Em meio a recessão criada por Dilma Rousseff , igrejas evangélicas prosperam financeiramente

 

É de bater medo

Em todo este panorama, o que mais mete medo é o que poderá ser da televisão a continuar este estado de coisas.
Será que para elas está reservado o mesmo futuro do rádio, com a grande maioria das suas emissoras transformadas em verdadeiros templos com antena em cima?

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Flávio Ricco quer entender como igreja evangélicas prosperam no meio da recessão

Contraste dolorido

Curioso é verificar o aperto de alguns setores contra a bonança e prosperidade de outros.
Mesmo nesses tempos de crise, igrejas como a Universal, além dos espaços na Record, ainda tem inteiramente nas mãos dela redes com a 21, CNT e boa parte da Rede TV!, Band e Gazeta, além de outras menos votadas. A crise por aí, com toda certeza, passa bem longe. Ou só ajuda.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Rede Globo poderá utilizar os estúdios do Recnov

 

Por outro lado

Devemos entender que, como não existe mais o RecNov e para todos os efeitos os estúdios que pertenciam à Record no Rio agora são da Casablanca, ela poderá fazer deles o que bem entender.
Inclusive locá-los para outras emissoras, casos de SBT, Band e até a Globo, se for o caso.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Parceria da Rede Record com a Produtora Casablanca é vista com desconfiança

 

É preciso considerar

Por se tratar de algo absolutamente novo na história da televisão brasileira, é difícil saber se vai funcionar ou não esse negócio da Record com a Casablanca. Ainda mais em se tratando de produção novelas.
Não existem elementos que possam servir de referência para traçar qualquer comparativo. Cautela e caldo de galinha, por enquanto, é a melhor receita.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Carmo Dalla Vecchia até hoje só fez os mesmos personagens

Perfil de sempre

Alexandre Durão/UOL

Carmo Dalla Vecchia já mostrou que é um ator com recursos, mas há uma insistência em colocá-lo, pelo menos na TV, sempre vivendo um determinado tipo de personagem. Nas últimas produções, o perfil era praticamente o mesmo.
O cara que ninguém sabe muito bem qual é, se é bom ou ruim, santo ou bandido na novela. Em “Regra da Jogo”, por mais que se esforce e porque o papel também não permite, Carmo não está conseguindo ser diferente dos que já interpretou na emissora. Uma pena para o ator.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

TV pecou pela falta de solidariedade em 2015

A lama vazada da barragem de Fundão atingiu 1.430 hectares em regiões das cidades de Mariana, Barra Longa e Rio Doce

A lama vazada da barragem de Fundão atingiu 1.430 hectares em regiões das cidades de Mariana, Barra Longa e Rio Doce

Os acontecimentos do ano que está terminando nos levam a verificar que as emissoras de televisão, no geral e naquilo que cabe a elas, já foram muito mais participativas que nos tempos atuais.

Tivemos aí, no começo de novembro, a triste tragédia de Mariana, com as consequências que ainda são vistas diariamente nos noticiários, a exemplo de tantas outras em nosso país, como as mais recentes do Vale do Itajaí, em 2008, ou da região serrana do Rio, há quatro anos.

Como traço comum, vidas que se foram, pessoas desabrigadas ou desaparecidas, entre as tantas tristes decorrências que sempre deixam marcas eternas na memória de cada um.

Se existe algo que não se assemelha entre esses desastres, os de antes e o de agora, foi a indiferença das emissoras em se colocar à frente de qualquer campanha de mobilização que pudesse minimizar o sofrimento das pessoas.

Mesmo não sendo uma obrigação, o que se viu desta vez foi só a preocupação de dar a notícia. A TV, em nenhum momento, utilizou a força que tem nem ao menos para estimular ou tornar possível uma maior colaboração das pessoas.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Ronaldo Esper diz que sua biografia vai estremecer as bases

Antes de ser escrito, livro do Ronaldo Esper já dá o que falar

Antes de ser escrito, livro do Ronaldo Esper já dá o que falar

No embalo de tantos outros, Ronaldo Esper vem aí com um livro, a sua autobiografia.

Seria só mais um se ele mesmo, elevando a importância da sua obra, não entendesse que “quando entra em questão o homossexualismo você estremece as bases”. Um assunto que, até pelos muitos personagens que não podem ficar de fora, será forçosamente abordado.

Em se tratando de um novo livro de alguém, como é o caso do Ronaldo Esper, hoje ligado a Record e à Igreja Universal, vale perguntar se a editora responsável será a Planeta?

Depois dos volumes de Edir Macedo e Andressa Urach, é bem natural esperar que sim.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Obra do acaso levou Globo contratar William Bonner

Além da capacidade, William Bonner foi favorecido pelo destino

Além da capacidade, William Bonner foi favorecido pelo destino

Quase às vésperas do Natal também vale recordar passagens que a televisão guarda na história.

Um belo dia, Boni, ainda na Globo, foi alertado por um amigo para acompanhar o trabalho de um jovem apresentador da Bandeirantes. O apresentador a quem este amigo se referia era Rafael Moreno, na oportunidade destacado por todos como outra boa revelação do jornalismo.

Acontece que justamente na noite que o Boni foi assistir, o Rafael estava de folga. William Bonner apresentou em seu lugar e o Boni achando que era ele, gostou e o contratou. Rafael, levado por outros trabalhos, acabou se afastando da televisão.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Agentes penitenciários encontram novo túnel em prisão do Tocantins

Buraco com oito metros de extensão foi encontrado em Cariri do Tocantins.
Pelo menos três túneis já foram descobertos no local em seis meses.

Bandeira do estado do Tocantins

Túnel encontrado no Centro de Ressocialização Social Luz do Amanhã (Foto: Divulgação)
Túnel encontrado no Centro de Ressocialização Social Luz do Amanhã (Foto: Divulgação)

Um túnel com aproximadamente oito metros de extensão foi encontrado na manhã desta segunda-feira (21) no Centro de Ressocialização Social Luz do Amanhã, em Cariri, no sul do Tocantins. Conforme informações da direção do presídio, o buraco foi encontrado por agentes prisionais durante uma vistoria de rotina. Em menos de seis meses, este é o terceiro túnel encontrado no local.

Ainda segundo a direção, o túnel foi encontrado em uma área coletiva no pavilhão 1 da unidade, em uma sala que fica entre as celas e o pátio do presídio.

Sacos com terra encontrados em sala do presídio (Foto: Divulgação)
Sacos com terra encontrados em sala do presídio
(Foto: Divulgação)

A TV Anhanguera apurou que a área coletiva deve ser interditada para que o buraco seja fechado. Além disso, foi aberto um processo administrativo para apurar como o túnel foi escavado e que presos estão envolvidos na ação.

Sete metros
Um túnel com aproximadamente sete metros de extensão foi encontrado no dia 8 de agosto no presídio de Cariri. A Polícia Militar foi chamada pelos agentes penitenciários e encontrou o buraco, que começava no pavilhão 5 e seguia em direção ao muro. O túnel só foi encontrado após alguns presos delatarem a construção dele para funcionários do presídio.

Novembro
Durante uma vistoria realizada no dia 21 de novembro um outro túnel foi encontrado por agentes penitenciários no presídio de Cariri do Tocantins. O buraco estava sendo construído dentro da cela sete do pavilhão três.

Processo administrativo deve apurar quais presos cavaram o túnel (Foto: Divulgação)
Processo administrativo deve apurar quais presos cavaram o túnel (Foto: Divulgação)
G1.COM.BR

Terceirizados da Universidade Federal de Roraima denunciam que estão há 2 meses sem salários

Denunciante relata que salários e auxílios estão atrasados desde outubro.
G1 tentou contato com empresa responsável, mas não conseguiu.

Bandeira do estado de Roraima

Terceirizados da empresa Venturelli, que presta serviços para a Universidade Federal de Roraima (UFRR), denunciam que estão há dois meses sem receber salários. O problema, segundo eles, afeta os três Campi da instituição.

A reportagem tentou contato com a empresa Venturelli na manhã desta segunda-feira (21) por meio dos números de telefone informados no site da terceirizada, mas as ligações não foram atendidas.

Conforme uma funcionária, dez dos 155 terceirizados da Venturelli na UFRR ficaram sem receber o salário em outubro e todos os funcionários não receberam salários, auxílio transporte, alimentação e décimo em novembro e dezembro.

“Nesse período, procuramos diversas vezes a empresa, mas uma secretária nos dizia que iriamos receber em 15 de outubro, o que não aconteceu. Depois nos disseram que os salários, auxílios e décimos também seriam pagos na última sexta-feira [18], mas novamente ficamos sem ganhar nada”, relatou uma terceirizada que pediu para não ter o nome divulgado.

Segundo ela, o caso também foi levado à ouvidoria da UFRR, mas nada foi feito. “Denunciamos para eles [ouvidoria], mas não tivemos resposta alguma”, disse, acrescentando que a Venturelli foi contradada em março pela UFRR. “Desde lá, já enfrentamos diversos atrasos no pagamento”.

UFRR diz que efetuou todos os pagamentos das notas fiscais
Por meio de nota, a Universidade Federal de Roraima (UFRR) informou que efetuou todos os pagamentos das notas fiscais liquidadas até a presente data, referente aos contratos de empresas terceirizadas, inclusive a empresa Venturelli.

A nota esclarece que caso alguma empresa ainda não tenha recebido o pagamento da fatura do mês novembro, o problema pode ter ocorrido devido aos trâmites legais, como fiscalização, correções, atrasos de entrega de notas, ou questões técnicas que inviabilizaram a liquidação da fatura.

“Todavia, é importante destacar que as empresas têm obrigação contratual de garantir o pagamento regular por até 90 dias”, cita.

Sobre a Ouvidoria, a UFRR, informou que todas as solicitações feitas foram respondidas dentro do prazo cabível, por e-mail. “Os interessados podem se dirigir à Ouvidoria, que funciona no Bloco IV, campus Paricarana, ou ligar para o telefone 3621-3109 para esclarecer quaisquer dúvidas sobre seus questionamentos”, finaliza.

 

G1.COM.BR