se escondeu na partida. Foi para cima desde o primeiro minuto. É verdade que em várias oportunidades faltou à Lusa uma organização melhor para transformar o volume de criação em finalizações. Quando deu certo, porém, foi certeiro. Aos 45 minutos da etapa inicial, Wanderson avançou pela direita e cruzou para Bruno Henrique bater de primeira, sem chance para Giovanni.

Atual campeão da Libertadores e já concentrado no Mundial de Clubes, em dezembro, no Marrocos, o Atlético-MG, claramente, está num ritmo diferente nesta reta final de Campeonato Brasileiro. Ficou evidente. Para piorar, a equipe do técnico Cuca perdeu Réver, machucado, logo aos quatro minutos de jogo.

Com dificuldade em chegar ao ataque com perigo, o Galo apostou na maioria das vezes em finalizações de longa distância. Não deu certo.

Ao ataque

A Portuguesa não se acomodou com a vantagem e manteve o ritmo na etapa final. Aproveitando os bons passes de Diogo, o time do Canindé chegou com perigo na área mineira. Sem conseguir espaços, o Galo tinha dificuldade em acalmar o ímpeto do rival.

Persistente, a Lusa seguiu no ataque sem medo de levar o gol de empate. E foi novamente premiada pela insistência. Aos 19 minutos, em um lance de oportunismo e garra, Henrique disputou a bola com três zagueiros e ficou livre para anotar o segundo gol da Portuguesa na partida.

Muito embora o Atlético-MG tenha agredido um pouco mais depois de ver a vantagem do adversário aumentar, a Portuguesa soube defender bem, na mesma proporção que atacou. O Galo, por sinal, também teve que se armar na defesa, porque os donos da casa não pararam de procurar o gol.

Portuguesa 3 x o Náutico

 3 x 0 

 

Após 15 rodadas consecutivas dentro do grupo dos quatro últimos colocados, a Portuguesa finalmente deixou a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro na noite desta quinta-feira, ao vencer o Náutico por 3 a 0, com gols de Moisés, Gilberto e Bruno Henrique. Com o resultado, o clube rubro-verde empurrou o Criciúma para o Z-4 e assumiu a 16ª colocação para a festa dos pouco mais de 1.800 torcedores que foram ao Canindé.

O estádio, aliás, tem sido o principal trunfo da equipe de Guto Ferreira. Apesar do rotineiro baixo público, a Lusa conquistou 21 dos seus 25 pontos somados na competição atuando em casa. Na próxima rodada, no entanto, a Portuguesa precisará mostrar sua força como visitante. O duelo será em Porto Alegre, às 16h de domingo.

O Náutico, por sua vez, segue ladeira abaixo. Após somar sua 12ª partida sem vitória, a equipe pernambucana soma nove pontos, na lanterna da tabela, e torce por um milagre para conseguir se livrar do rebaixamento. O Timbu agora volta para Recife, onde encara o Flamengo, em casa, também no domingo.

Moises gol Portuguesa (Foto: Marcos Bezerra / Ag. Estado)Moises abriu placar para a Portuguesa no primeiro tempo (Foto: Marcos Bezerra / Ag. Estado)

Três gols em 45 minutos. E foi pouco para a Lusa

Podem mudar os jogadores, mas o espírito da Lusa é o mesmo. Jogando no Canindé, mesmo que ainda sem o apoio maciço da torcida, a equipe de Guto Ferreira tem se mostrado praticamente imbatível. Na noite desta quinta-feira, apesar do desfalque de peso de Diogo e também do lateral Rogério, a Portuguesa repetiu o que apresentou diante de Bahia, Ponte e Vasco, e não deu chances ao Náutico.

Recém-contratado do América-MG, Bryan assumiu a lateral esquerda e logo mostrou seu cartão de visita aos torcedores rubro-verdes. Aos sete minutos, ele fez boa jogada pelo lado do campo, passou por Dadá e levantou na área. Sem marcação, Moisés saltou e teve todo o tempo do mundo para mirar e cabecear fora do alcance de Gideão. Festa no Canindé.

Bastante desfalcado, e com o psicológico abatido, o Náutico tentava de todas as maneiras se organizar em campo, mas a Lusa não dava espaço para a reação rival. Depois de bombardear a meta defendida pelo Timbu, os donos da casa chegaram ao segundo gol em uma pintura de Gilberto, artilheiro do time, que acertou um belo chute do meio da rua. E o que já era bom ficou ainda melhor já perto do fim do primeiro tempo, quando Bruno Henrique cobrou falta com perfeição e deixou 3 a 0 no placar.

Pontaria falha, rede não balança, mas a festa continua

Não se sabe o tom da conversa no vestiário entre Levi Gomes e seus comandados, mas o Náutico retornou para o segundo tempo mudado, com as entradas de João Filipe e Helder, e disposto a ensaiar uma pressão. Nos primeiros minutos, até visitou a área adversária algumas vezes e proporcionou sustos para o goleiro Lauro. Mas logo voltou com a mesma postura passiva de antes e, então, só passou a assistir à Lusa jogar.

Tranquila com o placar construído no primeiro tempo, a Portuguesa não apresentava o mesmo capricho de antes, mas, diante da fragilidade do adversário, ainda assim esteve muito próxima de balançar a rede novamente. Bruno Henrique, Gilberto, Luis Ricardo e Cañete tiveram boas chances para transformar a vitória em goleada, mas falharam na finalização.

Porém o lance mais inacreditável da noite ficou para Bergson. Após Souza fazer grande jogada pela esquerda, invadir a área e cruzar rasteiro, o substituto de Diogo, sozinho, sem qualquer marcação e praticamente debaixo do travessão, conseguiu chutar para fora. Problema? Nenhum. A torcida logo o aplaudiu e seguiu em festa até o fim da partida. “Time de guerreiros”, reconheceram os lusitanos enquanto a equipe rubro-verde descia orgulhosa para o vestiário.