“Balacobaco” e “Dona Xepa” ganham prêmio internacional

As novelas da Record fazem sucesso no mercado internacional.

A Record recebeu três prêmios internacionais no FYMTI, Festival Y Mercado de TV – Ficción Internacional, realizado na última semana em Buenos Aires, na Argentina.

A novela Dona Xepa, com texto de Gustavo Reiz e direção de Ivan Zettel, recebeu prêmio de “Melhor Telenovela de 2013” e “Melhor Tema Musical 2013”.

Balacobaco, novela de Gisele Joras com direção de Edson Spinello, foi premiada como “Melhor Ficção/Comédia 2013”.

A premiação é organizada pelo FYMTI, que é um evento dedicado à indústria do entretenimento, formado por três partes: a feira (compra e venda de conteúdo), fórum (mesa redonda e workshops) e o festival, que premia os melhores da TV.

Na Argentina Dona Xepa ganhou o nome de La Pichinchona e Balacobaco recebeu o título de Los Tranposos.

O Planeta TV

“Pecado Mortal” tem média superior às antecessoras; entenda

 

https://i0.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/c1105ca9c31f15ee4f6c62da918055e3.jpg

Simone Spoladore é a promotora Patrícia em “Pecado Mortal” – Divulgação/Record

Ainda que tenha índices aquém aos esperados pela Record, “Pecado Mortal” vem conseguindo cumprir parte de seus objetivos.
Mesmo que não tenha levado a emissora paulista de volta aos dois dígitos de audiência, o folhetim tem índices superiores às antecessoras “Dona Xepa” e “Balacobaco” no mesmo horário.
Segundo o jornalista José Armando Vanucci, os números da trama de Carlos Lombardi são 13% superiores aos de “Dona Xepa” e 23% mais expressivos que os de “Balacobaco” – que começou na mesma época em que “Avenida Brasil” entrava em suas semanas finais.
Também foi notado o crescimento da Record no Rio de Janeiro e no PNT, que abrange o Painel Nacional da Televisão.
NaTelinha

Novela na Record continua sendo problema

 

Ainda não há nenhum terror quanto à baixa audiência de “Pecado Mortal”. Os seus números, segundo a Record, são superiores aos de “Balacobaco” e “Dona Xepa” que a antecederam.
Também é verdade que não é uma novela para registrar índices tão baixos.Existe uma história interessante sendo contada, a produção – mesmo em se tratando de um trabalho de época – é caprichada, como são precisos os desempenhos da sua direção e elenco. Está complicado descobrir onde está pegando para justificar os 6 ou 7 pontos atuais.
Novela na Record, apesar de uma ou outra coisa, sempre foi um problema. É aquilo: tem autor da Globo, artistas da Globo, iluminador da Globo, maquiador da Globo, … mas não é novela da Globo. Desde “Direito de Vencer”, em 1997, até agora, os seus sucessos foram poucos.
Há quem afirme, dentro da própria emissora, que é chegada a hora de analisar este assunto com maior profundidade e buscar alternativas que possam ser mais vantajosas para a sua teledramaturgia.
Talvez, até, parar com a produção de novelas, embora isso possa parecer drástico demais, para investir nas minisséries – que sempre ofereceram um bom retorno ou mesmo em séries, como se planeja através dos especiais de fim de ano.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Após ser usada em duas novelas da Record, mesma casa aparece em Amor à Vida

O leitor César Silva ficou intrigado depois de ver, em “Amor à Vida”, a casa (imagem ao lado)  que o corretor de imóveis Bruno (Malvino Salvador) mostrou a Aline (Vanessa Giácomo). A nova mulher de Cesar (Antonio Fagundes), como se sabe, estava procurando uma residência afastada, sem vizinhos, para comprar.

Na memória do leitor, aquela casa já havia aparecido em outras duas novelas. Pesquisando no You Tube, ele confirmou a suspeita. Em “Bela, a Feia” (2009), uma adaptação da Record de uma novela colombiana, é a casa (imagem do meio) da personagem Vera (Silvia Pfeifer), que serve de abrigo a Bela (Giselle Itié). Já em “Balacobaco” (2012), de Gisele Joras, a personagem Heloisa (Ângela Leal) está na casa (terceira imagem) quando leva um tiro e morre, caindo dentro da piscina.

Fiquei impressionado como a memória do “detetive”, já que faz um certo tempo que a casa apareceu nas outras duas novelas. Enviei um e-mail a César peguntando como ele se lembrou. Eis a sua explicação: “Assisti as duas novelas da Record e já tinha reparado que as casas eram as mesmas… Pois foram gravadas cenas marcantes – em ‘Bela, a Feia’ foi feita a transformação da Bela, e em ‘Balacobaco’ foi gravada a cena da morte da Heloísa e do Norberto. Ao ver na Globo, lembrei dessas cenas e foi só pesquisar. Gosto muito de TV e de novelas, e reparo bastante nisso.”

 

Maurício Stycer – UOL

“Dona Xepa” termina com média superior a de “Balacobaco” e “Máscaras”

https://i0.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/a4fece64ecc205071c32f12422b9c7a3.jpg

Angela Leal é a protagonista de “Dona Xepa”: novela eleva audiência de “Balacobaco” e “Máscaras” – Divulgação/Record

Com o último capítulo exibido nesta terça-feira (24), “Dona Xepa” chegou ao fim com bons resultados.
Ainda que a novela de Gustavo Reiz não tenha feito com que a Record retomasse à casa dos dois dígitos com sua dramaturgia, o folhetim termina com média geral de 6,9 pontos, a qual é superior aos 6,7 da antecessora “Balacobaco” e aos 6,0 de “Máscaras”.
A recuperação, ainda que lenta, chama atenção levando em conta alguns outros fatores. “Dona Xepa” ganhou audiência em seu decorrer e os índices da reta final são o dobro dos registrados nos capítulos iniciais.
A perfomance da trama também se torna positiva levando em conta o orçamento investido pela Record. Com um terço da verba gasta em “Balacobaco”, “Dona Xepa” entregou resultados mais satisfatórios. Além disso, a história protagonizada por Angela Leal movimentou um elenco muito mais enxuto, com menos frentes de gravações e com menos cenários – os quais, em alguns casos, foram reaproveitados de “Rebelde”.
“Dona Xepa” foi a primeira novela do autor Gustavo Reiz e teve direção-geral de Ivan Zettel (“Rebelde” e “Luz do Sol”). Ao todo foram 91 capítulos exibidos, fazendo com que esta fosse a menor novela já produzida no RecNov e uma das menores novelas da dramaturgia brasileira.
Considerando os últimos 15 anos, “Xepa” só foi maior que “Estrela Guia”, que teve 83 capítulos na Globo em 2001 e um pouco menor que “Pícara Sonhadora”, do SBT no mesmo ano e que fechou com 95 capítulos.
A partir desta quarta (25), a Record lança “Pecado Mortal”. Escrita por Carlos Lombardi e de direção-geral de Alexandre Avancini, o folhetim tem como objetivo ampliar ainda mais os índices de audiência do horário.
Diferente de “Dona Xepa”, “Pecado Mortal” deverá ter pelo menos o dobro da quantidade de capítulos.
NaTelinha

“Balacobaco” vence prêmio internacional; Record é bicampeã no segmento

https://i2.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/6b880f9fe0f8b8133d00d8b089a376cf.jpg

Bruno Ferrari é o vilão Norberto em “Balacobaco” – Divulgação/Record

A Record acaba de conquistar mais um prêmio internacional por sua dramaturgia.
A emissora conquistou a premiação pela melhor novela de 2012 com “Balacobaco” no Banff Media Festival, um dos festivais de maior renome, tradição e prestígio no Canadá. A trama escrita por Gisele Joras e dirigida por Edson Spinello disputava no segmento de Soap Operas.
“Balacobaco”, que teve seu nome traduzido para “Tricky Business” (em tradução literal, “Negócios Complicados”), foi a única produção brasileira indicada no segmento de dramaturgia.
Com este novo prêmio, a Record se torna bicampeã. No ano passado, a emissora faturou o mesmo prêmio para “Vidas em Jogo”, de Cristianne Fridman e de direção-geral de Alexandre Avancini.
NaTelinha

Balacobaco recebeu prêmio no Canadá

 

 

“Balacobaco”, de Gisele Joras e direção de Edson Spinello, produção da Record, foi premiada como melhor telenovela de 2013 pelo Banff World Media Festival, no Canadá.
A novela concorreu com produções do Canadá, Filipinas, Noruega.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

BALACOBACO poderá receber prêmio no Canadá

 

A novela “Balacobaco”, ou “Las Tramposos” em espanhol, produção da Record, acaba de ser indicada como finalista de um prêmio internacional, o Banff World Media Festival, no Canadá, na categoria Telenovelas.

 

Terá como concorrentes trabalhos das TVs do Canadá, Noruega e Filipinas. O resultado sai amanhã.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Audiência do último episódio de BALACOBACO

Último capítulo de “Balacobaco”, exibido na noite desta segunda-feira, 20/05, alcançou uma média de 8 pontos, com picos de 11. A trama – assinada por Gisele Joras – terminou com a mesma pontuação de sua estreia, em outubro do ano passado. O seu recorde ao longo de sua exibição, foi de 11 pontos. A sua média geral, no decorrer dos 163 capítulos – foi de 7 pontos, um a mais que a da antecessora, “Máscaras”.

Ao longo de seus sete meses de exibição, “Balacobaco” mesclou ingredientes clássicos do melodrama com doses de humor; dinamismo, cenários, fotografias e forte elenco também se destacaram na produção.

Uma trama que deixa saudades , ao contrário de Máscaras

O Planeta TV