Oscar Roberto Godói é desligado da TV Gazeta

Resultado de imagem para oscar roberto godoi

O ex-árbitro Oscar Roberto Godói não pertence mais aos quadros da TV Gazeta, em que tinha participação nos programas “Mesa Redonda” e “Gazeta Esportiva”. A saída do profissional foi confirmada à coluna pela assessoria de imprensa do canal, que, não é segredo para ninguém, passa por um processo de reestruturação. A Gazeta esclarece ainda que não houve qualquer problema ou desentendimento com Godói e classifica oficialmente o caso como uma “restauração na equipe de esportes”. Nada mais que isso. Não se sabe ainda quem ocupará o espaço de Godói no programa dos domingos, o “Mesa”, um dos mais tradicionais da televisão, que segue com apresentação de Flávio Prado e comentários de Wanderley Nogueira, Chico Lang, Alberto Helena Júnior e Celso Cardoso, além dos trabalhos de Anita Paschkes e Michelle Giannella. Godói tem ainda participação na jornada esportiva da rádio Transamérica. A coluna procurou o ex-árbitro , há poucos minutos, para ouvir o seu lado, sobre a saída da Gazeta, que respondeu a seu jeito: “Isso é um problema meu, ninguém tem nada a ver com isso, não tem nada a ver com a imprensa. Um abraço”. E desligou o telefone.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Equipe de colaboradores de Aguinaldo Silva em O Sétimo Guardião está definida

 

Zé Dassilva e a portuguesa Joana Jorge foram definidos como colaboradores de Aguinaldo Silva em “O Sétimo Guardião”, enquanto Virgílio Silva, pesquisador…

… Por outro lado, não será nenhuma surpresa de Maurício Gyboski também vier a integrar essa equipe de trabalho do Aguinaldo.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Fábio Porchat gravará externas para seu programas em várias cidades

 

Fábio Porchat não vai limitar a São Paulo as externas do seu programa…

… Algumas gravações começam a ser combinadas em várias outras praças.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

 

 

Consolidados Grande SP 16/05/2017

AUDIÊNCIAS DE 16/5/2017

Com padre pop, Bial bate recorde e dá mais audiência que Jô Soares

RAMON VASCONCELOS/TV GLOBO

Bial (à esq.) entrevista padre Fábio de Melo no Conversa exibido na madrugada de hoje (17) - Ramon Vasconcelos/TV Globo

Bial (à esq.) entrevista padre Fábio de Melo no Conversa exibido na madrugada de hoje (17)

REDAÇÃO – Publicado em 17/05/2017, às 11h35

A entrevista com o padre Fábio de Melo, exibida na madrugada desta quarta (17), fez o Conversa com Bial bater seu recorde de audiência: o programa deu 8,2 pontos na Grande São Paulo. O maior ibope até então era de 7,5 pontos na sexta-feira (12), quando o jornalista bateu papo com o médico Drauzio Varella. Os índices alcançados por Bial, no ar desde o dia 2, já superam os de Jô Soares em sua semana derradeira na Globo, em dezembro, quando teve média de 7,2

Média do dia (7h/0h): 16,2
Bom Dia São Paulo 11,0
Bom Dia Brasil 11,4
Mais Você 8,3
Bem Estar 7,2
Encontro 8,3
SP1 12,8
Globo Esporte 11,7
Jornal Hoje 11,9
Vídeo Show 9,4
Sessão da Tarde: Livres Como o Vento 12,8
Senhora do Destino 17,8
Malhação 22,2
Novo Mundo 25,3
SP2 27,7
Rock Story 28,4
Jornal Nacional 29,4
A Força do Querer 32,0
Mister Brau 20,7
Os Dias Eram Assim 15,1
Jornal da Globo 10,0
Conversa com Bial 8,2
Rush – Medicina Vip 6,3
Corujão 1: Chamada Desconhecida 5,3
Corujão 2: O Sistema 4,4
Hora 1 6,2
Média do dia (7h/0h): 6,7
Balanço Geral Manhã 2,6
SP no Ar 5,0
Fala Brasil 4,9
Hoje em Dia 4,0
Balanço Geral SP – de 12h a 14h38 7,0
Balanço Geral SP – de 14h41 a 15h 7,6
Ribeirão do Tempo 5,6
Vidas em Jogo 4,9
Cidade Alerta 7,9
A Escrava Isaura 10,1
O Rico e Lázaro 10,1
Jornal da Record 8,1
Power Couple Brasil 7,6
Programa do Porchat 3,8
Fala que Eu te Escuto 1,5
Igreja Universal do Reino de Deus 0,6
Média do dia (7h/0h): 5,8
Primeiro Impacto 2,3
Mundo Disney 4,2
Bom Dia e Cia 5,9
Clube do Chaves 6,3
Fofocalizando 5,5
Casos de Família 4,6
Rubi 5,5
O Que a Vida me Roubou 6,0
SBT Brasil 5,6
Carinha de Anjo 9,6
Chiquititas 8,9
Programa do Ratinho 8,5
Cine Espetacular: Totalmente Sem Rumo 2 – Defensores da Natureza 6,8
The Noite 3,9
SBT Notícias 1 2,8
SBT Notícias 2 3,1
Média do dia (7h/0h): 3,1
Band News 0,6
Café com Jornal 1,3
Dia a Dia 0,7
Sempre Bem 0,6
Os Simpsons 0,7
Jogo Aberto 3,2
Os Donos da Bola 2,7
Game Phone 0,7
Brasil Urgente – rede 4,8
Brasil Urgente – local 5,5
Jornal da Band 6,2
Ezel 2,1
MasterChef – A Prévia 2,1
MasterChef Brasil 6,3
Jornal da Noite 2,5
Os Simpsons 1,2
Vídeos Incríveis 1,1
Média do dia (7h/0h): 0,5
Te Peguei 0,1
Tá Sabendo? 0,3
Melhor pra Você 0,6
A Tarde É Sua 1,4
Master Game 0,1
Você na TV 0,3
RedeTV! News 0,5
TV Fama 0,9
Luciana By Night 0,6
Leitura Dinâmica 0,3
Amaury Jr. 0,1

Fonte: Emissoras

Cada ponto equivale a 70.559 domicílios na Grande SP

Site Notícias da TV

 

Polêmica entre CEMIG e TAESA aumenta

Resultado de imagem para CEMIG

Desaliança

A Taesa, empresa de transmissão controlada pela Cemig, poderá jogar mais lenha na fogueira que trepida em torno de Pimentel. O descumprimento de compromisso firmado com consórcio mineiro para assunção dos Lotes 4 e 17 de leilão da Aneel poderá ser o estopim que faltava.

Política de cúpula

Falando em Cemig, os aumentos de 20% a 74% concedidos neste mês aos diretores e conselheiros da empresa estão incidindo sobre altos reajustes dados um ano atrás ao mesmo pessoal, cujos salários e jetons já haviam subido até 36% em maio de 2016. A decisão dos acionistas pegou mal entre os empregados da empresa. O Sindieletro botou a boca no trombone.

 

Site Minas de Verdade

O PT quebrou Minas Gerais-Superávit nas contas do Estado apenas em 2020

Resultado de imagem para nota de 100 reais

Projeto de lei enviado nessa terça-feira à Assembleia prevê rombo de R$ 676 mi em 2018

O governador Fernando Pimentel (PT) pretende encerrar seu mandato em 2018 com um déficit nas contas públicas da ordem de R$ 676 milhões. Isso é o que prevê a proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) enviada nessa terça-feira (16) pelo secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). De acordo com a projeção, Minas só chegará ao superávit em 2020.

Ainda que deixe os cofres no vermelho, a atual gestão espera para o ano que vem uma queda brusca em relação ao déficit previsto para 2017, que é de R$ 2,8 bilhões. Para atingir o patamar de R$ 676 milhões, o governo trabalha com uma projeção de crescimento da receita de 10,94%, superior ao crescimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 7,64% e à inflação (4,2%).

O valor da receita para o ano que vem, segundo o projeto, deve passar de R$ 87,3 bilhões em 2017 para R$ 96,8 bilhões. Espera-se ainda que o valor do ICMS, principal fonte de arrecadação do Estado, tenha um crescimento de R$ 42,97 bilhões para R$ 46,25 bilhões.

O projeto foi enviado para a ALMG, mas ainda não foi lido em plenário e, por isso, ainda não teve o anexo de metas fiscais apresentado. Por causa disso, ainda não é possível dizer como o governo pretende chegar ao resultado primário de 2018.

No entanto, é importante ressaltar que os dados projetados para o resultado primário do ano que vem desconsideram os gastos que o governo de Minas tem anualmente com dívida pública. Em 2016, mesmo tendo ficado quase todo o ano sem pagar ao governo federal, Minas gastou mais de R$ 1,35 bilhão só em juros e encargos da dívida, segundo relatório de execução orçamentária da Fazenda.
Arrecadação. No primeiro ano do governo petista, ao enviar à Assembleia a LDO relativa a 2015, a equipe econômica de Fernando Pimentel tinha a expectativa de zerar o déficit “herdado pelos governos PSDB/PP” ainda em 2017, de acordo com declarações de Magalhães à época. A previsão não se confirmou e, no final de 2016, o governo decretou calamidade financeira.

Para equilibrar as contas antes de 2018, ano de eleições estaduais, o governo corre contra o tempo para aumentar a arrecadação e, até o final do ano, voltar a pagar o funcionalismo em parcela única. A medida é considerada importante entre petistas para que a candidatura à reeleição de Pimentel volte a ficar competitiva.

É com esse intuito que o Estado pretende aprovar, até o final deste mês, a criação de seis fundos, entre eles os imobiliários, cuja meta é atrair R$ 4 bilhões.

Mesmo ainda sem aprovação pela ALMG, a Secretaria de Planejamento (Seplag) informou que na projeção estão incluídos os recursos a serem obtidos pelos fundos estaduais e pela renegociação de dívidas dos contribuintes inadimplentes. Para justificar o não cumprimento do equilíbrio das contas, a Seplag alegou que o país vive um cenário de recessão. “Embora a inflação tenha caído, o juro da dívida pública continua o mais alto do mundo, chegando a 14,5% ao ano, frente a uma inflação de 4,5%. Diante desse quadro, Minas tem se saído melhor do que a maioria dos Estados na administração da crise fiscal e financeira”, conclui em nota.

 

Site Minas de Verdade