Sedes da Copa América Centenário são definidas

Nesta quinta-feira (19), a Conmebol divulgou em seu site oficial as dez sedes da Copa América do Centenário, que será realizada em 2016, nos Estados Unidos. Após fazer uma seleção entre 24 candidatos a abrigar o torneio, dez cidades foram escolhidas: Foxborough, Chicago, Houston, Pasadena, New York/New Jersey, Orlando, Philadelphia, Phoenix, Bay Area  e Seattle.

A edição de 2016 é uma homenagem aos 100 anos da Copa América, o torneio entre seleções mais antigo do mundo. O calendário da Fifa reserva o período de 3 a 26 de junho para a disputa da competição, que terá 16 participantes: os dez da América do Sul e mais seis da Concacaf.

A organização da competição usou diversos critérios para a escolha dos estádios. Uma das exigências era a capacidade mínima de 60 mil pessoas.

Confira as sedes e estádios:

Foxborough (Gillette Stadium)

Chicago (Soldier Field)

Houston (NRG Stadium)

Pasadena (Rose Bowl)

Nova Jersey (MetLife Stadium)

Orlando (Orlando Cirtrus Bowl)

Philadelphia (Lincoln Financial Field)

Phoenix (University of Phoenix Stadium)

Bay Area (Levi’s Stadium)

Seattle (CenturyLink Field)

 

Site da Confederação Brasileira de Futebol

Classificação da Serie A do Campeonato Brasileiro 2015 após a rodada 35

Classificação P J V E D GP GC SG VM VV DM DV CA CV %
CORINTHIANS – SP 77 35 23 8 4 64 27 37 15 8 1 3 57 2 73
ATLÉTICO – MG 65 35 20 5 10 59 43 16 12 8 4 6 68 4 61
GRÊMIO – RS 62 35 18 8 9 48 30 18 13 5 2 7 89 2 59
SÃO PAULO – SP 56 35 16 8 11 48 39 9 11 5 1 10 69 5 53
SANTOS – SP 55 35 15 10 10 54 38 16 14 1 1 9 74 8 52
INTERNACIONAL – RS 53 35 15 8 12 35 37 -2 12 3 2 10 91 6 50
SPORT – PE 52 35 13 13 9 50 38 12 12 1 1 8 61 2 49
CRUZEIRO – MG 51 35 14 9 12 40 32 8 9 5 3 9 85 5 48
PONTE PRETA – SP 50 35 13 11 11 40 37 3 9 4 5 6 91 4 47
10º PALMEIRAS – SP 49 35 14 7 14 57 47 10 9 5 5 9 85 5 46
11º FLAMENGO – RJ 48 35 15 3 17 43 47 -4 8 7 7 10 76 6 45
12º ATLÉTICO – PR 47 35 13 8 14 39 43 -4 8 5 4 10 83 7 44
13º CHAPECOENSE – SC 46 35 12 10 13 33 38 -5 9 3 4 9 76 3 43
14º FLUMINENSE – RJ 43 35 13 4 18 36 46 -10 9 4 6 12 89 9 40
15º FIGUEIRENSE – SC 39 35 10 9 16 33 47 -14 6 4 6 10 102 5 37
16º AVAÍ – SC 38 35 10 8 17 35 56 -21 7 3 6 11 113 3 36
17º CORITIBA – PR 37 35 9 10 16 28 42 -14 5 4 5 11 106 5 35
18º GOIÁS – GO 34 35 9 7 19 34 45 -11 7 2 7 12 79 3 32
19º VASCO DA GAMA – RJ 34 35 8 10 17 25 53 -28 4 4 8 9 101 13 32
20º JOINVILLE – SC 31 35 7 10 18 25 41 -16 6 1 4 14 84 7 29

P pontos – J jogos – V vitórias – E empates – D derrotas – GP gols pró – GC gols contra – SG saldo de gols – VM vitória mandante – VV vitória visitante – DM derrota mandante – DV derrota visitante – CA cartões amarelos – CV cartões vermelhos – % aproveitamento

Libertadores Rebaixados

Vasco 1 x 1 Corinthians – Corinthians campeão brasileiro de 2015

Campeão! Corinthians empata com o Vasco e, enfim, é hexa do Brasileirão

Gol de Vagner Love e vitória do São Paulo sobre o Atlético-MG garantem título ao Timão com três rodadas de antecedência: taça virá no clássico da próxima rodada

FIM.

Não foi um final surpreendente, daqueles que deixam o público boquiaberto e de olhos arregalados. O merecido título do Corinthians era questão de tempo e veio com o empate de 1 a 1 com o Vasco. Final feliz para a imensa nação corintiana, que, por obra do destino e dos pontos corridos, graças à vitória do rival São Paulo sobre o Atlético-MG, pode gritar enlouquecidamente, com lágrimas nos olhos e sorriso de orelha a orelha: “hexacampeão brasileiro!”.

Ubinho Campeão Corinthians 2 (Foto: Agência Estado)
Torcida do Corinthians mostra faixa do hexacampeonato brasileiro em São Januário
(Foto: Agência Estado)

ESPERANÇA.

Faltam apenas três rodadas e o Vasco respira. Empatar com o líder, com o campeão, mesmo depois de ficar com um jogador a menos em campo – Rodrigo foi expulso ao dar uma solada absurda no rosto de Malcom –, poderia fortalecer, mas frustra. Uma tabela de Nenê e Júlio César colocou o time à frente, mas Vagner Love empatou. A equipe segue na zona de rebaixamento, a quatro pontos do Avaí e cinco do Figueirense. Ainda tem pela frente Joinville (fora), Santos (casa) e Coritiba (fora). É difícil, mas é possível escapar da Série B em 2016.

Rodrigo, Vasco X Corinthians (Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo)
Rodrigo é expulso depois de acertar o rosto de Malcom com a chuteira
(Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo)

Com três rodadas de antecedência, o Timão chegou a 77 pontos, 12 a mais que o Atlético-MG, e coroou uma campanha que partiu de dúvidas, após um primeiro semestre fracassado, mas encontrou soluções onde não se imaginava. Em Malcom, em Vagner Love, em Felipe, nos reservas Edilson e Guilherme Arana, sem falar no trio que estampa a qualidade e a personalidade do título: Elias, Jadson e Renato Augusto.

Eles nem precisaram jogar tão bem assim contra o Vasco. Inclusive porque os anfitriões não permitiram. Fizeram de São Januário um ambiente hostil em sua reabilitação com tons de heroísmo. A luta do “eu já sabia” corintiano contra o “eu acredito” vascaíno terminou sem perdedores, embora arranhada do lado carioca.

julio cesar vasco gol (Foto: André Durão)
Júlio César se emociona ao abrir o placar a favor do Vasco em São Januário (Foto: André Durão)

O primeiro tempo teve uma sequência de três passes bizarros do Corinthians, cena raríssima neste Brasileirão e indício de ansiedade pela conquista. A melhor chance foi cobrança de falta de Jadson. Do outro lado, Rafael Silva recebeu bom passe de Andrezinho e parou em Cássio.

O caminho do hexa parecia se abrir quando Rodrigo foi expulso, no segundo tempo. Tite ousou. Manteve seu 4-1-4-1, mas com Malcom na direita, Lucca na esquerda, Jadson e Rodriguinho centralizados. Sem Elias e Renato Augusto, substituídos por terem atuado por 90 minutos na última terça-feira, em vitória da seleção brasileira sobre o Peru, em Salvador.

Mas Júlio César tabelou com Nenê, invadiu a área e fez 1 a 0. Delírio em São Januário. O título ia e vinha das mãos corintianas em razão dos gols no Morumbi. O Atlético-MG fez 1 a 0, levou o empate, fez 2 a 1 e parou. Sofreu mais três gols do São Paulo. Se o Galo não vencesse, o Timão seria campeão. Talvez aliviado pela vitória do arquirrival, Love marcou, em mais uma boa participação de Lucca, reserva mais decisivo do campeão nessa reta final.

O Vasco teve raça, coragem, mas não teve qualidade nem organização ofensiva suficiente, o que não desabona o bom trabalho de Jorginho, fundamental caso o clube sobreviva na Série A. Por falar em técnico fundamental… No outro banco de reservas, cheio de orgulho, Tite vibrou. Responsável por remontar a equipe taticamente e moralmente, ele foi o condutor do hexa.

Vasco x Corinthians Vagner Love (Foto: André Durão)
Vagner Love comemora ajoelhado gol que garantiu o empate ao Timão; título já estava na mão (Foto: André Durão)
G1.COM.BR

Santos 0 x 0 Flamengo

Ruim para ambos: goleiros vão bem e garantem 0 a 0 entre Santos e Fla

Resultado tira Peixe do G-4 e praticamente detona fio de esperança do rival pela Libertadores. R. Oliveira tem má atuação, e Guerrero começa no banco pela 1ª vez

Santos e Flamengo fizeram um jogo disputado na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro, mas o 0 a 0 decepcionou e foi ruim para os dois lados. Os times até conseguiram criar algumas jogadas, só que pararam em Vanderlei e Paulo Victor, que fizeram importantes defesas. O empate tirou o Peixe do G-4 e praticamente detonou o fiozinho de esperança rubro-negro pela vaga na Libertadores do próximo ano.

O Santos perdeu a quarta posição do Brasileirão para o São Paulo e agora aparece em quinto, com 55 pontos, fora da zona de classificação para o torneio sul-americano. A equipe de Dorival Júnior volta a campo no domingo, às 19h30, contra o Coritiba, no Couto Pereira. O Flamengo chegou a 48 pontos e permanece na 11ª posição da tabela. O clube da Gávea enfrenta a Ponte Preta também no domingo, às 18h, no Mané Garrincha – vendeu o mando para Brasília.

Santos x Flamengo, Vila Belmiro Campeonato Brasileiro 2015 (Foto: FLAVIO HOPP/BRAZIL PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)
Ricardo Oliveira entre os zagueiros do Fla
(Foto: FLAVIO HOPP/BRAZIL PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)

O Santos teve mais posse de bola no primeiro tempo, mas quem teve as melhores oportunidades foi o Flamengo. O time carioca foi perigoso, com destaque para as jogadas criadas por Gabriel, mas parou em algumas boas defesas do goleiro Vanderlei. O Peixe melhorou na volta para a segunda etapa e passou a atacar mais o rival, tanto que forçou Paulo Victor a trabalhar bem. O Rubro-Negro ainda teve chances no fim com Guerrero e Canteros, mas novamente foi parado pelo camisa 1 santista. O time de Oswaldo de Oliveira perdeu Jorge por expulsão e atuou com 10 jogadores nos minutos finais.

No duelo de atacantes de peso, Ricardo Oliveira não teve boa atuação em sua volta da seleção brasileira. O artilheiro do Campeonato Brasileiro com 20 gols esteve sumido em campo, participou muito pouco da partida e ainda errou vários passes, não conseguindo dar sequência às jogadas de ataque do Santos.

Guerrero, por sua vez, começou no banco pela primeira vez em 17 jogos pelo Fla. A decisão foi tomada após conversa com a comissão técnica. Dois dias antes, ele havia atuado 90 minutos pelo Peru contra o Brasil. Na Vila, o camisa 9 entrou aos 19 minutos do segundo tempo no lugar de Kayke. Teve uma chance no fim, mas viu Vanderlei sair rápido do gol para afastar o perigo.

 

GLOBO ESPORTE.COM

São Paulo 4 x 2 Atlético Mineiro

São Paulo mantém sonho vivo no G-4 e bate o Galo, que vê Timão campeão

Tricolor sai atrás e busca a virada com boa atuação no segundo tempo. Das cadeiras, Juan Carlos Osorio vê os gols de Alan Kardec (2), Michel Bastos e Luís Fabiano

São Paulo x Atlético-MG Luis Fabiano Rogério Alan Kardec (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Jogadores comemoram gol do São Paulo (Foto: Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Noite de sonhos no Morumbi. Acabado, para o lado atleticano, vivo para o são-paulino. O Tricolor arrancou uma vitória suada e importante ao bater o Galo, por 4 a 2, de virada – com todos os gols marcados no segundo tempo – e viu a chance de disputar a Taça Libertadores no ano que vem crescer ainda mais. Já ao Atlético-MG, que mesmo com a derrota se garantiu na fase de grupos da próxima Libertadores, resta brigar agora pelo vice-campeonato, já que o resultado confirmou o título para o líder Corinthians.

Os mineiros bem que tentaram adiar a decisão do campeonato ao ficar duas vezes na frente no placar, com Luan e Dátolo. Mas o São Paulo buscou o triunfo até o final e foi recompensado com os gols de Alan Kardec (2), Michel Bastos, com um belo gol de fora da área, e Luis Fabiano, e chegou aos 56 pontos, entrando no G-4.

Na próxima rodada, o São Paulo será coadjuvante na festa do arquirrival Corinthians, domingo, às 17h (de Brasília), na Arena Corinthians. No mesmo horário, o Atlético-MG encara o Goiás, no Independência.

Poucas chances

As duas equipes demonstravam posturas diferentes em campo desde o início da partida. O Galo, que já havia assumido a condição de iminente vice-campeão, após a derrota para o Corinthians, jogava tranquilo, leve, solto em campo. Já o Tricolor, por travar acirrada luta por uma das vagas pela Libertadores, atuava de maneira afobada, e não conseguia tramar um contra-ataque de qualidade.

Morumbi, São Paulo x Atlético-MG  (Foto:  MARCOS BEZERRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)
Marcos Rocha disputa bola com Carlinhos
(Foto: MARCOS BEZERRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)

O primeiro tempo, pode-se dizer, foi sonolento para os torcedores que foram ao Morumbi, sob chuva. Enquanto o time são-paulino levou perigo apenas em uma cabeçada de Luís Fabiano, que Victor defendeu sem sustos, a equipe mineira, apesar de ter tido mais posse de bola, assustou o goleiro Dênis em um chute torto de Luan, de fora da área. A bola saiu perto da trave direita.

Outra história

Já o segundo tempo, a história foi outra. O técnico Juan Carlos Osorio, ex-treinador do São Paulo, que assistia a partida das cadeiras, ao lado da esposa, viu o zagueiro atleticano Tiago, que substituía o suspenso capitão Leonardo Silva, colocou Luan cara a cara com Dênis para abrir o placar.

Mas o treinador colombiano também viu Alan Kardec empatar, depois de boa jogada de Thiago Mendes.E viu a felicidade de outro treinador, dois minutos depois. Levir Culpi tirou o centroavante Lucas Pratto, logo após o gol sofrido, e colocou Thiago Ribeiro que, no primeiro lance, fez grande lance e deixou Dátolo livre para recolocar o Galo na frente.

E, para brindar a visita do o ex-treinador, o meia Michel Bastos, que chegou a reclamar de Osorio por ser sacado do time, marcou um golaço. Ele dominou a bola e sem deixar cair, acertou na gaveta de Victor.

São Paulo x Atlético-MG Osorio  (Foto: Marcelo Prado)
Juan Carlos Osorio, ex-técnico do São Paulo, esteve no Morumbi para assistir à partida
(Foto: Marcelo Prado)

O jogo ganhou contornos de drama, após o sistema de som do Morumbi anunciar o gol do Vasco contra o Corinthians, em São Januário. A chama de esperança levava o Galo para frente. Já o São Paulo, mesmo desorganizado, chegou à virada, com Alan Kardec, para delírio dos tricolores no estádio, que sentem a vaga para a Libertadores 2016 mais perto. Luis Fabiano ainda teve tempo de ampliar, de pênalti.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Chapecoense 1 x 0 Internacional

Em jogo com apagão e atraso, Chape aproveita nervosismo do Inter e vence

Time de Guto Ferreira superou os gaúchos por 1 a 0, com gol de Ananias

Teve de tudo na Arena Condá na noite desta quinta-feira. Chuva, apagão e um atraso de 50 minutos marcaram o início da partida entre Chapecoense e Inter. Em campo, os donos da casa se aproveitaram do descontrole dos gaúchos, venceram por 1 a 0 e se afastaram ainda mais do perigo do rebaixamento.

D'Alessandro Inter Internacional Chapecoense (Foto: Ricardo Duarte / Divulgação, Internacional)
D’Alessandro não evitou a derrota do Inter para a Chapecoense
(Foto: Ricardo Duarte / Divulgação, Internacional)

O gol da partida saiu com Ananias. Aos 17 minutos, Juan foi expulso por falta em Túlio de Melo. A infração acabou cobrada dois minutos depois. Cléber Santana rolou para Dener, que colocou a bola na cabeça de Ananias. O atacante se aproveitou da indecisão entre Paulão e Rodrigo Dourado e escorou para as redes, sem chances para defesa de Alisson.

Com o resultado, a Chapecoense soma 46 pontos e ocupa a 13ª colocação. Já o Inter acumula 53 e está em sexto. Na próxima rodada, a equipe de Guto Ferreira enfrenta o Figueirense no Orlando Scarpelli. O Colorado disputa o Gre-Nal no Beira-Rio. Ambas as partidas ocorrerão no domingo às 17h.

Muita água, pouco jogo

A forte chuva que assolou Chapecó atrasou o começo da partida em quase uma hora. A cidade ficou sem luz e as equipes precisaram esperar que a energia da Arena Condá fosse restabelecida. E, quando, enfim, a bola rolou, as poças d’água viraram o principal tormento de Chape e Inter, pois evitava a progressão das jogadas. Quem primeiro se adaptou às condições do gramado foi Apodi, que avançava com naturalidade e infernizava Anderson e Ernando. Após as arrancadas iniciais, o Inter conseguiu conter os avanços do lateral-direito.

O primeiro lance de perigo, entretanto, veio com o Inter. Aos 17 minutos, a bola parada tão trabalhada por Argel quase deu novos frutos. Vitinho cobrou falta na cabeça de Paulão. Por azar, a bola saiu à esquerda do gol de Nivaldo. O lance empolgou os colorados, que se soltaram. Seis minutos depois, Anderson desarmou o adversário no meio de campo e lançou Vitinho, que chutou por cima. A Chapecoense não se assustou e trocou a estratégia. Sem espaço com Apodi, começou a subir com Dener, que levava a melhor sobre William. Apesar disso, não conseguia levar perigo ao gol de Alisson.

Inter se descontrola e Chape aproveita

O Inter voltou para o segundo tempo disposto a abrir o placar. Aos 4 minutos, Ernando chutou cruzado da esquerda. A bola quicou em frente a Nivaldo, que mandou para escanteio para não se complicar. Na cobrança, Rodrigo Dourado obrigou o goleiro da Chapecoense a fazer nova intervenção. Aos oito minutos, os donos da casa mandaram a bola aos fundos das redes de Alisson. Túlio de Melo, que completou de cabeça a falta, foi flagrado em impedimento.

O lance irregular acordou a Chapecoense. E, em 12 minutos, o jogo mudou. Aos sete, Juan levou cartão amarelo por falta em Apodi. Dez minutos depois, deu uma entrada dura em Túlio de Melo e acabou expulso. O Inter se descontrolou. D’Alessandro reclamou e também foi advertido. E, na cobrança de falta, a punição. Cléber Santana tocou para Dener cruzar para Ananias, que superou Alisson.

Os gaúchos seguiram irritados. D’Ale bateu boca com Marcelo de Lima Henrique. Argel levou uma bronca do árbitro. Aos 36, Nicolás Freitas e William não gostaram de ver Camilo no chão e o repreenderam. No minuto seguinte, mais uma vez, o capitão colorado esteve em meio a uma polêmica. O gringo foi buscar a bola no banco de reservas da Chapecoense. Ao se aproximar e ver que acabou devolvida, se desentendeu com membros da comissão catarinense. Os minutos finais de partida tiveram poucos lances de perigo. Final de jogo: 1 a 0 Chape.

 

GLOBO ESPORTE.COM.BR