Homem é preso no AM por morte de fazendeiro em Goiás há 23 anos

Crime teria ocorrido após uma discussão com a vítima.
Adelúbio Rodrigues afirma que irmão teria atirado no fazendeiro.

Bandeira do estado do Amazonas

Adelúbio foi preso na comunidade Nova Canaã, na rodovia BR-174 (Foto: Indiara Bessa/G1 AM)
Adelúbio foi preso na comunidade Nova Canaã, na rodovia BR-174 (Foto: Indiara Bessa/G1 AM)

Um homem de 48 anos foi preso na quinta-feira (16), na Comunidade Nova Canaã, localizada no km 71 da BR-174. Ele foi preso por envolvimento na morte de um fazendeiro ocorrida em Goiás, no ano de 1993. O homem confessou que estava no local do crime, mas que o irmão teria atirado na vítima. Os irmãos receberam ameaças e fugiram para Manaus. A prisão foi realizada após denúncia anônima.

A Secretaria de Segurança Pública realizou a apresentação do homem na manhã desta sexta-feira (17), na Zona Norte de Manaus. De acordo com a SSP,  Adelúbio Rodrigues, que usava o nome falso de Rodrigo Soares Netto, seria ex-policial militar e teria ido com o irmão à fazenda para a cobrança de uma dívida. Após uma discussão, o fazendeiro teria pegado uma arma e, antes que o irmão fosse atingido, Adelúbio teria atirado e matado a vítima

À imprensa, Adelúbio negou que tenha efetuado os disparos que mataram o fazendeiro. Ele contou que após a discussão, o irmão teria disparado quatro vezes, com duas armas diferentes. Adelúbio também negou ser um ex-PM. “Eu fui acompanhando ele [irmão], não sabia o que ia acontecer. Não sei se era dívida”, disse.

Após o crime, Adelúbio contou que os irmãos receberam ameaças de parentes da vítima que, segundo o homem, era um empresário influente na região. “Fugi porque sofria ameaças e perseguições dos parentes (da vítima). Fomos perseguidos em Tocantins e Mato Grosso”, declarou.

O irmão do suspeito ainda está foragido. Segundo a SSP, o homem se chama João José dos Reis, mas usa o nome de Renato Moraes. O secretário-executivo-adjunto de Operações Integradas (Seaop) da SSP-AM, Orlando Amaral, declarou que Adelúbio será encaminhado à Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (DECP).

“O mandado de prisão dele ainda está válido, nós vamos encaminhá-lo para a Polinter e eles deve entrar em contato com a Justiça de Goiás. Possivelmente, ele será recambiado”, disse Amaral.

‘Peço perdão’
Adelúbio foi preso após denúncia anônima na comunidade Nova Canaã. No local, o homem informou à imprensa que trabalhava como comerciante e agricultor. A família do homem não sabia do envolvimento dele no crime em Goiás. Adelúbio tem quatro filhos em Manaus.

“A qualquer momento eu estava esperando por isso [a prisão]. Eu tenho quatro filhos, queria educá-los e peço perdão a eles, eles não sabiam de nada. Se a família da vítima ficar sabendo, eu também peço perdão, não tenho paz de espírito”, disse.

 

G1.COM.BR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.