Câmara anuncia votação de projeto que legaliza Uber no DF para dia 21

Comissões têm até dia 17 para analisar texto; ‘UberX’ é ponto polêmico.
Nesta terça, irmãos foram agredidos após serem confundidos com Uber.

Bandera de Distrito Federal

O projeto de lei do governo do Distrito Federal que trata da regulamentação de serviços de transporte alternativo, como o Uber, será votado em plenário no próximo dia 21 de junho, informou a presidente da Câmara Legislativa, Celina Leão. A decisão foi tomada nesta quarta (1º), um dia depois que quatro irmãos foram perseguidos e espancados por taxistas após serem confundidos com motoristas que prestam serviço pelo aplicativo.

A proposta do GDF chegou à Câmara em novembro do ano passado. À época, o subsecretário de Relações Legislativas do DF, Sérgio Nogueira, afirmou ao G1 que o assunto “não era prioridade” em meio à crise econômica.

Segundo Celina, as quatro comissões que devem analisar a proposta têm até o dia 17 para concluir os trabalhos. Caso o prazo não seja cumprido, a presidente da Câmara pode levar a discussão a plenário antes de votar o projeto.

“Se a Casa não aprovar, a população vai continuar usando e nós vamos colocar em risco a vida das pessoas que usam o Uber. Então nós temos que aprovar, realmente regulamentar, para que a pessoa que use o Uber tenha segurança de usar. Nós não podemos fechar os olhos para essa realidade.”

Pela proposta do governo, o serviço fica restrito a veículos a gasolina, álcool e gás natural, com capacidade para o motorista e até seis passageiros. Ficam excluídos carros a diesel e com maior capacidade, como vans e micro-ônibus.

O ponto mais polêmico é sobre a extinção da modalidade mais popular de corridas, o “UberX”, com permissão apenas do serviço “Uber Black”, com custo maior. Segundo o secretário-chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio, a ideia era evitar a competição direta dos motoristas com os taxistas convencionais.

Segundo o relator da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças, Professor Israel (PV), o parecer dele está pronto desde o fim do ano passado. O distrital propõe alterar o texto do governo e autorizar o “UberX”, mais barato para o cliente. A mudança causou impasse entre os parlamentares, por isso o projeto ainda não foi votado.

O presidente da comissão, Agaciel Maia (PR), quer manter o trecho do projeto que permite apenas o Uber Black. “A taxa do táxi é R$ 2,80, a do Uber Black é R$ 2,40 e a do UberX é R$ 1,25. Então, do ponto de vista econômico, isso é um dumping, que é poder econômico entrando na concorrência para matar quem realmente está concorrendo e depois colocar a taxa no limite que ele quiser.”

Celina Leão diz que não existe risco de o Uber monopolizar esse tipo de serviço porque a proposta regulamenta todos os tipos de transporte que atendem por aplicativo de celular.

Se a Casa não aprovar, a população vai continuar usando e nós vamos colocar em risco a vida das pessoas que usam o Uber. Então nós temos que aprovar, realmente regulamentar, para que a pessoa que use o Uber tenha segurança de usar. Nós não podemos fechar os olhos para essa realidade”
Celina Leão, presidente da Câmara Legislativa do DF

“É um projeto amplo para aplicativo, para todos os aplicativos, então o Uber vai sofrer concorrência. Já temos três novos aplicativos que estão para atuar aqui. Não está se aprovando um projeto que vai nominar o Uber, mas vai permitir outros aplicativos.”

Durante a sessão desta quarta, o deputado Cristiano Araújo (PSD) disse que retirava o apoio aos taxistas por causa dos conflitos recentes.

“Fui procurado pelas vítimas das agressões e fiquei muito sensibilizado com os relatos. Chegou a hora de votarmos esse projeto”. O distrital declarou que exigia do GDF a cassação das licenças de taxistas envolvidos nos confrontos.

Nesta terça, motoristas do Uber estiveram na Câmara Legislativa do DF para pedir aos deputados que votem o projeto e para que os parlamentares cobrem providências das forças de segurança a fim de coibir a violência contra os condutores do modelo.

Motoristas do Uber reúnem 54 carros para escrever 'paz' em ato contra agressões de taxistas em Brasília (Foto: TV Globo/Reprodução)Motoristas do Uber reúnem 54 carros para escrever ‘paz’ em ato contra agressões de taxistas em Brasília (Foto: TV Globo/Reprodução)

Conflito
De acordo com a Polícia Militar, somente nesta quarta houve três confusões do tipo: quatro carros do Uber foram apedrejados no aeroporto, houve ataque a profissionais em um hotel e um homem confundido com motorista do app foi cercado, em frente ao Brasíliax Shopping, quando deixava a mulher no serviço.

Nesta terça, quatro irmãos foram perseguidos, encurralados e espancados por taxistas depois de serem confundidos com motoristas do Uber. Eles haviam acabado de desembarcar no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek e seguiam de carro para Ceilândia.

Taxistas e motoristas do serviço executivo entraram em confronto nesta terça no Aeroporto de Brasília. O vidro de um carro foi quebrado (Foto: Reprodução)
Vidro de um carro foi quebrado após confronto no
Aeroporto JK, em Brasília (Foto: Reprodução)

O conflito aconteceu pouco depois de representantes dos serviços de transporte trocarem agressões em um posto de combustível vizinho ao terminal. O caso é investigado pela Polícia Civil.

Em protesto contra agressões de taxistas, motoristas do aplicativo Uber usaram 54 carros para formar a palavra “paz” no Estádio Nacional de Brasília no início da tarde desta quarta.

Na segunda, um taxista teria tentado impedir a saída de um carro do Uber, interceptando o caminho com um carrinho de bagagens do aeroporto. O motorista do serviço executivo diz que foi ameaçado junto a uma passageira e precisou acionar a polícia para deixar o local. Outro condutor diz que teve o pneu rasgado na semana passada, também por suposta ação dos taxistas.

A presidente do Sindicato dos Taxistas, Maria do Bomfim, afirmou ao G1 que a entidade não compactua com a violência, mas que os profissionais estão “cansados das agressões dos motoristas do Uber e, por causa disso, estão partindo para cima”.

 

G1.COM.BR

Em 2h, Porto Alegre tem 2 latrocínios e um assalto com suspeito morto

Segundo BM, crimes ocorreram entre 20h e 22h desta quarta-feira.
Crimes aconteceram nas zonas Leste e Sul da capital gaúcha.

Bandeira do estado doRio Grande do Sul

Ônibus foi alvo de assalto no bairro Cavalhada, na Zona Sul de Porto Alegre (Foto: Edmilson Antunes/RBS TV)
Ônibus foi alvo de assalto no bairro Cavalhada, na Zona Sul de Porto Alegre
(Foto: Edmilson Antunes/RBS TV)

Foram registrados, na noite desta quarta-feira (1), três assaltos em diferentes pontos de Porto Alegre, que deixaram um saldo de duas vítimas e um suspeito mortos. Segundo a Brigada Militar (BM), os crimes ocorreram entre 20h e 22h.

No Morro Santo Antônio, na Zona Leste, um motorista foi baleado por assaltantes, na Rua Antonio Ribeiro. A vítima, ainda não identificada, chegou a ser conduzida para um hospital, mas não resistiu. Os autores do crime fugiram sem levar o carro.

Um homem foi morto por criminosos com um tiro no peito, no Bairro Ponta Grossa, na Zona Sul da capital. A vítima foi identificada como Thiago Gomes da Silva. A polícia suspeita que ladrões tenham fugido com o celular do homem.

Na Avenida Cavalhada, também na Zona Sul, um assalto a ônibus terminou com um suspeito morto por um policial militar, que estava à paisana dentro de um veículo. Segundo a BM, cerca de quatro assaltantes haviam anunciado o crime no momento da reação do policial.

Um dos suspeitos acabou preso após ser ferido por passageiros e moradores da região, enquanto tentava fugir. Os demais fugiram do local e estão sendo procurados.

 

G1.COM.BR

Vieira da Cunha deixa Secretaria da Educação no RS para ser candidato

Saída foi definida em reunião com governador Sartori nesta quarta (1).
Secretário adjunto Luis Alcoba responderá interinamente pela pasta.

Bandeira do estado doRio Grande do Sul

Secretário da Educação, Vieira da Cunha se compromete com plano de negociação (Foto: Reprodução/RBS TV)

Secretário Vieira da Cunha deixa Educação
para concorrer nas próximas eleições
(Foto: Reprodução/RBS TV)

Ficou definida na tarde desta quarta-feira (1) a saída de Vieira da Cunha (PDT) da Secretaria Estadual da Educação. Ele se reuniu com o governador José Ivo Sartori (PMDB) e com o vice José Paulo Cairoli (PSD) para confirmar a decisão. Vieira pretende concorrer pelo seu partido à Prefeitura de Porto Alegre nas próximas eleições.

Ao sair do encontro, o secretário, que exerce a função até o fim desta quarta, disse à imprensa que, a partir de quinta-feira (2), já irá buscar parcerias.

“Minha vontade pessoal e do partido é que nos apresentemos como candidato a prefeito de Porto Alegre. Vamos buscar parcerias a partir de agora, para garantirmos uma coligação que tenha competitividade”, destacou à Rádio Gaúcha.

De acordo com a Secretaria de Comunicação do Rio Grande do Sul informa que o secretário adjunto Luis Alcoba responderá interinamente pela pasta da Educação.

Greve e escolas ocupadas
Vieira da Cunha deixa a Educação durante uma greve de professores estaduais, que está na terceira semana, e de mobilização de estudantes que ocupam escolas em diversas regiões.

Questionado sobre essa situação, o político disse que até o fim de sua atuação no cargo seguirá tratando do assunto. E disse também que seu sucessor vai manter o trabalho. “(…) Não sou eu que decido quando a greve começa e muito menos quando ela termina, é a categoria. O que eu fiz foi sempre dialogar, como fiz ontem, e continuaria fazendo se seguisse no cargo”, salientou.

Depois da recomendação do Ministério Público para que a Secretaria de Educação apresente um calendário de negociação com a comunidade escolar, Vieira disse que informaria sobre as medidas tomadas. Após a reunião com Sartori, ele comentou que irá conversar com estudantes.

“Para nossa satisfação, estudantes aceitaram sentar conosco à mesa. Vamos receber as reivindicações. Espero que muito em breve consigamos voltar à normalidade”, resumiu.

 

G1.COM.BR

Termina greve do transporte coletivo da Grande Florianópolis

Sindicato dos trabalhadores e das empresas entraram em acordo.
Ônibus não circularam durante terça (31) e esta quarta (1) na região.

Bandeira do estado deSanta Catarina

Decisão foi tomada em assembleia após audiência no TRT-SC (Foto: Sintraturb/Divulgação)
Decisão foi tomada em assembleia após audiência no TRT-SC

(Foto: Sintraturb/Divulgação)

Os motoristas e cobradores do transporte coletivo da Grande Florianópolis votaram, em assembleia na noite desta quarta-feira (1), pelo fim da greve. Os ônibus voltam a circular no primeiro horário da manhã desta quinta (2), confirmou o Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Urbano da Grande Florianópolis (Sintraturb). Não houve transporte coletivo na região na terça (31) e quarta.

Foi votado na assembleia o termo acordado entre os sindicatos dos trabalhadores e patronal em audiência no Tribunal Regional do Trabalho de Santa Catarina (TRT-SC) na noite desta quarta.

De acordo com o Sintraturb, os trabalhadores vão receber 10% de reajuste salarial, 17,24% de vale alimentação e os dois dias de greve não serão descontados.

Dois dias de greve
Trânsito intenso e fila nas vans que fizeram o transporte alternativo na capital marcaram os dois dias da paralisação.

No segundo dia de greve, quatro linhas da Jotur, em Palhoça, circulam nesta quarta, conforme o diretor do Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Urbano da Grande Florianópolis (Sintraturb) Deonísio Linder.

Já a empresa Paulotur Transportes, de Paulo Lopes, informou que os funcionários não aderiram à greve e os ônibus circulam normalmente desde terça.

Porém, as demais linhas da região, o que representa a grande maioria do transporte coletivo, não circulam, apesar da determinação do Tribunal Regional do Trabalho de Santa Catarina de que, nesta quarta, os ônibus deveriam atender a população com horário de sábado.

Pela manhã, houve reunião entre os sindicatos dos trabalhadores e das empresas no TRT-SC, mas sem resultado. Segundo o Sintraturb, a proposta seria apresentada em assembleia às 16h30 desta quarta, mas já era considerada “insuficiente” para encerrar a greve de ônibus.

Penalizações ao Consórcio
O tempo de greve do transporte coletivo da Grande Florianópolis será convertido em penalizações para o Consócio Fênix, que administra o sistema, afirmou o secretário de Mobilidade Urbana da capital, Vinicius Cofferri.

“As penalidades, como eu falei, existem, são mais fortes, são mais duras do que existiam no passado. No passado, antes da concessão, eram apenas aplicadas multas de descumprimento de horário. Neste caso, não. Neste caso, o contrato prevê advertência. Em reincidências, prevê até o cancelamento do contrato”, explicou o secretário.

O contrato prevê, em caso de descumprimento parcial ou total das obrigações previstas, os seguintes tipos de sanções: advertência (casos leves), multa, suspensão temporária de participação em licitação e impedimento de contratar com a administração, declaração de inidoneidade para licitar ou contratar com a administração pública, declaração de caducidade da concessão e até apreensão de veículo, nos casos mais graves ou reincidência.

Conforme o contrato, o valor das multas pode variar de 0,001%  a 4,5% do valor do contrato, que é próximo de R$ 90 milhões, segundo o secretário.

 

G1.COM.BR

Pesca industrial da tainha é liberada, mas barcos não recebem licença em SC

Emissão de autorização está pendente na Secretaria Nacional de Pesca.
Autorização para a pesca em escala industrial começou nesta quarta (1°).

Bandeira do estado deSanta Catarina

Por lei federal, a partir desta quarta-feira (1°) pescadores industriais poderiam lançar redes ao mar para pescar tainha. Entretanto, conforme mostrou o Jornal do Almoço, trabalhadores de Santa Catarina ainda aguardam a emissão da licença de barco, em trâmite na Secretaria Nacional de Pesca.

Segundo o Sindicato dos Pescadores de Itajaí (Sintrapesca), na última semana o órgão nacional solicitou aos pescadores que adequassem informações para envio da licença, como o mapa de bordo de pesca, que mostra em que áreas o pescador irá atuar.

Ainda de acordo com o Sintrapesca, as embarcações enviaram as informações, sem resposta até esta quarta-feira (1°). O G1 procurou a Secretaria Nacional de Pesca para informações sobre o processo de liberação, sem sucesso até a publicação desta reportagem.

Em Itajaí, 39 armadores estão à espera da licença. Eles estudam medidas judiciais para reverter a situação. “Nós vamos se reunir e procurar um meio, um mandado de segurança, uma liminar, e nós vamos entrar na Justiça para botar o barco para pescar”, disse o coordenador da Câmara Setorial do Cerco, Hemerson Nagel.

Desde 2015, os barcos industriais só podem pescar um mês depois dos pescadores artesanais, aqueles que puxam os cardumes pra praia. A categoria também reclama da autorização tardia.

“A maior força foi embora”, conta o mestre de barco Pedro Marcelino ‘Bira’, ao se referir a safra dos peixes. “Todo mundo perdeu e perdeu muito, porque a grande safra da tainha já passou por Santa Catarina”, reforça o presidente do Sitrapesca, Eros Martins.

Conforme a prefeitura do município, a demora afeta boa parte da economia da cidade. “Este ano é um ano difícil para todo mundo. As pessoas estão com problemas financeiros para fechar suas contas e da mesma forma muitos armadores, pescadores, contam com esse recurso extra que vem da tainha”, diz o secretário da Pesca de Itajaí, Agostinho Peruzzo.

Para o grupo de estudos pesqueiros da Univali, o lucro neste ano com a tainha deve diminuir.  “Cada dia que passa é um dia a menos de pescaria. A tendência é a frota industrial produzir menos neste ano de 2016”, fala o pesquisardor Paulo Ricardo Scwingel.

Óleo diesel
A secretaria Nacional da Pesca liberou nesta terça (1°) a subvenção do óleo diesel para as embarcações catarinenses. Armadores esperam a  publicação de uma portaria estadual, que deve ocorrer nas próximas semanas. Com isso, após a liberação das licenças, eles poderão abastecer em postos credenciados.

 

G1.COM.BR

Citado em esquema da Receita assume cargo no governo do Paraná

Victor Hugo Dantas era coordenador da Região Metropolitana de Londrina.
Ele foi citado em depoimentos do principal delator da Operação Publicano.

Bandeira do estado do Paraná

Decreto que autoriza transferência de cargo da Coordenação da Região Metropolitana para Secretaria de Estado da Educação foi publicado em 27 de maio (Foto: Reprodução)
Decreto que autoriza transferência de cargo da Coordenação da Região Metropolitana para Secretaria de Estado da Educação foi publicado em 27 de maio (Foto: Reprodução)

O ex-coordenador da Região Metropolitana de Londrina(Comel), no norte do Paraná, Victor Hugo Dantas é o novo superintendente da Superintendência de Desenvolvimento Educacional da Secretaria do Estado da Educação do Paraná (Seed). Dantas assumiu o cargo nesta quarta-feira (1). Ele foi citado em depoimentos durante as investigações da Operação Publicano, que apura um esquema de cobrança de propinas realizada por auditores da Receita Estadual do Paraná.

O principal delator do esquema, o auditor fiscal Luiz Antonio de Souza, disse em depoimento ao Ministério Público do Paraná (MP-PR) e à Justiça que a corrupção no órgão era institucionalizada e que parte da propina arrecadada financiou a campanha de reeleição do governador Beto Richa (PSDB). O G1 tenta falar com o Vitor Hugo Dantas sobre a mudança de cargo, mas até a publicação desta reportagem ele não foi localizado.

O delator disse que Victor Hugo Dantas recebeu R$ 30 mil para fazer lobby a favor de Márcio de Albuquerque Lima junto ao governo. Lima era Inspetor Geral da Receita Estadual, e, segundo o MP-PR, chefiava o esquema de corrupção dentro do órgão. O advogado de Lima informou que não falará sobre o assunto até o fim do processo.

Além da citação sobre o recebimento de dinheiro em troca de lobby, Luiz Antonio de Souza declarou ao MP-PR que, a pedido de Dantas, pagou divisórias de madeira para o comitê da campanha de Beto Richa (PSDB) em Londrina com dinheiro oriundo de propina. Na época, Victor Hugo Dantas era coordenador do diretório tucano.

Tanto o PSDB quanto o governador Beto Richa negam todas as acusações feitas por Luiz Antonio de Souza. O partido afirma que todas as doações à campanha eleitoral foram legais.

Merenda e infraestrutura
Ao assumir a Superintendência de Desenvolvimento Educacional (Sude), Vitor Hugo Dantas será responsável pela funcionamento das escolas estaduais. Entre as responsabilidades, terá que administrar a distribuição correta da merenda escolar, que é foco de reclamação da União Paranaense de Estudantes Secundaristas (Upes), e ainda o planejamento e implementação de ações para melhorar a infraestrutura dos prédios escolares.

Entre os problemas que terá que administrar com rapidez é a qualidade e quantidade de merenda distribuída. Estudantes reclamam que os alimentos entregues às escolas não são suficientes para atender a demanda e que parte da comida entregue pela Secretaria estava com carunchos. Além disso, alunos pressionam por reformas e realização de obras em alguns colégios.

Para pressionar o governo a dar uma solução aos problemas, alunos ocuparam escolas estaduais de Maringá, no norte do Paraná. No Colégio Estadual Gerardo Braga a ocupação durou onze dias. Os manifestantes deixaram os prédios na segunda-feira (30) assim que uma reunião com o governador foi marcada.

As mudanças foram publicadas no Diário Oficial do Paraná, no dia 27 de maio, por meio de decreto n°4132, com efeito a partir desta quarta-feira. O decreto traz que o cargo de provimento em comissão de Coordenador da Região Metropolitana de Londrina foi transferido para a Secretaria do Estado da Educação.

 

G1.COM.BR

Governo diz que arrecadação subiu e promete investimentos de R$ 3,7 bi

Despesa também cresceu; Fazenda apresentou balanço do quadrimestre.
Oposição ao governo critica e diz que orçamento não vai ser executado.

Bandeira do estado do Paraná

O Governo do Paraná afirmou que arrecadou 10% a mais no primeiro quadrimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2015. A alta está atrelada, conforme o balanço apresentado na terça-feira (31) na Assembleia Legislativa, ao aumento do Imposto sobre a propriedade de veículos automotores (IPVA) e do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS).

Estes 10% correspondem a R$ 14,9 milhões. Os dados foram apesentados pelo Secretário da Fazenda do Paraná, Mauro Ricardo Costa. Segundo ele, assim como houve aumento de receita também foi registrado elevação de gastos – 16%.

Quase metade de toda a arrecadação foi utilizada para o pagamento dos servidores. O saldo das contas públicas, de acordo com o governo, foi de R$ 850 milhões.

“O importante é que a gente tenha os recursos necessários para atender melhor a população neste momento de crise”, disse o secretário Mauro Ricardo Costa.

O secretário da Fazenda ainda afirmou que os municípios foram beneficiados com crescimento de repasses.

As transferências somaram R$ 3,4 bilhões. Os municípios registraram salto nominal de 27,5% e real de 16,6%, de acordo com o governo.

A promessa agora é de que o governo estadual irá retomar os investimentos. A previsão é aplicar até o fim deste ano até R$ 3,7 bilhões em obras, equipamentos e infraestrutura. Deste montante, mais de R$ 1 bilhão devem ser destinado para recuperação e ampliação de estradas.

Costa disse que este é um investimento estratégico do ponto de vista de competitividade do estado e que também ocorrerão investimentos na área de energia, saneamento, habitação, educação e saúde.

Todavia, nestes primeiros quatro meses foram investidos apenas 11% da meta: um pouco mais de R$ 400 milhões.

O líder da bancada de oposição ao governo de Beto Richa (PSDB), deputado Requião Filho (PMDB), afirmou que a prestação de contas traz um “mundo perfeito”. O parlamentar afirmou que enquanto o governo anuncia repassasses as secretarias não conseguem transformar os percentuais em algo palpável nas escolas. Para ele deve estar havendo problema de gestão.

“Na realidade, a educação sofre com graves problemas de gestão e falta de merendas nas escolas. Na saúde, faltam medicamentos, hospitais e profissionais. Na segurança faltam recursos para qualificar policiais e comprar viaturas, armamentos e até coletes balísticos. E ele ainda culpa o povo que quer mais. Acredito que se o cenário é tão perfeito quanto pintam, há falta de gestão por parte dos secretários”, concluiu.

“O orçamento vem de uma forma, muitas vezes, absolutamente fictícia. Nós sabemos que o governo não irá executar este orçamento como previa, não irá fazer investimentos de R$ 3 bilhões, R$ 4 bilhões, não vai”, afirmou o deputado Tadeu Veneri (PT).

Dados com antecedência
Outra crítica da bancada de oposição diz respeito à entrega dos dados com antecedência. Segundo Requião Filho, na véspera da apresentação do balanço do quadrimestre, os deputados ainda não haviam recebido o relatório para análise.

Os deputados tem a intenção apresentar uma proposta de emenda à Constituição que estabelece que o Poder Executivo deverá encaminhar aos deputados estaduais, com dez dias de antecedência, o relatório das metas fiscais de cada quadrimestre a ser apresentado pelo secretário da Fazenda.

G1.COM.BR

Ruas ficam cobertas por neblina em cidades da região de Araçatuba

Névoa apareceu em Araçatuba, Birigui, Castilho, Buritama e Ilha Solteira.
Voo teve atraso de mais de 3h devido à falta de visibilidade em Araçatuba.

Bandeira do estado de São Paulo

As ruas ficaram cobertas pela neblina na manhã desta quarta-feira (1º) em cidades da região noroeste paulista.  A névoa tomou conta de Araçatuba (SP), Birigui (SP), Castilho (SP), Buritama (SP) e Ilha Solteira (SP). Moradores mandaram fotos para a TV TEM com imagens da paisagem diferente.

No aeroporto de Araçatuba, um voo teve atraso de mais de três horas devido à falta de visibilidade. O avião ficou parte da manhã na pista, esperando autorização para decolar. O tecnólogo fluvial Ronaldo Lauro Martins. “Tinha um compromisso no Rio de Janeiro na parte da manhã, ainda bem que consegui transferi-lo para a tarde”, diz. A situação no aeroporto de Araçatuba já está normal e o voo que deveria sair às 6h decolou por volta das 10h.

No trânsito, os motoristas precisaram acender o farol e ficar atentos porque estava difícil de enxergar. A educadora Érica Groto disse que precisou redobrar a atenção. “Bastante neblina. É difícil a visualização. Temos que redobrar atenção”, afirma.

A diretora de escola Osmarina Pavão comenta que o clima estava bem parecido com o do sul do País. “Lembra muito Campos do Jordão, Curitiba, que eu adoro. Está parecendo o sul. Só faltou cair com gelo e uma geada porque de resto estava muito parecido mesmo”, afirma.

Muitos moradores mandaram fotos para a TV TEM com imagens da paisagem diferente (Foto: Reprodução/TV TEM)
Muitos moradores mandaram fotos para a TV TEM com imagens da paisagem diferente (Foto: Reprodução/TV TEM)
G1.COM.BR

Funcionário público dá golpe de faca na cabeça da mulher em Ilha Solteira

Ele foi preso em flagrante e levado à cadeia de Pereira Barreto (SP).
Mulher sofreu ferimentos na cabeça, costas, mama e joelho.

Bandeira do estado de São Paulo

Um funcionário público de 45 anos de Ilha Solteira (SP) foi preso em flagrante depois de dar uma facada na cabeça da mulher, nesta quarta-feira (1º). Ele foi levado para a cadeia de Pereira Barreto (SP) e responderá por tentativa de homicídio.

De acordo com a polícia, a mulher, uma dona de casa de 45 anos, sofreu ferimentos na cabeça, costas, mama e joelho, foi medicada e liberada. “O corte mais profundo foi na cabeça, onde ela teve de receber sutura, mas ela está bem e vai prestar depoimento para a polícia”, diz o delegado Miguel Gomes da Rocha Neto em entrevista ao G1.

Segundo o boletim de ocorrência, durante uma discussão de casal, a mulher teria pegado uma faca na cozinha e ido em direção ao marido, que pegou a faca e desferiu os golpes nela.
De acordo com o delegado, o funcionário é guarda municipal e estava afastado do cargo devido à problemas psiquiátricos. Ele aguardará o julgamento na cadeia.

A prefeitura de Ilha Solteira disse que o homem é funcionário público do setor de Trânsito da prefeitura e trabalha com a sinalização/pintura de solo. A prefeitura informou que, assim que receber o resultado das investigações da polícia, vai tomar as medidas administrativas cabíveis para esse caso.

 

G1.COM.BR

Rio de Janeiro oferece perdão de multa e juros para quem tem débito de IPVA

Medida faz parte do programa ‘Recupera Rio de Janeiro’.
Dívida pode ser parcelada, sem anistia dos encargos, em até 12 vezes.

Bandeira do estado do Rio de Janeiro

Os donos de veículos no estado do Rio de Janeiro com débito do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) têm, a partir desta quarta-feira (1º), a oportunidade de obter o perdão de multa e juros.

Para conseguir a anistia total dos encargos sobre o valor da dívida o contribuinte tem de pagá-la integralmente ainda este ano. Também é possível o parcelamento do débito em até 12 parcelas, sem o perdão dos encargos.

Ou seja, para conseguir a anistia total de multa e juros, o vencimento da última parcela deve ser até o fim deste ano. Para o contribuinte que parcelar a dívida em 12 vezes, os encargos permanecem no cálculo para pagamento.

A medida faz parte do programa “Recupera Rio de Janeiro”. Para aderir a ele, todos os débitos em aberto deverão ser quitados, seja para o pagamento à vista ou parcelado.

De acordo com estimativa da Secretaria estadual de Fazenda, o valor a ser arrecadado com o programa é de cerca de R$ 380 milhões, referente ao período de 2011 a 2015, já descontados os valores de juros e multa.

Os contribuintes pessoa física poderão aderir ao programa por meio do site da Secretaria de Fazenda (www.fazenda.rj.gov.br) e os que forem pessoa jurídica deverão procurar uma unidade de atendimento – os endereços serão divulgados em breve.

A solicitação deverá ser feita até o dia 31 de outubro deste ano e será de forma simplificada, semelhante à retirada da guia para pagamento do imposto anualmente.

Os débitos já inscritos na dívida ativa do estado também poderão ser negociados, com regras semelhantes, diretamente com o órgão. Os débitos com outras taxas, como seguro DPVAT ou licenciamento anual, não estão incluídos no programa.

 

G1.COM.BR