Classificação da Serie A do Campeonato Brasileiro 2015 após a sétima rodada

slideshow image

Pos. Equipes P J V E D GP GC SG % M Classificação ou rebaixamento
1 São Paulo São Paulo 16 7 5 1 1 11 4 +7 76 Aumento1 Segunda fase da Copa Libertadores de 2016
2 Paraná Atlético Paranaense 15 7 5 0 2 10 5 +5 71 Baixa1
3 Pernambuco Sport 15 7 4 3 0 12 6 +6 71 Aumento1
4 São Paulo Corinthians 13 7 4 1 2 6 6 0 62 Aumento4 Primeira fase da Copa Libertadores de 2016
5 São Paulo Ponte Preta 13 7 3 4 0 13 7 +6 62 Baixa2
6 Minas Gerais Atlético Mineiro 11 7 3 2 2 16 10 +6 52 Estável
7 Rio Grande do Sul Grêmio 11 7 3 2 2 10 10 0 52 Aumento5
8 Rio de Janeiro Fluminense 11 7 3 2 2 8 8 0 52 Baixa3
9 Santa Catarina Avaí 11 7 3 2 2 8 9 –1 52 Baixa2
10 Minas Gerais Cruzeiro 10 7 3 1 3 9 7 +2 48 Aumento3
11 Santa Catarina Chapecoense 9 7 3 0 4 6 7 –1 43 Baixa2
12 São Paulo Palmeiras 9 7 2 3 2 8 7 +1 43 Aumento3
13 Goiás Goiás 9 7 2 3 2 4 3 +1 43 Baixa2
14 Rio Grande do Sul Internacional 9 7 2 3 2 6 7 –1 43 Baixa4
15 Santa Catarina Figueirense 8 7 2 2 3 6 9 –3 38 Baixa1
16 Rio de Janeiro Flamengo 7 7 2 1 4 8 10 –2 33 Aumento1
17 São Paulo Santos 7 7 1 4 2 10 11 –1 33 Baixa1 Zona de rebaixamento à Série B de 2016
18 Paraná Coritiba 3 7 1 0 6 4 10 –6 14 Estável
19 Rio de Janeiro Vasco da Gama 3 7 0 3 4 2 12 –10 14 Estável
20 Santa Catarina Joinville 1 7 0 1 6 2 11 –9 5 Estável

Avaí 1 x 1 Figueirense

Com polêmica no último lance, Avaí e Figueira empatam no “clássico da paz”

Por conta da forte chuva no fim de semana, campo pesado prejudica jogo com gols de Anderson Lopes e Marquinhos. Lance polêmico no último lance marca clássico.

No quarto clássico da temporada, o segundo empate. Neste domingo, Avaí e Figueirense se enfrentaram pela Série A, algo que não acontecia desde 2011, e ficaram no 1 a 1. Os gols da partida na Ressacada, que teve o gramado prejudicado pela forte chuva do final de semana em Florianópolis, foram marcados por Anderson Lopes e Marquinhos. Com o resultado,  o Leão tem 11 pontos e é o 9º, enquanto o Alvinegro, com oito, está em 15º. O jogo foi marcado no último lance do jogo, polêmico, quando Dener agarrou Eduardo Costa na área e o árbitro mandou o jogo seguir e apitou o fim da partida em seguida.

Os avaianos têm uma semana cheia para descansar. Voltam a campo somente no próximo domingo, diante do São Paulo, no Morumbi. O Figueirense entra em campo quinta-feira, às 21h, no Orlando Scarpelli, contra o Inter. A partida foi antecipada para que o Alvinegro pudesse fazer melhorias em seu estádio.

Avaí x Figueirens (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)
Avaí e Figueira ficaram no empate (Foto: Jamira Furlani/Avaí FC)

O jogo 

A condição do gramado da Ressacada exigiu mais fisicamente do que tecnicamente. Em função da chuva e dos gramados, a bola aérea foi a principal arma, com 15 levantamentos para a área no primeiro tempo – 11 do Avaí e 14 do Figueirense. Em um deles, Marquinhos subiu de cabeça e abriu o placar para os visitantes, aos 14 minutos. O gol fez o Leão se soltar, mas a criação estava prejudicada, e o empate saiu em uma jogada individual. Anderson Lopes acertou um chute indefensável aos 35 e decretou a igualdade na primeira etapa.

A fórmula do segundo tempo seguiu igual, força física e cruzamentos, mas o cansaço bateu nas duas equipes. Exigidos nos primeiros 45 minutos, os jogadores de Avaí e Figueirense diminuíram o ímpeto. Os técnicos perceberam e colocaram atacantes. William no Leão, e Thiago Santana no Furacão. As alterações, contudo, não surtiram efeito, e em ritmo mais lento o empate foi levado até o apito final. No última lance do jogo, após cruzamento na área do Figueirense, Dener agarrou Eduardo Costa na área, os jogadores do Avaí reclamaram muito, mas o árbitro nada deu.

GLOBO ESPORTE.COM

Palmeiras 2 x 1 Fluminense

Palmeiras pressiona o Flu e conquista de virada a primeira vitória em casa

Tricolor abre o placar com Jean, mas Magno Alves e Gum são expulsos, e Verdão consegue o triunfo por 2 a 1 com Rafa Marques e Cristaldo já nos acréscimos

Palmeiras e Fluminense fizeram um jogo emocionante em São Paulo, na tarde deste domingo. Após ficar atrás no placar, o Verdão pressionou e conseguiu a virada por 2 a 1 já nos acréscimos do segundo tempo, com gols de Rafael Marques e Cristaldo, que entrou no lugar de Arouca. O Tricolor esteve mais organizado na primeira etapa e abriu o marcador com Jean, mas viu sua situação se complicar ao ter dois jogadores expulsos: Magno Alves levou o cartão vermelho direto depois de uma falta infantil em Gabriel, e Gum colocou a mão na bola e recebeu o segundo amarelo. Na estreia de Alecsandro, o Alviverde conquistou a primeira vitória na Arena Palmeiras neste Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Palmeiras se afastou da zona de rebaixamento e agora ocupa a 12ª colocação, com nove pontos. Já o Fluminense caiu para oitavo, com 11. Na próxima rodada, o Alviverde enfrenta o Grêmio, dia 20, na Arena do Grêmio, às 21h (de Brasília). O Tricolor recebe a Ponte Preta no Maracanã, dia 24, às 19h30 (de Brasília).

Na Arena Palmeiras, os torcedores alviverdes compareceram em bom número. O público pagante foi de 26.181. Os tricolores também ocuparam o pequeno espaço destinado à torcida adversária. A renda do jogo foi de R$ 1.637.815,00.

Palmeiras x Fluminense Cristaldo (Foto: Marcos Ribolli)
Cristaldo comemora gol da vitória do Palmeiras, enquanto Cavalieri pede, em vão, impedimento (Foto: Marcos Ribolli)

O Fluminense mostrou-se mais organizado no primeiro tempo. Enquanto o Palmeiras tinha dificuldades de montar as jogadas com a bola no pé, o time de Enderson posicionava-se bem e aproveitava os contra-ataques. Em boa jogada de Magno Alves, o Tricolor abriu o placar, aos 16 minutos. O veterano recebeu de Edson, carregou a bola já dentro da área até o fundo, pela esquerda, e tocou atrás para Jean acertar um belo chute no canto à direita de Prass. No lado do Verdão, Gabriel era o mais lúcido, quem arriscava mais. Já nos acréscimos, em uma cobrança de escanteio, Rafael Marques subiu na primeira trave e empatou.

Os alviverdes voltaram mais animados para a etapa final, com Alecsandro em campo. Aos 15, Magnata levou o cartão vermelho direto por uma falta dura em Gabriel, e o Flu recuou. A partir disso, só deu Palmeiras. Já nos acréscimos da partida, Gum colocou a mão na bola na entrada da área e recebeu o segundo amarelo. Egídio cobrou a falta, Cavalieri defendeu, e Cristaldo completou na trave. No rebote, o atacante finalizou e sacramentou a virada.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Grêmio 2 x 1 Atlético Paranaense

Em jogo frenético, Grêmio vence o Atlético-PR, que deixa a liderança

Tricolor sai na frente com Giuliano e Furacão empata com Hernani, mas donos da casa vencem com gol de Rhodolfo. Paranaenses perdem o topo para o São Paulo

O Grêmio venceu o Atlético-PR por 2 a 1, na tarde deste domingo, em casa, e se recuperou do revés para o São Paulo, na última rodada. A derrota tirou o Furacão da liderança do Campeonato Brasileiro e encerrou uma sequência de quatro vitórias no Campeonato Brasileiro. Com isso, o topo agora é do Tricolor paulista, que venceu a Chapecoense no sábado por 1 a 0. A partida contou com o público pagante de 17.781 torcedores, para uma renda de R$ 543.642,00.

Quem saiu de casa mesmo com o tempo fechado e o frio em Porto Alegre viu Grêmio e Atlético-PR duelarem em uma primeira etapa de bastante intensidade, com chances claras para os dois lados. Após um começo turbulento, o Tricolor dominou a partida a partir dos 15 minutos e empilhou jogadas de ataque, sempre pela direita. Por ali, marcou com Giuliano após boa jogada de Douglas. No segundo, o Furacão reagiu com gol do volante Hernani, de falta, deixando tudo igual, mas acabou vacilando na marcação e cedeu o resultado, com gol marcado por Rhodolfo, que já vestiu a camisa atleticana.

Com o resultado, o Tricolor foi a nove pontos na tabela, agora na 12ª colocação, enquanto o Atlético-PR fica em segundo, com 16. Na próxima rodada, o Grêmio recebe o Palmeiras, às 21h (horário de Brasília) de sábado, em casa, enquanto o Atlético-PR tem o clássico com o Coritiba, às 16h de domingo, na Arena da Baixada.

Grêmio x Atlético-PR na Arena (Foto: Diego Guichard)
Grêmio derrota o Atlético-PR por 2 a 1 na Arena (Foto: Diego Guichard)

 

Lá e cá: equipes levam perigo, e Grêmio sai na frente

Aberto, o jogo começou com muita intensidade em Porto Alegre, com as equipes se estudando e apostando no toque de bola. Com Walter atuando mais isolado no ataque, a equipe atleticana conseguia evitar a pressão inicial gremista e escapava bem da marcação sob pressão pretendida pelo técnico Roger. O Furacão levou perigo por duas vezes até os donos da casa assustarem com Luan, que desperdiçou boa chance. A resposta do Atlético-PR veio à altura, após Nikão puxar contra-ataque fulminante pela esquerda, mas Galhardo se antecipou e mandou a bola pela linha de fundo.

O Grêmio não desistiu, aproveitou o recuo dos rubro-negros e continuou na pressão, principalmente pelo lado direito. O prêmio veio aos 32 minutos, quando Eduardo invadiu a área e rolou com precisão para Giuliano, de primeira, abrir o placar para os gaúchos, garantindo a vitória parcial.

Furacão empata com Hernani, mas Tricolor garante a vitória

Enquanto o Grêmio trocou Giuliano por Yuri Mamute, o Atlético-PR voltou sem mudanças para o segundo tempo, e levou sustos nos primeiros minutos com chances perdidas por Pedro Rocha e Luan. Mesmo com as investidas do Tricolor, quem balançou as redes foi o Furacão. Aos seis, Hernani cobrou falta com categoria, colocado, por cima da barreira, e deixou tudo igual no marcador.

A partida seguiu movimentada, com boas chances para cada lado e os goleiros fazendo defesas espetaculares. Tiago, por exemplo, salvou o chute de voleio de Felipe, acendendo o alerta para o Grêmio. Persistente, a equipe tricolor chegou ao segundo aos 25, quando Galhardo levantou na área, a zaga do Atlético-PR desvia para trás, e Rhodolfo aproveitou para mandar de cabeça e desempatar o jogo, para a festa dos torcedores na Arena do Grêmio.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Ponte Preta 0 x 0 Goiás

No reencontro com a torcida, Ponte fica no 0 a 0 com o Goiás e sai do G-4

Macaca conta com apoio da torcida após dois jogos com portões fechados, mantém invencibilidade, mas esbarra no forte poder de marcação da melhor defesa da Série A

Invicta, porém, chateada. Assim a Ponte Preta deixa o estádio Moisés Lucarelli. Na manhã deste domingo, a Macaca se reencontrou com a torcida após dois jogos com portões fechados, mas não saiu do 0 a 0 com o Goiás. A expectativa de vitória dos quase 10 mil pagantes em Campinas não se confirmou, e o time deixou o G-4, ultrapassado pelo Corinthians no número de vitórias – ambos têm 13 pontos. O Goiás, por sua vez, mostra que será um adversário “chato” ao longo do Brasileirão. A equipe esmeraldina novamente mostrou grande poder de marcação e colocou fim à série de duas derrotas seguidas. O time goiano fica em 11º, com nove pontos, e três gols sofridos – melhor defesa da competição.

Jogadores importantes, como Rodinei, Fernando Bob, Biro Biro e Renato Cajá fizeram o sétimo jogo pela Ponte Preta neste Campeonato Brasileiro. Com isso, não poderão defender nenhuma outra equipe na Série A de 2015. Mesmo assim, o time da casa não conseguiu se impor. No primeiro tempo, o Goiás começou melhor, adiantando a marcação, e criando algumas boas chances com Bruno Henrique. O goleiro Renan também apareceu bem quando foi exigido. Na etapa final, a Macaca foi mais incisiva, no entanto, esbarrou na defesa esmeraldina. O Goiás volta a campo no próximo domingo, fora de casa, contra o Joinville. A Ponte Preta só jogará no dia 24, no encerramento da oitava rodada, contra o Fluminense, no Maracanã.

Apesar de toda euforia da torcida por poder enfim comparecer ao Moisés Lucarelli e prestigiar a invicta Ponte Preta, a Macaca teve muitas dificuldades no primeiro tempo. Aplicado taticamente, o Goiás marcava no campo adversário desde os primeiros minutos e praticamente não era ameaçado. Bruno Henrique mais uma vez mostrava boa mobilidade para sair da área e incomodar a defesa da Ponte. E quando conseguiu criar, o time da casa viu que teria ainda outro problema: Renan. O goleiro do Goiás fez ótima defesa em bonita cabeçada de Diego Oliveira na melhor chance da etapa inicial. O Goiás voltou a ameaçar com o zagueiro Fred, em cobrança de falta.

A Ponte Preta voltou para o segundo tempo com a mesma formação, mas mudou a postura e foi para cima. Logo aos dois minutos, Diego Oliveira tabelou com Biro Biro, invadiu a área pela direita e soltou a bomba por cima do travessão, com muito perigo. Em seguida, Renato Cajá chutou com categoria e obrigou Renan a fazer boa defesa. À medida que o tempo passava, a Macaca ficava mais presente no campo de ataque e acuava o Goiás. Os jogadores de marcação da equipe esmeraldina se desdobravam em campo de forma incansável. Até os jogadores de ataque, como Bruno Henrique, voltavam para ajudar a defesa. Só que a equipe tinha pouca presença ofensiva. Roni até marcou após cruzamento de Cesinha, contudo, o atacante da Ponte estava impedido. No fim, prevaleceu o empate sem gols.

Ponte Preta x Goiás, Estádio Moisés Lucarelli (Foto: Fábio Leoni / PontePress)
Em jogo bastante disputado, Ponte Preta e Goiás ficam no 0 a 0 (Foto: Fábio Leoni / PontePress)
GLOBO ESPORTE.COM

Sport 2 x 1 Joinville

Imbatível na Ilha, Sport vence o
Joinville em noite de Maikon Leite

Atacante marca duas vezes na vitória por 2 a 1 e mantém Leão dentro do G-4
com 100% de aproveitamento em casa; time catarinense amarga a lanterna

O Sport segue devastador em seus domínios nesta Série A do Campeonato Brasileiro. Agora são quatro jogos e quatro vitórias do Leão na Ilha do Retiro. A vítima da vez foi o Joinville, lanterna da competição, que saiu derrotado pelo placar de 2 a 1. Maikon Leite, com dois chutaços, foi o responsável por dar o triunfo ao Rubro Negro, que sobe momentaneamente para a 3ª colocação. O Coelho descontou com o experiente Marcelinho Paraíba, em cobrança de falta.

A partida foi marcada também pelo centésimo jogo do técnico Eduardo Baptista no comando do Sport. O treinador, o mais antigo no cargo entre os clubes da elite do futebol brasileiro, chegou a sua 50ª vitória, com 20 empates e 30 derrotas. Outros destaques foram a estreia do atacante André, contratado esta semana pelo Leão e o reencontro de Marcelinho Paraíba com a torcida rubro negra, que o aplaudiu bastante antes do apito inicial.

Na próxima rodada, o Sport encara o Vasco, no sábado, às 16h30, na Arena Pernambuco. Enquanto no domingo, o Joinville recebe o Goiás na Arena Joinville.

Sport x Joinville Maikon Leite (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)
Com dois gols, Maikon Leite foi o nome do jogo na Ilha do Retiro
(Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

Com as duas equipes vivendo situações bem distintas na tabela, era de se esperar um Joinville mais recuado, aguardando a melhor chance de contra-atacar, mas o time catarinense abriu mão do “ferrolho”, e o Sport encontrou espaços para criar jogadas de ataque. Aos 15 minutos, Maikon Leite abriu o  marcador após bela trama entre Renê e Neto Moura. A bola sobrou dentro da área para o baixinho velocista, que fuzilou o goleiro Agenor.

O Joinville não baixou a guarda e também tentou agredir o adversário. Aos 25 minutos Rafael Costa saiu cara a cara com Danilo Fernandes, que bloqueou a finalização nos pés do atacante. Mas a noite era mesmo de Maikon Leite. Aos 38 minutos, ele recebeu uma bola quase sem ângulo e mandou mais um petardo para o fundo das redes.

No segundo tempo o Sport diminuíu o ímpeto com as substituições. Entraram Danilo, Ewerton Pascoa e André; saíram Neto Moura, Matheus Ferraz e Samuel. O time caiu de  produção e viu Marcelinho Paraíba, acionado no segundo tempo passar a mandar no meio de campo. Em cobrança de falta, o “quarentão” diminuiu para os catarinenses, que ainda tiveram uma clara chance de empatar o jogo com Mario Sérgio. Já no fim da partida, o lateral fez fila na zaga rubro-negra. Danilo Fernandes mais uma vez salvou o Sport.

 

GLOBO ESPORTE.COM