Cathay Pacific gets its first Airbus A350 on May 27

Cathay Pacific gets its first Airbus A350 on May 27

Cathay Pacific will take delivery of its first Airbus A350 model on May 27, with the advanced jet arriving into Hong Kong Airport on May 29.

The A350s will sport new-look seats fitted from tip to tail, starting with 38 business class seats based on the airline’s current highly-regarded business class (shown below) and in the same 1-2-1 layout – but with an updated design which CX is carefully positioning as a ‘refresh’ to improve the existing seat, based on extensive passenger surveys and in-person workshops.

Travellers can expect to see improvements in storage space, the ability to slide the meal table forward and back, and a degree of tilt for the large HD video screen.

The refreshed business class seat has been widely blamed for delays to the A350’s delivery, which was originally slated for March, with claims that seat supplier Zodiac fell far behind the schedule set by Airbus and Cathay Pacific.

There’s also a compact premium economy cabin of 28 seats in a 2-4-2 arrangement and an all-new design, followed by 214 new economy seats ranked in a 3-3-3 grid.

The Airbus A350 will also be fitted with inflight Internet, which is a first for Cathay Pacific’s international fleet and an overdue catch-up to competitors such as Singapore Airlines, Emirates and Etihad.

Cathay Pacific will showcase the A350 to members of the media on Monday May 30, with the aircraft’s first commercial flight as CX907 to Manila on June 1.

it will then run a daily basis to Manila and Taipei until the second aircraft arrives in July, when fights will also commence to Bangkok, Singapore, Ho Chi Minh City and Kansai.

Cathay Pacific will swing the fuel-efficient jet onto longer-range international routes to Europe from September, beginning with Dusseldorf and London.

A350 flights between Hong Kong and Auckland will commence in the second half of the year.

Other likely starters for the A350’s route map include Barcelona, Dusseldorf, Milan and Zurich.

11 more A350-900s are due to be delivered this year, and another ten in 2017, to be followed by 26 of the larger and longer-range A350-1000s from 2018.

The A350-1000 fleet will feature an updated business class along with all-new premium economy and economy seats, although Cathay Pacific hasdecided against installing first class on the Airbus A350-1000, opting instead for a larger premium cabin featuring its new international business class seats.

Australian Business Traveller will travel to Hong Kong for the May 30 launch of the Airbus A350 as a guest of Cathay Pacific.

Source : Australian Business Traveller

Royal Australian Air Force investigating C-27J landing incident at Waco

A C-27J Spartan of No. 35 Squadron lands at RAAF Base East Sale, Victoria.

Waco Regional Airport in Texas was closed for most of Tuesday after an RAAF C-27J Spartan suffered a reported double tyre blow-out while conducting touch-and-goes during a pilot training flight.

“The Royal Australian Air Force has commenced a safety investigation after a C-27J Spartan aircraft had an incident on landing at the conclusion of a routine training flight at Waco Airport, Texas, USA at approx 12am (local US time),” the Department of Defence confirmed in a media statement on Wednesday morning.

“No one was injured in the incident.”

“An assistant Waco fire chief said the airplane’s crew had attempted a landing late Monday night, but the plane may have touched down short of the runway and damaged two tyres,” Waco television station KWTX reported.

The incident saw the runway at Waco closed until 7pm Tuesday evening, forcing the cancellation of a number flights into and out of the airport.

“The runway was temporarily closed to other aircraft so that the C-27J Spartan could be moved. Air Force thanks local airport, emergency services and security staff who are assisting with the recovery and apologises for the inconvenience to other airfield users,” Defence stated.

Defence said the aircraft was flying: “a pilot qualification flight for RAAF pilots converting to the new C-27J Spartan battlefield airlifter, flown alongside industry instructors”.

Ten C-27Js are on order for the RAAF, of which two have been delivered to Australia so far. The aircraft are built by Alenia (recently renamed Leonardo Aircraft) in Italy but L-3 Communications is the prime contractor for the aircraft under a US Foreign Military Sales (FMS) arrangement, modifying the C-27Js with mission systems and undertaking pilot conversion training at Waco.

 

Australian Aviation

Tomas Bastos faz o primeiro pelo Vozão e Ceará se classifica na Copa do Brasil

Na 3ª fase da competição, o Alvinegro enfrentará o vencedor de Botafogo/PB x Ríver/PI

Site do Ceará Sporting Club

Decon-CE entra com ação na Justiça contra cobrança de taxa por médicos

Médicos cobram taxa de disponibilidade para pacientes gestantes.
Taxa varia entre R$ 3,5 a R$ 10 mil de pacientes conveniadas a planos.

Instituições de defesa do consumidor do Ceará ingressaram, na sexta-feira (13), com uma Ação Civil Pública (ACP) contra planos de saúde pela cobrança indevida de taxa de disponibilidade para a realização de partos cobertos pelos planos. A ação foi impetrada pelo Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Decon), Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa e Comissão de Defesa do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Ceará (OAB-CE).

Em procedimento administrativo, o Decon apurou que alguns médicos conveniados a planos de saúde estão cobrando das pacientes gestantes uma taxa de disponibilidade que varia de R$ 3,5 mil a R$ 10 mil para a realização de procedimentos obstétricos cobertos pelos planos.

De acordo com o Decon, a conduta praticada é ilegal e abusiva, pois explora a vulnerabilidade do consumidor/paciente, a relação de confiança, e, em especial, o contrato estabelecido com o plano de saúde, o qual prevê cobertura integral de gestação e parto.  Além disso, de acordo com a resolução da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), os planos de saúde são obrigados a oferecer aos consumidores as coberturas mínimas previstas na lei, dentre elas o pré-natal e o parto em qualquer de suas modalidades.

Responsabilidade
Segundo entendimento do Decon, cabe aos planos de saúde adotar medidas para evitar que as consumidoras sejam constrangidas ou coagidas a realizar pagamentos indevidos a seus prestadores de serviço. Ao permitir a cobrança de valores extras por parte de seus credenciados, os planos de saúde transferem às contratantes de seus serviços parte dos seus custos naturais, que já estão incluídos na composição da contraprestação paga pelas clientes.

Na ação, os órgões de defesa do consumidor requerem, dentre outras coisas, que não seja cobrada a taxa de disponibilidade ou qualquer taxa extracontratual para realização do parto, bem como seja fiscalizada a atuação dos médicos que praticam tal conduta, e não seja permita a atuação do cooperado que cobra remuneração adicional do consumidor na rede hospitalar do plano de saúde. Além disso, requer que, caso seja comprovado pagamento da taxa de disponibilidade, o consumidor seja ressarcido em dobro pelo pagamento indevido.

 

G1.COM.BR

Com vitória da oposição na Justiça, Pimentel exonera sua esposa do cargo de secretária de Estado

DIARIOOFICIAL

Ao manter a liminar que acolheu denúncia dos deputados de oposição, desembargadora do TJMG concedeu prazo de 48 horas para afastamento de Carolina

Os deputados da oposição na Assembleia Legislativa de Minas Gerais conseguiram barrar na Justiça a nomeação de Carolina de Oliveira, esposa do governador Fernando Pimentel, para o cargo de secretária de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social. Na segunda decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), nesta segunda-feira (16/5), a desembargadora Hilda Teixeira da Costa manteve a liminar que determinava a suspensão da nomeação e estipulou prazo de 48 horas para que a primeira-dama fosse afastada. Com a derrota, o governo de Minas exonerou a primeira-dama, ato publicado nesta terça-feira (17/5) no Diário Oficial do Estado.

No despacho, a desembargadora indeferiu o agravo de instrumento interposto pelo governo de Minas em função da liminar concedida pelo juiz titular da 1ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias de Belo Horizonte, Michel Curi e Silva, no dia 12 de maio, que acolheu denúncia da oposição e levou em consideração outras ações populares similares. Na ação popular, os parlamentares demonstraram que a indicação de Carolina para o cargo de secretária teve como único objetivo lhe conferir foro privilegiado e obstruir o trabalho da Justiça no andamento da Operação Acrônimo.

“A manobra de Pimentel para conferir foro privilegiado para sua esposa e tentar dificultar o trabalho da Justiça nas investigações da Acrônimo estava muito clara. Demonstramos isso na ação popular impetrada junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Essa foi mais uma tentativa desesperada do governador para protelar o desfecho da Operação Acrônimo, que está próximo”, afirmou o deputado João Leite (PSDB).

Para o deputado Sargento Rodrigues (PDT), o governo Pimentel exonerou a primeira-dama logo após a manutenção da liminar porque sabia que perderia em todas as instâncias possíveis. A estratégia de nomear para conferir foro privilegiado é similar à adotada pela presidente afastada Dilma Rousseff para tentar proteger o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

“Pimentel quis fazer aqui o mesmo que Dilma tentou em relação ao Lula, quando o nomeou para ministro. Tentou usar de forma escancarada a máquina pública para beneficiar companheiros, em claro desvio de finalidade. Essa é uma prática espúria e recorrente do PT. Felizmente nas duas situações, a Justiça prevaleceu para coibir essa ilegalidade”, afirma Sargento Rodrigues.

Imperador Romano

Na decisão liminar, mantida nesta segunda-feira pela desembargadora Hilda Teixeira da Costa, o juiz Michel Curi e Silva destacou os indícios de “desvio de finalidade” na nomeação e comparou Pimentel a um imperador romano. “Cabe relembrar a história envolvendo o Imperador Júlio César, sua esposa Pompeia e o sinistro Clódio, que deu origem ao seguinte provérbio: ‘A mulher de César não basta ser honesta, deve parecer honesta’”, diz trecho da decisão.

“Isso significa dizer que não basta que o administrador público seja honesto e honrado; é preciso que sobre ele não paire nenhuma suspeita. No caso vertente, tal premissa também se aplica a Carolina de Oliveira Pimentel”, completou o juiz.

Ele destacou ainda que o que lhe fez deferir o pedido de liminar foi a “sucessão e soma dos inquestionáveis fatos e acontecimentos que precederam a nomeação hostilizada pelos autores, a saber: o fato de tratar-se da mais próxima e íntima parente do Senhor Governador (sua esposa), somado aos fatos de que ela se encontra na situação de “alvo” em conhecida investigação da Polícia Federal e de que as diversas ações populares asseveraram que o intuito da nomeação foi o de tentar beneficiar a própria esposa, valendo-se de um mandato popular.”

A nomeação de Carolina foi publicada no dia 28 de abril e ela passaria a ter prerrogativa de foro no Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais. Com a exoneração, as acusações contra Carolina voltam a ficar à cargo da Justiça Federal.

A operação Acrônimo investiga Pimentel e a primeira-dama por crimes como corrupção passiva, organização criminosa, lavagem de dinheiro e tráfico de influência, cometidos em campanhas eleitorais, no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio do operador Benedito de Oliveira Neto, o Bené, e da agência de publicidade Pepper. A operação foi deflagrada em 2015 pela Polícia Federal.

 

Site Minas de Verdade

Justiça mantém liminar que suspende nomeação da esposa de Pimentel como secretária de Estado

Com decisão de desembargadora do TJMG, governo de Minas terá 48 horas para afastar Carolina de Oliveira da Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social

A desembargadora Hilda Texeira da Costa, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, manteve, nesta segunda-feira (16.5) a liminar que determina a suspensão da nomeação de Carolina de Oliveira, esposa do governador petista Fernando Pimentel, para o cargo de secretária de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social. No despacho que indeferiu o agravo de instrumento interposto pelo governo de Minas, a desembargadora estipulou prazo de 48 horas para que a primeira-dama seja afastada do cargo.

Na decisão, a desembargadora afirmou que ”o princípio da moralidade administrativa deve nortear toda a administração pública, em qualquer esfera do poder”. Ela destacou ainda que o recurso apresentado pelo governo “faz mera menção da formação acadêmica da nomeada”, enfatizando, no entanto, que a competência de Carolina para o cargo não foi demonstrada no agravo apresentado pelo governo estadual.

A decisão reforça a argumentação apresentada pelos deputados de oposição na ação popular julgada, que aponta que a indicação de Carolina para o cargo de secretária teve por objetivo lhe conferir foro privilegiado e obstruir o trabalho da Justiça no andamento da Operação Acrônimo.

Para o líder da Minoria, deputado Gustavo Valadares, o governador tenta sobrepor seus interesses pessoais aos interesses do estado. “Na tentativa de manter seus interesses, o governador sequer se preocupou em citar quaisquer benefícios que a indicação ao cargo de secretária de estado deveria trazer para uma pasta tão importante quanto Trabalho e Desenvolvimento. Não se vê preocupação com o andamento do estado ou respeito pela máquina pública. O objetivo é apenas de conceder foro privilegiado e obstruir o trabalho da Justiça na Operação Acrônimo. Mas a justiça prevaleceu e a liminar foi mantida. Estamos vigilantes”, afirma Valadares.

Liminar

A liminar, que acolheu a denúncia dos deputados, foi concedida no último dia 12 de maio pelo juiz titular da 1ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias de Belo Horizonte, Michel Curi e Silva. As decisões – a liminar e o indeferimento do pedido do governo para suspender a decisão – levaram em consideração cinco ações populares que foram protocoladas contra a nomeação de Carolina nas Varas de Fazenda Pública Estadual.

Na peça, Michel Curi afirmou que o que lhe fez deferir o pedido liminar foi a “sucessão e soma dos inquestionáveis fatos e acontecimentos que precederam a nomeação hostilizada pelos autores, a saber: o fato de tratar-se da mais próxima e íntima parente do Senhor Governador (sua esposa), somado aos fatos de que ela se encontra na situação de “alvo” em conhecida investigação da Polícia Federal e de que as diversas ações populares asseveraram que o intuito da nomeação foi o de tentar beneficiar a própria esposa, valendo-se de um mandato popular.”

A nomeação de Carolina foi publicada no dia 28 de abril. Com o ato, a esposa de Pimentel passou a ter prerrogativa de foro no Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais. Sem o status de secretária, as acusações contra Carolina voltam a ficar à cargo da Justiça Federal.

Pimentel e a primeira-dama são alvos da operação Acrônimo, que investiga crimes de lavagem de dinheiro no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) por meio do operador Benedito de Oliveira Neto, o Bené, e da agência de publicidade Pepper. A operação foi deflagrada em 2015 pela Polícia Federal.

 

Site Minas de Verdade

Com Temer e Serra no governo, Palácio do Planalto terá trem-fantasma

Com objetivo de aumentar a arrecadação, o governo do presidente interino Michel Temer vem buscando alternativas. Algumas delas são bem vindas, como o corte de cargos da máquina pública, outros nem tanto, como reformas no Bolsa Família e no SUS e a volta de impostos como a CPMF.

Sob fortes críticas, portanto, Temer decidiu reagir de forma divertida. Vai abrir licitação para que uma empresa instale um trem fantasma, desses de parque de diversões, no Palácio do Planalto.

“O Planalto é aberto, é um prédio do povo. Então, para dar mais emoção às visitas, vamos colocar esse trenzinho, que vai gerar uma receita adicional. Ele vai passar pela sala do presidente Temer, que tem uma decoração super nesse clima halloween”, disse um assessor. “O ponto alto é a passagem pela sala de onde às vezes despacha o Serra, quando ele levanta do caixão e grita ‘Vamos invadir Cuba!’”

Sensacionalista