Mulheres tiram sutiã em protesto por área exclusiva para topless no Distrito Federal

Musas de time de futebol foram ao Lago Paranoá e Câmara Legislativa.
Pela lei, topless em local público é considerado ato obsceno.

Bandeira do Distrito Federal (Brasil)

Mulheres protestam em frente à Câmara  (Foto: Jéssica Nascimento/G1)

Mulheres protestam em frente à Câmara Legislativa do Distrito Federal

(Foto: Jéssica Nascimento/G1)

Musas de um time de futebol de Brasília, duas mulheres tiraram os sutiãs nesta terça-feira (10) para protestar por um local exclusivo e em área pública para topless. As modelos Vanessa Soares, de 30 anos, e Shay Princess, de 29 anos, foram ao Lago Paranoá, próximo à Ponte JK, e à Câmara Legislativa.

Vanessa diz defender a prática porque se sente liberta ao tirar o sutiã. Segundo ela, ter um local exclusivo no Lago Paranoá para fazer topless garantiria a segurança e sossego de famílias que frequentam o local.

“Em pleno século XXI as pessoas ainda se incomodam em ver mulher de peito de fora. Fazer o que, né? Por isso, pedimos um lugar para as mulheres tomarem sol sem a parte de cima, sem sofrermos repressão”, disse.

Enquanto as mulheres faziam o protesto no Lago Paranoá, um grupo de mergulhadores aplaudia a ação. De acordo com eles, a manifestação é necessária e válida.

“Por que o homem pode andar sem camisa e mulher não? É hipocrisia proibir uma coisa tão simples e natural, as mulheres não podem ter vergonha do corpo. No Carnaval, o governo apoia a erotização da mulher. Ela desfila pelada na avenida. Agora, tomar sol sem a parte de cima, não pode?”, questionou um mergulhador que não quis se identificar.

De costas, dupla tirã sutiã na orla do Lago Paranoá. (Foto: Jéssica Nascimento/G1)
De costas, dupla tirã sutiã na orla do Lago Paranoá, em Brasília (Foto: Jéssica Nascimento/G1)

Shay Princess disse que o protesto não é um ato contra o machismo. “Não queremos andar sem sutiã pela rua. Como sou modelo, o trabalho às vezes exige uma pele mais bronzeada e até mesmo, sem marquinhas. Nunca tentei fazer topless em Brasília porque tenho medo. Não queremos desrespeitar ninguém, apenas queremos nosso direito de fazer um topless em paz”, completou.

O marido de Vanessa Soares, Darbid Soares, de 33 anos, declarou apoio ao ato. Mesmo confessando que às vezes sente ciúmes, o homem diz que as mulheres devem ir atrás dos seus direitos.

“Ela tem que se sentir bonita, sempre. Não tem nada demais se bronzear sem a parte de cima do biquíni. A beleza da mulher é natural e deve ser respeitada”, declarou.

O Código Penal considera que a nudez em lugar público como ato obsceno. O crime tem pena prevista de até um ano de prisão ou multa.

 

G1.COM.BR

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.