Coritiba 1 x 2 São Paulo

São Paulo vence primeira com Doriva e cola no G-4; Coritiba agoniza no Z-4

Com gols de Alan Kardec e Alexandre Pato, Tricolor consegue importante vitória fora de casa; Coxa soma cinco derrotas seguidas no Brasileirão e se complica na tabela

O São Paulo, enfim, conseguiu uma vitória sob o comando de Doriva. Depois de três jogos sem vencer (dois no Brasileirão e um na Copa do Brasil), o Tricolor fez 2 a 1 no Coritiba, fora de casa, e colou no G-4. Alan Kardec, autor do gol 10 mil da história do clube, e Alexandre Pato foram os responsáveis pelo placar. Cáceres fez para o Coxa, que agora chega a cinco derrotas seguidas.

A vitória como visitante coloca o São Paulo na quinta colocação, com os mesmos 50 pontos do Santos, quarto colocado. A vantagem do Peixe, adversário do Tricolor na semifinal da Copa do Brasil, é o melhor saldo de gols (15 a 5). O Coritiba, com 33 pontos em 32 rodadas, continua na zona de rebaixamento da competição.

Na próxima rodada do Brasileirão, o São Paulo recebe o Sport, sábado, no Morumbi, às 17h. E o Coritiba joga de novo em casa. Desta vez contra o Figueirense, também no sábado, só que 21h.

Pela Copa do Brasil, o Tricolor volta a campo na quarta-feira, às 22h, contra o Santos. O duelo vale uma vaga na final do torneio. Na partida de ida da semifinal, no Morumbi, o São Paulo foi derrotado por 3 a 1. Portanto, precisa vencer por 3 a 0 na Vila Belmiro.

Alan Kardec gol coritiba x são paulo (Foto: Giuliano Gomes/Estadão Conteúdo)Alan Kardec fez o gol de número 10 mil da história do São Paulo
(Foto: Giuliano Gomes/Estadão Conteúdo)

O jogo

Coritiba e São Paulo começaram a partida acelerados. Tanto que confundiram vontade com jogo duro. Nos primeiros lances, por exemplo, Luiz Eduardo fez falta forte em Cáceres. Henrique, logo em seguida, revidou e acertou o zagueiro são-paulino. O lance gerou confusão entre os rivais, teve bate-boca e distribuição de cartões amarelos. Passado isso, muita emoção.

As duas equipes jogaram para frente e protagonizaram uma boa partida.Aos nove, Luiz Eduardo vacilou e perdeu a bola para Kléber, que parou em Ceni. O goleiro tricolor, aliás, fez outros duas boas defesas no primeiro tempo. Do lado do Coxa, Wilson também salvou. Mas não conseguiu parar Alan Kardec. Aos 24, após passe de Ganso, o atacante bateu cruzado e abriu o placar.

Esse gol, o primeiro de Kardec depois de 210 dias, afinal ele se machucou em abril e ficou fora, foi o de número 10 mil da história do São Paulo. O Coritiba não se intimidou com isso e foi em busca do empate, que saiu aos 45, em chute de Cáceres de fora da área.

As duas equipes voltaram diferente para a segunda etapa. Não na escalação, mas na postura. São Paulo e Coritiba não conseguiram manter o ritmo ofensivo da primeira etapa. Uma pena… O jeito foi tentar jogar no erro do adversário. Também não deu. A solução era buscar criatividade, toque de bola… E o Tricolor fez bem isso, com boa posse de bola.

Tanto que chegou ao segundo gol, aos 18 minutos. Depois de boa troca de passes, Ganso deu bom passe para Alexandre Pato, de fora da área, bater de esquerda e fazer 2 a 1. Golaço! Ao Coritiba restou correr atrás da reação, prejudicada pela expulsão de Henrique, aos 27. O jogador fez falta dura em Luiz Eduardo e levou vermelho. Depois disso, nada mudou no Couto Pereira.

Michel Bastos, Coritiba X São Paulo (Foto: Joka Madruga / Futura Press)João Paulo, do Coritiba, e Michel Bastos, do São Paulo, disputam a bola
(Foto: Joka Madruga / Futura Press)
GLOBO ESPORTE.COM

Copa do Brasil 2015 – São Paulo 1 x 3 Santos

Com falta de luz e dilúvio, Santos bate São Paulo por 3 a 1 e fica perto da final

Em semifinal marcada por escuridão e gramado alagado, Peixe aproveita todas as chances contra Tricolor especialista em perder gols: vaga na decisão muito próxima

Com 40 segundos, acabou a luz. 22 minutos depois o jogo recomeçou. A garoa virou chuva, tempestade, dilúvio… Gabriel abriu o placar com o campo ainda seco. Pato empatou já com bastante água. O intervalo durou o tempo necessário para o gramado alagado voltar a ficar habitável. No início do segundo tempo, num piscar de olhos do São Paulo, o Santos fez dois gols, decidiu a partida e, praticamente, o confronto da semifinal com a vitória por 3 a 1 no Morumbi.

Na semana que vem, o Tricolor terá de vencer por três gols de vantagem na Vila Belmiro, onde o Peixe tem 100% de aproveitamento em 13 jogos sob o comando de Dorival Júnior.

 

Dentro de todas as variáveis do jogo, pode-se resumir o resultado em: o São Paulo perdeu gols, o Santos não. Gabriel, Ricardo Oliveira e Marquinhos Gabriel botaram a bola pra dentro em todas as oportunidades que tiveram. Do outro lado, Ganso, Luis Fabiano e Alan Kardec desperdiçaram chances e mais chances. A crueldade do placar reflete o ano tricolor, cheio de trapalhadas dentro e fora de campo, e a enorme competência alvinegra em fazer gols. Vitória é gol.

Gabriel aproveitou vacilo defensivo, se projetou e recebeu belo passe de Daniel Guedes antes de tocar na saída de Rogério Ceni. O gol de empate foi belíssimo pelo domínio e finalização de Pato, nas costas de Daniel. A melhor chance do primeiro tempo caiu nos pés de Ganso, que dominou e, sem noção de espaço, chutou muito mal, cara a cara com Vanderlei.

No primeiro minuto da etapa final, Ricardo Oliveira fez mais um gol, o 34º na temporada, ao girar e bater rasteiro. A bola passou pela infinidade de pernas que estavam na área e morreu no gol. Logo depois, Lucas Lima cruzou e Marquinhos Gabriel cabeceou no cantinho de Rogério Ceni.

O festival de chances perdidas pelo Tricolor terminou com Kardec, completamente sozinho na área, cabeceando para fora, e teve o Santos como coadjuvante, tranquilo com a enorme vantagem, à espera do apito final. O Peixe poderá perder por dois gols de diferença na próxima quarta-feira, e ainda assim estará na decisão contra Palmeiras ou Fluminense, que jogarão na capital paulista com os cariocas em vantagem por terem vencido por 2 a 1 no Rio.

São Paulo x Santos apagão (Foto: Marcos Ribolli)
Rogério Ceni e Thiago Mendes tentam se manter aquecidos durante apagão: celulares acesos na torcida (Foto: Marcos Ribolli)
GLOBO ESPORTE.COM

Grêmio 1 x 2 São Paulo

O Grêmio não conseguiu vencer o São Paulo no jogo realizado na tarde deste domingo, na Arena. O placar ficou em 2 a 1 para os paulistas, na partida válida pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O jogo foi muito disputado na primeira etapa. O Grêmio tentou criar oportunidades, mas não conseguiu precisão nas finalizações. O São Paulo jogou fechado, marcando muito bem a equipe gremista. Após contra-ataque rápido, Alexandre Pato abriu o placar.

Na segunda etapa, Rogerio ampliou para o São Paulo aos 45′ e Everton descontou aos 47′. O Grêmio ainda tentou o empate, mas não chegou ao segundo gol.

Com o resultado, o Grêmio não soma pontos nesta rodada, mas continua no G-4.
Primeiro Tempo

O jogo iniciou com a equipe do Grêmio que nos primeiros segundos já tentou jogada com Douglas. O camisa 10 fez lançamento na intermediária de ataque, mas bola ficou com o São Paulo. Logo em seguida, Edinho cometeu falta sobre Alexandre Pato na lateral esquerda.

Logo no primeiro minuto, os paulistas atacaram com Michel Bastos na esquerda, que cruzou em direção à área – Rafael Thyere cortou e mandou pra escanteio. Alexandre Pato cobrou e Bruno Grassi, que fez sua estreia com a camisa do Grêmio, conseguiu defesa tranquila.

Já aos 4′, o São Paulo teve falta na intermediária; Pato cobrou de longe e a bola passou do lado esquerdo do goleiro gremista.

O Grêmio teve boa oportunidade em jogada construída com Douglas e Walace, que trocaram passes na frente da grande área. O camisa 10 tentou passe para Marcelo Oliveira, mas a bola se perdeu pela linha de fundo. Na sequência, o Tricolor pressionou de novo, com Fernandinho. O atacante tentou passe para Walace na área, mas Rodrigo Caio colocou para escanteio.

Em resposta, a equipe paulista chegou com Pato pela esquerda, que passou pela marcação e chutou no canto direito de Bruno, que caiu e fez a defesa.

Aos 11 minutos, após boa troca de passes, Douglas tentou domínio na área, mas perdeu o tempo da jogada e a defesa paulista fez o corte. O Grêmio insistiu pela esquerda com Fernandinho, que foi derrubado por Bruno Almeida – jogador levou cartão amarelo pela falta. Douglas cobrou na área, Renan tentou a defesa, mas dividiu com Breno e ficou caído no gramado.

O Tricolor gaúcho tentou jogada pela direita com Luan que acionou Edinho. O volante chapelou Carinhos e cruzou na área, mas defesa paulista cortou.

Pressionando novamente, após troca de passes pelo meio, Douglas acionou Giuliano na esquerda. O meia tentou jogada individual em cima do Bruno, passou por ele e optou por chutar à gol. A bola passou à direita de Renan, aos 17′.

Aos 22 minutos, Walace recebeu no meio, limpou o lance e chutou, mas bola desviou zaga e saiu para escanteio. Galhardo cobrou, a bola chegou à Luan que mandou por cima da zaga e encontrou Fernandinho. O atacante bateu cruzado e no final da jogada, Renan Ribeiro fez a defesa. Melhor oportunidade do Grêmio até o momento.

Aos 27′, Rafael Thyere lançou Douglas em contra-ataque. O camisa 10 avançou em velocidade, tentou acionar Giuliano. O meia recebeu e tentou passe para Luan, mas saiu errado.

O São Paulo chegou com Carlinhos, que arriscou de longe. Bruno Grassi pegou no canto esquerdo e espalmou. Na sequência, Alexandre Pato recebeu próximo à entrada da grande área – Rafael Thyere acabou cometendo falta sobre o jogador, levando cartão amarelo. Michel Bastos bateu rasteiro e a bola explodiu na barreira.

O Grêmio chegou agora com Fernandinho, que cruzou rasteiro da esquerda e Breno afastou para a lateral. Pressionando de novo, Galhardo ia recebendo, em condições legais, passe , mas foi derrubado na entrada da área e juiz assinalou falta. Douglas foi para a cobrança, mas chutou na barreira.

Alexandre Pato avançou em contra-ataque e lançou Carlinhos, que devolveu para ao jogador. O atacante limpou dois jogadores e chutou a gol, sem chances para defesa de Bruno Grassi. Foi gol. Mas o Tricolor gaúcho continuou insistindo – Fernandinho recebeu passe na área e cara a cara com o goleiro, tentou colocar nas redes, mas Renan fez boa defesa, aos 35′.

O São Paulo teve nova cobrança de falta, agora na direita. Michel Bastos cobrou no segundo poste, Bruno Grassi subiu e ficou com a bola. De novo, Bastos tentou chegar, chutando cruzado na área, mas a bola não chegou nos pés de ninguém e Galhardo conseguiu ficar com ela.

Fernandinho tentou jogada pela esquerda, mas zaga cortou e mandou para escanteio. Depois da cobrança, a bola chegou aos pés de Luan que dominou e chutou à gol, mas Renan Ribeiro fez defesa segura.

Aos 45′, Walace levou cartão amarelo após cometer falta na intermediária de ataque sobre Rodrigo Caio.

Aos 46 minutos, Galhardo cruzou para Giuliano que dominou na área, limpou a jogada e tentou chute, mas a defesa do São Paulo conseguiu cortar e segurar o resultado nesta primeira etapa.

Jogo finalizou aos 47′.

 

Segundo Tempo

O Grêmio voltou a campo com a mesma formação. A saída de bola foi da equipe paulista, que logo tentou chegar com Michel Bastos. O jogador tentou driblar duas vezes Erazo, mas a bola acabou saindo pela linha de fundo.

Aos 2 minutos, o Tricolor gaúcho chegou com Fernandinho, que fez jogada pela esquerda e tentou passe para Luan. Breno cortou o lance.

Galhardo inciou jogada com Galhardo pela direita, que encontrou Luan no meio, dentro da área. O camisa 7 dominou e chutou à gol, mas Renan Ribeiro fez a defesa.

Aos 6 minutos, o São Paulo fez boa jogada pela direita com Rodrigo Caio. O jogador foi à linha de fundo e cruzou, mas Thyere fez o corte e jogou pra escanteio. Na cobrança de escanteio, Carlinhos subiu na primeira trave e cabeceou por cima do gol.

A equipe gremista chegou de novo após cruzamento de Galhardo. Ele colocou a área, mas zaga mandou pra escanteio. O lateral cobrou, Erazo chegou, mas bola saiu pela linha de fundo. Aos 11′, Fernandinho recebia na linha da grande área, foi derrubado com falta clara, juiz nada assinalou.
O Grêmio insistiu e Giuliano chegava na intermediária de ataque, mas os paulistas o pararam com falta. Galhardo cobrou em cima da barreira.

Substituição no Tricolor: Saiu Fernandinho, entrou Bobô, aos 12 minutos.

Em sua primeira participação na partida, Bobô avançou pela esquerda, encontrou Douglas no meio. Ele acionou Giuliano que dominou e chutou. Bola foi fraca demais, facilitando a defesa do goleiro Renan Ribeiro, aos 14′.

Aos 22 minutos, o São Paulo se lançou em contra-ataque rápido com Ganso. Ele acionou Wesley que foi bloqueado por Erazo dentro da área.

Em nova oportunidade, o Grêmio chegava com Giuliano pelo meio, na entrada da área. O jogador foi derrubado e a arbitragem nada assinalou. Depois de boa saída de jogo de Walace, Bobô tentou o passe pelo meio, mas bola parou em Rodrigo Caio.

Aos 33′, a equipe gremista tentou atacar com Everton. Em jogada individual, o atacante passou por um marcador e ao tentar driblar o segundo, acabou derrubado na área, mas nada foi marcado.

Edinho cometeu falta na esquerda e levou cartão amarelo, aos 36′.

Substituição no Tricolor: Saiu Walace, entrou Pedro Rocha.

Aos 42 minutos, Bobô recebeu o lançamento longo, ganhou na força, mas perdeu o ângulo e finalizou em cima da marcação. Logo na sequência, Luan acionou Galhardo na direita, que foi à linha de fundo e cruzou rasteiro. A bola percorreu toda a área.

Em contra-ataque rápido dos paulistas, Rogério marcou o segundo gol.

Já nos acréscimos, aos 47′, Éverton descontou para o Grêmio. Pedro Rocha cruzou de primeira rasteiro na área. Bobô deixou passar e a bola chegou até Éverton que, da entrada da área chutou. Goool.

Luan incia contra-ataque e sai da defesa até a intermediária de ataque. Ele acionou Bobô que tentou cruzamento, mas foi bloqueado pela zaga.

Jogo finalizou aos 50 minutos.

Público total: 46.915
Renda: R$ 1.846.273

Foto: Lucas Uebel


Campeonato Brasileiro – Turno

Placar: Grêmio  1 X 2  São Paulo
Local: Arena
Data: 13.set.2015

Gols:  23 | Everton

Escalação Grêmio
30 | Bruno Grassi
02 | Galhardo
31 | Rafael Thyere  
03 | Geromel
26 | Marcelo Oliveira
15 | Edinho  
05 | Walace  
08 | Giuliano
10 | Douglas
77 | Fernandinho
07 | Luan
Entrou Saiu
13 | Bobô 77 | Fernandinho
23 | Everton 10 | Douglas
32 | Pedro Rocha 05 | Walace
Escalação São Paulo
R. Ribeiro
Bruno
R. Caio
Lucão
M. Reis
Breno
T. Mendes
Carlinhos
Ganso
M. Bastos
A. Pato
Suplentes
Leo
Lyanco
Reinaldo
Murilo
Daniel
Wesley
Rogério
20 Centurión

GLOBO ESPORTE.COM

Ceará 0 x 3 São Paulo – Copa do Brasil 2015

João Marcos teve boa atuação contra o São Paulo e foi o responsável pela jogada de maior perigo do Vovô

João Marcos teve boa atuação contra o São Paulo e foi o responsável pela jogada de maior perigo do Vovô
(Foto: Christian Alekson / cearasc.com)

A Arena Castelão recebeu um ótimo público nesta quarta-feira, 26/08, mas os alvinegros voltaram para casa chateados. Depois de vencer o São Paulo no jogo de ida (2 x 1), os cearenses perderam em seus domínios e se despediram da Copa do Brasil 2015. O Vozão teve um bom início de jogo, mas, depois de ficar com um homem a menos, a equipe cearense não resistiu à pressão dos paulistas, que construíram o resultado de 3 x 0.

O primeiro tempo começou com o São Paulo valorizando a posse de bola e buscando abrir o placar, no entanto, a defesa do Vovô se mostrava forte e não dava espaços para os paulistas. Aos oito minutos, Michel Bastos tentou, mas Luís Carlos defendeu com tranquilidade. Na resposta, Fabinho finalizou com pouca força, mas Rogério Ceni fez a defesa.

A melhor chance do Vovô aconteceu aos 26 minutos, quando João Marcos roubou a bola e lançou para Fabinho. O camisa 7 ficou cara a cara com Rogério Ceni, mas finalizou fraco e o goleiro defendeu. Na sequência, Luís Carlos também trabalhou. Alexandre Pato chutou forte e o arqueiro do Vozão fez uma ótima defesa. Aos 37 minutos, Sanchez tentou em cobrança de falta, mas a barreira afastou. No rebote, Tiago Cametá finalizou para fora.

O primeiro tempo caminhava para um 0 x 0 morno, mas aos 41 minutos, Wellington Carvalho cometeu falta em Alexandre Pato e a arbitragem puniu o defensor com o cartão vermelho direto. Quatro minutos depois, Sanchez cometeu pênalti e Rogério Ceni cobrou no canto esquerdo de Luís Carlos, dando a vantagem para os visitantes ainda na etapa inicial.

No segundo tempo, o Ceará voltou pressionando. Aos cinco minutos, Siloé sofreu pênalti, mas a arbitragem nada marcou. No lance seguinte, Charles disputou com o zagueiro na área e foi deslocado, mas o lance seguiu normalmente. Depois dos erros graves da arbitragem, o São Paulo ampliou. Thiago Mendes arriscou o chute de longe e fez 2 x 0 para os paulistas. A resposta do Ceará veio logo em seguida, aos 14 minutos, quando Fabinho cobrou falta colocada, mas viu a bola explodir no travessão.

O técnico Marcelo Cabo mudou o time e colocou Rafael Costa na vaga de Siloé. Depois disso, Gilvan caiu no gramado e deu lugar a Sandro. Minutos depois, Júlio César entrou no lugar de Wescley. As mudanças não fizeram muito efeito, afinal, aos 30 minutos da etapa final, Alexandre Pato recebeu na área e chutou de primeira, fazendo 3 x 0 no Castelão.

Com o placar totalmente a favor do São Paulo, o time do Vozão passou a não se desgastar em campo. Júlio César ainda tentou aos 38 minutos, mas o chute do camisa 20 parou na defesa de Rogério Ceni. Após o apito final, os alvinegros se despediram da Copa do Brasil 2015 e voltam seus pensamentos exclusivamente para o Campeonato Brasileiro Série B 2015.

A equipe alvinegra vai enfrentar o Atlético/GO no próximo fim de semana, por isso, amanhã, a partir das 10h30min, todo o elenco se reapresentará na sede do clube para trabalhar. No período da tarde, a delegação alvinegra seguirá viagem para Goiânia/GO.

 

Site do Ceará Sporting Club

Ceará 0 x 3 São Paulo

Depois de ficar com um homem a menos, o Alvinegro se desestruturou

São Paulo 1 x 2 Ceará – Copa do Brasil 2015

Ceará vence no Morumbi, se aproxima da vaga, e São Paulo dá novo vexame

Time se defende com 11, vence por 2 a 1 com gols de Rafael Costa, segura pressão do Tricolor e fica a um empate no Castelão para avançar às quartas da Copa do Brasil

O São Paulo escalou Michel Bastos, Ganso, Pato e Luis Fabiano. E perdeu para o lanterna da Série B. O futebol contemporâneo pregado por Juan Carlos Osorio parou na tática mais antiga, única a qual o bravo Ceará poderia recorrer: todo mundo atrás e chances divinas, de preferência em bolas paradas. Rafael Costa, primeiro em vacilo da zaga, e depois em pênalti sofrido por Fabinho, fez os gols da vitória por 2 a 1, que deixa a equipe do Nordeste a um empate da classificação às quartas de final da Copa do Brasil, na próxima quarta-feira, no Castelão.

O São Paulo, que descontou com Alexandre Pato, precisará vencer por dois gols de diferença, ou devolver o placar de 2 a 1 para levar a decisão da vaga à disputa de pênaltis.

Guilherme Andrade bateu escanteio, Wellington Carvalho desviou e Rafael Costa, livre e em condição, graças a Reinaldo, abriu o placar. O São Paulo adotou uma tática difícil de se entender contra um time tão inferior tecnicamente. Encontrar um jogador aberto – Carlinhos na esquerda e Pato na direita – para levantar a bola na área. Não deu certo.

Luis Carlos, goleiro do Ceará, fez boas defesas em chutes de Thiago Mendes e Michel Bastos. Houve ainda dois lances em que a tal interpretação da arbitragem irritou são-paulinos. A bola bateu no braço de Fabinho e UIllian Correia dentro da área, mas o árbitro Dewson Fernandes Freitas da Silva ignorou os pedidos de pênalti nos dois lances.

No intervalo, Wilder substituiu Luis Fabiano, que saiu com dores no joelho em lance que ninguém sabe, ninguém viu. O colombiano jogou mal, mas a equipe até que conseguiu ser mais veloz na movimentação. Aí veio um contra-ataque e… Pênalti de Luiz Eduardo em Fabinho: 2 a 0 e fúria total da torcida organizada, com gritos contra Ganso e de “time sem vergonha”. O público foi de 13.015 pessoas.

O São Paulo diminuiu com seu principal trunfo na temporada: o talento de Alexandre Pato. Ele bateu com categoria e acertou o cantinho de Luis Carlos. Com Carlinhos na ponta direita, uma de suas “n” posições durante a partida, e o zagueiro Luiz Eduardo de centroavante, os anfitriões conseguiram criar bons lances, mas, no melhor deles, Wilder furou na primeira e acertou o travessão na segunda. Ficou claro, ali, que a bola não entraria de jeito nenhum.

A partida acabou e o clima no Morumbi é pior do que nunca. No domingo, o rival será o Flamengo, pelo Campeonato Brasileiro, no Maracanã. O Ceará receberá o Paraná na Série B.

são paulo ceará pato (Foto: Marcos Ribolli)
Pato tenta completar cruzamento de Carlinhos, mas acerta lado de fora da trave do goleiro do Ceará (Foto: Marcos Ribolli)
GLOBO ESPORTE.COM

[Lance Final] Pós-jogo São Paulo Futebol Clube 1 X 2 Ceará Sporting Club – Equipe Bola na Rede

O atacante Rafael Costa marcou seus dois primeiros gols com a camisa do Vozão

O atacante Rafael Costa marcou seus dois primeiros gols com a camisa do Vozão
(Foto: Marcos Ribolli / GloboEsporte.com)

São Paulo 1 x 2 Ceará

COPA DO BRASIL

Rafael Costa faz dois, Luís Carlos brilha e Vozão vence o São Paulo: 2 x 1

O resultado dá ao Mais Querido a vantagem do empate

Site do Ceará Sporting Club

Figueirense 0 x 2 São Paulo

Com gols de Pato e Ceni, São Paulo vence o Figueirense e “salta” ao G-4

Atacante e goleiro fizeram os gols da vitória por 2 a 0 em Florianópolis. Com o triunfo, o Tricolor subiu cinco posições na tabela de classificação. Figueira segue lá embaixo

O São Paulo está de volta ao G-4 do Brasileirão. Alexandre Pato e Rogério Ceni fizeram os gols da vitória por 2 a 0 sobre o Figueirense, no Orlando Scarpelli, nesta quarta-feira, pela 18ª rodada, em Florianópolis, e ajudaram o Tricolor a subir cinco posições na tabela de classificação. Essa foi apenas a segunda derrota do time catarinense jogando como mandante.

A vitória em Florianópolis faz o São Paulo saltar da oitava para a terceira colocação na tabela da competição, com 31 pontos – o Tricolor ainda pode cair para quarto dependendo do resultado do Grêmio contra o Atlético-MG, na quinta-feira. O Figueira, por sua vez, segue em 16º, com 20, à beira da zona do rebaixamento.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o São Paulo joga no sábado, às 21h, no Morumbi, contra o Goiás. E o Figueirense, domingo, às 16h, visita o Fluminense, no Maracanã.

Gol Ceni Figueirense x São Paulo (Foto: EDUARDO VALENTE/FRAME/ESTADÃO CONTEÚDO)
Rogério Ceni comemora o segundo gol do São Paulo
(Foto: EDUARDO VALENTE/FRAME/ESTADÃO CONTEÚDO)

O jogo

Com bom retrospecto dentro de casa, o Figueirense demorou a tomar a iniciativa na partida. Já o São Paulo, desde o primeiro minuto, adotou postura ofensiva. Teve ótima oportunidade de abrir o placar aos sete minutos, com Luis Fabiano. Mas a bola passou longe. A superioridade, porém, foi transformada em gol aos 13 minutos. Pato recebeu de Ganso e chutou de fora da área: 1 a 0.

Melhor em campo, o São Paulo ampliou aos 26 minutos. Após escanteio, Breno arriscou chute dentro da área. Marcão, com a mão, desviou. Pênalti. Na cobrança, Rogério Ceni fez o gol de número 130 na carreira. Na tentativa de reagir, o técnico do Figueirense, Argel Fucks, colocou Carlos Alberto no lugar de Fabinho. Mas o Tricolor continuou superior.

A necessidade de reação fez o Figueirense tentar mais o ataque no segundo tempo. A ótima chance de Rafael Bastos, porém, parou em defesa de Ceni. Pouco depois, em contra-ataque, Auro cruzou na cabeça de Luis Fabiano. Mas Alex Muralha, fez excelente defesa. O atacante tricolor até reclamou com o adversário.

Substituído por Carlinhos, Luis Fabiano não ficou satisfeito ao sair de campo. Mas o camisa 9 já tinha um cartão amarelo – Osorio, aliás, trocou todos que tinha cartão, como Wesley e Breno. Mas Luiz Eduardo é que foi expulso de campo. Ele exagerou ao dar carrinho em Clayton e ainda se machucou ao bater o rosto na canela do adversário.

Com um homem a mais em campo, o Figueirense ainda tentou uma reação, mas não conseguiu superar a defesa tricolor. Foi apenas a segunda derrota do time catarinense em casa.

Breno São Paulo (Foto: Rubens Chiri / site oficial do SPFC)
Figueirense e São Paulo duelaram em Florianópolis pela 18ª rodada
(Foto: Rubens Chiri / site oficial do SPFC)
GLOBO ESPORTE.COM

Alexandre Pato explica declaração sobre campo neutro: “Achei que o jogo era contra o Cruzeiro”

O mosaico continua la (FOTO: Marquinhos)

O mosaico continua lá
(FOTO: Marquinhos)

Uma grande polêmica surgiu após declarações de Alexandre Pato, que classificou o Mineirão como estádio neutro, antes do duelo diante do Atlético. Pressionando, o atacante se pronunciou e explicou que tudo não passou de um mal entendido.

“Achei que o jogo seria contra o Cruzeiro, vê se pode! Na hora pensei na famosa torcida dos 90 minutos de silêncio e do mosaico cinza, só por isso falei que o Mineirão é campo neutro. Sem puxar saco dos atleticanos nem nada, se eu lembrasse que o jogo era contra o Galo, já tremeria na hora”, disse, mostrando ter afinidade com a metade azul de Minas.

Irritada com a declaração, a torcida cruzeirense já prepara uma manifestação para a próxima partida no Mineirão. Com a promessa de bater o recorde de público do clube em 2015, cerca de 7 pessoas já confirmaram presença.