Produção de séries define o bom ano da TV em 2016

Estevam Avellar/TV Globo

Verônica (Débora Falabella) e Saulo (Murilo Benício) no último episódio de “Nada Será Como Antes”

Imagem: Estevam Avellar/TV Globo

Dentro de mais algumas horas, 2017 vai chegar, terminando um ano que foi muito difícil para os brasileiros no geral, incluindo todas as emissoras de TV, que fizeram das tripas coração para equacionar as suas operações.

Aqui já se disse que, a custa de muito sacrifício, as três principais redes não frearam as suas produções. Para a televisão, como fábrica, e em particular, 2016 ficou longe de ser ruim ou decepcionante. Ao contrário.

Tivemos produções na altura “Justiça”, uma das obras com melhor acabamento de todos os tempos, e “Nada Será Como Antes”, retratando com absoluta fidelidade uma época em que os bastidores das TVs eram exatamente aqueles.

Atingir a um nível de qualidade tão alto como foi a realização dessas duas séries, significa dizer que a televisão do Brasil chegou a sua plena maturidade.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s