Australian Public Service spends $10 billion on consultants

December 14, 2015 – 9:20PM

Noel Towell

Reporter for The Canberra Times

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/6/63/Flag-map_of_Australia.svg/2000px-Flag-map_of_Australia.svg.png

 

New figures reveal procurement spending by the Australian Public Service has soared.

New figures reveal procurement spending by the Australian Public Service has soared. Photo: Louie Douvis

More public service news
Media consultants cash in on APS Senate appearances

Procurement spending by the Australian Public Service soared by $10 billion in the past financial year with Commonwealth agencies splashing nearly $60 billion of taxpayers’ cash in 2014-2015.

New figures from the Finance Department show nearly $10 billion of the total went to pay external “management and business professionals” and on “administrative services” in the wake of the loss of thousands of full-time public service jobs.

Another $13 billion was spent on “politics and civic affairs” as spending on external services grew to $39 billion, twice the $20 billion spent on goods.
Advertisement

The figures, compiled from contracts notified on the AusTender website, reveal the procurement spending by the Australian Public Service has exploded by nearly 100 per cent since 2010-2011, when $32.6 billion was spent, to more than $59 billion in 2014-2015.

At the same time, the number of public servants has fallen from 166,000 to 152,000, with more job cuts expected. The government also remains locked in a bitter pay dispute with the main public service union.

The now defunct Defence Materiel Organisation topped spending in 2014-2015 with $17 billion on contracts and the Defence Department itself spent about $13 billion.

The Department of Employment spent $8.5 billion in goods and services in 2014-2015 while Social Services spent nearly $5 billion and Immigration and Border Protection just over $4 billion.

There was good news in the Finance Department’s data for Australia’s small and medium-sized businesses hoping to do business with the federal government.

SMEs won more than 41,000 contracts, worth nearly $17 billion. Only $7.7 billion of the total procurement spend went to overseas operations.

While the big end of town won fewer contracts than smaller competitors, the larger firms were in control of the more lucrative deals, taking home 72 per cent of the total spend, more than $42 billion.

Meanwhile, the main public sector union has urged the Turnbull government to use Tuesday’s mid-year economic and fiscal outlook to abandon an “old school austerity approach” to the federal public service.

With deep spending cuts of up to $5 billion expected to be unveiled by Treasurer Scott Morrison on Tuesday, the Community and Public Sector Union said the government should not impose more “efficiency dividend” cuts on Commonwealth departments.

CPSU national secretary Nadine Flood said MYEFO​ was a test of Mr Turnbull’s economic leadership.

“In September, Prime Minister Turnbull said Tony Abbott’s lack of economic leadership was his main reason for toppling him,” Ms Flood said.

“MYEFO will be a key test of whether the government’s economic direction is actually going to change from the destructive policies of the past.

“The public sector has already been cut to the bone and that’s had a serious impact on the services the public relies on.

“Any further cuts announced in MYEFO would make a bad situation worse.

“Prime Minister Turnbull’s experience as a businessman should mean he understands that an indiscriminate, across the board cut to departmental budgets is lazy policy that does nothing to produce real efficiency.”

 

Source : The Canberra Times

Consolidados Grande SP 13/12/2015

AUDIÊNCIAS DE 13/12/2015

Nova Escolinha do Professor Raimundo aumenta ibope da Globo em 27%

REDAÇÃO – Publicado em 14/12/2015, às 13h16

A estreia da nova Escolinha do Professor Raimundo aumentou a audiência da Globo em 27% na faixa das 14h dos domingos. O programa, em que novos talentos do humor revivem personagens clássicos da atração liderada por Chico Anysio, marcou 12,7 pontos na Grande SP e venceu o Domingo Show, que voltou a superar o Esquenta (9,2 a 8,6). A Escolinha foi sintonizada por 34% dos televisores ligados na Grande São Paulo

 

Média do dia (6h/5h59): 10,2
Pequenas Empresas, Grandes Negócios  6,0
Globo Rural 8,2
Auto Esporte 7,9
Esporte Espetacular 8,0
Esquenta 8,6
Escolinha do Professor Raimundo – Nova Geração 12,7
Temperatura Máxima 11,9
Domingão do Faustão 15,8
Fantástico 19,3
Domingo Maior 11,8
Sessão de Gala 6,2
Corujão 3,5
Média do dia (6h/5h59): 5,1
Acelerados  2,7
Chaves 3,9
Pequenos Campeões 3,9
Mundo Disney  4,1
Domingo Legal 6,0
Eliana 6,3
Roda a Roda   6,7
Programa Silvio Santos  9,1
Conexão Repórter 6,6
Arrow  6,6
True Blood 2,1
Jornal do SBT 2,2
Média do dia (6h/5h59): 5,4
Filme Bíblico 1,1
Religioso 1,2
Record Kids 3,7
Domingo Show  8,2
Hora do Faro 7,4
Domingo Espetacular 10,0
Repórter em Ação 8,6
Roberto Justus + 3,2
Igreja Universal do Reino de Deus 0,7
Média do dia (6h/5h59): 1,7
Pé na Estrada 0,6
Band Esporte Clube 0,9
Copa Petrobras de Marcas – Interlagos 0,8
Mundialito de Clubes de Futebol de Areia – Vasco x Barcelona 1,5
Torneio Intenacional de Futebol Feminino – Brasil x México  3,3
Terceiro Tempo 2,5
Só Risos 2,3
Pânico na Band 5,2
Canal Livre 1,6
Média do dia (6h/5h59): 0,9
Te Peguei 0,6
Sensacional 0,8
Chega Mais  0,8
Encrenca 3,6
Te Peguei na TV 2,6
Mega Senha 1,3
Operação de Risco 1,8
Bola na Rede 0,7

 

Consolidados Grande SP 12/12/2015

Audiências de 12/12/2015

Com filho de Datena e enchentes, Brasil Urgente iguala recorde do ano

Joel Datena, que apresenta o Brasil Urgente nas folgas e férias do pai, José Luiz Datena -

Joel Datena, que apresenta o Brasil Urgente nas folgas e férias do pai, José Luiz Datena

REDAÇÃO – Publicado em 14/12/2015, às 13h19

Apresentado por Joel Datena, filho de José Luiz Datena, o Brasil Urgente do último sábado igualou seu recorde de audiência no ano. A atração, que mostrou os estragos causados por forte chuva na zona leste de São Paulo, marcou 4,7 pontos. O jornalístico chegou a ficar 50 minutos em segundo lugar, com picos de seis pontos no Ibope da Grande São Paulo. O desempenho impulsionou o Jornal da Band, que cravou 4,1

Média do dia (6h/5h59): 10,8
Como Será?  5,5
É de Casa 6,0
SP TV 1ª Edição 10,9
Globo Esporte 11,6
Jornal Hoje 11,2
Sessão Comédia – Os Caras de Pau 9,4
Estrelas 9,5
Caldeirão do Huck 12,9
Além do Tempo 17,7
SP TV 2ª Edição 19,7
Totalmente Demais 21,4
Jornal Nacional 22,6
A Regra do Jogo 23,7
Zorra 16,7
Altas Horas 10,8
Supercine  9,0
UFC 194 9,3
Corujão 4,5
Média do dia (6h/5h59): 4,3
Chaves  2,5
Sábado Animado 4,7
Mundo Disney  4,1
Kenan & Kel 4,6
Raul Gil   4,8
Chaves 4,9
SBT Brasil 4,1
Esquadrão da Moda 4,9
Hell’s Kitchen 5,5
Sabadão 6,6
Cine Belas Artes 3,0
Big Bang Theory 1,9
Média do dia (6h/5h59): 4,2
Fala Brasil Especial 3,7
Esporte Fantástico 3,5
The Love School 2,9
Record Kids  4,5
Cine Aventura  5,9
Batalha dos Confeiteiros Brasil 5,7
Cidade Alerta 6,1
Jornal da Record 6,3
Programa da Sabrina 7,3
Legendários 6,0
Igreja Universal do Reino de Deus 1,0
Média do dia (6h/5h59): 1,5
Boletim Liga dos Campeões 0,8
Sábado Animal  1,4
Sorteio Eurocopa 2016 1,3
Brasil Urgente  4,7
Jornal da Band 4,1
Fatmagül 2,7
Top Cine 1,9
Show Business 0,9
Carlos – O Chacal 0,8
Cinema na Madrugada 0,5
Média do dia (6h/5h59): 0,6
Ritmo Brasil 0,4
Super Faixa do Esporte 0,6
Vôlei na Rede 0,6
Super Extremo 0,5
Campeonato Paulista de Basquete 0,3
Amaury Jr. 0,5
RedeTV! News 0,7
Operação de Risco 2,5
Mega Senha 2,5
Encrenca (reprise)  1,8

Vigilantes fazem ato para cobrar salários atrasados em Macapá

Trabalhadores reuniram-se em frente a empresa, na Zona Central.
Sindicato diz que pelo menos seis órgãos públicos devem repasses.

Bandeira do estado do Amapá

manifestação; vigilantes; macapá (Foto: Abinoan Santiago/G1)
Vigilantes reuniram-se em frente a uma das empresas que estaria com atraso nos pagamentos (Foto: Abinoan Santiago/G1)

Vigilantes cobraram na manhã desta segunda-feira (14) o pagamento de três meses de salários atrasados e a segunda parcela do décimo terceiro.

A manifestação aconteceu em frente a uma das empresas que estão com pendências salariais, no bairro Jesus de Nazaré, na Zona Central de Macapá.

manifestação; vigilantes; macapá (Foto: Abinoan Santiago/G1)
Manifestantes pediram pagamento de salários
(Foto: Abinoan Santiago/G1)

De acordo com o Sindicato dos Vigilantes, todas as empresas com contratos com órgãos públicos enfrentam problemas financeiros.

O G1 buscou contato com o governo do Amapá para falar sobre os repasses para as empresas de vigilância e aguarda o retorno.

A prefeitura de Macapá informou que existe pendência com os contratos vinculados com as secretarias de Administração, Educação e Saúde. Um mês foi pago pelo Município e o outros deverão ser negociados com a categoria e a empresa. O atraso ocorreu devido a crise financeira alegada pela prefeitura por causa da queda de receitas.

“Fizemos um acordo com a empresa. Essa negociação diz que iríamos pagar todas as três secretarias. Pagamos uma e vamos efetuar as outras hoje [segunda-feira] e até amanhã eles devem estar com os salários regularizados”, disse o secretário de Administração, Carlos Michel.

Os pagamentos estão atrasados desde setembro, contam os trabalhadores.

“A gente vem nas empresas, mas elas fecham as portas. Ninguém dá satisfação quando corremos atrás. Dizem que a prefeitura e o governo não repassam o dinheiro e quem sofre as consequências somos nós”, reclamou o vigilante Edilson Junior, de 35 anos.

O Sindicato dos Vigilantes informou que pelo menos seis órgãos públicos estão com pendências nos repasses para as empresas.

“Já informamos a todas que iremos fazer uma grande paralisação para cobrar os nossos salários porque somente depois desse repasse existe expectativa de recebermos”, falou Isidório Soares, do Sindicato dos Vigilantes.

 

G1.COM.BR

Quase 3 kg de droga foram apreendidos em cidades do Acre

800 gramas de maconha foram apreendidas em Feijó no domingo (13).
Adolescente foi pego com dois quilos de maconha em táxi, na BR-364.

Bandeira do Acre

800 gramas de maconha apreendidos em Feijó (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

800 gramas de maconha apreendidos em Feijó
(Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Um homem de 18 anos de idade foi apreendido com 800 gramas de maconha no município de Feijó, no último domingo (13). A droga estava na mochila do suspeito que carregava duas barras, uma com 342g e outra com 458g.

O suspeito estava de bicicleta, no bairro Esperança, quando a Polícia Militar fazia ronda pelo local, por volta do meio-dia.

Segundo o tenente José Augusto de Souza, ao ver a viatura, o homem acelerou e chamou a atenção da polícia.

“Ele ainda entrou em um buritizal, largou a mochila e a bicicleta no caminho, mas conseguimos achá-lo”, confirma. O tenente informou que o homem foi levado à delegacia no mesmo dia e preso em flagrante.

Na sexta (11), mais nove pacotes de cocaína foram encontrados com um homem num bar da cidade, no bairro Genir Nunes. O suspeito possui outras passagens pela polícia, que fez uma revista ao encontrá-lo no local.

Segundo o tenente, esta foi uma abordagem comum do Grupo de Intervenção Rápida, o Giro. “É comum eles fazerem abordagem em bares e esquinas, onde encontramos o suspeito”, afirma.

2 quilos de maconha foram encontrados com menor da idade em táxi (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
2 quilos de maconha foram encontrados com menor
da idade em táxi (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Apreensão em Sena Madureira
Um menor de 17 anos foi preso, com quatro barras de maconha dentro de um táxi na BR-364 na última sexta-feira (11).

O jovem estava de carona no veículo que saía de Sena Madureira para Rio Branco e foi parado numa barreira policial no final da tarde.

O menor carregava dois quilos de maconha e foi apreendido na operação Saturação Rural.

Segundo o capitão Pregulim Araújo, os táxis quase sempre são parados nesta operação. “Normalmente apreendemos muitas drogas nos táxis, pois vêm com diferentes tipos de pessoas”, afirma.

O adolescente foi apreendido e deve ser encaminhado para um Centro Socioeducativo.
Segundo o capitão, a apreensão fez parte da operação Saturação Rural, feita em estradas e rodovias.

 

G1.COM.BR

EXCLUSIVO – Michel Temer deu uma ordem aos deputados federais e senadores do PMDB

Michel Temer , presidente nacional do Partido do Movimento Democrático Brasileiro , deu uma ordem clara aos 66 deputados federais e 18 senadores da legenda : votar favoravelmente pelo impeachment de Dilma Rousseff(PT) . “Aquele(a) parlamentar que votar contra será expulso(a) do partido.” A impaciência do vice-presidente da República é nítida dentro da sigla. ” Essa divisão do partido me irrita profundamente.”

Em dez meses, apreensão de armas de fogo no Distrito Fderal aumenta 3%

PM afirma que seis armas de fogo são apreendidas a cada dia no DF.
Dados do GDF apontam redução na taxa de homicídios no último ano.

Bandeira do Distrito Federal (Brasil)

A Polícia Militar apreendeu 1.948 armas de fogo de janeiro a outubro de 2015 em todo o Distrito Federal. Dados da corporação apontam crescimento de 3% na apreensão e uma diminuição de 14,4% nas taxas de homicídio no DF em relação ao ano anterior. O total de armas de fogo apreendidas em 2014 foi de 1.896.

Os dados da polícia apontam que, do total apreendido, 66,4% são revólveres, 23,2% pistolas e 0,36% fuzis e metralhadoras. Segundo o especialista em segurança pública da TV Globo Daniel Lorenz, os dados da apreensão indicam que o baixo índice de armas como fuzis e submetralhadoras pode indicar a ausência de facções criminosas do DF.

Nos primeiros 11 meses deste ano, foram registrados 548 homicídios em todo o Distrito Federal, a menor taxa dos últimos sete anos. Em 2014 foram registradas 640 ocorrências.

Outros indicadores também apresentaram diminuição, como a taxa de latrocínios (9,1%), roubos de veículos (33,8%), roubos em comércio (32,6%) e furtos (30%). Os dados referentes à segurança pública no DF foram divulgados pelo governador Rodrigo Rollemberg na última terça-feira (8).

Das armas apreendidas em 2015, 17,7% eram falsas – armas de pressão ou réplicas que não efetuam disparo. As corporações responsáveis pelo total das apreensões são a PM (74,7%), a Polícia Civil (8,9%). As demais apreensões (16,4%) ocorrem em ações de arrecadação do Detran e do DER e em fiscalizações e pelo Corpo de Bombeiros em salvamentos.

De acordo com tese de doutorado apresentada ao Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em 2011, a cada 18 armas de fogo apreendidas, uma vida é salva. Segundo o trabalho do pesquisador Daniel Cerqueira, pesquisador do Ipea e autor da tese, há relação entre o aumento de armas disponíveis com o número de homicídios. Para cada 1% a mais de armas, a taxa de homicídios aumenta em 2%. Em seu estudo, o pesquisador analisou o número de armas na cidade de São Paulo entre os anos de 2001 e 2007.

 

G1.COM.BR

Presos oito suspeitos por sequestros de gerentes de bancos em Goiás

Vítimas tinham que facilitar roubos enquanto parentes eram mantidos reféns.
Grupo é suspeito por ações em 4 cidades, mas só obtiveram êxito em uma.

Bandeira de Goiás

Seis suspeitos foram apresentados na Deic, em Goiânia, nesta segunda-feira (14), em Goiás (Foto: Fernanda Borges/G1)
Seis dos oito presos foram apresentados na sede da Deic, em Goiânia (Foto: Fernanda Borges/G1)

A Polícia Civil prendeu oito homens, com idades entre 19 e 38 anos, suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em crimes de extorsão mediante sequestro, em Goiás. Segundo as investigações, eles sequestravam gerentes de bancos e mantinham seus familiares reféns até que as vítimas facilitassem roubos às agências bancárias. Os crimes foram cometidos em pelo menos quatro cidades.

A primeira ação ocorreu em 31 de julho deste ano, quando o gerente de um banco foi sequestrado em Rubiataba, na região central do estado. A família dele foi mantida em cárcere privado até a concretização do plano. Na ocasião, segundo a polícia, os criminosos conseguiram atingir o objetivo e roubaram uma quantia de dinheiro não especificada da agência. Em seguida, liberaram as vítimas e fugiram.

Segundo o delegado Alex Vasconcelos, titular do Grupo Antirroubo a Banco da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), a modalidade do crime é conhecida como “sapatinho”.

“Esse grupo agia de forma organizada, indo até a cidade dias antes do crime para estudar a rotina do gerente e de seus familiares. Aí, na noite anterior, eles abordavam as vítimas e as levavam para um cativeiro, normalmente às margens de rodovias. Aí obrigavam o gerente a abrir o cofre da agência e a colocar o dinheiro em sacolas, de forma discreta, para que o sistema de segurança não flagrasse a ação, e entregasse esses pacotes para um dos criminosos, que ficava dentro do banco se passando por um cliente”, explicou.

Depois de Rubiataba, foram cometidas ações semelhantes em Palmeiras de Goiás, a 98 km de Goiânia, no último dia 10 de agosto; em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, no dia 3 de setembro; e em Uruaçu, no norte do estado, no último dia 10 de novembro. Em nenhuma delas eles conseguiram levar dinheiro dos bancos, pois houve intervenção da polícia.

“Após o caso de Rubiataba, passamos a monitorar esse grupo e logo depois prendemos dois integrantes da quadrilha, que são Marlon Alves da Silva, que está detido em Pernambuco, e Eduardo Nonato da Silva, em Valparaíso de Goiás, este último apontado como o líder do bando. A partir daí, obtivemos informações sobre os demais suspeitos e conseguimos interceptar os outros sequestros, libertando as vítimas antes que eles conseguissem roubar os bancos”, relatou Vasconcelos.

Com o andamento das investigações, também foram presos Marcos Alberto Santana, Washington Maia, Tiago Rosa dos Santos, Wesley Honório Ferreira, Johnattan Rodrigues de Oliveira e Wagner Barbosa Rodrigues.

Com eles, foram apreendidas três armas de fogo: um revólver calibre 38, uma pistola de uso restrito das forças policiais calibre .40 e uma espingarda calibre 22, além de munições. Também foram recolhidos três veículos, sendo um GM Corsa, usado em todos os sequestros, um VW Gol e uma Nissan Frontier.

Armas apreendidas com suspeitos de sequestrar gerentes de bancos, em Goiás (Foto: Fernanda Borges/G1)
Armas apreendidas com suspeitos de sequestrar gerentes de bancos, em Goiás
(Foto: Fernanda Borges/G1)

Os presos serão indiciados pelos crimes de extorsão mediante sequestro, associação criminosa qualificada e porte ilegal de armas de fogo de uso permitido e restrito, com penas somadas que variam entre 30 e 120 anos de prisão.

Seis dos oito presos foram apresentados na manhã desta segunda-feira (13), na Deic, e serão levados para o Núcleo de Prisão Provisória de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Os outros dois seguem detidos em Valparaíso de Goiás e em Caruaru (PE).

Base luxuosa
De acordo com o delegado, os integrantes da quadrilha se conheceram na cidade de Redenção, no Pará, onde decidiram se associar para cometer os crimes em Goiás. Para isso, tinham quatro imóveis, entre eles uma chácara luxuosa, que serviam como base em Anápolis, a 55 km de Goiânia.

“Eles se conheceram em Redenção e, a partir daí, passaram a se organizar para cometer os crimes em cidades goianas. Apesar do líder ser o Eduardo, era o Washington quem tinha o maior prestígio entre os criminosos, pois obtinha de muitos recursos financeiros para viabilizar as ações criminosas”, explicou Vasconcelos.

O delegado ressaltou que os presos já tinham passagens anteriores por crimes como associação criminosa, extorsão mediante sequestro, roubo, furto, uso de documento falso, tráfico de drogas e desobediência.

Segundo ele, nos primeiros sequestros, os suspeitos agiam da maneira mais discreta possível, mas na última, em Uruaçu, chegaram a agredir o gerente do banco. “Apesar disso, eles não obtiveram êxito na ação”, destacou o investigador.

Carros apreendidos com quadrilha que sequestracva gerentes de bancos, em Goiás (Foto: Fernanda Borges/G1)
Polícia apreendeu Gol, Frontier e Corsa com integrantes da quadrilha, em Goiás
(Foto: Fernanda Borges/G1)
G1.COM.BR

Católicos de Mato Grosso celebram a abertura da ‘Porta da Misericórdia’

Jubileu inicia o período de perdão aos arrependidos pelos pecados.
Celebrações marcam a abertura do Ano da Misericórdia.

Bandeira do estado deMato Grosso

Cerca de 2 mil fiéis participaram de celebração em Várzea Grande (Foto: Reprodução/ TVCA)
Fiéis participaram de celebração em Várzea Grande (Foto: Reprodução/ TVCA)

As igrejas católicas de Mato Grosso fizeram a abertura da ‘Porta da Misericórdia’ ou ‘Porta Santa’, neste domingo (13), para marcar o início das atividades do período de perdão àqueles que estão arrependidos pelos pecados. Em Cuiabá, a cerimônia no Santuário Divino Espírito Santo foi presidida pelo padre Jean Jacky Genesté.

Pela primeira vez, a ‘Porta da Misericórdia’ foi aberta em igrejas fora de Roma. A cerimônia marca a abertura do Ano da Misericórdia, Ano Santo instituído pelo Papa Francisco.

Além de Cuiabá, a ‘Porta da Misericórdia’ foi aberta nas igrejas de Várzea Grande, na região metropolitana da capital, Nobres, Jangada, Acorizal, Distrito da Guia, Rosário Oeste, Barão de Melgaço e Santo Antônio de Leverger.  Passar por ela tem um grande significado para os fiéis: o perdão dos pecados. O Ano Santo vai até novembro de 2016.

“Toda vez que confessamos, tiramos os pecados. É como uma ferida que você se machuca e fica aquela mancha e passando por essa porta a gente elimina todo ele [pecado] e, com isso, vem todas as bênçãos, vem a alegria de viver. Isso para mim foi muito importante”, disse a dona de casa Luzeni Matos.

Na Igreja Católica, o jubileu [celebra algo em especial], também chamado Ano Santo, acontece a cada 25 anos, mas o Papa Francisco promulgou o Jubileu Extraordinário, anunciado no dia 13 de março 2015, com o lema “Misericordiosos como o Pai” (Lc 6,36). A última celebração foi no ano 2000.

É a primeira vez que a ‘Porta da Misericórida’ é aberta nas paróquias, catedrais e santuários, ou seja, não é preciso ir a Roma, localizada na Itália, para receber o perdão pelos pecados.

“Sentir e ser comovido pelas falhas, pelas fraquezas, reconhecendo Deus misericordioso. Sentindo a conversão, uma mudança de vida para um caminho de luz e de santidade”, explicou o padre Jean Jacky, pároco do Santuário Divino Espírito Santo.

G1.COM.BR