Casal vende brownie nas ruas para ajudar a pagar festa de casamento

Luanna Alysse e Thiago Pinotti conseguem dinheiro extra com doces.
Meta é pagar a decoração do casamento até outubro.

Ficheiro:Bandeira do Pará.svg

Casal paga parcelas do salão e buffet com o dinheiro dos brownies.  (Foto: Luanna/Arquivo pessoal)
Casal paga parcelas do salão e buffet com o dinheiro dos brownies.
(Foto: Luanna Alysse/Arquivo pessoal)

Um casal de paraenses decidiu ir às ruas vender brownie para poder realizar sua festa de casamento dos sonhos. A ideia surgiu depois que eles noivaram e descobriram o alto custo do evento, que não cabia no orçamento do casal. Para solucionar o problema, eles recorreram às vendas de maneira diferente: o casal percorre a cidade em uma foodbike decorada com flores, usando camisas personalizadas com a inscrição ‘Missão Casamento’.

Ao ver que era tudo muito caro, dei a ideia. Para ele aceitar vender nas ruas foi um parto, porque ele é muito tímido. Foi quando eu disse: ‘namo, ou é isso ou é isso”
Luanna Alysse, administradora

A administradora Luanna Alysse, 32 anos e o técnico de informática, Thiago Pinotti, 34, se conheceram em 2011. Em 2013, decidiram noivar e em 2014 começaram a pesquisar os orçamentos da festa. “Lembro que o primeiro foi o da banda que eu mais queria, aí foi decepção total porque era muito caro”, brinca a noiva, que adicionou um pequeno véu ao seu figurino de vendedora.

Devido aos preços, eles recorreram à venda dos doces desde janeiro deste ano na Praça Batista Campos, em Belém, mas atualmente expandiram o local de vendas para atender a demanda após ganharem notoriedade em um evento de economia criativa realizado em Belém.

Além da cesta personalizada, o casal tem uma foodbike. O preço do brownie é R$ 5. (Foto: Luana Alyse/Arquivo Pessoal)
Além da cesta personalizada, o casal tem uma
foodbike. (Foto: Luanna Alyse/Arquivo Pessoal)

O casal vende cerca de 400 brownies por mês ao valor de R$ 5 cada, o que garante um faturamento de R$ 2 mil, mas ainda é preciso tirar os custos do produto. O que sobra é usado para pagar as parcelas do buffet ou guardado para dar entrada na decoração do salão.

Da encomenda para as ruas
A forma de vender o doce foi de certa modo aperfeiçoada. Thiago Pinotti já vendia o produto, mas por encomenda. Luanna conta que a marca dele já tinha cinco anos de mercado.

“Ao ver que era tudo muito caro, dei a ideia. Para ele aceitar vender nas ruas foi um parto, porque ele é muito tímido. Foi quando eu disse: ‘namo, ou é isso ou é isso’”, relembra a adminstradora.

Sarah ia para o aniversário do irmão e comprou seis brownies para ajudar o casal. (Foto: Luana Alyse/Arquivo Pessoal)
Sarah ia para o aniversário do irmão e comprou
seis brownies para ajudar o casal.
(Foto: Luanna Alyse/Arquivo Pessoal)

Amor compartilhado
Luanna conta ainda que com as vendas acaba conhecendo histórias de amor de todo o tipo. “Tem de tudo, desde o casal que está junto há 40 anos e continua apaixonado até aqueles que acabaram de ficar viúvos e ficam emocionados com a gente que está iniciando uma vida em parceria”, diz.

Apesar da maioria das histórias serem positivas, há quem jogue balde de água fria no casal. “Isso vem, normalmente, dos que se divorciaram. Eles perguntam: mas vocês têm certeza que querem casar mesmo? Só que eu levo na brincadeira. Há ainda os que não aprovam nem um pouco a ideia e não dão a mínima. São poucos, mas existem, porque sempre tem gente do contra, né?”, relata.

A estudante de gestão ambiental, Sarah Sfair, é uma das que aprovam a ideia. “Eu adorei a ideia e além de querer ajudar comprei, porque era aniversário do meu irmão, então pedi seis brownies e levei um para cada pessoa que ia estar com a gente. Todo mundo amou”, afirma.

Além da missão casamento
A data do casamento está marcada para o dia 20 de abril de 2017 e eles manterão as vendas até o dia da união. “Até outubro deste ano, a gente espera pagar uma parte da decoração, já que nossa renda mensal está quase toda comprometida com o casamento. Mas quando passar a missão casamento, vamos manter as vendas através de encomendas e da foodbike em eventos”, ressalta.

 

G1.COM.BR

Tribunal de Contas do Estado do Paraná envia ao TRE lista com mais de mil agentes com contas irregulares

Documento deve servir de base para declaração de inelegibilidade.
Contas irregulares é hipótese prevista pela Lei da Ficha Limpa; veja lista.

Bandeira do estado do Paraná

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE) entregou nesta quarta-feira (15) ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) uma lista de 1.058 agentes com contas julgadas irregulares. Segundo o TCE, a relação servirá de base para a declaração de inelegibilidade para as eleições municipais de 2 de outubro. Veja a lista completa.

O critério para compor a lista, segundo o TCE, é ter tido contas julgadas irregulares e que não sejam mais passíveis de recurso. Os dados levados em conta são dos últimos oito anos, desse 2008, de acordo com o que determina a Lei da Ficha Limpa.

Uma das hipóteses da Lei da Ficha Limpa para considerar pessoas como inelegíveis é justamente o julgamento de contas irregulares sem possibilidade de recurso. Segundo o TCE, este é o principal motivo que leva à negativa de registros de candidaturas no Brasil.

Ainda conforme o TCE, não compõem a lista os prefeitos em relação às prestações de contas anuais, uma vez que o órgão não julga essas contas – apenas emite parecer recomendando a aprovação ou desaprovação. Nestes casos, o julgamento de contas é feito pelo Poder Legislativo.

 

G1.COM.BR

Prefeito de Curionópolis é condenado por improbidade administrativa

MP diz que prefeito relocou funcionários sem motivo legal.
Cabe recurso da decisão.

Ficheiro:Bandeira do Pará.svg

O prefeito de Curionópolis, Wanderson Azevedo Chamon, foi condenado por improbidade adminstrativa pela juíza Priscila Mamede Mousinho. Com a sentença, ele será obrigado a pagar uma multa equivalente a 25 vezes a sua remuneração como prefeito, e está proibido de receber, por um período de três anos, incentivos e beneficios fiscais e de crédito. Ainda cabe recurso. O G1entrou em contato com a prefeitura do município, que informou que o prefeito não estava no local e não possui telefone de contato.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, existem indícios de que o prefeito havia realocado oito funcionários públicos para a locais distantes, na zona rural, como retaliação política. Segundo a denúncia, não havia motivo prático para as mudanças. Destas oito pessoas apenas dois ainda trabalham na administração municipal.

“O que houve foi a verdadeira relotação de servidores de seus postos de trabalho, com comprovado desvio de finalidade, em violação a princípios impostos ao administrador, frise-se, legalidade, impessoalidade, moralidade; afastando-se dos parâmetros ideias, sem motivação adequada, com clara presença de distorção do fim legal, pelo que a ação de improbidade merece acolhimento”, disse a juíza em sua sentença.

 

G1.COM.BR

Operação contra pedofilia na internet prende quatro em Curitiba e Região

Operação cumpriu 10 mandados de busca e apreensão e 2 de condução.
Investigações começaram a partir de denúncia de abuso sexual na web.

Bandeira do estado do Paraná

Materiais apreendidos durante a operação da Polícia Civil  (Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Materiais apreendidos durante a operação da
Polícia Civil (Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Quatro pessoas foram presas durante uma operação da Polícia Civil para combater o crime de pedofilia na internet em Curitiba e Região Metropolitana, na manhã desta quarta-feira (15).

A ação cumpriu 10 mandados de busca e apreensão e dois de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para prestar depoimento.

Segundo o delegado-titular do Nuciber, Demetrius Gonzaga, as investigações iniciaram há um ano, através de denúncia de órgãos de proteção à criança, onde os menores eram alvo de abuso sexual na internet.

“As imagens portadas e exibidas pelos suspeitos eram postadas tanto na internet comum quanto na deep web, que é um local que usuários comuns não acessam. Mesmo assim, a equipe de investigação da delegacia as localizou ao aprofundar as investigações desta modalidade criminosa”, disse o delegado.

Um adolescente de 17 anos também foi apreendido durante a ação, batizada de “Operação Paládio”. Os mandados foram cumpridos no Boqueirão, Cidade Industrial de Curitiba (CIC), Umbará, Campo do Santana, Santa Candida, Bigorrilho, Santa Felicidade, São José dos Pinhais e Fazenda Rio Grande.

Outros 250 casos envolvendo abusos desta natureza também estão sendo investigados pelo Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber).

O nome da operação, ainda de acordo com a Polícia Civil, é uma analogia a um objeto sagrado ao qual era confiada a defesa de uma cidade ou país, remetendo a Polícia Civil como protetora da sociedade.

Os presos vão responder pelo crime de armazenar imagens e vídeos contendo cenas pornográficas de crianças e adolescentes.

Materiais eletrônicos como discos rígidos, pendrives, celulares, computadores e cartões de memória foram apreendidos durante a operação.

 

G1.COM.BR

Moradores de conjuntos no bairro de Val-de-Cans sofrem com a falta d´água

Comunidades dos conjuntos CDP e Providência estão sem água há semanas.
Abastecimento parcial deve ser retomado nesta quarta-feira,15, diz Cosanpa.

Ficheiro:Bandeira do Pará.svg

Os moradores dos conjuntos residenciais CDP e Providência, localizados no bairro de Val-de-Cans, em Belém, denunciam que sofrem com a falta de água há semanas. Segundo a comunidade, a situação piorou depois que o abastecimento de água foi prejudicado pelo roubo de parte da fiação elétrica de bombas hidráulicas da subestação da Cosanpa no conjunto CDP.

A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) informou que uma equipe de manutenção está no local fazendo os reparos. A previsão é que o abastecimento de água seja retomado parcialmente na tarde desta quarta-feira (15). Ainda segundo a Cosanpa, quatro poços de abastecimento dos conjuntos foram prejudicados pelo furto dos cabos e ainda é necessário consertar o quarto poço, que teve cabos, transformador e o quadro de comando elétrico furtados. O órgão disse ainda que a fiação elétrica já foi roubada duas vezes nas últimas semanas. Enquanto isso a população dos conjuntos sofre com a falta de água.

“A gente tem que ficar na casa do vizinho pegando água”, diz o pedreiro Josimar do Rosário.

O aeroviário Raimundo Nonato conta que está reutilizando a água que usa para lavar roupa.

“Ficamos até tarde esperando a água chegar, acordamos cedo para ver se chegou e aí tem a decepção por não chegar. Ainda tem o gasto com combustível ,pois eu tenho que buscar na empresa a água para realizar as necessidades básicas”, reclama.

A Cosanpa esclareceu ainda que na última semana os criminosos voltaram ao local e levaram parte dos fios de importantes equipamentos. Enquanto isso, os moradores dizem que não têm mais paciência.

“Nós queremos solução e resposta porque não estamos mais aguentando. A gente sai pedindo água para os vizinhos”, desabafa  a dona de casa Sanda Queiroz.

 

G1.COM.BR

Ibovespa fecha no azul após decisão do Fed em dia de vencimento de opções

Notícia Publicada em 15/06/2016 17:09

BC dos EUA mostrou postura mais branda sobre o ritmo de elevação da taxa de juro

Vencimento de opções sobre o índice adicionou volatilidade ao pregão (Caliel Costa/Flickr)
Vencimento de opções sobre o índice adicionou volatilidade ao pregão (Caliel Costa/Flickr)

SÃO PAULO – A Bovespa fechou em alta na sequência da decisão do Federal Reserve nesta quarta-feira, com a leitura de que o banco central norte-americano mostrou postura mais branda sobre o processo de elevação da taxa de juro, e conforme investidores amenizaram preocupações sobre delação envolvendo o presidente interino Michel Temer no âmbito da Lava Jato.

Segundo dados preliminares, o Ibovespa subiu 0,29 por cento, a 48.790 pontos, em dia de vencimento de opções sobre o índice, que adicionou volatilidade ao pregão. O giro financeiro totalizava 5,85 bilhões de reais.

(Por Priscila Jordão)

 

G1.COM.BR

Ceará embarca para Santa Catarina para enfrentar o Joinville

João Marcos: “Precisamos saber jogar no erro deles”

Site do Ceará Sporting Club