Incoerência: Para os “milagres” na TV não existe classificação indicativa

Pastor oferece droga a homem, após "curá-lo" com sua benção, em programa de TV

Pastor oferece droga a homem, após “curá-lo” com sua benção, em programa de TV

Difícil acreditar que certas coisas ainda são apresentadas na televisão e que para elas não existe “classificação indicativa”,  embora possam ser mais perigosas ou perniciosas que uma novela, série ou outro programa qualquer.

Na Record, em pleno dia, aparece um pastor assegurando a um viciado que, só com a sua reza ou benção, ele será libertado da droga.

Não só na Record, mas nas diversas emissoras que a Universal ou outras igrejas compram espaços, esses casos se repetem, de dia e de noite. Não tem hora para eles.

Os milagres, de todos os males, são prometidos com a maior desfaçatez. Num país como o nosso, com os seus problemas na saúde, o desespero pode fazer pessoas se deixarem levar.

Algumas propagandas, como a do cigarro, não são permitidas, as bebidas só com o aviso do “se beber não dirija”, além de outras. Mas quanto à propaganda que as igrejas fazem não há nenhuma proibição ou “classificativa nenhuma”.  Será que é certo?

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.