Equipes de nova atração de Celso Portiolli no SBT já dão expediente

ee94e-mundonovelas_sbtretomasuaprogramac3a7c3a3o

 

Homens trabalhando
Enquanto isso, as equipes de Celso Portiolli já dão expediente no SBT.

Muito devagar ainda é verdade, porque todos aguardam novos telefonemas de Silvio Santos dos EUA, para saber como tudo vai ficar.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Flávio Ricco ironiza reprises do Domingo Legal no mês de fevereiro

ee94e-mundonovelas_sbtretomasuaprogramac3a7c3a3o

 

Ajudando o inimigo
O SBT irá exibir reprises do “Domingo Legal” durante todo o mês de fevereiro.

Para Globo e Record não poderia existir melhor “estratégia” de programação.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Rede Bandeirantes não tem dinheiro para o transmitir o carnaval no Recife em 2017

34702-logo-band

Vai-não-vai
Ainda não existe uma posição oficial da Bandeirantes sobre a transmissão do carnaval do Recife.

Segundo se informa, está pegando na parte financeira. É quase certo que não.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Rede Bandeirantes não exibirá o Pânico e Canal Livre hoje à noite

34702-logo-band

34702-logo-band

Intervalo
O “Pânico” e o “Canal Livre” não serão exibidos neste domingo na Band, em função do Miss Universo.

Renata Fan e Cássio Reis apresentam o programa, que terá tradução simultânea feita por Malcolm Forest e Célia Regina  Kfouri.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Programa do Ratinho passará por mudanças em fevereiro

ee94e-mundonovelas_sbtretomasuaprogramac3a7c3a3o

 

Cara nova
O programa do Ratinho no SBT vai receber um banho de loja, a partir das edições que irão ao ar em fevereiro.

Vai ganhar novos cenários e vinhetas, por exemplo, mas o time de palco será mantido.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

“Planeta Extremo” será reativado pela Globo aos domingos

ecb1d-globo

O “Planeta Extremo”, cancelado no ano passado, vai voltar à programação da Globo, aos domingos, e com os mesmos condutores: Clayton Conservani e Carol Barcellos. Foi dado o sinal verde para o toque de reunir e a ideia é movimentar boa parte da equipe que tocou o programa nas últimas temporadas, hoje espalhada por outros produtos da casa. A lamentar, a ausência de seu principal cinegrafista, Ari Junior, morto na tragédia da Chapecoense.

A ordem para reativar o “Planex”, como seu pessoal se refere ao título de desafios radicais, surpreendeu a todos. Em março de 2016 seus profissionais receberam uma comunicação oficial anunciando o cancelamento do programa, apesar da boa audiência e vários prêmios conquistados. Como desculpa, o alto custo de produção.

Seguido à notícia, a Globo confirmou a descontinuidade, mas não descartou a possibilidade de um retorno à grade. “O fato de não termos decidido ainda por uma próxima temporada em 2017, não quer dizer que o ‘Planeta Extremo’ não volte em outro formato”, alertou a assessoria à época.
Decretada, portanto, esta nova temporada, as gravações terão início entre fevereiro e março – em alguma parte do mundo.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Globo programa minissérie catástrofe com Paulo Vilhena para 2º semestre

48465-tv-globo-fw

 

Eis Paulo Vilhena em cena da minissérie “13 Dias Longe do Sol”, escrita por Elena Soárez e Luciano Moura, que irá ao ar em 10 episódios na Globo no segundo semestre.

Ele faz o herdeiro “bon vivant” de uma construtora, nesta nova produção da Globo que explora o gênero “catástrofe”. A série, segundo a emissora, é inspirada em acidentes nacionais, principalmente o Palace II e o Edifício Liberdade, ambos do Rio. O roteiro é o seguinte: o engenheiro Saulo Garcez (Selton Melo) está prestes a entregar um centro médico de última geração. Mas com o objetivo de tornar-se sócio majoritário da construtora Baretti, onde trabalha há muitos anos, faz perigosas economias.

Depois de adulterar os cálculos estruturais do projeto, emprega mão de obra barata e usa materiais em quantidade e qualidade inferiores ao recomendável. Os resultados dessas escolhas são trágicos. No dia em que Marion Rupp (Carolina Dieckmann), a grande paixão de Saulo, vai vistoriar a obra para entender as razões do seu atraso, o prédio desaba. Saulo, Marion e mais sete operários conseguem sobreviver nos escombros, presos e incomunicáveis no que restou das garagens subterrâneas.

Depois que o prédio cai, dois mundos se estabelecem. Debaixo da terra, diferenças, ressentimentos e suspeitas terão que ser superadas para que os sobreviventes lutem por suas vidas. E aqueles homens e aquela mulher, de diferentes idades e classes sociais, viram um só corpo, com uma só vontade: voltar a ver a luz do sol. Lá em cima, a guerra se instala. Na busca por culpados, cada qual só pensa em como livrar a própria pele. Gilda (Debora Bloch), diretora financeira da Baretti e parceira de Saulo no plano de economizar dinheiro para tornarem-se sócios da construtora, faz de tudo para livrar-se das consequências legais do desabamento. Vitor Baretti (Paulo Vilhena), o herdeiro bon vivant da construtora, se vê no olho de um furacão do qual fugiu a vida inteira.

Por outro lado, o major Marco Antônio (Fabrício Boliveira), do corpo de bombeiros, é um tipo disposto a dar sua própria vida para resgatar os soterrados. Serão 13 dias longe do sol, daí o título, para os soterrados.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery