Chapecoense 2 x 1 Vasco

DESTAQUE

O JOGO

Após duas derrotas seguidas, a Chapecoense venceu o Vasco por 2 a 1 nesta quarta-feira, na Arena Condá, e conseguiu se manter na quarta colocação do Campeonato Brasileiro, agora com 13 pontos. A equipe cruz-maltina segue sem pontuar fora de casa, e, com nove pontos, cai para a 12ª posição. Os gols foram marcados por Andrei Girotto e Arthur, e Jean descontou para os cariocas.

DESTAQUE

PANORAMA

No próximo sábado, às 19h, em São Januário, o Vasco mede força com o Avaí. Já a Chape terá pela frente mais um carioca, o Botafogo, domingo, às 16h, na Arena Condá.

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

A Chape apostou nas jogadas de bola aérea desde o início da partida para pressionar o Vasco. Victor Ramos, Luiz Otávio… todos tentaram por cima, mas foi Andrei Girotto o mais eficiente. Aos 28 minutos, o zagueiro foi mais esperto que Paulão e mandou de cabeça após escanteio cobrado por Seijas. Com pouca presença ofensiva, o Vasco era pouco efetivo, apesar do esforço de Nenê de brigar contras os marcadores da Chape. A melhor jogada da equipe cruz-maltina saiu dos pés do veterano, que deu ótimo passe para Douglas. De frente para gol, o volante chutou e Jandrei defendeu com o rosto. No escanteio, Nenê cobrou e Jean foi lá no alto para desviar de cabeça e empatar o jogo: 1 a 1.

DESTAQUE

SEGUNDO TEMPO

Na volta do segundo tempo, a Chapa retomou a pressão exercida no início da partida. O goleiro Martín Silva, no entanto, estava empenhado em atrapalhar os planos dos donos da casa. O uruguaio fez defesas importantes em sequência nas finalizações de Victor Ramos, Luiz Antonio e Arthur. Mas Arthur não desistiu. Aos 16 minutos, o atacante cortou para o meio e mando uma bomba indefensável. A bola ainda bateu na trave antes de entrar: 2 a 1. Novamente em vantagem, a Chape passou a tentar controlar mais a partida. O Vasco buscou mais o ataque após as mudanças do técnico Milton Mendes, mas o volume de criação de jogadas foi pequeno. A melhor foi em uma cabeçada de Breno que passou rente à trave. Mais um resultado ruim fora de casa para os vascaínos.

  • 299

  • DESTAQUEA VOLTA DE NENÊDepois de cinco rodadas no banco de reservas, Nenê teve a chance de retornar como titular. Não foi um camisa 10. Usou a 9 e foi o mais avançado da equipe. Lutou muito contra os zagueiros e até conseguiu alguns bons passes, como o que deixou Douglas de cara para o gol, mas teve muita dificuldade de para jogar de costas para o gol adversário. A tendência é de que volte para o banco de reservas contra o Avaí, quando Luis Fabiano retorna.

    1514

  • DESTAQUEFALA, ARTHUR–  Antes de chutar, ali no momento eu estava me cobrando bastante. Tinha errado um chute de esquerda e uma de cabeça. Uma bola que sempre peço para o Luiz virar, e eu pude fazer o gol. Meus amigos que me cobram para chutar bastante, agradecer a eles porque hoje fui feliz – disse o autor do gol da vitória da Chapecoense.

    • DESTAQUEFALA, BRENO– É difícil explicar. Nosso time só sabe jogar quando toma o gol. Demoramos para reagir, perdemos. Não tem nem o que falar. Perdemos.

      244

    • DESTAQUEFALA, LUIZ ANTÔNIO – Começamos muito intensos. Fizemos um gol no início. No final tomamos um gol de bola parada. Professor pediu mais movimentação e intensidade. Até mesmo para mim que fui bem marcado. Arthur foi feliz e pôde fazer aquele gol.

      154

    • DESTAQUEFALA, ANDREZINHO – Acho que a cada jogo a gente tem uma estratégia. Milton deixou claro qual era a nossa. Segurar a bola no primeiro tempo porque eles são fortes aqui, a torcida empurra bastante. Conseguimos empatar no primeiro tempo. Normal eles tomarem conta. Arthur foi muito feliz naquele chute, que nem é a perna boa dele. Temos que trabalhar para ter a mesma atuação dentro e fora de casa – disse o meia, que entrou no primeiro tempo.

    GLOBO ESPORTE.COM

Brasil de Pelotas 2 x 3 Ceará

DESTAQUE

MUITA EMOÇÃO!

Em um jogo cheio de reviravoltas nos 90 minutos, o Ceará confirmou uma vitória sobre o Brasil de Pelotas que parecia fácil em suas mãos. Depois de abrir 2 a 0, o Vozão cedeu o empate ao Xavante, mas buscou os três pontos nos minutos finais e garantiu o resultado com um 3 a 2. Rafael Pereira, Arthur e Rafael Carioca marcaram para os cearenses, enquanto Lincom, duas vezes, fez os dois gols xavantes. Arthur, inclusive, chorou e se emocionou após o gol por ser o substituto de Magno Alves, opção no banco. (Eduardo Moura)

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

Os primeiros minutos de jogo foram enganosos. Deram a impressão de um jogo empolgante, com chances de gol e qualidade técnica. Porque logo aos cinco minutos Rafael Pereira ganhou da marcação e desviou cobrança de escanteio para o gol, após cruzamento de Felipe Menezes. A bola ainda passou sob os pés de Wender ao lado da área. A partir de então, o relógio parecia em câmera lenta. O jogo transcorreu com muitos erros de passe e sem grandes chances de perigo. O Ceará controlou a partida e sofreu pouco na defesa. Apenas em uma oportunidade, Rafinha desviou cruzamento de Bruno Lopes, para defesa tranquila de Éverson. A bola aérea, grande força xavante, não entrou. E o meia Wagner, responável por ser o centro técnico, não apareceu. O Ceará, por outro lado, não precisou se expor muito. Buscava um contra-ataque, mas não conseguiu o encaixe para levar perigo a Martini. Ainda viu o zagueiro Luiz Otávio precisar ser substituído por dores na virilha. (Eduardo Moura)

O JOGO

SEGUNDO TEMPO

O que faltou de emoção no primeiro tempo, sobrou no segundo. Arthur se emocionou ao marcar um belo gol, após erro na saída de bola do Brasil. O 2 a 0 parecia dar tranquilidade ao Vozão, mas acordou o Xavante. Os donos da casa partiram para uma pressão, obrigaram Éverson a fazer três defesas, a mais difícil em cabeçada de Lincom e enfim chegaram ao gol. O próprio Lincom venceu o duelo particular com o goleiro e anotou duas vezes. A partir do empate, novamente o jogo pareceu estar decidido. Mas Rafael Carioca não estava satisfeito com o resultado e, aos 44 minutos, em chute de fora da área, surpreendeu Martini e colou o Ceará no G-4. (Eduardo Moura)

DESTAQUE

PRÓXIMOS DESAFIOS

Na próxima rodada, o Ceará enfrenta o Santa Cruz, na Arena Castelão, âs 21h30 da terça-feira (13). O próximo desafio do Brasil de Pelotas será o Luverdense, na Arena Pantanal, no mesmo dia e horário. Com o resultado, o Alvinegro de Porangabuçu chega aos 10 pontos e se aproxima do G-4, na sexta posição. Já o Xavante é o 11º com oito pontos.

GLOBO ESPORTE.COM

Chapecoense 3 x 6 Grêmio – Serie A 2017

O JOGO

QUE NOITE EM CHAPECÓ

Por Cahê Mota
Direto de Chapecó

Bonito e eficiente. O Grêmio aclamado pelo próprio Renato Portaluppi como melhor time do Brasil na atualidade mostrou na Arena Condá que inteligência também faz parte de seu repertório. Bem postado defensivamente e certeiro nas investidas ao ataque, o Tricolor fez 6 a 3 na antes líder Chapecoense na noite desta quinta-feira, em partida válida pela quinta rodada do Brasileirão. Michel, duas vezes, e Everton, três, marcaram para os gaúchos, enquanto Luiz Antonio e Reinaldo descontaram.

DESTAQUE

COMO FICOU?

Com a vitória, o Grêmio chegou aos 12 pontos, na segunda colocação, atrás somente do Corinthians, que tem 13. Segunda-feira, às 20h (de Brasília), o compromisso é contra o Bahia, na Arena, em Porto Alegre. Já a Chape saiu até mesmo do G-4. Com 10 pontos, está em quinto, atrás do Fluminense nos gols marcados. Domingo, a equipe viaja até Campinas para encarar a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, às 16h.

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

De um lado, todo ímpeto da Chape, líder surpreendente no início da rodada. Do outro, o Grêmio e o “melhor futebol do Brasil”, de acordo com Renato. E os 45 minutos iniciais foram de quem joga mais com a razão do que com a emoção. Os gaúchos seguraram a intensidade inicial dos donos da casa, colocaram a bola no chão e abriram o placar aos 20, com Michel. O volante tentou lançar para o ataque, mas acabou surpreendendo Jandrei, adiantado, e marcou um golaço.

 

A vantagem deu ainda mais tranquilidade a um Grêmio que precisou de somente mais cinco minutos para ampliar, novamente com Michel. Desta vez, por querer, ao escorar de cabeça cruzamento de Luan. A Chape sentiu o golpe, mas se mandou ao ataque e contou também com a sorte para diminuir. Luiz Antonio cobrou falta, ninguém desviou, e Grohe vacilou, caindo dentro do gol ao fazer a defesa: 2 a 1.

DESTAQUE

CHUVA DE GOLS NO SEGUNDO TEMPO

 

Embalada pelo bom fim da primeira etapa, a Chape se jogou ao ataque. O empate parecia questão de tempo. Kanneman quase fez contra, Wellington Paulista desperdiçou boa chance, mas o Grêmio também sabe sofrer. Segurou novamente o ímpeto inicial e precisou de somente dois ataques para definir o jogo. Everton precisou de apenas dois minutos após substituir Barrios para ser o herói.

 

A defesa da Chape cochilou aos 14, Pedro Rocha encontrou espaço e serviu Everton, que tocou por cima de Jandrei. Mal foi dada a saída de bola e a cena se repetiu, agora com assistência de Luan: 4 x 1 Grêmio. De pênalti, Reinaldo descontou aos 27. Mas o Tricolor seguiu melhor, tanto que Everton fez mais um aos 35. E os gols não pararam por ai. Com 44 minutos, Arthur, de cabeça, fez outro para a Chape. Um minuto depois, Luan entrou na na área e tocou na saída do goleiro para fazer o sexto, e o conto de fadas do Verdão na liderança chegava ao fim. Festa gaúcha em Chapecó.

DESTAQUE

O CARA DO JOGO!

Luan colocou a partida no bolso na Arena Condá. O atacante foi o cérebro de um Grêmio que usou toda inteligência para encontrar os espaços nas costas da zaga da Chape. Foram quatro assistências e um gol. Atuação de gala! De quebra, mitou no Cartola.

DESTAQUE

SINCERO!

Michel foi o responsável por mudar os rumos da partida. Aos 20, ajeitou o corpo e bateu cheio de estilo na bola para superar Jandrei do meio-campo. Golaço! Mas…sem querer. E o próprio volante admitiu:

– Sabia que jogava adiantado. Mas não chutei, vou ser sincero, fui fazer um lançamento. Mas fui feliz de ele estar adiantado e a bola ir para o gol. Foi sem querer.

 

O volante marcou ainda um gol de cabeça, dessa vez por querer. Recompensa merecida!

DESTAQUE

PENEIRA

Determinante para a surpreendente liderança da Chape, o setor defensivo decepcionou muito na noite de quinta-feira. Mal postada, deu os espaços que o Grêmio, em especial Luan, precisava para criar e deixou Jandrei em maus lençóis. Se o goleiro vacilou no primeiro gol, foi exposto e não teve o que fazer nos cinco seguintes. Noite para ser esquecida.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Atlético Goianiense 3 x 4 Macaé

Eletrizante: com final dramático, Macaé vence o Atlético-GO e deixa o Z-4

Após abrir 3 a 1, Alvianil Praiano vê Dragão empatar duelo no fim, mas acha gol da vitória por 4 a 3 com Juninho aos 43 minutos da etapa final e sai da zona da degola

Já era de se esperar. Ameaçados pela zona de rebaixamento da Série B, Atlético-GO e Macaé protagonizaram um duelo repleto de emoções na noite deste sábado, no Serra Dourada, pela 36ª rodada da competição. Após chegar a abrir  3 a 1 no placar, o Alvianil Praiano viu o Dragão arrancar o empate aos 39 minutos do segundo tempo, mas com gol do volante Juninho, aos 43 minutos da etapa final, garantiu a vitória dramática por 4 a 3.

Atlético-GO x Macaé no Serra Dourada (Foto: Cristiano Borges/O Popular)
Macaé bate o Atlético-GO e deixa o Z-4 (Foto: Cristiano Borges/O Popular)

Com o triunfo, o Leão chega aos 42 pontos e deixa o Z-4 da competição ao ultrapassar o Ceará e assumir a 16ª colocação. Por sua vez, com a derrota, o Atlético-GO permanece com 43 pontos, cai para a 15ª colocação e, agora, vê a degola ainda mais próxima.

As duas equipes voltam a campo pela Série B na próxima sexta-feira. Enquanto o Atlético-GO recebe o Oeste no Estádio Serra Dourada, às 19h, o Macaé enfrenta o já rebaixado Boa Esporte no Estádio Moacyrzão, às 20h30. Ambas partidas serão válidas pela 37ª rodada.
O JOGO
Desde o apito inicial do árbitro, Atlético-GO e Macaé deram claras demonstrações que fariam um duelo movimentado na noite deste sábado, no Serra Dourada. Logo aos quatro minutos, Anselmo recebeu livre na grande área, achou Pipico de cara para o gol, que chutou forte e obrigou o goleiro Márcio a fazer uma bonita defesa. Apesar disso, o Dragão devolveu na mesma moeda e, em chutes de fora da área com Régis e Washington, aos 19 e 21 minutos, respectivamente, quase estufou as redes do goleiro Rafael.

Atlético-GO x Macaé no Serra Dourada (Foto: Cristiano Borges/O Popular)
Leão supera o Dragão dentro do Serra Dourada (Foto: Cristiano Borges/O Popular)

Entretanto, quem abriu o placar foi mesmo o time visitante. Após falta dura de Régis em cima de Fernando Neto, cérebro do Macaé na partida, Wagner Carioca foi para a cobrança – de muito longe – e marcou um lindo gol aos 32 minutos. Só que a equipe goiana, nada abatida, foi para cima do rival e achou o empate dez minutos depois com o atacante Juninho, que recebeu lindo passe de Junior Viçosa e só teve o trabalho de tirar de Rafael.

O segundo tempo teve a mesma intensidade e equilíbrio entre as equipes. Com maior posse de bola, o Dragão até esboçou uma pressão nos minutos iniciais. Só que foi o Macaé que voltou a ficar à frente do marcador. Após uma linda e veloz jogada, Pipico, com muita precisão, achou Anselmo livre na área, e o atacante escorou de cabeça para fazer 2 a 1. Com Fernando Neto e Pipico em uma verdadeira noite endiabrada, o Leão não demorou a ampliar a vantagem. Após bate e rebate, Fernando Neto, na insistência, roubou a bola de Samuel, que tentou se recuperar, mas acabou cometendo pênalti. Na cobrança, Pipico bateu com categoria e fez o terceiro.

No entanto, pouco tempo depois, o Dragão encontrou o que precisava para voltar ao jogo. Jorginho deu um lindo passe para Arthur, que saiu na cara de Rafael e diminuiu. Motivo mais do que suficiente para a equipe goiana pressionar – e muito – nos 15 minutos finais em busca do empate. E ele veio. De tanto insistir, Raphel Luz aproveitou uma bola alçada na área, apareceu livre e mandou, de cabeça, para o fundo das redes. Só que tudo definitivamente parecia estar a favor do Macaé. Mesmo pressionado, o Alvianil achou o gol da vitória com o volante Juninho, aos 43 minutos, com um chutaço de fora da área.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Mogi Mirim 0 x 2 Atlético Goianiense

Atlético-GO vence Mogi fora de casa, consolida boa fase e afunda o Sapo

Dragão chega a nove jogos sem derrota e bate equipe paulista por 2 a 0, em jogo com mais um lance confuso da arbitragem. Time de Márcio Goiano segue na lanterna

Nada de novo nas vidas de Mogi Mirim e Atlético-GO na Série B. No encontro entre as duas equipes pela 31ª rodada, na tarde deste sábado, no Romildo Ferreira, o Dragão confirmou sua boa fase e venceu o Sapo por 2 a 0. É a terceira vitória nos últimos quatro jogos da equipe goiana, que se consolida no meio da tabela e se afasta do Z-4, lugar de onde o time paulista está longe de sair. O Mogi segue na lanterna.

Arthur abriu o placar para os visitantes na primeira etapa com um belo cabeceio. Fábio Sanches, contra, fez o segundo para o Atlético-GO em mais um lance confuso da arbitragem. Inicialmente, o auxiliar Pedro Jorge Santos, de Alagoas, marcou impedimento de Júnior Viçosa no lance, apesar de o atacante atleticano não estar em posição ilegal e sequer ter participado do lance. Após consultar o bandeira, o árbitro Francisco Carlos do Nascimento acompanhou sua decisão, mas depois voltou atrás e validou o gol.

Jorginho Atlético-GO Mogi Mirim Série B (Foto: Léo Santos/Estadão Conteúdo)
Jorginho disputa bola no meio-campo: Atlético-GO completa nove jogos sem derrota
(Foto: Léo Santos/Estadão Conteúdo)

Com o resultado, o Rubro-Negro chega ao novo jogo sem perder, apesar de ter seis empates no período. O time goiano tem apenas uma derrota nos últimos 18 jogos, se afasta mais da zona de rebaixamento e alimenta o sonho de G-4. Com 42 pontos, o Dragão está em 12º. O Mogi Mirim tem números parecidos, mas pelo lado negativo. Com apenas uma vitória nas últimas 17 partidas, o Sapo é o lanterna, com 22 pontos. Na próxima rodada, os goianos encaram o Santa Cruz, em casa, no próximo sábado. O Mogi Mirim visita o Macaé na próxima sexta.

O jogo

O equilíbrio do início do jogo não indicava que as duas equipes vivem momentos tão distintos. Foi uma partida aberta em seus 10 primeiros minutos, com jogadas de velocidade das duas equipes e uma boa defesa de Márcio em cabeçada de Henrique Motta. Mas a boa fase do Dragão falaria mais alto. Aos 21 minutos, Pedro Bambu cruzou da direita, e Arthur se esticou para fazer um belo gol de cabeça, seu 11º na Série B. O Mogi Mirim sentiu o golpe. Não tinha transição e pouco criou até o fim da primeira etapa, enquanto o time goiano assustava nos contra-ataques, mas também sem ameaçar.

Na segunda etapa, as equipes diminuíram o ritmo. Mas o panorama foi influenciado pelo segundo gol atleticano, que saiu logo aos seis minutos. Em cruzamento de Éder Sciola, Fábio Sanches tentou interceptar, mas fez contra. A arbitragem invalidou o gol inicialmente marcando impedimento de Viçosa no lance, mas depois voltou atrás após muita discussão e possível interferência externa. Com a desvantagem, o Mogi desanimou e não esboçou reação. Quase marcou em um lance incrível, aos 22 minutos, com uma sequência que teve uma bela defesa de Márcio e Marcus Winícius tirando a bola na linha. Mas foi só. O Atlético-GO controlou bem o resultado e saiu com a vitória.

GLOBO ESPORTE.COM

Paraná 1 x 2 Atlético Goianiense

Ataque funciona, e Atlético-GO bate o Paraná pela primeira vez em Curitiba

Com gols de Arthur e Viçosa, Dragão quebra tabu histórico entre os clubes e também jejum de seis rodadas na Série B; Ricardinho faz para o Tricolor, mas não evita revés

Com gols dos atacantes Arthur e Júnior Viçosa, o Atlético-GO venceu o Paraná no estádio Durival Britto, em Curitiba, pela primeira vez na história. O placar de 2 a 1 favorável ao Dragão foi construído no primeiro tempo. Ricardinho fez o único do Tricolor, mas não foi o suficiente para evitar a derrota na noite deste sábado em jogo válido pela 28ª rodada da Série B.

Além do tabu histórico entre os clubes, o Atlético-GO quebrou também o jejum de seis partidas sem ganhar na Segundona. Após cinco empates consecutivos, o Dragão voltou a vencer, foi a 35 pontos e assumiu a 14ª colocação. Já o Paraná decepcionou em casa, estacionou nos 36 pontos e perdeu uma posição, caindo para o 12º lugar. Na próxima rodada, os goianos recebem o Paysandu no Serra Dourada, sábado, às 16h30, em Goiânia. Antes, na sexta-feira, os paranaenses vão até Santa Catarina para enfrentar o Criciúma, às 19h30, no estádio Heriberto Hülse.

Se o primeiro tempo não apresentou um primor técnico por parte das duas equipes, ao menos foi agitado e contou com três gols. O Atlético-GO soube utilizar a força de sua dupla de ataque e ficar à frente no placar duas vezes. Arthur abriu o marcador logo aos nove minutos após aproveitar sobra na área do Paraná. O atacante bateu de canhota para marcar. A resposta do time da casa surgiu aos 44 com uma ajudinha do goleiro rubro-negro Marcos, que saiu mal para cortar cruzamento, e Ricardinho aproveitou. O duelo iria para o intervalo empatado, não fosse o belo cabeceio de Júnior Viçosa, que mandou no ângulo aos 48 e deixou a vantagem parcial com o Dragão.

Na etapa final, o Paraná se lançou ao ataque, teve maior posse de bola e só não conseguiu o empate porque parou em boas defesas de Marcos, que se reabilitou da falha no gol de Ricardinho. Júnior Viçosa, por sua vez, teve grande chance para o Atlético-GO aos 25 minutos, mas desperdiçou cara a cara com Felipe Alves. Com a saída do atacante e também de Arthur, o Dragão praticamente abriu mão de atacar na Vila Capanema. O time goiano recuou, mas soube suportar as investidas do Tricolor, cujas melhores oportunidades foram com Lúcio Flávio e Carlinhos. Com o apito derradeiro, prevaleceu a vantagem construída pelo Rubro-Negro no primeiro tempo.

Paraná x Atlético-GO no Durival Britto (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Júnior Viçosa comemora com Arthur e demais companheiros o gol da vitória por 2 a 1
(Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
GLOBO ESPORTE.COM

Atlético Goianiense 1 x 1 América Mineiro

Com um a menos, América-MG busca empate contra o Atlético-GO no Serra

Coelho perde Diego Lorenzi expulso no início do segundo tempo, joga melhor e é premiado com gol de empate no último lance da partida após falha de Jorginho

Atlético-GO x América-MG - Série B 2015 (Foto: Cristiano Borges / O Popular)

O América-MG recebeu um presente no fim e não perdoou. Nesta sexta-feira, na abertura da 27ª rodada da Série B, o Coelho arrancou empate do Atlético-GO após falha feia de Jorginho aos 48 minutos do segundo tempo e retornará para Belo Horizonte com um ponto após o empate por 1 a 1. Mas o resultado não saiu de graça. O time mineiro batalhou com um jogador a menos desde os oito minutos da etapa final, quando Diego Lorenzi foi expulso e, por pouco, não balançou as redes antes mesmo de o adversário abrir o placar. Arthur, para o Dragão e Wesley Matos, para o Coelho, marcaram os gols da partida.

O Atlético-GO completa cinco jogos sem vencer na Série B do Campeonato Brasileiro e sobe momentaneamente para a 15ª colocação, com 31 pontos – ultrapassa o Macaé, que entra em campo neste sábado. A diferença para o Ceará, que abre a zona de rebaixamento, é de seis pontos. O Dragão voltará a campo na próxima terça-feira, novamente em Goiânia, contra o Criciúma, em jogo adiado da 23ª rodada. O América-MG também atuará diante do Criciúma, no entanto, o jogo será na próxima sexta, em Belo Horizonte, válido pela 28ª rodada. O Coelho é o sexto colocado, com 42 pontos, e poderá ser ultrapassado pelo Santa Cruz neste sábado.

A volta de Jorginho parecia fazer bem ao Atlético-GO, que teve mais criatividade do que na partida contra o Náutico. Poupado na última rodada, o meia deu trabalho para a defesa do desfalcado América-MG, que tentava segurá-lo de todas as maneiras. Jorginho levou perigo ao goleiro João Ricardo, que pegou chute de fora da área. Arthur, artilheiro do Dragão, também tentou. O Coelho respondeu aos 25 minutos em boa jogada de Felipe Amorim. A bola bateu na zaga e sobrou para Diego Lorenzi, que finalizou com muito perigo. Mas a melhor chance da etapa inicial foi rubro-negra. Juninho saiu na cara do gol aos 39 minutos, escolheu o canto e finalizou para fora.

A situação do time da casa melhorou aos oito minutos do segundo tempo, quando Diego Lorenzi recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Imediatamente, o técnico Gilberto Pereira lançou o time ao ataque, a ponto de trocar Eron por Weverton Gomes. Mas, curiosamente, quem cresceu foi o América-MG. O time mineiro passou a aproveitar os espaços deixados pelo quase desesperado adversário e incomodou o goleiro Márcio, que completava 500 jogos com a camisa do Dragão. Aos 22, Pablo cruzou para André, que cabeceou com perigo. No minuto seguinte, Walber apareceu livre pelo lado direito da área e carimbou o goleiro atleticano.

Aos 37, Richarlison tocou na saída de Márcio e tirou tinta da trave. O Atlético-GO aproveitou os últimos minutos de jogo no Serra e foi para o tudo ou nada. Sem vencer há quatro rodadas, o time precisava dos três pontos para se afastar mais da zona de rebaixamento. E o gol saiu com o artilheiro do time, Arthur, Aos 41 minutos, ele aproveitou cruzamento de Éder Sciola e cabeceou no canto direito do goleiro João Ricardo, que não conseguiu fazer a defesa: Atlético-GO 1 a 0. Placar definido, certo? Errado! Aos 48 minutos, o Coelho teve a luta premiada. Jorginho vacilou feio na entrada da área e perdeu a bola para Wesley Matos, que tocou na saída de Márcio e deixou tudo igual: 1 a 1.

GLOBO ESPORTE.COM

Boa Esporte 2 x 2 Atlético Goianiense

Atlético-GO arranca empate e quase surpreende o Boa Esporte no fim: 2×2

Equipe mineira fica à frente no placar duas vezes, mas Dragão consegue igualar o placar com dois gols do artilheiro Arthur; resultado mantém os clubes na confusão

Boa Esporte e Atlético-GO fizeram um grande jogo, movimentado e no qual a vitória esteve muito próxima de ficar com o time da casa. Porém, a ousadia dos visitantes deu resultado. Atrás no placar por duas vezes, o Dragão não se entregou e arrancou o empate. No fim, até pressionou em busca do terceiro gol, mas prevaleceu o 2 a 2 no estádio do Melão, em Varginha, no sul de Minas Gerais.

No primeiro tempo, Felipe Alves abriu o placar para o Boa, mas logo Arthur empatou. Tadeu voltou a colocar a equipe mineira à frente, e o marcador permaneceu 2 a 1 até os 37 minutos da etapa final, quando o atacante rubro-negro, inspirado, voltou a deixar tudo igual.

O resultado foi ruim para ambos. O Boa foi a 23 pontos, mas caiu para o 17ª lugar e retornou para a zona de rebaixamento. O Atlético-GO foi a 24, mas estacionou na 15ª colocação. Os dois clubes voltam a campo no próximo sábado (29), às 16h30. Os mineiros viajam para enfrentar o Náutico na Arena Pernambuco. Já os goianos recebem o Ceará no estádio Serra Dourada.

 

O Boa Esporte foi melhor quase o jogo inteiro, sobretudo no primeiro tempo. O time mineiro criou várias chances e infernizou a defesa do Atlético-GO. Felipe Alves abriu o placar aos 28 minutos e deu indícios de que seria uma vitória contundente. Contudo, Arthur cobrou falta com veneno e empatou aos 31. Só que a zaga rubro-negra vacilou e Tadeu aproveitou cruzamento para fazer o segundo do Boa, que foi para o intervalo vencendo em casa.

Na etapa final, o Atlético-GO se lançou ao ataque com as mudanças feitas pelo técnico Gilberto Pereira. Deu certo quando Geraldo, atacante angolano, entrou e colocou fogo na partida. Ele foi bem e, apesar de perder algumas boas chances, deu a assistência para Arthur fazer de cabeça o gol que selou o 2 a 2. As duas equipes ainda tiveram oportunidades, mas desperdiçaram.

Boa Esporte e Atlético-GO empatam em 2 a 2 em Varginha (Foto: Régis Melo)
Boa Esporte e Atlético-GO empatam por 2 a 2 no estádio do Melão, na cidade de Varginha
(Foto: Régis Melo)
GLOBO ESPORTE.COM

Atlético Goianiense 3 x 1 Sampaio Côrrea

Com três gols no primeiro tempo, Atlético-GO vence o Sampaio

Dragão conquista o terceiro triunfo consecutivo e mantém arrancada para se afastar da zona de rebaixamento, enquanto o Tricolor maranhense cai para o sétimo lugar

Com um primeiro tempo avassalador, o Atlético-GO venceu o Sampaio por 3 a 1 e conquistou sua terceira vitória consecutiva na Série B. Jorginho, Arthur e Junior Viçosa garantiram o triunfo do Dragão, enquanto Bruno Moura, com gol contra, marcou o único dos visitantes.

Com a vitória, o Atlético-GO sobe para a 15ª colocação, agora com 18 pontos, enquanto o Sampaio cai para o sétimo lugar com 25 pontos. O Tricolor maranhense volta a campo na próxima terça-feira para encarar o Bragantino, no Castelão, enquanto o Dragão joga somente no próximo sábado, diante do Macaé no Moacyrzão.

Massacre em 10 minutos
A partida começou com as duas equipes cautelosas, até surgirem as primeiras oportunidades de gol. O Atlético-GO apostava nas chegadas de Junior Viçosa, enquanto o Sampaio conseguiu aparecer no ataque somente quando Pimentinha avançou e criou a chance para Douglas.

Após as duas chances do Tricolor, o Atlético-GO passou a controlar o jogo, chegando com perigo no ataque. Até que aos 20 minutos, Jorginho aproveitou o rebote e abriu o placar. Depois de apenas quatro minutos, explorando mais uma sobra de bola, Arthur ampliou para o Dragão.

Sem deixar o Sampaio respirar, aos 30 minutos, foi a vez de Junior Viçosa fazer grande jogada, driblar o goleiro e marcar o terceiro do Atlético-GO. Com o 3 a 0 no placar, a equipe Rubro-Negra administrou a vitória da primeira até o apito final.

Atlético-GO x Sampaio Corrêa - Série B 2015 (Foto: Diomício Gomes / O Popular)
Atlético-GO x Sampaio Corrêa – Série B 2015 (Foto: Diomício Gomes / O Popular)

Com gol contra, Sampaio desconta
Na etapa final, o Atlético-GO diminuiu a intensidade do jogo para tentar apostar nos contra-ataques. O Sampaio ainda descontou aos seis minutos, quando a bola desviou em Bruno Moura, que marcou contra.

Apesar disso, a partida praticamente não teve mais chances de perigo. Dessa forma, o Dragão confirmou sua terceira vitória consecutiva e dando continuidade a sua fuga da zona de rebaixamento.

 

GLOBO ESPORTE.COM