Classificação da Serie B 2015 após a décima segunda rodada

Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG % M Classificação ou rebaixamento
1 Rio de Janeiro Botafogo 24 12 7 3 2 21 8 +13 67 Estável Zona de promoção à Série A de 2016
2 Minas Gerais América Mineiro 24 12 7 3 2 18 10 +8 67 Aumento1
3 Bahia Bahia 24 12 7 3 2 15 8 +7 67 Aumento1
4 Pernambuco Náutico 24 12 7 3 2 18 12 +6 67 Aumento1
5 Bahia Vitória 23 12 7 2 3 19 11 +8 64 Aumento1
6 Pará Paysandu 22 12 7 1 4 14 10 +4 61 Baixa4
7 Maranhão Sampaio Corrêa 21 12 6 3 3 19 13 +6 58 Aumento1
8 Rio de Janeiro Macaé 21 12 6 3 3 23 19 +4 58 Baixa1
9 São Paulo Bragantino 16 12 5 1 6 15 17 –2 44 Aumento4
10 Rio Grande do Norte ABC 16 12 4 4 4 13 14 –1 44 Baixa1
11 Alagoas CRB 15 12 4 3 5 13 14 –1 42 Estável
12 Pernambuco Santa Cruz 15 12 4 3 5 17 19 –2 42 Baixa2
13 Santa Catarina Criciúma 15 12 4 3 5 10 16 –6 42 Baixa1
14 São Paulo Oeste 13 12 4 1 7 11 17 –6 36 Estável
15 Mato Grosso Luverdense 12 12 3 3 6 10 12 –2 33 Aumento1
16 Paraná Paraná 12 12 3 3 6 10 14 –4 33 Baixa1
17 Minas Gerais Boa Esporte 11 12 2 5 5 9 11 –2 30 Estável Zona de rebaixamento à Série C de 2016
18 Goiás Atlético Goianiense 9 12 2 3 7 7 14 –7 25 Estável
19 Ceará Ceará 7 12 1 4 7 9 19 –10 19 Estável
20 São Paulo Mogi Mirim 7 12 1 4 7 9 22 –13 19 Estável

Bahia 1 x 0 Oeste

Bahia vence Oeste em Salvador e entra para quarteto líder da Série B

Tiago Real marca na vitória tricolor por 1 a 0 e leva time baiano a 24 pontos, mesmo número conquistado por Botafogo, América-MG e Naútico. Rubrão fica perto do Z-4

Após 12 rodadas, a Série B tem quatro líderes. O Bahia é um deles. O Tricolor garantiu um lugar na ponta ao vencer o Oeste por 1 a 0, na noite deste sábado, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Apesar de dominar o jogo, criar boas chances, os mandantes pararam nas mãos do jovem goleiro do Oeste e não conseguiram um placar maior, o que os deixariam em uma posição melhor de acordo com os critérios de desempate. Tiago Real, em um belo gol no primeiro tempo, foi o autor do único gol da partida, vista no estádio por 15.187 pessoas.

O resultado faz os baianos dividirem a ponta e a zona do acesso à elite com Botafogo, América-MG e Náutico, com 24 pontos. O Tricolor é o terceiro colocado pelo saldo de gols. O time paulista perde a chance de se afastar da zona de rebaixamento. Com 13 pontos, está apenas dois acima do Boa Esporte, primeiro time da degola.

Após dois jogos em casa, o Bahia jogará no sul do país na próxima rodada. No sábado, às 16h30, o Tricolor encara o Criciúma, no estádio Heriberto Hülse, em Santa Catarina. No mesmo dia, mas às 21h, o Oeste volta a campo, contra o América-MG, no estádio José Liberatti, em Osasco.

Titi; Bahia (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia)
Mais de 15 mil torcedores viram a vitória tricolor na Fonte Nova
(Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Bahia)

Sem ângulo, sem problema para Tiago Real

O primeiro ataque do Bahia, aos dois minutos de jogo, já pôde ilustrar o que seria toda a partida. O jovem goleiro do Oeste, Jeferson, evitou o gol em chute de Jacó. No rebote, a bola tocou em Halisson, que quase fez contra. Neste ritmo, o Tricolor continuava a pressionar e mais uma vez chegou perto de balançar a rede aos 16, quando Tiago Real cruzou para Jacó. A bola acabou passando por toda pequena área sem encontrar ninguém do ataque baiano.

O placar enfim foi aberto aos 24 minutos de jogo em um belo gol de Tiago Real. O meia invadiu a área pela ponta esquerda e, em um ângulo diagonal, soltou a bomba, justamente no canto em que o goleiro Jeferson fechava: 1 a 0 para o Tricolor. O dono da meta paulista, aliás, foi um dos grandes responsáveis por evitar uma vantagem maior para o adversário, foram várias boas defesas. Ataque de perigo do Oeste somente aos 44 da etapa inicial. Em sobra de bola, Branquinho acabou chutando por cima das balizas.

Permissão para o perigo

O Bahia continuou melhor no segundo tempo. Foi quem mais criou chances. No entanto, é aquela história: com apenas um gol de desvantagem o Oeste foi para o tudo ou nada no fim do jogo e quase complicou a noite tricolor.

Antes da pressão do Oeste nos minutos finais, o goleiro da equipe paulista, Jeferson, foi um pesadelo para os donos da casa, especialmente para Jacó, um dos que mais finalizaram na meta da equipe de Itápolis.

Aos 46 do segundo tempo, Junior Negão teve a grande chance de conquistar um ponto para o Oeste. Ao receber passe de Wagninho, girou e acabou chutando para fora, mantendo o marcador em 1 a 0 para o Bahia.

 

GLOBO ESPORTE.COM

CRB 0 x 0 Luverdense

CRB e Luverdense ficam no empate sem gols e estacionam na tabela

Jogo morno disputado no estádio Rei Pelé deixa Galo ainda mais pressionado por bons resultados. Verdão do Norte, por sua vez, valoriza ponto somando fora de casa

CRB e Luverdense entraram e saíram do duelo deste sábado pressionados por melhores resultados. O empate em 0 a 0, no estádio Rei Pelé, pela 12ª rodada da Série B do Brasileiro, foi melhor para o visitante que somou um ponto fora de casa. Com ameaça do presidente do Galo, Marcos Barbosa, em cortar salários, o time regatiano não conseguiu fazer valer o mando de campo e deixou o estádio sob vaias da torcida. A semana promete ser turbulenta na equipe.

Com o empate, o Galo foi aos 15 pontos na tabela, na 11ª posição. O Luverdense ficou com 12 e segue próximo da zona de rebaixamento – é o 15º colocado.

Na próxima rodada, o CRB enfrenta o Vitória, na sexta-feira, no estádio Barradão, em Salvador (BA), às 21h50. O Luverdense recebe o Bragantino, também na sexta, no estádio Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde (MT) às 21h50.

CRB X Luverdense, no Rei Pelé (Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)
CRB X Luverdense, no Rei Pelé (Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)

Torcida na bronca

A primeira etapa foi pouco movimentada no estádio Rei Pelé, o que gerou vaias da torcida que compareceu para assistir o duelo. As melhores chances foram do Luverdense, mas nenhuma que tirasse o grito das arquibancadas. Pelo lado regatiano, Wellinton Saci teve a principal oportunidade, mas chutou por cima. No Verdão do Norte, Rafael Tavares já no fim do duelo arriscou chute que passou perto. Os times ficaram se estudando ao longo dos 45 minutos e pouco se viu de bom futebol.

Sem gols

Com uma alteração – Clebinho no lugar de Saci -, o CRB chegou com perigo logo nos primeiros minutos, com Danilo Bueno e Clebinho. Em ambas, o goleiro Edson salvou. Após os 10 minutos iniciais de pressão do time da casa, o Luverdense equilibrou a partida e fechou os espaços. Com mais posse de bola, o Galo pressionou e empurrou o adversário para o campo de defesa. A retaguarda do Verdão do Norte conseguiu se manter ilesa até o apito final.

CRB X Luverdense, no Rei Pelé (Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)
CRB X Luverdense, no Rei Pelé (Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)
GLOBO ESPORTE.COM

Paraná 0 x 1 Vitória

Fora de casa, Vitória bate o Paraná e entra no G-4 da Série B do Brasileiro

Meia David anota o único gol da partida na Vila Capanema e garante a entrada do Leão no G-4. Na contramão, Tricolor se complica na tabela e se aproxima do Z-4

O Vitória venceu o Paraná por 1 a 0 na tarde deste sábado, na Vila Capanema, em jogo válido pela 12ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Com gol anotado pelo meia David, o Leão conquistou a segunda vitória fora de casa e fica provisoriamente na quarta posição da tabela, com 23 pontos – o Bahia joga às 21h deste sábado e pode jogar a equipe para baixo. Já o Tricolor se complicou na tabela, estacionando nos 12 pontos e caindo para a 16ª colocação, a um ponto da zona de rebaixamento.

Com promoção de ingressos, a partida contou com um público pagante de 8.308 torcedores, com total de 8.941, e renda de R$ 91.350,00. Em campo, os jogadores do Paraná vestiram camisas comemorativas em homenagem aos 23 anos de seu primeiro título brasileiro, em 1999.

O primeiro tempo foi equilibrado entre as equipes, com o Vitória botando pressão sobre os donos da casa, mas pecando na criatividade no meio-campo. Aos poucos, a equipe baiana recuou a marcação e deu mais espaço para a equipe paranista, que perdeu boas chances com Fernando Viana e Henrique. Na etapa final, o Rubro-Negro acertou a marcação e mostrou ofensividade para bater o adversário e chegar ao gol aos 15 minutos do segundo tempo.

Em busca da reabilitação, o Paraná volta a campo na próxima terça-feira, diante do ABC, em Natal. O jogo está marcado para as 19h30 (horário de Brasília), no Frasqueirão. O Vitória joga na sexta, diante CRB, às 21h50, no Barradão.

 

Paraná Vitória (Foto: Giuliano Gomes/ Agência PRPRESS)
Com casa cheia, Paraná perdeu em casa para o Vitória (Foto: Giuliano Gomes/ Agência PRPRESS)

Lá e cá: Paraná e Vitória fazem partida movimentada

Equilíbrio foi a marca do primeiro tempo entre Paraná e Vitória. Com postura agressiva e apertando a saída de bola do Tricolor, o Leão foi o primeiro a levar algum perigo na partida com o cabeceio do volante Flavio. Pressionado, os donos da casa, que estrearam Fernando Diz no comando, não conseguiam chegar ao ataque e sofriam com a marcação fechada do adversário. Todo atrás e empurrado pelo sistema ofensivo dos baianos, os paranaenses tentavam trocar passes no meio-campo, mas tinham dificuldades para furar a defesa rubro-negra e achar espaços.

A melhor chance do Paraná foi aos 31 minutos, quando Fernando Viana foi lançado pela direita e cruza para Henrique. Na cara do gol, o camisa 11 bateu por cima da meta. Com a marcação adiantada, o Leão começou a apostar no contra-ataque e respondeu bem três minutos depois com Guilherme Mattis, que aproveitou a cobrança de falta para cabecear forte e exigir grande defesa de Marcos. Intimidando os donos da casa, a ideia do Rubro-Negro era explorar os contra-ataques, mas o time não conseguiu acertar no último passe.

Estrela de David dá a vitória ao Leão

Na volta para o segundo tempo, o Vitória mostrou mais força e recomeçou a partida novamente na pressão, mas abusando da falta de objetividade. Aos poucos, o Vitória se ajustou na partida e começou a criar oportunidades mais incisivas. O prêmio veio aos 15 minutos, quando o meia David abriu o placar na Vila Capanema. Após bate-rebate na área e diversas chances de finalização, o último toque na bola sobrou para o jogador, que havia acabado de entrar em campo.

Atrás no placar, o Paraná marcou presença no campo de ataque, mas não conseguiu transformar as chances em gol, com oportunidades desperdiçadas por Henrique e Fernando Viana. Melhor para o Vitória, que conquistou a sétima vitória na Série B e selou a entrada no G-4.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Sampaio Corrêa 3 x 0 Boa Esporte

Com golaços e show de Pimentinha, Sampaio vence Boa Esporte no MA

Gols foram marcados por Douglas Oliveira (pênalti), Nádson e Pimentinha, sendo
que os dois últimos foram verdadeiras pinturas. Jogo foi no Castelão, em São Luís

Mais um jogo de Nádson e Pimentinha. Se o primeiro tempo do jogo entre Sampaio e Boa Esporte não foi lá essas coisas, ganhou outro tom no segundo tempo e terminou com a vitória do time maranhense, por 3 a 0, em partida realizada no Castelão, na tarde deste sábado, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B.

Douglas Oliveira faz gol de pênalti pelo Sampaio contra o Boa Esporte (Foto: Afonso Diniz / GloboEsporte.com)
Lance do gol de Douglas Oliveira em cobrança de pênalti (Foto: Afonso Diniz / GloboEsporte.com)

Os gols foram marcados por Douglas Oliveira (pênalti), Nádson e Pimentinha, sendo que os dois últimos foram verdadeiras pinturas, o que abrilhantaram ainda mais o confronto.

Com o resultado, o Sampaio chegou aos 21 pontos, na sexta colocação, sendo separado do G-4 por dois pontos. O Boa Esporte manteve seus 11 pontos e a 17ª colocação que o deixa na zona do rebaixamento.

Na próxima rodada, o Sampaio vai a Belém (PA) para jogar contra o Paysandu pela 13ª rodada. O jogo está marcado para o Mangueirão, às 16h30 do próximo sábado. O Boa Esporte recebe o Ceará, em Varginha, às 21h também no sábado.

O jogo

O primeiro tempo teve pouca emoção. Foi uma etapa do jogo com excesso de faltas e tempo perdido com a bola parada.

Pimentinha em lance no jogo Sampaio e Boa Esporte no Castelão (Foto: Afonso Diniz / GloboEsporte.com)
Pimentinha em lance de habilidade no jogo desta tarde no Castelão (Foto: Afonso Diniz)

Pimentinha teve alguns bons momentos. Primeiro aos 13 minutos, quando entrou na área e chutou por cima do gol de Andrey e aos 39 minutos quando partiu pra cima de Sheslon e foi derrubado. Aos 42 minutos outra boa jogada do atacante desta vez pra cima de Radamés e também sofreu falta.

O Boa Esporte tentava criar jogadas com perigo e o destaque foi um chute de fora da área. Aos 32 minutos, Clébson arriscou e levou perigo ao gol de Ruan.

Emoções guardadas

No segundo tempo, a ligeira superioridade do Sampaio foi mantida, mas com poucas jogadas de mais emoção até que em uma jogada na areado Boa Esporte, aos dez minutos, o zagueiro Wallace deixa a bola tocar em sua mão e o pênalti é marcado. Na cobrança, aos 13 minutos, o placar foi aberto com o atacante Douglas, que bateu rasteiro no canto esquerdo e o goleiro do Boa Esporte pulou para o lado oposto.

Depois do gol, o Sampaio ampliou o domínio do jogo e Pimentinha não marcou o segundo do time, aos 20 minutos, pelo fato de ter batido errado na bola após boa jogada pela esquerda da área do Boa.

Não demorou muito e aos 24 minutos o atacante driblador deu mais um show. O meia desafiou dois defensores e conseguiu empolgar a torcida com giros e dribles que deixaram os marcadores estressados.

Ao 31 minutos, o Boa quebrou a sequência do Sampaio e Radamés acertou um chute forte de fora da área, mas Ruan fez defesa firme.

Aos 34 minutos, Nádson aproveitou cobrança de lateral e o desvio de Douglas Oliveira para fazer um belo gol. O meia tricolor acertou um chute com muito estilo e botou a bola no canto direito baixo de Andrey.

Mas Pimentinha tinha o maior presente guardado para o torcedor tricolor. O atacante recebeu um lançamento em profundidade de Nádson e na primeira investida não conseguiu passou pelo goleiro Andrey, mas deu sequência na jogada com muita disposição e no chute final o atacante bateu por cima do goleiro e fez simplesmente um golaço no Castelão.

 

GLOBO ESPORTE.COM

América Mineiro 2 x 1 ABC

De virada, América-MG derrota ABC e iguala número de pontos do Botafogo

Há seis jogos sem saber o que é derrota, Coelho chega a 24 pontos e cola no líder da Série B; time potiguar perde a segunda fora de casa na competição

Em ascensão na tabela, o América-MG voltou a vencer na Série B do Campeonato Brasileiro. E a vitória veio com gostinho de liderança. Depois de um primeiro tempo apagado, quando terminou em desvantagem no placar, o Coelho conseguiu a virada sobre o ABC e chegou a seis jogos sem derrota na competição.

América-MG; Independência (Foto: Reprodução/Premiere)
Jogadores do América-MG comemoram vitória sobre ABC, no Horto (Foto: Reprodução/Premiere)

Com gols de Richarlison e Thiago Santos, o América-MG venceu a equipe do Rio Grande do Norte, por 2 a 1, neste sábado no Independência, em partida válida pela décima segunda rodada da Série B . Com a vitória, o time mineiro chega a 24 pontos na tabela, mesma pontuação do líder Botafogo, que leva vantagem no saldo de gols (13 contra 8 do Coelho). Melhor visitante da disputa, com quatro triunfos, o ABC, que começou melhor a partida, acabou sofrendo o segundo revés fora de casa.

As duas equipes voltam a campo na próxima semana pela décima terceira rodada da Série B. Na terça-feira, às 19h30 (de Brasília), o time do ABC recebe o Paraná, no Frasqueirão, em Natal. O América-MG joga no sábado, às 21h, contra o Oeste, no estádio José Liberatti, em Osasco.

O jogo  

A partida começou com o ABC explorando a velocidade nos contra-ataques em busca do gol. Aos poucos, o meia Mancini ajudou a equilibrar o jogo, e o América-MG passou a ameaçar a meta do goleiro Saulo. No entanto, o primeiro lance de perigo veio aos 24 minutos de jogo. João Ricardo deu rebote no chute de Reginaldo, a bola sobrou para Michel, que arriscou uma bicicleta de costas para o gol e quase abriu o placar no Independência.

América-MG x ABC; Independência (Foto: Reprodução/Premiere)
América-MG e ABC fizeram jogo equilibrado, no Independência (Foto: Reprodução/Premiere)

A resposta do Coelho veio com uma bola na trave do ABC após cruzamento de Walber. Na sequência, aos 35 minutos, o time alvinegro chegou ao gol, aproveitando a falha de marcação dos donos da casa. Marcílio fez boa jogada pela esquerda, deixou três adversários para trás e tocou para o artilheiro Kayke balançar as redes pela oitava vez na competição. No fim do primeiro tempo, Fabinho teve chance de ampliar o marcador, mas o goleiro João Ricardo conseguiu salvar os donos da casa.

O segundo tempo começou com o América-MG pressionando. Logo no início, Mancini desperdiçou grande chance de empatar a partida ao receber livre na área do ABC e chutar para fora. Em seguida, aos sete minutos da etapa final, veio o gol do Coelho. Marcelo Toscano cobrou falta pela direita, e o atacante Richarlison, que entrou no intervalo substituindo Cristiano, de escorou de cabeça, deixando tudo igual no placar.

O ABC não se intimidou com o empate e seguiu atacando a meta americana. Os jogadores do América-MG pediram pênalti quanto o volante Thiago Santos foi segurado pelo marcador na área adversária, mas o árbitro Grazianni Maciel Rocha, não viu falta no lance. Pouco depois, aos 27 do segundo tempo, o mesmo Thiago Santos aproveitou o escanteio batido por Mancini para colocar o Coelho em vantagem no marcador. Thiago teve outra chance para marcar, mas o goleiro Saulo fez grande defesa, impedindo que o América-MG ampliasse a vantagem. No final, mais uma vitória do Coelho na Série B, que torce contra o Bahia para consolidar a vice-liderança do campeonato.

GLOBO ESPORTE.COM

Náutico 2 x 1 Santa Cruz

Com um a menos, Náutico arranca vitória contra o Santa e volta ao G-4

Timbu sai na frente, perde Ronaldo Alves expulso aos 17 do 2º tempo, toma empate, mas busca vitória com gol de Gil Mineiro, que saiu do banco; Tricolor cai para 12º

Vindo de derrota para o lanterna, sem jogadores de criação, e com um atleta a menos durante quase todo o segundo tempo. Foi dessa maneira que o Náutico se impôs para vencer o Santa Cruz, por 2 a 1, na tarde deste sábado, na Arena Pernambuco. Mostrando aplicação tática superior ao adversário e, principalmente, mais vontade, o Timbu neutralizou as ações da equipe de Marcelo Martelotte e chegou aos 24 pontos. Com o resultado, o Náutico voltou ao G-4, ocupando a terceira colocação. Enquanto isso, o Tricolor, que teve a sequência de três vitórias consecutivas quebrada, caiu para 12º, com 15.

Os gols do jogo foram marcados todos no segundo tempo. Guilherme, cobrando falta, Anderson Aquino de pênalti e Gil Mineiro, saindo do banco, aos 28 minutos.

Pela Série B do Brasileiro, as duas equipes voltam a campo no próximo sábado. O Náutico encara o Botafogo, no Engenhão. O Santa recebe o Atlético-GO, no Arruda. Antes, na quarta-feira, o Timbu ainda decide vaga na próxima fase da Copa do Brasil com o Flamengo, na Arena PE. O primeiro duelo terminou 1 a 1, no Maracanã.

náutico x santa cruz (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
Elenco do Náutico comemora muito gol de Gil Mineiro (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

Primeiro tempo

Com o mando de campo, o Náutico escalou o meio de campo com três volantes e nenhum armador, para encarar o Santa Cruz, que adotou a postura oposta. Três armadores e apenas um marcador: Wellington César. Quando a bola rolou, no entanto, o técnico Lisca provou que, às vezes, menos é mais.

Com o volante Marino responsável por ajudar o trio de ataque, o Timbu anulou o setor de criação do Tricolor e criou, pelo menos, três grandes chances. A principal delas com Douglas, que ficou frente a frente com Fred, aos 15 minutos, mas esbarrou na eficiência do camisa 1.

Acuado, o Santa chegou ao ataque apenas uma vez, aos 31, mas João Paulo, dentro da pequena área alvirrubra, não conseguiu dominar a bola. Vendo o seu time sucumbir, o técnico Marcelo Martelotte tentou inverter as posições de Luisinho e Lelê. Mudança que pouco acrescentou.

Segundo tempo

Decidido a apagar a má impressão deixada no primeiro tempo, o Santa Cruz subiu para a etapa final tentando lançar-se ao ataque. No entanto, a iniciativa esbarrou na péssima atuação de Renatinho e Lelê, que pouco fizeram. Com o Náutico organizado, mas sem criatividade, coube ao arbitro José Rufino Filho, o “empurrãozinho” para que o jogo ganhasse emoção. Logo aos sete minutos, ele deu falta duvidosa na entrada da área coral, que Guilherme cobrou com maestria, para abrir o placar.

Aos 12, foi a vez de João Paulo cair na área alvirrubra e ver o árbitro marcar pênalti, também duvidoso. Chance que Anderson Aquino aproveitou. Logo em seguida, o atacante coral ainda conseguiu a expulsão de Ronaldo Alves, aos 17 minutos. E quando o panorama apontava para uma virada coral, Gil Mineiro saiu do banco e aproveitou a falha da zaga tricolor para anotar o segundo do Timbu e garantir a vitória.

 

GLOBO ESPORTE.COM