Zagueiro define estratégia para bater o Timão: “Vontade não pode faltar”

Antonio Carlos também cita inteligência e atitude como ingredientes indispensáveis para o jogo decisivo contra o Corinthians na tarde de domingo, às 17h, fora de casa

Antonio Carlos Avaí (Foto: André Palma Ribeiro/Avaí F.C.)

Antonio foi revelado nas categorias de base do Corinthians (Foto: André Palma Ribeiro/Avaí F.C.)

Vontade, inteligência e atitude. São com esses três atributos que Antonio Carlos vai entrar em campo para duelar com o Corinthians, na tarde de domingo, na partida decisiva pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Em entrevista coletiva, o zagueiro do Avaí definiu que é essa a estratégia que o time catarinense precisa seguir para vencer fora de casa e garantir a permanência na Série A por mais uma temporada. Conforme o zagueiro, o empenho do elenco precisa ser grande para não ter um rebaixamento cravado no currículo profissional.

– É a vontade que não pode faltar nunca, até porque é uma final, é o nosso prato de comida que está ali dentro. Eu tenho 22 anos e não quero levar um rebaixamento no meu currículo, isso é ruim. Jogador que tem um rebaixamento quando vai para outro clube já começa do zero, começa menos que outros, eu não quero isso. A vontade não pode faltar, não pode falta inteligência, atitude. Nem o marcador do Corinthians pode tirar o nosso brilho lá na frente, pode ter certeza que atrás vamos estar bem postados para um 1 a 0, 2 a 1, 2 a 0 e voltar com essa permanência na Série A – disse o defensor.

A 16ª posição na tabela de classificação não agrada ao torcedor avaiano, mas traz certo alento na hora de pensar que a equipe depende apenas de si para não terminar a competição entre os quatro piores times do Brasileirão de 2015. E para aumentar as chances e poder sorrir após o apito final, Antonio projeta um trabalho intenso durante a semana.

– Foi uma coisa que o professor Raul bateu desde quando assumiu (não depender de outros clubes na última rodada). Temos que depender só da gente no resultado e foi isso que aconteceu. Nós dependemos de uma vitória para continuar na Série A. Espero que o professor Raul dê continuidade nesse trabalho forte que está dando, e a gente continue buscando mais aprimoramento para que no domingo conseguirmos a vitória.

A bola rola para Corinthians e Avaí na tarde de domingo, 6 de dezembro, às 17h. A partida, válida pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2015, ocorre em São Paulo.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Avaí 1 x 0 Ponte Preta

Avaí vence a Ponte Preta e deixa o Z-4 a uma rodada do fim do Brasileirão

Leão da Ilha consegue triunfo por 1 a 0 com gol de Antonio Carlos e conta com tropeço do arquirrival Figueirense para depender apenas de si na luta contra a queda

Da zona de rebaixamento para a 15ª colocação. Esse foi o salto do Avaí na noite deste sábado, ao vencer a Ponte Preta por 1 a 0, na Ressacada. O gol de Antonio Carlos tirou o Leão do Z-4 em função da derrota do Figueirense para o São Paulo – ainda ultrapassou o Coritiba – e garantiu a vantagem de depender apenas de si na última rodada do Campeonato Brasileiro. A Macaca entrou em campo já sem chances de chegar ao G-4 e agora apenas cumpre tabela.

A equipe catarinense, com 41 pontos, agora seca os rivais. Fica de olho em Coxa, Vasco e Goiás, que entram em campo neste domingo, para saber o que precisa fazer contra o Corinthians, no próximo final de semana, em São Paulo, para permanecer na elite. A Macaca, em nono, com 51, dá adeus ao Brasileirão contra o Sport, no Moisés Lucarelli. Os dois jogos estão marcados para as 17h de domingo.

Avaí x Ponte Preta (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Avaí bateu a Ponte Preta por 1 a 0 (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

O jogo
A ansiedade em deixar a zona de rebaixamento foi visível no Avaí. Especialmente na hora de trocar passes. Erros que devolviam a posse para a Ponte Preta, comandada por Fernando Bob. Sem pressão, a Macaca tentava triangulações em velocidade e chegou assim com Clayson, que parou no goleiro Vagner. Com predomínio na marcação, o Leão também pouco chegou. Teve oportunidade com Renan Oliveira, mas Marcelo Lomba teve participação importante. No fim do primeiro tempo, Diego Oliveira aproveitou erro de Eduardo Neto, mas chutou para fora e não conseguiu impedir o zero no placar nos 45 minutos iniciais.

A volta do intervalo teve um Avaí intenso e que buscava acuar a Ponte Preta. Mais dinâmico, o Leão não conseguia espaços, mas arrancou a expulsão de Elton aos nove minutos. A pressão deu resultado na bola aérea, e Antonio Carlos, de cabeça, abriu o placar aos 20. Com um a mais, os donos da casa tentaram controlar o pouco ímpeto da Macaca. O técnico Felipe Oliveira ainda tentou dar uma sobrevida, mas o cartão vermelho complicou a vida dos visitantes, que chegaram ao quarto jogo seguido sem vitória.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Avaí 1 x 4 Atlético Mineiro

Atlético-MG joga bem, goleia o Avaí com facilidade por 4 a 1 e entra no G-4

Galo tem boa atuação fora de casa, com ousadia e muita velocidade, e dorme na terceira colocação do Brasileirão; Leão tem noite ruim e pouco consegue fazer

Quatro atacantes fora de casa, um time com postura ofensiva e muita velocidade. O Atlético-MG visitou o Avaí na noite desta quarta-feira e, com facilidade e um bom futebol, goleou por 4 a 1. Os gols de Carlos, duas vezes, Antonio Carlos – contra – e Pratto, colocaram o Galo no G-4 do Brasileirão, com 10 pontos, dois a menos que o líder Atlético-PR. O Leão, que descontou com André Lima, é o 10º colocado.

O Avaí tenta a recuperação longe da torcida. No próximo domingo, às 19h30, visita o Goiás, no estádio Serra Dourada. O Atlético-MG tem pela frente um clássico contra o Cruzeiro, sábado, no Independência. A bola rola às 18h30.

Avaí x Atlético-MG (Foto: Jamira Furlan/Avaí)
Atlético-MG venceu o Avaí na Ressacada e sobe na tabela (Foto: Jamira Furlan/Avaí)

O jogo
A diferença entre um time que é sério candidato ao título e outro cuja primeira missão é permanecer na Série A ficou evidente no primeiro tempo. O Atlético-MG teve postura e apostou na velocidade contra um Avaí incapaz de parar as ações do visitante e tampouco criar. Foi assim no gol de Carlos, aos 13 minutos, que abriu o placar na Ressacada. Aos 23, Antonio Carlos fez contra e a vantagem do Galo só não foi maior porque Pratto perdeu uma grande chance. No fim, as seis chances de gol do time mineiro contra nenhuma do Leão retrataram a etapa inicial.

A volta do intervalo foi de uma melhora na postura do Avaí. O Atlético-MG, confortável com o resultado, passou a administrar, e Victor trabalhou, mas sem grande exigência. Pratto, em uma bela jogada, ampliou a vantagem aos 22. André Lima até descontou, mas novamente o Galo resolveu jogar e, em bela jogada trabalhada, decretou a goleada com Carlos.

GLOBO ESPORTE.COM

“Malhação”:Vetado! Gael deixa Wallace de fora do Warriors: ‘Se for agora, pode se queimar’

Chegou o grande dia! Gael (Eriberto Leão), finalmente, vai anunciar os competidores do Warriors. Mas a decisão do Mestre vai decepcionar Wallace (Antônio Carlos), que fica de fora da disputa.

Duca (Arthur Aguiar) tenta dar aquela força pro amigo e tenta conversar com Gael, mas o pai de Karina (Isabella Santoni) está decidido: “Se você for agora, você pode se queimar. O Warriors é só lutador top. Muita malandragem… E o jogo é pesado, Wallace. Entendeu?”, explica.

E aí? Será que Wallace vai levar de boa a cortada do Mestre? Fica ligado em Malhação nesta segunda-feira, dia 16 de janeiro, pra descobrir.

 

GSHOW

Confira a audiência de São Paulo 4 x 2 Emelec

O canal pago Fox Sports ficou em primeiro lugar no ranking da TV por assinatura durante a transmissão de São Paulo x Emelec (EQU), em 30 de outubro, pela Copa Sul-Americana. O jogo alcançou 0,74 de audiência entre homens de 18 a 49 anos, 68% a mais do que o Sportv (0,44), vice-líder. A ESPN Brasil, em terceiro, marcou 0,16.

 

Avaí 1 x 0 Icasa

1 x 0

29ª RODADA
AVAÍ FAZ O SIMPLES, VENCE O ICASA POR 1 A 0 E RETORNA AO G-4 DA SÉRIE B
Catarinenses marcam no primeiro tempo com zagueiro Antonio Carlos e recuperam a terceira posição. Cearenses seguem na zona de rebaixamento
Foram pouco mais de 24 horas fora do G-4 da Série B, mas o Avaí voltou ao posto que ocupa há 13 rodadas. Na noite deste sábado, na Ressacada, o Leão bateu o Icasa por 1 a 0, com gol de Antonio Carlos, e ultrapassou Ceará e Joinville, assumindo a terceira colocação da competição. O Verdão do Cariri continua na 18ª colocação, a cinco pontos do primeiro time fora da zona do rebaixamento.

Os 5.211 presentes no estádio em Florianópolis, para uma renda de R$ 65.855,00, assistiram a dois tempos muito diferentes. Debaixo de chuva, viram a primeira etapa sem graça, ainda que o gol tenha saído nela. Nos 45 minutos finais, equipes abertas e dispostas a buscar a vitória, mas a pontaria não ajudou, e o placar foi mantido.

Após a vitória, o Avaí tem pouco tempo para trabalhar. Volta a campo na próxima terça-feira, às 21h. O adversário é o Atlético-GO, no Serra Dourada. O Icasa retorna para Juazeiro do Norte, local da partida contra o Oeste, na sexta-feira, às 19h30.

Gol de Antonio Carlos, do Avaí, contra o Icasa (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Antonio Carlos aproveitou sobra e marcou único gol do jogo, a favor do Avaí (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

Do sono à correria

O Avaí começou a partida pressionado e fora do G-4. As vitórias de Ceará e Joinville, na sexta-feira, deixaram o Leão na quinta colocação, mas nada de transformar a necessidade de vencer em ímpeto diante do Icasa no início do jogo. Pelo contrário, os catarinenses não tinham espaço contra um meio povoado pelo Verdão do Cariri, que trabalhava a bola, mas não municiava Lucas, isolado na frente. A jogada que os mandantes exploraram foi a aérea. Depois de cinco bolas alçadas na área, o gol saiu aos 29 minutos. Diego Felipe trombou com o goleiro Busatto, e Antonio Carlos aproveitou a sobra. Os visitantes reclamaram de falta na jogada. Após o lance, nenhuma das outras equipes demonstrou inspiração, e a vantagem foi azurra na primeira etapa.

Insatisfeito com a atuação no primeiro tempo, Geninho colocou Roberto no lugar de Bruno Mendes. Alteração que mudou o Avaí. Os catarinenses ganharam em profundidade, e a partida em emoção. O técnico Vladimir de Jesus também fez uma mudança, com a entrada de Júnior para aproveitar os avanços de Eltinho pela esquerda. Aberto, o jogo teve um ritmo completamente diferente do primeiro tempo. As chances apareceram, mas faltou competência nas finalizações. No fim, o visitante pressionou, e o Leão se fechou na defesa. No apito final do árbitro, os jogadores desabaram em campo por causa do cansaço.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Cruzeiro 1 x 1 São Paulo

 1 x 1 

2ª RODADA
SÃO PAULO ARRANCA EMPATE COM CRUZEIRO E MANTÉM TABU DE DEZ ANOS
De cabeça, Antônio Carlos marca nos acréscimos. Júlio Baptista faz o gol do time mineiro, que não vence o rival em casa desde maio de 2004 .

Da cabeça de Antônio Carlos, nos acréscimos, saiu o gol que salvou uma atuação fraca do São Paulo e puniu um futebol mais consistente do Cruzeiro. Melhor em campo, o time mineiro saiu na frente em cobrança de falta de Júlio Baptista, mas o zagueiro tricolor assegurou o 1 a 1, em Uberlândia, pela segunda rodada do Brasileirão. O lance que originou a igualdade saiu depois de falta de Bruno Rodrigo em Luis Fabiano. Os mineiros reclamaram muito.

O resultado mantém uma escrita de dez anos. É esse o tempo que o São Paulo não perde do Cruzeiro em nacionais jogando em Minas Gerais.

Na maior parte do jogo, a superioridade foi celeste. Do outro lado, em seus melhores momentos, o São Paulo não conseguiu assustar o goleiro Fábio. Esteve longe derepetir a boa atuação na vitória sobre o Botafogo, na estreia. Os dois times têm quatro pontos em duas rodadas.

O Cruzeiro, agora, dá um tempo no Brasileirão para pensar na Libertadores. Na quarta-feira, no Paraguai, encara o Cerro Porteño, pelas oitavas. Na primeira partida, em casa, houve empate por 1 a 1. No sábado, visita o Atlético-PR. A semana do São Paulo será de folga. No sábado, pega o Coritiba no Pacaembu.

A iniciativa do jogo foi do Cruzeiro. Usou a velocidade, partiu para cima do São Paulo (que perdeu Douglas, machucado, aos 16 minutos), mas não conseguiu extrair chances de gol dessa maior posse de bola. Júlio Baptista exigiu defesa de Ceni em cabeçada, e Boschilia arriscou chute rasteiro. As melhores oportunidades não foram concluídas: Everton Ribeiro e Pato ficaram livres para cabecear, mas erraram. No fim, Rogério Ceni ainda bateu falta  .

 

GLOBO ESPORTE .COM

Avaí 1 x 2 Bragantino

 1 x 2 

2ª RODADA
DE VIRADA, BRAGA BATE AVAÍ E ASSUME LIDERANÇA PROVISÓRIA DA SÉRIE B
Em jogo decidido nas bolas paradas, Massa Bruta segura o Leão em Santa Catarina; resultado deixa equipe anfitriã na lanterna do campeonato .
O esquema tático retrancado do Bragantino fez mais uma vítima nesta terça-feira. No estádio Ressacada, em Florianópolis, o Massa Bruta bateu o Avaí por 2 a 1, de virada, e conquistou a primeira vitória no Campeonato Brasileiro da Série B. Seguro na defesa, os visitantes chegaram ao triunfo com gols do volante Fabiano e do zagueiro Guilherme Mattis. Pelo Leão da Ilha, Antônio Carlos balançou as redes.

Com o triunfo, o Massa Bruta soma quatro pontos e assume a liderança provisória do campeonato, já que mais jogos ainda acontecerão nesta rodada. O Leão da Ilha, em contrapartida, fica na lanterna da Série B, com nenhum ponto.

O Avaí volta a jogar somente no dia 3,sábado. O Leão visita nesta data o Vila Nova, às 21h, no estádio Serra Dourada, em Goiás. Já o Bragantino entra em campo na próxima terça-feira, 29, quando recebe a Portuguesa, às 21h50, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista. Os confrontos são válidos pela terceira rodada da Série B.

Roberto Avaí x Bragantino (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Bragantino supera o Avaí no estádio Ressacada, em Florianópolis (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

Como um bom mandante, o Avaí assumiu o controle da partida logo nos primeiros minutos e criou as melhores oportunidades do primeiro tempo. O Bragantino, por outro lado, priorizou a marcação e chegou poucas vezes com perigo ao ataque. Os gols da etapa inicial saíram todos em jogadas de bola parada. Aos 24, Marquinhos cobrou falta na segunda trave e o zagueiro Antônio Carlos cabeceou para o gol. O Massa Bruta conseguiu chegar ao empate aos 38 minutos. Pará cobrou mal uma falta na entrada da área, mas o chute rasteiro foi parar nos pés de Fabiano. O volante, oportunista, tocou a bola para o fundo do gol.

Na etapa final, o panorama pouco mudou. O Avaí, pressionado para conquistar a vitória dentro de casa, foi quem tomou mais iniciativas para fazer o segundo gol. Porém, com o passar do tempo, entrou em desespero e abusou nos passes errados e nas faltas. Melhor para o Massa Bruta, que, em uma cobrança de falta, conseguiu a virada. Aos 39 minutos, Pará lançou na área e o zagueiro Guilherme Mattis mandou a bola para o fundo do gol. O Leão da Ilha ainda tentou, desesperadamente, o empate. Em vão. Bem postado na defesa, os visitantes seguraram a vitória até o apito final.

GLOBO ESPORTE .COM

São Paulo 3 x 0 Botafogo

 3 x 0 

1ª RODADA
SÃO PAULO PASSA FÁCIL PELO BOTAFOGO NA ESTREIA: 3 A 0 NO MORUMBI
Tricolor sobra em campo, é muito superior ao adversário e dá sinais de que pode fazer um bom campeonato. Alvinegro tem atuação preocupante  .
A esperança que o torcedor do São Paulo leva deste domingo é proporcional à preocupação dos alvinegros depois da vitória de 3 a 0 do Tricolor sobre o Botafogo, no Morumbi, pelaprimeira rodada do Campeonato Brasileiro. O time de Muricy Ramalho sobrou em campo. Foi mais compacto, mais agressivo e mais envolvente. Mereceu vencer – e poderia ter alcançado placar até maior.

O primeiro tempo foi de uma superioridade impressionante para os paulistas. Foi no período inicial que Antônio Carlos e Douglas abriram o placar para o São Paulo, que depois ampliou com Luis Fabiano na etapa final. O setor ofensivo, com Pato, Ganso e Boschilia ao lado do Fabuloso, funcionou muito bem – extremo oposto da zona criativa do Botafogo.

Com o resultado, o São Paulo larga na liderança do Brasileirão, ao lado do Fluminense, que também venceu por 3 a 0 na estreia – contra o Figueirense, no sábado. O Alvinegro divide alanterna justamente com os catarinenses. A rodada inicial ainda tem três jogos a ser realizados. No próximo domingo, o Botafogo volta a campo contra o Inter, no Maracanã, enquanto o São Paulo visita o Cruzeiro.

Pato São Paulo x Botafogo (Foto: Marcos Ribolli)
Pato é um dos destaques da vitória do São Paulo no Morumbi (Foto: Marcos Ribolli)

Apesar de as duas equipes terem ido a campo recheadas de incertezas, consequência de maus resultados no primeiro semestre, logo ficou evidente a superioridade do São Paulo. Com Pato e Luis Fabiano voltando para ajudar na criação, os laterais aparecendo bem e os meias flutuando pelos lados, o Tricolor engoliu a defesa adversária. Antônio Carlos, com 12 minutos, abriu o placar ao completar para o gol deitado – após cruzamento de Luis Fabiano. Depois, Douglas aproveitou lindo passe de Pato para driblar Jefferson e completar.

O segundo tempo não foi tão discrepante quanto o primeiro, mas o São Paulo seguiu superior. Quando o Botafogo começava a dar sinais de uma possível reação, levou o golpe final em bela jogada dos principais nomes da equipe: de Pato para Ganso, de Ganso para Luis Fabiano, de Luis Fabiano para o gol. Mesmo com a vitória garantida, o Tricolor seguiu jogando sério, pressionando a defesa adversária. Perdeu outros gols – especialmente com Pabón – enquanto se garantiu atrás com boas defesas de Rogério Ceni.

GLOBO ESPORTE .COM

Corinthians 2 x 3 São Paulo

 2 x 3 

Só o São Paulo fez gols no Pacaembu. Ganso, Luis Fabiano, Rodrigo Caio e dois de Antônio Carlos, o goleador da tarde. Não, não foi 5 a 0 para o time de Muricy Ramalho. O zagueiro-artilheiro fez dois contra e deu emoção a um clássico muito bom no Pacaembu, mas que teve domínio tricolor diante de um Corinthians impecável no primeiro tempo (quando em vantagem), mas frágil ao tentar sair para o jogo.

O companheiro de zaga Rodrigo Caio salvou a pele de Antônio Carlos nos últimos minutos: 3 a 2 e o fim de um longo jejum: eram 15 meses sem vencer um clássico. A última vez havia sido também contra o Timão no Pacaembu.

Jogadores do São Paulo comemoram gol (Foto: Marcos Ribolli)Jogadores do Tricolor celebram gol decisivo contra o Corinthians no Pacaembu (Foto: Marcos Ribolli)

Durante todo o tempo, os visitantes tiveram mais posse de bola no Pacaembu, mas demoraram a conseguir furar o sistema defensivo corintiano. O São Paulo de Muricy Ramalho evoluiu coletivamente. Já o Corinthians, que teve Mano Menezes expulso no fim do primeiro tempo, melhorou na etapa final com a entrada de Guerrero.

Os dois times sentiram falta de suas novas estrelas. Jadson poderia ter se aproveitado muito bem do espaço no meio-campo. A qualidade técnica de Alexandre Pato também seria um trunfo importante para o ataque de Muricy Ramalho. Os clubes estudam a possibilidade de liberá-los para o duelo do Campeonato Brasileiro.

O Corinthians terá uma semana só de treinos até a próxima partida. No próximo domingo, a equipe vai enfrentar o Penapolense na casa do adversário. Compromisso importantíssimo porque o time segue dois pontos atrás do Ituano e faltam apenas duas rodadas para o fim da primeira fase. A equipe do interior vai enfrentar justamente o São Paulo no fim de semana.

Já o Tricolor, aliviado por, finalmente, vencer um de seus principais rivias, começa nesta quarta-feira sua caminhada na Copa do Brasil, contra o CSA, em Maceió. Será a estreia do atacante Alexandre Pato, já confirmado como titular.

Corinthians x São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)
Timão abriu o placar num gol contra de Antônio
Carlos na primeira etapa (Foto: Marcos Ribolli)

Só Ganso vence a retranca

Retranca. Não há outra palavra para definir o que fez o Corinthians, principalmente depois de abrir o placar. E nem é condenável. Foi a proposta de jogo de Mano Menezes para utilizar a velocidade de Romarinho e Luciano. O Timão não propôs o jogo e chegou ao gol num lance de escanteio, ponto fraco do São Paulo neste Campeonato Paulista.

Já que os clubes (felizmente!) vivem 2014 em extrema cordialidade, com trocas pra cá, abraços pra lá, Antônio Carlos resolveu entrar no clima. Luciano cruzou com força para o meio da área e o zagueiro-artilheiro, que tanto gosta das redes, furou ao tentar cortar de pé direito. A bola resvalou na canhota e entrou.

Um castigo para o Tricolor, que havia iniciado bem o Majestoso, sobretudo com Osvaldo, num flashback de seus bons momentos de 2012, infernizando Fagner pelo lado esquerdo. Em desvantagem, foi um drama tentar entrar na compacta defesa alvinegra. A bola girava de um lado pro outro: Alvaro Pereira, Ganso, Maicon, Souza, Douglas… Douglas, Souza, Maicon, Ganso… Até o corte de um dos três volantes do Corinthians ou um erro de passe.

O jeito era arriscar de longe. Douglas, Luis Fabiano e Pabón tentaram, mas foi justamente aquele que quase nunca chuta quem arrancou o grito dos são-paulinos. A bola parecia grudada no pé de Ganso, mas saiu em direção ao ângulo de Cássio como se fosse videogame. Um golaço! Por que não faz isso sempre, Ganso?

Foi o primeiro dele no ano, o primeiro dele em clássicos pelo São Paulo e o primeiro dele com a camisa 10, herdada de Jadson. Gol que irritou ainda mais Mano Menezes. O técnico passou boa parte do primeiro tempo reclamando do árbitro Luiz Flávio de Oliveira. Acabouexpulso. O Corinthians foi para o vestiário com posse de bola muito inferior e um dilema: como fazer para tomar conta do clássico no segundo tempo?

Ganso comemora gol do São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)Ganso (à dir.) comemora gol do São Paulo no primeiro tempo (Foto: Marcos Ribolli)

Atacantes duelam e zagueiro decide

Souza, um dos melhores do Tricolor no primeiro tempo, saiu com dores no joelho. Entrou Wellington. Renato Augusto, discretíssimo no Timão, saiu. Entrou Guerrero. O peruano travaria ótimo duelo de camisas 9 com Luis Fabiano. O Fabuloso, que nem parece o eterno insatisfeito do ano passado. Ágil, rápido nas decisões, bem posicionado e empolgado.

Foi assim que o artilheiro do Paulistão completou linda jogada do lado direito e virou o clássico. Com um drible, Douglas deixou dois para trás e tocou para Pabón – e saiu a terceira assistência seguida do colombiano para o centroavante.

Começava então a saga de Guerrero em busca do empate pessoal contra Luis Fabiano. Ele tentou dividir com Rogério Ceni, escorregou e acertou o goleiro. Nada de mais, um pedido de desculpas. Depois, não chegou por centímetros ao cruzamento de Luciano. Mais alguns minutos e um cabeceio que passou perto do gol do São Paulo.

Estava difícil. Só mesmo com a inestimável ajuda de Antônio Carlos num lance amador da equipe de Muricy Ramalho. Douglas não soltou a bola em contra-ataque e perdeu. No contra-ataque do contra-ataque, Guerrero recebeu em suas costas, avançou e cruzou. Lá estava o zagueiro-artilheiro para marcar seu segundo contra. O árbitro chegou a dar o gol para o peruano, mas voltou atrás e, corretamente, “puniu” o são-paulino.

O cansaço bateu, e o Majestoso ficou mais pegado. Guerrero, que havia incendiado o ataque, sentiu lesão muscular e deixou o Corinthians com dez nos instantes finais. E o prêmio ao domínio são-paulino veio no bom cruzamento de Osvaldo para Rodrigo Caio. Enfim, um zagueiro da equipe acertou o lado. Cabeçada certeira e a vitória garantida.

Jogadores do São Paulo comemoram gol (Foto: Marcos Ribolli)Jogadores do São Paulo comemoram gol da vitória, marcado por Rodrigo Caio (Foto: Marcos Ribolli)
GLOBO ESPORTE . COM