Governador de Alagoas vê “mordaça” em ação judicial movida por Rui Palmeira(PSDB)

GOVERNADOR CHAMA DE ‘CENSURA’ QUEIXA DE RUI À JUSTIÇA ELEITORAL
Publicado: 21 de setembro de 2016 às 01:55 – Atualizado às 08:17
RENAN FILHO INTERPRETA AÇÃO DE RUI CONTRA ABUSO DE PODER PELO SEU GOVERNO COMO ‘CENSURA’ (GUIA ELEITORAL)
Uma ação de investigação judicial eleitoral apresentada pelo candidato à reeleição a prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB), denunciou à Justiça Eleitoral flagrantes de promoção do candidato Cícero Almeida, o Ciço (PMDB), com obras, ações instucionais e material de propaganda do Governo do Estado de Alagoas, além do uso de servidores públicos e secretários na campanha do peemedebista durante horário de expediente. Mas o governador Renan Filho (PMDB) e seu afilhado resolveram simplificar tudo como uma tentativa de “censura” por parte da ação judicial do tucano.O governador alagoano e o candidato do presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB) utilizaram o espaço das inserções da propaganda eleitoral gratuita na televisão para traduzir a denúncia de irregularidades como se fosse uma tentativa de Rui de ganhar a eleição “no tapetão”.

A tese tem o mesmo nível do ato do governador Renan Filho de tirar do horário de prestação de serviço público quase todos os secretários do Estado que ele costuma exaltar como “o mais pobre entre os mais pobres do Brasil”, com o objetivo de engrossar uma claque na convenção que lançou a candidatura de Ciço em 5 de agosto.

“O atual prefeito de Maceió entrou com uma ação na Justiça para tentar censurar a minha participação nessas eleições. Não vai conseguir. Todos têm o direito de declarar o seu voto, inclusive o governador do Estado. Cícero foi um dos melhores prefeitos que Maceió já teve. E quanto mais o prefeito for à Justiça para tentar me calar, mais eu vou para as ruas, para dizer ao povo de Maceió que o meu voto é Cícero”, diz o governador, em uma das peças da campanha de seu candidato, veiculada à exaustão a partir desta terça-feira (20).

EX-PREFEITO CÍCERO ALMEIDA

Reação a declínio

A eleição de Ciço é perseguida com tanto empenho, porque ela é peça fundamental do projeto dos Calheiros de reproduzir em Alagoas um processo similar à “sarneyzação”, implementada durante décadas no Maranhão. Na verdade, as eleições de 2018 estão em jogo nesta disputa.

A última pesquisa do Ibope, divulgada no dia 14, mostra que o líder Rui Palmeira subiu de 31% para 35% das intenções de voto do maceioense. Em segundo, Cícero Almeida caiu de 31% para 28%. Na simulação de 2º turno, Rui venceria Ciço com diferença de 13 pontos percentuais, de acordo com a pesquisa registrada no Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL) sob o número de protocolo AL-07132/2016, que ouviu 602 eleitores entre os dias 10 e 13 de setembro e tem margem de erro de 4 pontos.

No outro discurso produzido após o ingresso do novo marqueteiro de Ciço, Adriano Gehres, o candidato dos Renans lembra que Rui Palmeira venceu em 1º turno em 2012, após a cassação do registro da candidatura do ex-governador Ronaldo Lessa (PDT), que agora é aliado de Rui Palmeira.

“Além das ações contra mim, ele tenta na Justiça calar o governador Renan Filho. Rui não quer que a população saiba que o governador melhor avaliado do Brasil apoia a nossa candidatura. Rui agride a democracia e tenta vencer no tapetão. Eleições se ganha nas ruas, com programas de governo, disputando voto a voto”, diz o candidato Ciço.

A denúncia de abuso

No último dia 14, Rui Palmeira denunciou à Justiça Eleitoral de Alagoas a presença ostensiva do candidato de Renan Filho em inaugurações e lançamento de projetos do Governo Estadual em Maceió, no período da pré-campanha; a ida de secretários e servidores para o lançamento da campanha do candidato do PMDB, em horário de expediente – noticiada em primeira mão pelo Diário do Poder –; bem como o uso de imagens da propaganda institucional do Estado de Alagoas na propaganda eleitoral de Ciço.

A ação pede a cassação do registro da candidatura de Ciço, bem como a intervenção do Ministério Público Eleitoral, com emissão de parecer sobre os fatos denunciados e afirma que Ciço “indiscutivelmente se apropriou de material propagandístico pago com dinheiro público com a finalidade de ver mais intenso o poder de sugestão da propaganda eleitoral de sua candidatura e, com isso, seduzir os eleitores maceioenses a granjear os votos”.

A ação pede ainda que o Estado se abstenha de praticar atos que possam desequilibrar a disputa. “Fica clara a ofensa do Estado de Alagoas ao convidar, com finalidade explicitamente eleitoreira, o Sr. José Cícero Soares de Almeida, pré-candidato à Prefeitura Municipal de Maceió, para comparecer às diversas inaugurações na capital alagoana, para as quais não concorreu direta ou indiretamente”, diz outro trecho da AIJE.

A assessoria de imprensa do candidato Ciço divulgou na noite desta terça que a juíza Maria Verônica Correia de Carvalho, da 2ª Zona Eleitoral da Capital negou pedido de liminar na ação do candidato à reeleição Rui Palmeira, para suspensão das propagandas institucionais do Governo de Alagoas.

Site Diário do Poder

UPA inaugurada no Benedito Bentes deve atender 350 pacientes por dia

Segundo a Sesau, unidade vai desafogar o atendimento em várias outras.
Serão oferecidos serviços de clínica médica, pediatria e ortopedia.

Bandeira do estado de Alagoas

UPA foi inaugurada no Benedito Bentes (Foto: Marco Antônio/Secom)
UPA foi inaugurada no Benedito Bentes (Foto: Marco Antônio/Secom)

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Benedito Bentes, na parte alta de Maceió, foi inaugurada na manhã desta sexta-feira (1º). Ela vai funcionar 12h por dia, com serviços de clínica médica, pediatria e ortopedia.

Segundo a secretaria de estado da Saúde, Rosângela Wyszomirska, a unidade deve atender cerca de 350 pessoas diariamente.

“Essa unidade vai desafogar várias unidades, fazendo com que a assistência de saúde da região seja mais reforçada”, explicou.

A solenidade de entrega da UPA também contou com a presença do prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB), e do governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB).

 

G1.COM.BR

Casal é assassinado a tiros na zona rural de Lagoa da Canoa, Alagoas

Vítimas foram encontradas mortas na frente da casa em que moravam.
Crime aconteceu na tarde deste domingo (26).

Bandeira do estado de Alagoas

Um casal foi assassinado a tiros na tarde deste domingo (26), na zona rural da cidade de Lagoa da Canoa, no Agreste de Alagoas. Segundo a polícia, Maciel Roque de Melo, 35, e Salete Tatiane da Silva, 31, foram encontrados mortos na frente da casa onde moravam.

O crime aconteceu na área de uma fazenda no local conhecido como Sítio Barro Vermelho. Militares do Grupamento da Polícia Militar (GPM) do município informaram que o homem trabalhava na fazenda e vivia com a mulher em uma casa destinada aos funcionários.

O cabo Clebisvaldo, do GPM, disse que quando a equipe chegou ao local, encontrou os corpos do lado de fora da casa.  Ele falou que os filhos do casal foram encontrados em outra residência na vizinhança.

“Os filhos não estavam na casa no momento do crime, mas formos informados que os criminosos mandaram eles sair antes dos tiros”, informou o cabo.

Equipes do 3º Batalhão da Polícia Militar (BPM) estiveram no local e isolaram a área para os trabalhos dos institutos de Criminalística (IC) e Médico Legal (IML). A Polícia Civil também foi acionada para o local.

A polícia não tem pistas dos responsáveis pelo crime. A Polícia Militar informou que testemunhas não quiseram passar informação sobre o caso.

 

G1.COM.BR

Sargento da reserva da PM é baleado ao tentar impedir assalto em Maceió

Elias G. da Silva foi atingido por dois tiros no braço, no bairro da Levada.
Segundo militares, o estado de saúde dele é estável.

Bandeira do estado de Alagoas

Um sargento da reserva, da Polícia Militar de Alagoas (PM), foi baleado no braço, no início da tarde deste sábado (11), ao tentar impedir um assalto, no bairro da Levada, em Maceió. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da PM.

De acordo com a polícia, a vítima identificada como Elias Gomes da Silva estava próximo a um supermercado, na Avenida Francisco de Menezes, quando viu uma dupla tentando realizar um assalto. O sargento teria tentado impedir o fato e acabou sendo acertado por dois disparos no braço.

A PM relatou ainda que o militar aposentado foi socorrido ao Hospital Geral do Estado (HGE), no Trapiche da Barra, e que deverá passar por um procedimento cirúrgico, mas passa bem.

A reportagem do G1 tentou entrar em contato com o HGE para confirmar o estado de saúde do sargento da reserva, e saber se ele precisa passar pela cirurgia, mas as ligações não foram atendidas.

G1.COM.BR

Alagoas imunizou 90% do público-alvo contra H1N1 em 2016

Segundo Sesau, estado ficou em primeiro lugar na região Nordeste.
Até o dia 20 de junho, ocorre a aplicação da segunda dose da vacina.

Bandeira do estado de Alagoas

Vacinas contra a gripe H1N1 já podem ser encontradas em Cuiabá (Foto: Tchélo Figueiredo/Secom-Cuiabá)

Alagoas ficou em primeiro lugar no Nordeste em
cobertura vacinal (Foto: Tchélo Figueiredo/
Secom-Cuiabá)

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informou, nesta quinta-feira (9) que Alagoas encerrou a Campanha de Vacinação contra gripe deste ano com a maior cobertura vacinal do Nordeste, com 90,1% do público-alvo foi imunizado.

Os dados são do levantamento feito pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde (MS).

Esse resultado, segundo a Sesau, corresponde a 573.831 pessoas, do total esperado de 636.571. No ranking, Paraíba e Sergipe aparecem em segundo lugar, com 89,2% de imunização. A lista prossegue com Pernambuco, com 89,1%, Ceará, com 88%, Bahia, 87,2%, Maranhão, 85,6%, Rio Grande do Norte, com 83,2% e Piauí, com 80,2%.

Se comparado ao rastante do país, Alagoas ficou em décimo lugar. Em primeiro, de acordo com o ranking do MS, está o Distrito Federal, com 88,5% de cobertura. Em seguida vem São Paulo, com 97%, Espírito Santo, com 95,25%, Paraná, com 93,2%, Rondônia, com 93%, Santa Catarinia, com 92,9%, Goiás, com 92,5%, Minas Gerais, com 91,8% e Rio Grande do Sul, com 90,8%.

O público-alvo dessa fase da vacinação era composto por crianças de 6 meses a menores de 5 anos, trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, população privada de liberdade, pessoas com 60 anos ou mais, funcionários do Sistema Prisional e pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis. A imunização tem prazo de 1 ano.

“Graças ao trabalho integrado da Sesau com as Secretarias de Saúde Municipais e a comunicação eficiente na divulgação das informações, Alagoas encerra a Campanha de Vacinação contra a influenza 2016 com a maior cobertura do Nordeste. Temos que também evidenciar o comparecimento em massa do público-alvo, que atendeu ao nosso chamamento”, afirma a assessora do PNI em Alagoas, Denise Castro.

Segunda dose
Até o dia 20 de junho, as crianças que tomaram a vacina pela primeira vez devem receber a segunda dose da vacina nos postos de saúde. A Sesau informa que já distribuiu as quantidades de doses necessárias para cada Secretaria Municipal de Saúde.

Notificações
Em Alagoas, foram notificados 80 casos suspeitos de Influenza em 2016. 15 deles foram descartados, 30 confirmados e cinco causaram a morte dos pacientes.

A técnica do Núcleo das Doenças Imunoprevisíveis da Sesau, Claudeane Nascimento, o vírus pode ser transmitido de v´rias formas.

“Ela […] ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas da boca, olhos e nariz. Por isso, a população deve adotar cuidados simples como formas de prevenção, a exemplo de lavar as mãos várias vezes ao dia, cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar e não compartilhar objetos de uso pessoal”, recomenda Claudeane.

 

G1.COM.BR