Perth Lord Mayor Lisa Scaffidi threatens to quit as fresh probe looms

November 30, 2015 – 10:03AM

Brendan Foster

Reporter

Map of Australia with Western Australia highlighted

Lisa Scaffidi is on the verge of resigning after fresh probe.

Lisa Scaffidi is on the verge of resigning after fresh probe. Photo: Louise Kennerley

Embattled Perth Lord Mayor Lisa Scaffidi is on the brink of quitting after the Department of Local Government said it was going to investigate her travel rort scandals, according to the ABC.

The Corruption and Crime Commission last month found Ms Scaffidi was guilty of serious misconduct when she failed to disclose three gifts in 2008 and 2009: a Beijing Olympics hospitality package, Leeuwin Concert tickets and Broome Cup accommodation.

Although the CCC did not return any findings of corruption the Department of Local Government said it would consider misconduct issues.

The ABC reported on Monday Ms Scaffidi was on the verge of resigning after the department said it was planning to launch a new investigation because it couldn’t “rely on the information obtained by the CCC”.

The ABC said the Lord Mayor was set to meet with Premier Colin Barnett this week to announce her future, but a spokesman for the Premier said there was no planned meeting with Ms Scaffidi.

Mr Barnett said despite Ms Scaffidi’s “poor decision” he would not call for her resignation and he thought it would not necessarily be the best thing for Perth.

He said at the time Ms Scaffidi had been a good and enthusiastic mayor and a “good face” for Perth, but the issues were serious.

“The Lord Mayor of Perth is seen the most senior position in local government in the state and therefore bears an extra responsibility,” he said.

“When you get invited overseas I guess it’s a matter of judgement on whether you should accept or not.

“I have trouble with the accepting of the offer of the trip to the Olympics from BHP, I don’t think she should have accepted that … [with] the amount involved, and it’s a private company, has dealings with the state government and the City of Perth and the like.”

WA Local Government Minister Tony Simpson said he was also unable to sack Ms Scaffidi.

“[The Local Government] Act doesn’t allow me to sack a council or a mayor. If a person is charged with an offence it’s up to the individual to choose to resign,” he said.

Mr Simpson said the act provided for fines of up to $10,000 and jail terms of up to two years if a person in office was found guilty of an offence.

He did dump her from the Local Government Standards Panel in the wake of the CCC report.

Ms Scaffidi was re-elected Lord Mayor for the third time last month with 2266 votes – 54.76 per cent of the total vote – compared to opponent Reece Harley’s 1872 votes.

The voter turnout was just 36 per cent, more than eight per cent less than when Ms Scaffidi was re-elected in 2011.

Ms Scaffidi and the Department of Local Government have been contacted for comment.

 

WA Today .com.au

Classificação da Serie A do Campeonato Brasileiro 2015 após a rodada 37

Classificação P J V E D GP GC SG VM VV DM DV CA CV %
CORINTHIANS – SP 80 37 24 8 5 70 30 40 16 8 1 4 62 2 72
ATLÉTICO – MG 66 37 20 6 11 62 47 15 12 8 4 7 76 4 59
GRÊMIO – RS 65 37 19 8 10 50 32 18 14 5 2 8 94 2 58
SÃO PAULO – SP 59 37 17 8 12 52 47 5 12 5 1 11 72 5 53
INTERNACIONAL – RS 57 37 16 9 12 37 38 -1 13 3 2 10 99 6 51
SPORT – PE 56 37 14 14 9 52 38 14 13 1 1 8 70 2 50
SANTOS – SP 55 37 15 10 12 54 40 14 14 1 1 11 79 9 49
CRUZEIRO – MG 55 37 15 10 12 44 33 11 10 5 3 9 88 5 49
ATLÉTICO – PR 51 37 14 9 14 42 43 -1 9 5 4 10 85 7 45
10º PONTE PRETA – SP 51 37 13 12 12 41 39 2 9 4 5 7 95 5 45
11º PALMEIRAS – SP 50 37 14 8 15 58 50 8 9 5 6 9 90 5 45
12º FLAMENGO – RJ 49 37 15 4 18 44 51 -7 8 7 7 11 79 6 44
13º FLUMINENSE – RJ 47 37 14 5 18 40 48 -8 10 4 6 12 94 10 42
14º CHAPECOENSE – SC 47 37 12 11 14 34 41 -7 9 3 5 9 84 3 42
15º CORITIBA – PR 43 37 11 10 16 31 42 -11 6 5 5 11 112 5 38
16º AVAÍ – SC 41 37 11 8 18 37 59 -22 8 3 6 12 117 3 36
17º FIGUEIRENSE – SC 40 37 10 10 17 35 50 -15 6 4 6 11 107 5 36
18º VASCO DA GAMA – RJ 40 37 10 10 17 28 54 -26 5 5 8 9 108 13 36
19º GOIÁS – GO 38 37 10 8 19 39 48 -9 7 3 7 12 85 3 34
20º JOINVILLE – SC 31 37 7 10 20 26 46 -20 6 1 5 15 91 8 27

P pontos – J jogos – V vitórias – E empates – D derrotas – GP gols pró – GC gols contra – SG saldo de gols – VM vitória mandante – VV vitória visitante – DM derrota mandante – DV derrota visitante – CA cartões amarelos – CV cartões vermelhos – % aproveitamento

Libertadores Rebaixados

Última atualização efetuada em 29/11/2015 às 21:27

Atlético Paranaense 3 x 0 Flamengo

Com 3 a 0 e olé, Atlético-PR mantém invencibilidade sobre o Fla na Baixada

Furacão nunca perdeu para a equipe carioca em seus domínios durante o Brasileiro. Desde 1999 foram 11 vitórias e três empates com ampla vantagem de gols: 31 a 10

Em um sonoro 3 a 0, o Atlético-PR manteve a hegemonia sobre o Flamengo e a marca de nunca ter perdido para os cariocas na Arena da Baixada, em uma partida de Brasileiro. Desde 1999 foram 14 jogos com 11 vitórias do Furacão e três empates e, neste domingo, a torcida se divertiu e até mesmo gritou “olé” em meio ao jogo que atraiu um público total de 25.889 mil pessoas – metade delas que se aproveitaram da promoção que o associado levou um acompanhante de graça.

A hegemonia do Furacão também passa pelo número de gols. O time fez 31 e tomou apenas 10 do Flamengo. O placar mais elástico foi em 2001, quando Gustavo, Alex Mineiro, Kleber e Rodriguinho fizeram 4 a 0 no ano que o time foi campeão brasileiro. No ano passado, outra vitória por 2 a 1 com dois de Cléo e Eduardo Silva descontando.

Na despedida da grama natural da Baixada, a festa foi completa na Arena da Baixada com homenagem a Alessandro, que foi escalado e recebeu uma placa de homenagem ao campeão brasileiro de 2001.

No bom ambiente, a vitória começou com um golaço do lateral Roberto, que recebeu a bola de Nikão e mandou um chute no ângulo ainda no começo da partida. O Atlético-PR manteve o controle do jogo e Cleberson subiu sozinho dentro da área para fazer os 2 a 0 do primeiro tempo.

Atlético-pr x flamengo arena da baixada  comemoração gol (Foto: Giuliano Gomes / PR Press)
Zagueiro Cleberson fez dois na vitória sobre o Flamengo que mantém hegemonia
(Foto: Giuliano Gomes / PR Press)

No segundo tempo, o Furacão continuou mandando no jogo e foi dele os melhores momentos da partida. Apesar de uma pisada na bola de Walter, em uma de suas chances mais claras, o zagueiro artilheiro Cleberson não deixou o ritmo cair e fez mais um para alegria da torcida, que se divertiu no último dia de grama natural da Arena e viu mais uma vitória do Atlético-PR.

GLOBO ESPORTE.COM

Chapecoense 1 x 3 Goiás

Fred marca dois golaços, Goiás bate a Chape e ganha sobrevida na Série A

Esmeraldino diminui para três pontos diferença para primeiro fora da degola e chega vivo na última rodada; Verdão se despede da torcida com derrota e cai uma posição

Ainda há esperança para os torcedores do Goiás. O time esmeraldino venceu a Chapecoense na tarde deste domingo, na Arena Condá, e ainda respira no Campeonato Brasileiro. Precisando da vitória, os comandados Danny Sergio foram para cima e conseguiram bater o Verdão do Oeste por 3 a 1, pela penúltima rodada da competição nacional.

É difícil, mas há chance. Com o resultado no Oeste catarinense, o Goiás diminuiu para três pontos a diferença para o primeiro time fora da zona do rebaixamento. A equipe precisa vencer o próximo confronto, contra o São Paulo, e torcer por resultados paralelos.

Com a derrota, a Chapecoense segue com 47 pontos no Brasileiro e caiu para a 14ª colocação. Na atual posição da tabela, o time ficaria fora da Primeira Liga, no ano que vem. O próximo jogo é diante do Atlético-MG, no Mineirão, neste domingo, às 17h. A equipe goiana tem 38 pontos e está em 19º lugar. Recebe o São Paulo no Serra Dourada, também no domingo, às 17h.

Chapecoense x Goiás  (Foto: Márcio Cunha/Mafalda Press/Estadão Conteúdo)
Erik abriu o marcador, de pênalti (Foto: Márcio Cunha/Mafalda Press/Estadão Conteúdo)

O jogo

Como o confronto significava vida ou morte para o Goiás, o time visitante não se intimidou na Arena Condá e foi para cima. Em boa situação no Campeonato Brasileiro, a Chapecoense demorou para entrar na partida, e viu o adversário arriscar mais nos primeiros minutos. Na marca dos 11, Rafael Forster cobrou falta, e Alex Alves subiu mais que a marcação e testou para fora.

Até que o primeiro gol do Esmeraldino saiu. Insinuante, Bruno Henrique incomodava a defesa do Verdão do Oeste com arrancadas para a área. Numa delas, foi puxado por Maranhão, e o árbitro marcou o pênalti. Erik fez o 1 a 0 aos 28 minutos. E não demorou para o time goiano ampliar a vantagem. Quatro minutos depois, Fred marcou um golaço de falta, no ângulo.

Deu efeito a conversa no intervalo. A Chape despertou no segundo tempo e conseguiu o gol no primeiro minuto da etapa final. Cleber Santana cobrou falta na medida para Túlio de Melo balançar as redes. Com o gol, os donos da casa trataram de ir para cima, em busca do segundo gol. O Goiás reforçou a marcação e apostou nos contragolpes em velocidade.

O ímpeto ofensivo chapecoense diminuiu no decorrer do segundo tempo. Os goianos equilibraram a parte final do confronto e conseguiram o gol do alívio. Também aos 32, outra vez Fred marcou de falta. Resultado de 3 a 1 e esperança para última rodada.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Palmeiras 0 x 2 Coritiba

Em dois contra-ataques, Coritiba bate o Palmeiras e respira no Brasileirão

Vitória por 2 a 0 na arena palmeirense deixa o time coxa-branca em boas condições para se livrar do rebaixamento na última rodada. Juan e Henrique fazem os gols

O Coritiba deu um grande passo na luta contra o rebaixamento ao vencer o Palmeiras por 2 a 0, neste domingo, na arena do adversário. Os gols que aliviaram a situação na tabela do Campeonato Brasileiro foram marcado por Juan e Henrique.

Na última rodada do Brasileirão, com todos os jogos às 17h do próximo domingo, o Palmeiras visita o Flamengo no Maracanã, enquanto o Coritiba recebe o Vasco no Couto Pereira.

Para não ser rebaixado, basta ao Coxa empatar. Se perder, tem que torcer para que o Avaí ou o Figueirense (apenas um dos dois) não ganhe de Corinthians e Fluminense, respectivamente.

Palmeiras x Coritiba Juan (Foto: Marcos Ribolli)

Juan (55) comemora o primeiro gol da partida, marcado por ele aos 23 minutos do primeiro tempo (Foto: Marcos Ribolli)

Antes, às 22h de quarta-feira, o Verdão disputa em sua arena o jogo de volta da final da Copa do Brasil contra o Santos. Como perdeu o de ida por 1 a 0, tem que vencer por dois gols de diferença para ser campeão no tempo normal – se ganhar por um de diferença, a decisão vai para os pênaltis.

O jogo

O primeiro tempo teve uma toada só. Os reservas do Palmeiras, com mais posse de bola, paravam quase sempre na intermediária defensiva do Coritiba, que tentava contra-atacar. Aos 23 minutos, a tática coxa-branca deu certo: Negueba lançou Juan, que deslocou Fábio para abrir o placar. Aos 34, o gol de empate de Alecsandro foi anulado corretamente, pois ele estava impedido ao receber um cruzamento de Allione.

A segunda etapa foi bem parecida com a primeira. Como não conseguia passar pela barreira adversária, o Palmeiras passou a cruzar as bolas. Em toda a partida, foram 25 levantadas para a área e apenas quatro finalizações palmeirenses. O Coritiba, ainda mais fechado com a vantagem no placar, conseguiu controlar as ações dessa maneira até o fim. Aos 48, Henrique aumentou a vantagem no placar.

O Palmeiras chegou ao quinto jogo sem vencer como mandante pelo Brasileirão – o público foi o pior da história da arena, 15.037 pagantes.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Sport 2 x 0 Corinthians

Sport vence em casa e derruba invencibilidade do Corinthians

Matheus Ferraz e André marcam para o Leão, que já não tem mais chance de chegar ao G-4. Com reservas, Timão volta a perder depois de 10 partidas invicto

O Sport impôs ao Corinthians sua primeira derrota após a conquista do hexacampeonato. Neste domingo, na Arena Pernambuco, o Leão fez 2 a 0 no mistão alvinegro, gols de Matheus Ferraz e André. Com o resultado, o time da casa foi a 56 pontos, subiu para a sexta posição, mas não tem mais condições de chegar ao G-4. O Timão segue com 80, 14 à frente do Atlético-MG. A última derrota alvinegra havia sido contra o Internacional, na 26ª rodada. Foram 10 jogos invicto até este domingo.

O Sport foi mais efetivo durante todo o primeiro tempo. Dominou a posse de bola (53%, contra 47% do Corinthians), trocou passes perto da área do adversário e criou duas chances perigosas: na primeira, Diego Souza acertou chute rasteiro que passou raspando a trave direita de Walter. Na segunda, aos 23 minutos, Renê cruzou da esquerda, a zaga corintiana parou, e Matheus Ferraz abriu o placar, de cabeça.

Com apenas três titulares em campo (Gil, Jadson e Vagner Love), o Timão não conseguiu se encontrar. Se contra o São Paulo, domingo passado, os reservas foram brilhantes na goleada por 6 a 1, contra o Leão, eles não se acertaram. Tanto que o Alvinegro não conseguiu nenhum de maior perigo.

No segundo tempo, o técnico Tite fez mudanças para tentar fazer o Corinthians entrar na partida. Malcom e Danilo foram a campo. O Timão passou a atuar mais adiantado, mas deu muitos espaços para os contra-ataques do Sport, que, novamente, foi mais perigoso, mas demorou para ampliar o placar. Antes de marcar com André, aos 45, o Sport perdeu chances com o próprio centroavante, com Marlone e com Maikon Leite. O Timão só chegou uma vez: Danilo tentou de peixinho, e Danilo Fernandes fez grande defesa.

Nos acréscimos, André e Jadson se envolveram em confusão após o meia corintiano discutir com Neto Moura. Houve troca de empurrões, outros jogadores entraram no bolo, mas logo os ânimos foram acalmados pela arbitragem.

Sport x Corinthians (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
Matheus Ferraz festeja gol contra o Corinthians (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
GLOBO ESPORTE.COM

Cruzeiro 3 x 0 Joinville

Cruzeiro se despede da torcida, no Mineirão, com vitória sobre Joinville

Raposa chega a marca de 13 jogos de invencibilidade no Brasileiro; enquanto equipe catarinense foca no planejamento para 2016

O Cruzeiro deu um presente para cerca de 25 mil torcedores que estiveram na despedida do Mineirão em 2015. Venceu o rebaixado Joinville, por 3 a 0, gols de Willian, Charles e Alisson, dando o troco da derrota sofrida no primeiro turno, em Santa Catarina. A vitória serve para coroar a boa sequência de 13 partidas invicto e dar ânimo para a próxima temporada. No Joinville, fica a certeza de que muito trabalho deve ser feito para 2016. O jogo, válido, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi disputado no Mineirão.

Com o resultado, o Cruzeiro permanece na oitava colocação, com 55 pontos. O Joinville, já com a cabeça na Série B do ano que vem, segue na lanterna, com apenas 31 pontos.

Na próxima rodada, a última do Brasileirão, o Cruzeiro enfrenta o Internacional, em Porto Alegre, enquanto o Joinville recebe o Grêmio, em Joinville. Os dois jogos estão marcados para as 17h (de Brasília) do próximo domingo.

Cruzeiro; Joinville; Mineirão (Foto: Washington Alves/Light Press)
Cruzeiro foi bem superior ao Joinville durante toda a partida no Mineirão
(Foto: Washington Alves/Light Press)

Superioridade azul

Cruzeiro e Joinville entraram em campo sabendo que o jogo pouco valia para os dois. O time mineiro já não tinha chances de terminar o campeonato no G-4, enquanto o catarinense já estava rebaixado. Dentro de campo, a partida foi interessante. A maior qualidade técnica do Cruzeiro foi refletida em amplo domínio territorial e de posse de bola, além do maior número de chances de gol criadas.

O ritmo do Cruzeiro já não era o mesmo do começo do jogo, quando o placar foi aberto. Mas ainda assim, a Raposa era superior em campo. Aos 34, Willian, sempre ele, recebeu na área e bateu forte pra fazer seu 11º gol no Brasileirão e se tornar o maior artilheiro do novo Mineirão, com 22 gols, ao lado de Ricardo Goulart. Cinco minutos depois, saiu o segundo. Um golaço de Charles! O volante arriscou da intermediária e contou com a ajuda do goleiro Agenor, que não conseguiu segurar a bola e a deixou entrar.

O segundo tempo foi bem parecido com o primeiro. O Joinville dava a impressão de que seu único objetivo era não sair de campo goleado, enquanto o Cruzeiro, em paz com a torcida, seguia dominando o jogo e criando suas chances de gol. O terceiro saiu aos 18 minutos. Marcos Vinícius e Willian começaram a jogada. Alisson concluiu, de dentro da área.

A partir daí, o que se viu de mais legal no Mineirão foi a festa da torcida do Cruzeiro, que cantou sem parar e repetiu o que fez durante todo o segundo turno do Brasileiro, livrando o time da parte perigosa da tabela de classificação. Ao Joinville, resta juntar os cacos e começar o planejamento para disputar a Série B do Campeonato Brasileiro do ano que vem.

GLOBO ESPORTE.COM

Grêmio 2 x 1 Atlético Mineiro

No embalo de joias, Grêmio bate Galo, garante G-3 e acirra briga por vice

Terceiro colocado, Tricolor aplica 2 a 1, na Arena, com gols de Everton e Luan, e diminui para um ponto distância para vice-líder Galo; Pratto desconta para mineiros

Em um Brasileirão com campeão decidido com três rodadas de antecedência, tinha tudo para ser uma última rodada fria na ponta de cima da tabela. Tinha. Diga isso a gremistas e atleticanos. No embalo dos meninos Luan e Everton, o Grêmio bateu o Atlético-MG por 2 a 1 na Arena, neste domingo, pela 37ª rodada, garantiu a vaga direta na Libertadores e entrou de vez na briga pelo vice. Lucas Pratto até descontou para o Galo, mas não impediu o revés mineiro. E fica tudo para o próximo domingo.

O resultado em Porto Alegre reduz para um ponto a distância entre as duas equipes na tabela. O Atlético-MG é 2º colocado, com 66 pontos. O Tricolor vem logo atrás, em terceiro, com 65. Os dois times voltam a campo para a 38ª e última rodada (eletrizante) no próximo domingo, às 17h. Os gremistas encaram o já rebaixado Joinville na Arena Joinville. Os mineiros recebem a Chapecoense, sem maiores pretensões, no Mineirão.

Everton Grêmio x Atlético-MG (Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio)
Grêmio bateu Galo por 2 a 1 na Arena (Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio)

Os 39.662 torcedores que tomaram a Arena já esboçavam sinais de frustração diante de 30 minutos iniciais sonolentos de Grêmio e Atlético-MG. À exceção de pênalti reclamado pelos gremistas após a bola atingir o braço de Rafael Carioca, o duelo parecia morno. Bastou um lampejo de talento, porém, para incendiá-lo. Aos 30, Everton tabelou com Marcelo Oliveira, limpou com facilidade a marcação de Leandro Donizete e chutou forte, no contrapé de Victor, para abrir o placar. O Galo ensaiou sua resposta com arrancadas insinuantes e jogadas individuais de Douglas Santos e Dátolo. Numa delas, o argentino foi derrubado por Pedro Geromel dentro da área. Pênalti, que seu conterrâneo Lucas Pratto converteu com categoria para igualar o escore na primeira etapa: bola para um lado, arqueiro para o outro.

A segunda etapa contradisse, de certa forma, a lógica. Em busca do triunfo para manter vivas as chances do vice-campeonato, Roger sacou Pedro Rocha no intervalo para mandar a campo Bobô. Tentava deixar o Grêmio mais ofensivo, mas foi o Galo do interino Diogo Giacomini que se lançou ao ataque e empilhou duas chances de gol. Primeiro aos 11, com Luan, em uma bomba salva por Marcelo Oliveira em cima da linha. Depois, aos 17, com Giovanni Augusto, que chutou para boa defesa de Bruno Grassi – o titular, Grohe, deixou o campo na primeira etapa, com dores n do pé esquerdo. Quem marcou, por ironia, foi o Tricolor, com Luan. O garoto cobrou falta à La R10, por baixo da barreira e surpreendeu Victor, que, imóvel, nada fez para impedir o tento da vitória gremista.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Vasco 1 x 0 Santos

Ainda pulsa: Vasco vence o Santos
e mantém chances de fuga do Z-4

Antes da bonança, porém, tempestade: início sofreu atraso de mais de 1h por conta de forte chuva. Cariocas ficam a um ponto de sair da zona, e Peixe dá adeus ao G-4

O Vasco segue desafiando o improvável neste segundo turno de Campeonato Brasileiro. A batalha contra a matemática da queda – que chegou a 99% – será levada até as últimas consequências. A vitória na tarde deste domingo por 1 a 0 em cima do time reserva do Santos, em São Januário, mantém as chances de fuga do rebaixamento do Gigante da Colina para a última rodada da competição. E para viver a bonança, foi preciso paciência para esperar a estiagem de uma tempestade. A partida começou com mais de uma hora de atraso por conta de uma forte chuva que caiu na Zona Norte do Rio de Janeiro antes do apito inicial.

Nenê Vasco x Santos (Foto: André Durão / GloboEsporte.com)
Nenê comemora o gol que decretou a vitória do Vasco em cima do Santos
(Foto: André Durão / GloboEsporte.com)

A vitória mantém o Vasco na 18ª colocação, mas agora com 40 pontos – a um de sair do Z-4. A má notícia do dia ficou por conta da vitória do Coritiba, em São Paulo, em cima do Palmeiras. O Gigante da Colina joga agora todas as suas fichas na última rodada justamente contra o Coxa, no Couto Pereira, no próximo domingo. Só a vitória – combinada com tropeços de Avaí e Figueirense – interessa. O Santos, por sua vez, deu adeus às possibilidades de G-4 neste Brasileirão. Porém, antes de encerrar o ano diante do Atlético-PR, o Peixe decide a Copa do Brasil – onde tem a vantagem do empate – na quarta-feira no duelo contra o Palmeiras, na casa do adversário.

GOLEADA DE… 1 A 0

A eletricidade das arquibancadas de São Januário contagiou o time do Vasco. Dispensando qualquer tipo de postura conservadora, o Gigante da Colina se lançou desde o primeiro minuto. Um pequeno efeito colateral da abertura apareceu apenas no início: Martín Silva teve que operar um milagre em cabeçada de Nilson. Depois do susto, total domínio carioca. Foram pelo menos três chances reais de gol – Nenê perdeu duas delas. Porém, a capa de vilão não serve ao camisa 10 do Vasco. Minutos depois de desperdiçar as oportunidades, Nenê sofreu e converteu pênalti com extrema categoria: 1 a 0.

A etapa final foi marcada pelo equilíbrio. O Vasco não diminuiu o ímpeto, e o Santos deixou o setor defensivo. O resultado foi um jogo mais aberto, com os goleiros aparecendo como destaques. Martín Silva salvou o gol de empate dos paulistas após chute de Leandro, de dentro da pequena área. Do outro lado, Vanderlei, depois de cometer pênalti no primeiro tempo, evitou um placar mais elástico na etapa final. Isso porque o Vasco martelou até o fim. Depois de quase cinco meses, os cariocas voltaram a comemorar uma vitória dentro de São Januário.

CHUVA ATRASA INÍCIO DO JOGO

São Januário foi atingido por uma forte chuva uma hora antes de a bola rolar. Por conta do risco aos atletas e com o gramado completamente encharcado, o árbitro Leandro Pedro Vuaden – depois de duas inspeções – teve que adiar para 18h o início da partida. Os vestiários ficaram debaixo d’água e o entorno do estádio completamente alagado. Os jogadores do Vasco tiveram que passar no meio da galera para acessar o gramado para o trabalho de aquecimento. Com a bola rolando, o gramado não apresentou problemas, apesar de uma chuva fina ter persistido até o apito final.

 

GLOBO ESPORTE.COM