Homem morre carbonizado após incêndio em casa no sul da Bahia

Vítima tinha 54 anos e estava sozinho no momento que a casa pegou fogo.
As causas do incêndio ainda estão sendo investigadas pelos peritos.

Bandeira do estado da Bahia

Um homem de 54 anos morreu carbonizado na madrugada desta quarta-feira (2), após um incêndio em casa, no bairro de Mangabinha, em Itabuna, região sul da Bahia. Segundo informações da Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros foi acionado por volta de 1h30, mas o proprietário da residência não resistiu.

Após controlar o fogo, os Bombeiros acionaram o Departamento de Polícia Técnica (DPT) para que o corpo fosse removido. As causas do incêndio ainda estão sendo investigadas pelos peritos. A vítima foi identificada como Edivaldo Cerqueira Dutra. Ele é irmão do vice-diretor do Conjunto Penal de Itabuna, era solteiro e não tinha filhos.

 

G1.COM.BR

Programação do Rasgadinho 2016 é anunciada em Aracaju

Preta Gil, Bola Preta, Patusco estão entre as atrações
Cinco palcos e cortejos vão reunir os foliões.

Bandeira do estado de Sergipe

Bailinho do Rasgadinho ficou lotado até o início da noite desta terça-feira (17) (Foto: Marina Fontenele/G1)

Bailinho do Rasgadinho ficou lotado até o início da noite desta terça-feira (17)

(Foto: Marina Fontenele/G1)

 

Na manhã desta terça-feira (2), foi divulgada a programação do Bloco de Carnaval de rua Rasgadinho 2016.

A programação será realizada de 5 a 9 de fevereiro nos bairros Cirurgia, Suissa e Getúlio Vargas, em Aracaju.

A festa reúne diversos ritmos e chega a sua 12ª edição com uma programação variada distribuida em cinco palcos e cortejos dois cortejos que vão levar a folia pelas ruas da capital sergipana.

5 de fevereiro (sexta-feira)

Palco Coração da Cidade
18h – Orquestra Cajuína
19h30 – Banda Aruana
21h30 – Arimatéia e Orquestra
0h – Naurêa
2h – Cidade Negra
Palco Aldeia Global
17h – Ibura (SE)
19h – Chico Corrêa (PB)
21h – Seu Pereira e Coletivo 401 (PB)
23h – Preta Gil
1h – DJ Patrick Tor4 (PE)
Palco Samba, Chorinho e MPB
18h – Silvina e o Boêmios Nota 10
20h – Ronise Ramos
22h – Samba de Moça Só
0h – Samba de Brincadeira (Isaac Borges)
Palco do Forró
18h – Anderson do Acordeon
19h30 – Trio do Forró de Mala e Cuia
21h30 – Trio Glauber do Acordeon
0h – Trio Robson Rojão
Palco Frevo e Folia
18h – Orquestra Sassaricando
20h – Orquestra Indomada
22h – Orquestra Cajuína

6 de fevereiro (sábado)

Palco Coração da Cidade
18h – Orquestra Geração do Frevo
19h30 – Big Banda Show
21h30 – Orquestra Topázio
0h – Mart’Nália
2h – Zeca Baleiro
Palco Aldeia Global
16h – Bailinho Infantil
19h – Toco y me Voy (BA)
21h – Mestre Madruguinha (SE)
23h – Artista Nacional (a definir)
1h – Sargento Pimenta
Palco Samba, Chorinho e MPB
14h – Samba de Salto
18h – Grupo Brauna e Raquel Delmondes
20h – Fernando Crateus
22h – Grupo Som di Preto
0h – Matheus e Grupo Acalanto
Palco do Forró
18h – Gilson do Acordeon
19h30 – Trio Cassiano do Forró
21h30 – Trio Pau de Arara
0h – Trio Três Moleques
2h – Trio Pavio do Forró
Palco Frevo e Folia
18h – Orquestra Cajuína
20h – Orquestra Sassaricando
2h – Orquestra Indomada
Cortejo
14h30 – Patusco
Orquestra Rasgadinho
Orquestra Frevo e Folia (Lagarto/SE)
Orquestra Frevo Temperado

7 de fevereiro (domingo)

Palco Coração da Cidade
18h – Orquestra de Medeiros
19h30 – Arimatéia e Orquestra
21h30 – Los Guaranis
0h – Patusco
2h – Elba Ramalho
Palco Aldeia Global
16h – Bailinho Infantil
19h – Baile Global Beats com os DJs Rafa Aragão/Kaska e convidados
21h – Mauro Telefunk Soul (BA)
23h – Batalhão Curupira
1h – DJ Raiz (BA)
Palco Samba, Chorinho e MPB
14h – Gugu Brasil
18h – Odir Caius
20h – Senna
22h – Grupo Só Coisa Nossa
0h – Grupo Realce
Palco do Forró
18h – Trio Nilson do Forró
19h30 – Trio Lula do Acordeon
21h30 – Trio Itapoã
0h – Casaca de Couro
2h – Trio Robertinho dos 8 Baixos
Palco Frevo e Folia
18h – Orquestra Indomada
20h – Orquestra Cajuína
2h – Orquestra Sassaricando
Cortejo
14h30 – Cordão da Bola Preta
Orquestra Rasgadinho
Orquestra Frevo e Folia (Lagarto/SE)
Orquestra Frevo Temperado

8 de fevereiro (segunda-feira)

Palco Coração da Cidade
18h – Tom Robson e Banda
19h30 – Banda Água de Cheiro
21h30 – Rafael Oliveira
0h – Spok Frevo de Recife
2h – Sambô
Palco Aldeia Global
16h – Bailinho Infantil
19h – Sandy Alê (SE)
21h – Coutto Orchestra (SE)
23h – Ifá Afrobeat (BA)
1h – Movimenta Soundsystem (SE)
Palco Samba, Chorinho e MPB
14h – Ases do Samba
18h – Grupo Renovação do Choro
20h – Gladston Rosa
22h – Tom Robson
0h – Isaac Borges
Palco do Forró
18h – Bob Lélis e Forró Gozado
19h30 – Trio Forró Pé Quente
21h30 – Trio Baião da Penha
0h – Trio Mimi do Acordeon
2h – Trio Jaçanã
Palco Frevo e Folia
18h – Orquestra Cajuína
20h – Orquestra Sassaricando
2h – Orquestra Indomada
Cortejo
14h30 – Karla Isabella
Orquestra Rasgadinho
Orquestra Frevo e Folia (Lagarto/SE)
Orquestra Frevo Temperado

9 de fevereiro (terça-feira)

Palco Coração da Cidade
16h – Matinê – Karla Isabella
18h – Orquestra Cajuína
19h30 – Orquestra Coração do Frevo
21h30 – Los Guaranis
0h – Digo Nogueira
2h – Monobloco
Palco Aldeia Global
16h – Bailinho Infantil
19h – Elvis Boa Morte (SE)
21h – Silvério Pessoa (PE) com participação de Naurêa
23h – Attooxxa (BA)
1h –DJ Kaska
Palco Samba, Chorinho e MPB
14h – Rafael Oliveira
18h – Jr do Cavaco e Cia do Choro
20h – Jiló
22h – Samba de Moça Só
0h – Mania de Ser
Palco do Forró
18h – Trio Voz de Ouro
19h30 – Trio Aragão do Nordeste
21h30 – Trio Café Suado
2h – Trio Rala Coxa
Palco Frevo e Folia
18h – Orquestra Cajuína
20h – Orquestra Sassaricando
2h – Orquestra Indomada
Cortejo
14h30 – Patusco e Karla Isabella
Orquestra Rasgadinho
Orquestra Frevo e Folia (Lagarto/SE)
Orquestra Frevo Temperado

 

G1.COM.BR

Polícia prende suspeitos de crimes durante operação no interior de Alagoas

Adolescente também foi apreendido em São Luís do Quitunde.
Homens são suspeitos de crimes como homicídio e tráfico de drogas.

Bandeira do estado de Alagoas

À esq. Rutemberg de Amorim; à dir. Thiago Alexandre (Foto: Ascom/Polícia Civil)

À esq. Rutemberg de Amorim; à dir. Thiago Alexandre (Foto: Ascom/Polícia Civil)

Dois homens foram presos e dois adolescentes apreendido durante uma operação integrada das polícias Civil e Militar na manhã desta quarta-feira (2) em São Luís do Quitunde, Norte de Alagoas. Eles são suspeitos de crimes como homicídio e tráfico de drogas. Um outro suspeito fugiu.

De acordo com o 6º Batalhão de Polícia Militar, cerca de 15 policiais buscaram cumprir cinco mandados de busca e apreensão expedidos pelo juiz Willamo de Omena Lopes. “Antes de ontem atiraram na nossa viatura, mas nenhum militar ficou ferido. Entre os presos estão suspeitos do crime”, disse o supervisor, tenente Carlos.

Foram presos Rutemberg de Amorim Fortunato, 19 anos, conhecido como “Berg” e Thiago Alexandre da Silva, 18 anos, o “Thiaguinho”. Segundo a polícia, eles são responsáveis pelos últimos homicídios ocorridos na cidade.

Ainda segundo o PM, uma quantidade de droga foi apreendida. Participaram da operação policiais civis da Delegacia Geral (DGPC), gerência de Polícia da Região 2 (GPJ 2),  93º Distrito Policial (DP) e Asfixia, e policiais militares do Pelopes e da companhia de São Luiz.

 

G1.COM.BR

Pernambucanos usam a criatividade para driblar a crise econômica

Com a atual situação, eles precisam enxergar a vida de um jeito diferente.
PIB registrou retração de 1,7% no terceiro trimestre de 2015.

Bandeira do estado de Pernambuco

Quando a renda diminui e os gastos aumentam, o jeito é se reinventar para enfrentar a crise econômica que assola o país. Usando a criatividade, pernambucanos de diferentes idades e classes sociais estão tendo que enxergar a vida de uma forma diferente. Para uns, a atual situação brasileira foi revertida em oportunidade crescimento; para outros, a solução é realmente o corte de custos.

Como divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na terça-feira (1º), o consumo das famílias entre os meses de julho e setembro caiu 1,5%, refletindo a retração de 1,7% do Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre do ano. A experiência das famílias pernambucanas confirma a recessão – os primos Hilton Soreano, 34, e Marília Oliveira, 31, precisaram se juntar à irmã de Hilton, Maria Soreano, no ramo da doceria. Tudo isso por causa das demissões em massa e da dificuldade da recolocação no mercado de trabalho.

A família viu nos doces uma oportunidade e uma forma de sustento. Há um ano, o trio faz de bolo de rolo a brownie. “Para mim a crise veio a calhar porque eu já fabricava bolos e, depois que meus primos foram demitidos, tive mais ajuda, conseguindo expandir mais os negócios”, menciona Maria.

Hilton trabalhava como técnico de documentação nas obras da Via Mangue, na Zona Sul do Recife e garante que ganha mais agora do que quando tinha a carteira assinada. “Assim estamos driblando a crise e ganhando nosso sustento”, afirma ele.

A cozinha da casa de Maria se transformou em uma mini fábrica. Eles alegam que estão conseguindo ter um retorno financeiro vendendo uma média de 20 a 30 bolos por dia e com um custo baixo de investimento – cerca de R$ 10 mil – destinados apenas à compra de um fogão industrial, geladeira e formas para assar as guloseimas. “Usamos o Facebook e o Instagram para promover nosso negócio porque é barato e tem longo alcance”, diz Maria.

Para Marília, a chance não é só para ganhar dinheiro, é também a realização de um sonho. “Sou administradora, mas sempre tive o sonho de trabalhar com tortas e bolos. Com a crise, estou finamente podendo trabalhar com isso”, conta aos risos.

Da farmácia ao salão
Falido, o empresário Ubirajara Martins precisou estudar a demanda do bairro e se reinventar aos 66 anos de idade. Ex-proprietário de uma farmácia que faliu no começo do ano, Ubirajara agora é cabeleireiro. “Percebi que o ramo de farmácia não estava mais dando certo. Procurei fazer um curso no Senac [Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial], com aperfeiçoamento numa rede de salões, e estou aqui driblando a crise devagarzinho, com dificuldade, mas graças a Deus devagarzinho”, fala.

Pernambucanos usam da criatividade para driblar a crise econômica (Foto: Thays Estarque/ G1)
Quando a farmácia de Ubirajara faliu, ele virou cabeleireiro (Foto: Thays Estarque/ G1)

Com tudo mais caro, o cabeleireiro agradece, pelo menos, o fato de não pagar aluguel. “Temos casa própria; apesar de não ser minha, é da minha cunhada, mas não pagamos nada”, comenta, completando que teve que cortar gastos para tentar manter o nível da qualidade de vida. “O lazer mudou, o brasileiro vai ter que mudar porque a partir de 2016 a coisa vai ‘arrochar’ mais ainda. Eu me preparei, estou aqui no meu cabeleireirozinho, devagarzinho, com o pouquinho que entra vou vivendo até o fim da vida”.

Além da renda extra
E quando até a renda extra, aquela já para tentar ajudar em casa, também é prejudicada? A artesã Fátima Vilanova, 62 anos, costuma vender os terços que fabrica para os romeiros que viajam centenas de quilômetros para rezar no Santuário da Mãe Rainha, em Ouro Preto, Olinda. Porém, com a crise, o número de pessoas em condições de separar um dinheiro para pegar a estrada e se manter durante a viagem está diminuindo.

“Os compromissos continuam os mesmos, mas a renda diminuiu. A dificuldade aumentou porque a gente já não tem o padrão de vida alto e, com a crise, a tendência é se agravar porque a clientela diminuiu. Normalmente esse pessoal depende de um salário mínimo ou é pensionista. Estão sem dinheiro para vir e então complica para gente também”, explica.

Pernambucanos usam da criatividade para driblar a crise econômica (Foto: Thays Estarque/ G1)
Fátima vende terços em romarias, com a crise passou a vender por encomenda
(Foto: Thays Estarque/ G1)

A forma que encontrou para tentar driblar o período de escassez da procura pelo trabalho foi focar nas vendas certas, por encomenda. Para isso, faz das redes sociais sua maior aliada. “Não posso ficar com o dinheiro empatado em mercadoria, em material, sem ter onde vender”.

De todos os cortes no orçamento da casa, Fátima um faz mais falta. Bastante apegada à família, sente falta daquele almoço especial do fim de semana. “A gente já tem pouco, mas reduziu ainda mais. Antes trabalhávamos toda semana e no fim dela preparávamos algo diferente para variar, mas agora já não fazemos mais”, conclui.

Pernambucanos usam da criatividade para driblar a crise econômica (Foto: Thays Estarque/ G1)
Comerciante há mais de 30 anos, Francisco se vê
tendo que comprar menos mercadoria
(Foto: Thays Estarque/ G1)

Comerciante há mais de 30 anos, Francisco Moreira, 55, se vê atualmente tendo que comprar menos mercadoria porque não consegue revendê-las. Ele conta que está cada vez mais difícil sobreviver nessa situação.

“A gente vive hoje numa decadência porque não consegue mais evoluir. O pouco que trabalha é só para pagar as contas. Quando paga a conta de água e a conta de luz não sobra nada para gente”, lamenta.

 

G1.COM.BR

Inadimplência aumenta pelo 11º mês seguido em João Pessoa, diz SPC

Número de pessoas endividadas em novembro de 2015 subiu 73,36%.
De janeiro a novembro de 2015, quase 97 mil entraram ou estão no SPC.

Bandeira do estado da Paraíba

A inadimplência cresceu pelo 11º mês seguido em João Pessoa, segundo levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Somente no mês de novembro, o número de pessoas que estão no SPC aumentou 73,39% em relação ao mesmo período de 2014. De janeiro a novembro de 2015, quase 97 mil pessoenses entraram ou estão no SPC. Uma alta de 214,92% sobre o mesmo período do ano passado, quando 30,6 mil pessoas estavam na mesma condição.

Apesar da alta, o mês de novembro apresentou uma desaceleração dos percentuais registrados ao longo do ano, que variavam entre 200% e 400%. O  número de devedores inseridos no SPC na capital chegou a 8.576 consumidores em novembro, contra 4.946 do ano anterior. Com base de devedores maior este ano, o  número de pessoas que recuperaram o crédito em novembro também registrou alta de 83,93%, com 5.433 pessoas este ano contra as 2.954 no ano passado.

Se o pagamento do 13º salário este ano não reduzir a taxa, esse quadro deverá interferir negativamente nas compras natalinas, segundo previsão do especialista em varejo e professor da UFPB Jairo Pontes. Ele explica que o quadro em João Pessoa é um reflexo da economia com inflação crescente, juro alto e desemprego. “O poder de compra do consumidor foi corroído e os lojistas deverão sentir o endividamento nas compras de final do ano, que serão bem mais modestas para os empresários”, explica.

Campina Grande apresenta melhora em quadro
A inadimplência em Campina Grande teve queda de 21% no mês de novembro. Foram 1.179 devedores, contra 1.491 no mesmo mês no ano passado. Contudo, menos pessoas recuperaram o crédito no comércio, apresentando retração de 23% sobre novembro de 2014. Segundo dados da CDL, 749 pessoas conseguiram ‘limpar’ o nome ante 970 no ano passado. No acumulado dos onze meses deste ano, a lista de inadimplentes teve um acréscimo de 8,10%, sendo 14.949 devedores registrados este ano e 13.828 no ano passado.

 

G1.COM.BR