SBT prepara novo domingo com Patrícia Abravanel, Eliana e Silvio Santos

Não existe qualquer movimento ou ao menos intenção de alguém do SBT em conversar com Gugu Liberato para o ano que vem. Até porque ele é contratado da Record e há toda uma história ainda em curso. O assunto renovação, nesses últimos tempos, tem ficado sempre para os últimos meses do ano – dezembro principalmente.

Já em relação ao SBT, para 2018, a programação de domingo, pela ordem, estará dividida entre Patrícia Abravanel, Eliana e Silvio Santos.

Um novo formato para Patrícia será buscado a partir de agora.

Quanto ao Celso Portiolli, desarquivando um plano que já existiu, também está certa a sua mudança para os sábados, à frente de um novo programa, em linhas bem diferentes do “Domingo Legal”.

Salvo qualquer alteração daqui em diante, data hoje, é o que está previsto para acontecer a partir de abril do ano que vem.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Simba e Claro podem fechar acordo , mas a Record está a atrapalhar acordos

 

Empacando

Simba e Claro é um acerto que pode pintar nesses próximos dias.

A respeito de todo esse braço de ferro, emissoras e operadoras, há uma queixa em setores do SBT e Rede TV!, que a Record sempre endurece o jogo no momento de fechar alguma coisa .

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Flávio Ricco diz que a censura na TV atualmente é pior do que na época dos militares

Gianne Carvalho/Globo/Divulgação

Maria do Carmo (Carolina Dieckman) foge de repressão policial em cena da primeira fase de “Senhora do Destino”

 

Que aqui é o país do faz de conta todo o mundo sabe desde 1500, mas alguns setores ainda se esforçam, a cada dia, em querer reafirmar esta verdade.

Nos anos 1970, ditadura plena, a novela “Mulheres de Areia” foi exibida sem restrições na extinta Tupi, isto em meio a feroz censura do então ministro Alfredo Buzaid.

Zilhões de movimentos da Terra depois disso, em 2012, um remake da mesma “Mulheres de Areia” na TV Globo foi censurado pelo Ministério da Justiça, porque aparecia o perfil de uma mulher nua na sua abertura.

Em setembro do ano passado, o Supremo Tribunal Federal considerou inconstitucional qualquer tipo de censura.

Ainda assim, agora, nem um ano depois, o MJ quer que a reapresentação de “Senhora do Destino” no “Vale a Pena Ver de Novo”, passando por cima da decisão do STF, tenha várias cenas cortadas.

Em um lugar onde se tem 70 mil assassinatos por ano e o grau de corrupção política é considerado o maior do mundo, o Ministério da Justiça, num universo que não é o nosso, se preocupa com os personagens de uma novela.

Estamos feitos.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery