Ceará tem oito municípios com nível epidêmico de dengue, aponta boletim

Duas cidades têm cinco vezes mais o índice considerado epidêmico.
Ceará tem 9.220 casos confirmados da doença em 2016.

Oito cidades do Ceará registram nível epidêmico de dengue em 2016, quando a região tem mais de 300 casos da doença para cada 100 mil habitantes. Nas cidades de Tauá e Cedro, o índice já é cinco superior ao nível epidêmico, o que exige alerta dos moradores, de acordo com boletim de epidemiologia divulgado pela Secretaria da Saúde do Ceará. (Veja na tabela abaixo as cidades com nível epidêmico da doença)

Cidades cearenses
com nível epidêmico
de dengue
Nº de casos
por 100 mil
habitantes
Tauá 1584,0
Cedro 1514,9
Tabuleiro do Norte 925
Catarina 836,7
Barroquinha 660,9
Baixio 645,4
Milagres 465
Campos sales 381,6

Em todo o Ceará, foram confirmados 9.220 casos de dengue em 2016 e há outros 21 mil prováveis. Também foram registrados 42 casos de dengue grave, 14 óbitos. Em outros 25 óbitos há investigação se foi resultado da dengue, nos municípios de nos municípios de Fortaleza (8), Maracanaú (3), Caucaia (3), Tauá (3), Crato, Itapajé, Paraipaba, Aquiraz, Ocara, Quixadá, Itaiçaba, e Horizonte.

Cuidados dentro de casa
O fumacê só mata parte dos mosquitos adultos. O inseticida lançado pelo fumacê não mata as larvas do Aedes aegypti, que estão nas caixas d´água, potes, baldes, pneus, lajes, bandejas das geladeiras, onde estão os focos do mosquito.

Daí, a necessidade de manter os quintais sempre limpos, recolher todo objeto que acumula água, até mesmo tampinhas de refrigerante e cascas de ovos. Os baldes com água acumulada para utilidades domésticas devem ficar bem tampados.

A limpeza deve ser feita pelo menos uma vez por semana porque os riscos podem continuar ameaçando a saúde da família e dos vizinhos. Isso porque em pouco mais de oito dias os ovos depositados pela fêmea escondidos em algum lugar dentro de casa e no quintal, em contato com a água, podem virar larva, pupa e depois o mosquito adulto, voando por aí e transmitindo dengue,chikungunya e zika.

Outras doenças
Além dos casos de dengue, outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegyptitambém tiveram aumento no numero de casos no Ceará. A febre chikungunya, já tem 276 casos este ano, segundo a Sesa. Já microcefalia, de outubro de 2015 a 18 de abril deste ano, há a confirmação de 81 casos. No total, 27 óbitos, com oito tendo relação com a zika.

Denúncia de focos do mosquito
A população de Fortaleza pode solicitar vistorias ou realizar denúncias de possíveis focos do mosquito por meio da Ouvidoria da Saúde, que disponibiliza o telefone 0800.275.1364, e dos Distritos Técnicos de Endemias (DTE), localizados em cada Regional:

Regional I – (85) 3433.6823
Regional II – 3241.4768
Regional III – 3488.3256
Regional IV – 3105.3086
Regional V – 3294.6747
Regional VI – 3452.9359

Mapa das regionais de Fortaleza (Foto: Reprodução)

Infográfico Dengue (Foto: Arte/G1)

G1.COM.BR

Chove em 104 municípios cearenses, diz Funceme

Maiores registros foram na regão Jaguaribana

Choveu em 104 dos 184 municípios do Ceará de 7h da manhã de quarta-feira (24) para 7h da manhã desta quinta-feira (25), segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

Chuva banhou grande parte do território cearense. Foto: José Leomar

As maiores precipitações atingiram principalmente a região Jaguaribana. Em Iracema, foram registrados 68 mm, a maior chuva do Estado. A seguir vem Jaguaribara, com 53,6 mm; Ererê com 53,2 mm; Baixio, no Cariri, com 49 mm e Alto Santo, com 47 mm. Os dados foram atualizados às 10h45 desta manhã.

Em Fortaleza, foram registrados 14,4 mm. A previsão do tempo para a Capital é de uma quinta-feira nublada, com máxima de 31ºC e mínima de 24ºC.

 

Diário do Nordeste-Regional-25 de abril de 2013