Renato Maurício Prado comenta Bayer München 3 – 2 Barcelona com ar de nostalgia

 

O magnífico jogo entre Bayer de Munique e Barcelona, pela Liga dos Campeões (vitória alemã por 3 a 2 e classificação catalã, graças ao triunfo por 3 a 0, na primeira partida), me deixou nostálgico: há quanto tempo não vemos por aqui um espetáculo com tantos craques em campo? Tive a ventura de assistir a muitos destes shows inesquecíveis. Mas hoje em dia… Só mesmo pela TV.
Já era nascido, mas não cheguei a presenciar os memoráveis confrontos entre o Santos de Pelé e o Botafogo de Mané Garrincha, duas máquinas de jogar bola que, não tenho dúvidas, superavam esse Barça x Bayern no número de jogadores extraordinários em campo.

Duvida? Vamos lá, de um lado, Pelé, Coutinho, Zito, Gilmar, Pepe, Mengálvio etc, do outro Mané, Didi, Nilton Santos, Amarildo, Manga, Zagallo e por aí vai. Alguns gênios da bola. Como apenas Messi é hoje em dia (e Neymar talvez seja no futuro).

Como disse, não tive a ventura de acompanhar esses duelos extraordinários porque era muito pequeno. Mas o primeiro choque de estrelas a que assisti, até hoje permanece na minha memória. Era o ano de 1966 e, diante da TV, meu pai e eu ficamos boquiabertos ao ver o ainda poderoso Santos de Pelé ser espancado no Mineirão por uma equipe infernal de garotos como Tostão, Dirceu Lopes, Zé Carlos, Natal, Piazza, Raul etc. Foi 6 a 2 lá e 3 a 2 (de virada), no Pacaembu. Detalhe: Pelé estava em grande forma e se não tinha mais Coutinho ao lado, fazia par com outro grande artilheiro: Toninho. E ainda havia Edu, infernal, na ponta-esquerda.

Dois esquadrões dos melhores em todos os tempos, que cruzariam os bigodes, nos anos seguintes com mais um timaço, cheio de craques: o Botafogo de Gérson, Jairzinho, Roberto e Paulo César Caju (além de Leônidas, um monstro na zaga).

Bons tempos, que prosseguiram com a Máquina Tricolor, de Francisco Horta (Rivelino, Paulo César Caju, Doval, Pintinho, Edinho etc) duelando com o Internacional de Carpegianni, Falcão e Figueroa; o Flamengo de Zico, Júnior, Leandro, Adílio, Tita, Andrade e cia, enfrentando o fantástico Atlético Mineiro de Reinaldo, Cerezo, Éder, Palhinha etc e o São Paulo (bicampeão do mundo) dirigido por Telê Santana, encarando o Palmeiras da era Parmalat, com Rivaldo, Edmundo, Djalminha e Evair.

Me arrisco a dizer que a partir daí a coisa foi piorando mas até o ano 2000 ainda tivemos alguns duelos, cheios de craques, por aqui. O Vasco, campeão da Copa Mercosul (sobre o Palmeiras) e Brasileiro (sobre o São Caetano) era também galáctico: Romário, Juninho Pernambucano, Juninho Paulista, Euller, Jorginho, Helton, Pedrinho, Felipe etc.

Daí pra frente, confesso, já não me recordo de times fora de série. No máximo, bons. Na seleção campeã do mundo, em 2002, praticamente todos já jogavam no exterior. Mas, pelo menos, eram protagonistas. Agora, nem isso. E fica cada vez maior o contraste entre o que vemos lá fora (principalmente na Premier League, da Inglaterra, e na Liga dos Campeões) e por aqui.

Será que um dia voltaremos a ter craques de verdade atuando nos gramados brasileiro? O último (e solitário) foi Neymar. O resto, quando muito, pode ser considerado bom jogador.

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 15/05/2015

Bayern München é campeão da Fußball-Bundesliga 2013/2014

Kroos, Götze e Ribéry marcam nos 3 a 1 em Berlim e garantem o 23ª caneco da Bundesliga – o primeiro com Pep Guardiola. Bávaros somam 19 vitórias seguidas .

Pode não ter sido mais uma goleada, tão habitual sob o comando de Pep Guardiola. Para o Bayern de Munique, seria apenas questão de capricho. Com mais uma vitória, a 19ª consecutiva, os bávaros garantiram o bicampeonato alemão com sete rodadas de antecedência – o primeiro com o treinador catalão. Ele veio matematicamente com os 3 a 1 sobre o Hertha Berlim, nesta terça-feira, no Olympiastadion, pelo 27º jogo do esquadrão bávaro. Um recorde.

Superar o time de Jupp Heynckes é um dos grandes feitos desta equipe. No ano passado, o Bayern já havia sido campeão por antecipação em seis rodadas, no dia 6 de abril. Agora, leva o caneco, o 23º da Bundesliga para o clube (24º no geral, contabilizando a temporada 1931/32), ainda no mês de março, sem conhecer uma derrota sequer numa campanha quase perfeita. E poderá focar todos os esforços na batalha pelo bicampeonato da Liga dos Campeões – enfrentará o Manchester United nas quartas de final. Na Copa da Alemanha, o adversário será o Kaiserslautern, da Segunda Divisão, na semifinal.

Bayern de Munique campeão alemão taça bundesliga (Foto: Reuters)
Capitão Philipp Lahm ergue a salva de prata da Bundesliga (Foto: Reuters)

 

Bayern de Munique x Hertha Berlim (Foto: AFP)
Apito final e festa do título: brasileiro Dante era um dos mais animados (Foto: AFP)

 

Até mesmo um empate confirmaria a salva de prata, já que o Borussia Dortmund não fez o dever de casa no clássico do Vale do Rurh e apenas empatou por 0 a 0 com o Schalke 04, no Signal Iduna Park. Os aurinegros chegaram aos 52 pontos, contra 77 do Bayern. Restam sete rodadas – ou seja, apenas 21 pontos em jogo. O Hertha Berlim, com 36, seguirá em nono, sem correr perigo de rebaixamento e ainda sonhando com uma vaga na Liga Europa.

Há outras marcas a serem perseguidas por Guardiola e companhia. O de melhor ataque da história: faltam 22 gols para se igualar à time de 1971/72, comandado por Gerd Müller. O de melhor defesa: sofreu 13 gols, contra 18 da equipe de Jupp Heynckes de 2012/13. E a maior invencibilidade: não perde há 52 jogos na Bundesliga, em 28 de outubro de 2012. O grande recordista na Europa ainda é o Milan de 1991-1993, com 58 partidas.

– É inacreditável conquistar o título com essa sequência de invencibilidade. Estamos incrivelmente orgulhosos da nossa equipe e das nossas conquistas nesta temporada – disse o meia-atacante holandês Arjen Robben.

Bayern de Munique x Hertha Berlim (Foto: Reuters)
Jogadores comemoram o gol de Toni Kroos, que abriu a 19ª vitória do Bayern na Bundesliga (Foto: Reuters)

 

2 A 0 AOS 13

O Bayern levou apenas seis minutos para dar o aviso de que o título sairia nesta terça. Foi quando Toni Kroos abriu o placar, em bonita jogada coletiva que contou com participação de Schweinsteiger e Müller. Novamente pela direita, Rafinha recebeu de Kroos e deixou para Schweinsteiger, que cruzou com perfeição para Mario Götze balançar as redes.

Müller, duas vezes, perdeu a chance de ampliar ainda no primeiro tempo e viu o Bayern sofrer por alguns instantes na etapa final. Em pênalti cometido pelo brasileiro Rafinha – Dante, assim como o lateral, atuou durante os 90 minutos -, o colombiano Adrián Ramos descontou com classe e deixou um clima de suspense em campo. Não durou tanto tempo assim: aos 33, Götze arrancou e deixou para Ribéry, que deu números finais com um lindo toquinho de cobertura. Dali para a festa foi mera formalidade.

– Tudo vem junto para nós. Jogamos um futebol fenomenal na temporada. Eu não achei que isso seria possível há dez anos, mas estamos muito satisfeitos e muito felizes por ter Pep Guardiola aqui. Ele fez o nosso jogo evoluir ainda mais – opinou o goleiro Manuel Neuer.

Info Bayern de Munique Supremacia (Foto: Editoria de Arte)
GLOBO ESPORTE . COM

 

Definida a equipe do SporTV que cobrirá a Copa do Mundo de Clubes da FIFA Marrocos 2013

Garanta seu ingresso para ver o Galo

Crédito da foto : FIFA.com

 

Para o Mundial de Clubes, no Marrocos, com a participação do nosso Atlético Mineiro e o Bayern da Alemanha, entre outros menos votados, o SporTV também já tem a sua equipe definida, com Luiz Carlos Jr, Lédio Carmona, Belletti, Edgar Alencar e Josino Ribeiro.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Globo vai com equipe completa na final da Liga dos Campeões

Cléber Machado fará a transmissão da final, Bayern e Borussia, em Londres

Cléber Machado fará a transmissão da final, Bayern e Borussia, em Londres

A Liga dos Campeões passou a merecer da TV Globo uma atenção especial. Como, aliás, nunca existiu. Já estão certas as viagens de Cleber Machado, Caio e Leonardo Gaciba para a transmissão da final, Bayern e Borussia, em Londres, dia 25.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Borússia Dortmund e Bayern de Munique ficam no 1×1 pelo Campeonato Alemão

Duelo entre equipes serviu como prévia da final da Champions League

O jogo do Campeonato Alemão entre os dois finalistas da Copa dos Campeões da Europa acabou com empate. Borussia Dortmund e Bayern de Munique ficaram no 1 a 1, neste sábado (4).

Mario Gómez marcou o gol do Bayern. Foto: Agência Reuters

A partida da antepenúltima rodada da Bundesliga foi realizada em Dortmund, com pouca importância para a competição nacional. O Bayern já assegurou o título nacional, e o Borussia já conquistou a vaga na próxima edição do torneio europeu. Assim, muitos reservas entraram em campo.

Kevin Grosskreutz abriu o placar para o time da casa, aos 11mim do primeiro tempo. Mario Gómez empatou aos 23min. Lewandowski ainda errou um pênalti para o Borussia e Rafinha foi expulso por dar uma cotovelada, deixando o Bayern com apenas dez jogadores em campo.

A final da Copa dos Campeões da Europa será realizada em jogo único, no estádio de Wembley, em Londres, no dia 25 de maio.
Leverkusen

O Bayer Leverkusen garantiu uma colocação entre os três melhores do Campeonato Alemão e uma vaga na próxima Liga dos Campeões com uma vitória por 2 a 0 sobre o Nuremberg hoje.

 

 

Diário do Nordeste-Jogada-04 de maio de 2013