Flávio Ricco comenta protesto de Alexandre Motta contra a ferramenta que mede audiência

 

Essa eu nunca vi

Na semana passada, o “Balanço Geral”, em Porto Alegre, saiu do ar às 13h58 e voltou às 14h03, exatos 5 minutos com Black, segundo se informa por desejo do apresentador Alexandre Mota.

No retorno, disse que foi um protesto contra a ferramenta que mede audiência. Se isso virar moda, teremos um festival de pisca-pisca. A TV vagalume.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Flávio Ricco comenta a contratação de Douglas Fagoti pela Rede Record

 

Braço a torcer

Reconhecendo que nunca teve um especialista cuidando da sua programação, a Record foi tirar Douglas Fagoti do SBT. É bom, mas também não sei se é o cara.

Ele estava na equipe do Murilo Fraga. A Record tem dinheiro sobrando, mas jamais contou com alguém capaz de montar uma grade bem elaborada, com identidade e sem copiar ninguém.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Flávio Ricco comenta a quantidade de realities shows na TV a Cabo

Seriado Trato Feito ocupa 90% da grade do History Channel

 

Mesmice

A febre dos realities também invadiu a TV paga. É como um mercado, que tem de tudo um pouco, com disputa entre confeiteiros, bandas, cantores, ricas fúteis, competições de sobrevivência e outras que não levam a lugar nenhum.

Uma onda avassaladora. History e Discovery, que sempre se caracterizam por bons documentários, também entraram nessa.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Eliana rouba a atenção com decote generoso durante o seu programa no SBT

Eliana rouba a atenção com decote generoso durante o seu programa no SBT

Eliana rouba a atenção com decote generoso durante o seu programa no SBT

Eliana roubou a atenção do público com um generoso decote durante a apresentação do seu programa deste domingo (12). A apresentadora usou um look ousado, formado por um macacão rosa, um lenço no pescoço e um superdecote, que alcançava quase a cintura.

Nas redes sociais, o look virou tema de discussão: alguns internautas elogiaram a ousadia e a bela forma da apresentadora, mas outros acharam o estilo “meio panicat”.

 

Do UOL, em São Paulo

12/07/201517h57

Rede Globo descarta o nome “Sassaricando” como título de novo trabalho das 19h

 

“Sassaricando” não vai prevalecer como título do próximo trabalho de Daniel Ortiz, até porque existe o desejo de usar só uns poucos personagens do original de Silvio de Abreu.

A maior parte da novela, na fila das 19h, será recheada por tipos e tramas inéditos e Fred Mayrink está confirmado como diretor-geral. O roteiro tem previsão de exibição em 2016.

Sobre notícias de que Monica Iozzi poderá reviver Tancinha, interpretada por Cláudia Raia em “Sassaricando”, já tem gente da Globo apostando que não.

Até porque a experiência dela em novelas é quase nenhuma. O ideal seria alguém com mais rodagem. Em todo caso…

A única certeza, nesse imbróglio todo, é que a atriz vai deixar o “Vídeo Show” no fim do ano.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Jornalismo da Globo usa critérios diferentes para noticiar o mesmo caso

 

Basta assistir um pouquinho de televisão para se intrigar com certas coisas. Quer ver uma?

No “SPTV – 2ª edição”, da Globo, de quinta-feira, portanto, aquele que vai ao ar às 7 e pouco da noite, entrou uma matéria da jovem, atropelada e morta em sua moto por um motorista bêbado.

A reportagem informou que ela ia do trabalho para zona norte e que o acidente aconteceu em uma rua da Vila Madalena. Não disse qual?

No “Hora 1”, da mesma Globo, faixa das 5 da manhã de sexta, cerca de 10 horas depois, foi repetida a mesma notícia, não só dizendo como mostrando a placa da rua Natingui.

É preciso chegar a um acordo sobre essa cartilha. Pode ou não pode falar? E qual o problema de falar?

Aliás, essa rua Natingui é aquela mesma em que Vitor Gurman, de 24 anos, foi atropelado e morto em 2013 por uma nutricionista e que até agora não aconteceu nada. Só está faltando a família dele ainda ter que pagar o conserto da Land Rover.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Carlos Casagrande quase nocauteia Henri Castelli em cena de “I Love Paraisópolis”

Carlos Casagrande gravou no sábado (11) a primeira cena de "I Love Paraisópolis"

Carlos Casagrande gravou no sábado (11) a primeira cena de “I Love Paraisópolis”

O ator Carlos Casagrande, longe das novelas desde “Fina Estampa”, começou a gravar uma sequência de cenas de flashback para “I Love Paraisópolis” na Globo.

E a primeira foi logo uma briga envolvendo Tiago Brenner, seu personagem, e Gabo (Henri Castelli).

Só que os atores, a pedido da direção, acabaram colocando tanto realismo nas cenas que acabou sobrando para Castelli.

Casagrande desferiu vários socos no colega e, como resultado de tudo, Castelli precisou levar dois pontos internos na boca.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery