Números de ontem do TV TOTAL

País Visualizações
Sinal BrasilBrasil 508
Sinal Estados UnidosEstados Unidos 67
Sinal TurquiaTurquia 19
Sinal CanadáCanadá 5
Sinal Reino UnidoReino Unido 5
Sinal União EuropeiaUnião Europeia 4
Sinal PortugalPortugal 4
Sinal AngolaAngola 1
Sinal BélgicaBélgica 1
Sinal Arábia SauditaArábia Saudita 1
Sinal PeruPeru 1
Sinal FrançaFrança 1
Sinal ÍndiaÍndia 1

Classificação da Serie B 2015 após a terceira rodada

Pos Equipes Pts J V E D GP GC SG % M Classificação ou rebaixamento
1 Pernambuco Náutico 9 3 3 0 0 4 0 +4 100 Aumento2 Zona de promoção à Série A de 2016
2 Bahia Bahia 7 3 2 1 0 8 2 +6 78 Aumento2
3 Maranhão Sampaio Corrêa 7 3 2 1 0 6 2 +4 78 Baixa2
4 Rio de Janeiro Botafogo 7 3 2 1 0 5 1 +4 78 Baixa3
5 Rio de Janeiro Macaé 6 3 2 0 1 7 5 +2 67 Aumento3
6 Bahia Vitória 6 3 2 0 1 6 4 +2 67 Aumento6
7 Minas Gerais América Mineiro 4 3 1 1 1 5 3 +2 44 Aumento10
8 Rio Grande do Norte ABC 4 3 1 1 1 3 2 +1 44 Baixa2
9 Mato Grosso Luverdense 4 3 1 1 1 2 2 0 44 Aumento1
10 Goiás Atlético Goianiense 4 3 1 1 1 1 2 –1 44 Aumento4
11 Paraná Paraná 4 3 1 1 1 3 5 –2 44 Aumento5
12 Ceará Ceará 3 3 1 0 2 3 3 0 33 Baixa6
13 Pará Paysandu 3 3 1 0 2 2 3 –1 33 Aumento5
14 Pernambuco Santa Cruz 3 3 1 0 2 5 7 –2 33 Baixa9
15 São Paulo Oeste 3 3 1 0 2 4 6 –2 33 Baixa6
16 Santa Catarina Criciúma 3 3 1 0 2 2 5 –3 33 Baixa4
17 Alagoas CRB 3 3 1 0 2 3 7 –4 33 Baixa6 Zona de rebaixamento à Série C de 2016
18 São Paulo Bragantino 3 3 1 0 2 2 6 –4 33 Baixa4
19 Minas Gerais Boa Esporte 1 3 0 1 2 1 3 –2 11 Baixa1
20 São Paulo Mogi Mirim 1 3 0 1 2 3 7 –4 11 Estável

Paysandu 2 x 1 Ceará

O Vovô não conseguiu repetir as boas atuações anteriores

Site do Ceará Sporting Club

CRB 0 x 3 Bahia

Invicto na Série B, Bahia bate CRB e alcança vice-liderança da competição

No estádio Rei Pelé, Tricolor baiano conta com golaço de Wilson Pittoni, estreia certeira de Marlon e arremate de Willians para sair de Maceió com os três pontos

A fase era boa, e o Bahia tinha a missão de manter. Invicto desde o dia 29 de abril, o Tricolor chegou ao estádio Rei Pelé, em Maceió, neste sábado, com desfalques importantes e o objetivo de impor a terceira derrota seguida ao CRB. Missão dada, missão cumprida: a equipe baiana bateu os alagoanos por 3 a 0 pela 3ª rodada da Série B e alcançou a vice-liderança da competição.

O futebol não foi daqueles de encher os olhos – de nenhum dos dois lados. Em um jogo embolado, em que a criatividade era elemento raro, o Bahia teve uma noite de “primeiros gols” para sair com os três pontos. Sem Maxi Biancucchi e Kieza, o Tricolor contou com a pontaria de Wilson Pittoni para abrir o placar e fazer o primeiro dele no ano, ainda no primeiro tempo. O segundo saiu dos pés de Marlon, que fez sua estreia nesta noite. Para fechar, Willians fez o terceiro nos minutos finais.

Com o resultado, o Bahia chegou aos sete pontos, dois a menos que o líder Náutico. Na próxima sexta, o Tricolor volta a campo na Arena Fonte Nova, quando recebe o Paraná. Com três pontos, o CRB é o primeiro da zona de rebaixamento e tem pela frente o Ceará, na terça-feira.

CRB x Bahia (Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)
CRB e Bahia se enfrentam no estádio Rei Pelé, em Maceió (Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)

Pouca criação, golaço de Pittoni e estreia certeira de Marlon

A partida começou com ares de 0 a 0. No Rei Pelé, CRB e Bahia fizeram boa parte do primeiro tempo sem um futebol vistoso, em um jogo truncado e sem criatividade. O Tricolor baiano marcava bem, mas não apresentava o ímpeto ofensivo que o torcedor se acostumou a ver na temporada: a bola não chegava aos atacantes. O Galo, apesar de ter boa presença no campo de ataque em determinados momentos, não assustava o goleiro Douglas Pires. Quando a torcida começava a se entediar nas arquibancadas, Wilson Pittoni foi lá e fez. De fora da área, o paraguaio recebeu livre de marcação e, sem duvidar, bateu forte, colocado e com endereço certo: um golaço aos 34 minutos. Ainda dava tempo para o Bahia, impulsionado pela vantagem, fazer o segundo. Aos 41, em uma bela jogada criada por Zé Roberto, Marlon tirou do goleiro com um toquinho e marcou sua estreia com um gol. Daniel Cruz perdeu a chance de diminuir aos 45.

Com um a menos, Bahia administra e faz o terceiro

Na segunda etapa, o CRB tentou se lançar ao ataque, mas esbarrou na própria limitação e na retranca adversária. Neste ponto, destaque para Gerson Magrão, que, substituindo Clebinho, melhorou a qualidade da troca de passes regatiana no segundo tempo. Foi dele o passe que originou uma das únicas chances de gol do CRB, desperdiçada por Fernando. Mas ele parecia estar sozinho. Ciente da vantagem, o Bahia tratou de administrar o tempo para tentar se aproveitar de contra-ataques. Aos 21, Souza não ajudou: o volante parou, com falta dura em Fernando, um contra-ataque alagoano, levou o segundo amarelo e foi para o chuveiro mais cedo. A expulsão, contudo, não abateu o time baiano, que contou com um belo lançamento de Léo Gamalho para Willians Santana, que driblou o goleiro e fechou o placar aos 47: 3 a 0 para o Tricolor.

GLOBO ESPORTE .COM

ABC 1 x 1 Luverdense

Partida acabou em 1 a 1 e as duas equipes chegam aos quatro pontos conquistados

ABC x Luverdense, no Frasqueirão - Kayke e Michel Schmöller (Foto: Augusto Gomes/GloboEsporte.com)

ABC x Luverdense, no Frasqueirão (Foto: Augusto Gomes/GloboEsporte.com)

ABC e Luverdense fizeram um jogo equilibrado pela terceira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro abusando da marcação e deixando a criação em segundo plano,no Estádio Frasqueirão, em Natal. Ciro abriu o placar para o Verdão do Norte e Kaique empatou a partida para os donos da casa.

A partida começou com muita marcação e Luverdense tendo as primeiras chances de gol. Rafael Tavares quase abriu o placar aos sete minutos de jogo obrigando o goleiro Saulo a fazer boa defesa, mas logo depois Ciro arrisca um chute de fora da área, a bola vai fraca, mas Saulo aceita e toma um frango clássico por baixo das pernas. Apesar do gol, o ABC não diminuiu seu ritmo de jogo e foi buscar o empate aos 35, com Kaique recebendo a bola livre na pequena área e cabeceando para o fundo da rede.

Na segunda etapa o equilíbrio continuou, os dois treinadores fizeram alterações nas equipes, mas o placar terminou mesmo empatado em 1 a 1. Com o empate, ABC e Luverdense também ficam empatados na classificação com quatro pontos ganhos em oitavo e nono lugar respectivamente.

Na próxima rodada o ABC pega o Santa Cruz na sexta-feira, às 19h30, no Arruda, em Recife. O Verdão do Norte recebe o Macaé no sábado, às 21h (de Brasília), no Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde.

ABC x Luverdense, no Frasqueirão - Erivélton (Foto: Augusto Gomes/GloboEsporte.com)
ABC x Luverdense, no Frasqueirão – Erivélton (Foto: Augusto Gomes/GloboEsporte.com)

O ABC jogou com Saulo; Reginaldo, Suéliton, Leandro Amaro e Lima; Fábio Bahia, Dedé (Rafael Miranda) e Ronaldo Mendes; Erivélton, Kayke e Fabinho Alves (Chiclete).

O time do Luverdense entrou em campo com Edson; Raul Prata, Montoya, Everton e Paulinho; Ricardo, Michel (Júlio Terceiro), Osman e Rafael Tavares; Luiz Eduardo e Ciro.

Globo Esporte

Paraná 1 x 1 Boa Esporte

Paraná sai na frente, mas cede o empate ao Boa Esporte na Vila: 1 a 1

Tricolor sai na frente com Fernando Viana, mas permite o empate com Raphael Silva. Mineiros se recuperam de duas derrotas seguidas e somam primeiro ponto na Série B

Um ponto. Foi o que conseguiram Paraná e Boa Esporte na tarde deste sábado, após o empate em 1 a 1 pela terceira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Jogando na Vila Capanema, os gols saíram somente no segundo tempo. O Tricolor saiu na frente com gol marcado pelo atacante Fernando Viana, mas os mineiros mostraram superação para buscar a igualdade com Raphael Silva e evitar a terceira derrota seguida na competição.

Na presença de 3.336 pagantes e 3.952 presentes, a partida foi marcada pelo equilíbrio durante o primeiro tempo. O Tricolor voltou melhor no segundo tempo, mas bobeou e permitiu o empate do Boa. Com o resultado, o Paraná fica na nona posição, com quatro pontos, enquanto o Boa Esporte fica na vice-lanterna, com apenas um conquistado.

Tanto o Tricolor quanto o Boa têm a semana cheia de preparação antes da próxima rodada. Na próxima rodada, o Paraná enfrenta o Bahia, na sexta-feira, às 21h50 (horário de Brasília), na Fonte Nova. O Boa Esporte recebe o Paysandu no sábado, às 16h30 de sábado, no Estádio Municipal de Varginha.

Fernando Viana Paraná Boa Esporte (Foto: Giuliano Gomes/PRPRESS)
Fernando Viana abre o placar na Vila Capanema, mas Paraná cede empate ao Boa
(Foto: Giuliano Gomes/PRPRESS)

Jogo morno no primeiro tempo, quente no segundo

Os times protagonizaram um primeiro tempo morno, com muitos passes errados e raros lances de perigo. Os donos da casa até que ditaram o ritmo do jogo nos primeiros minutos, com oportunidades desperdiçadas por Rafael Costa e Henrique. Mesmo com maior posse de bola, o Paraná não teve qualidade na criação das jogadas, caiu de produção e viu o adversário crescer no jogo. Aos poucos, o Boa Esporte apertou a marcação, controlou as jogadas de ataque e equilibrou o duelo na Vila Capanema, principalmente com as investidas de Rodrigão na frente.

Mais organizada, a equipe mineira não deixava o Tricolor jogar no início do segundo tempo, mas logo tomou um susto. Um não, no mínimo três. Buscando fazer valer o mando de campo, a equipe do técnico Nedo Xavier recuperou a lucidez em campo e chegou com perigo com a bola na trave de Fernando Viana, o desvio de Zé Roberto e o chute cruzado de Éder. A insistência surtiu efeito aos 25, quando o Tricolor abriu o placar com Fernando Viana. Estreante como titular, o atacante aproveitou o cruzamento e marcou para o Tricolor. Poucos minutos depois, o jogador acabou sendo expulso junto com Wallace, deixando as equipes com um a menos em campo.

Em desvantagem, o Boa não desistiu, acertou na marcação e voltou a controlar o jogo na Vila. A recompensa veio aos 39 quando, após cobrança de falta, Raphael Silva apareceu livre de marcação para mandar de cabeça e deixar tudo igual em Curitiba: 1 a 1.

 

GLOBO ESPORTE .COM

América Mineiro 4 x 1 Santa Cruz

América-MG espanta crise com vitória sobre Santa, que despenca na tabela

Coelho fez etapa inicial irretocável, cravou 4 a 1, o placar final; Tricolor, que perdeu segunda em três pela Série B, continua com três pontos e desce para o 15º lugar

Pouco mais de 45 minutos. Foi esse o tempo necessário para que o América-MG engolisse o Santa Cruz, neste sábado, na Arena Independência, em Belo Horizonte, pela Série B, e afastasse a crise que rondava o clube mineiro. Com o apoio do torcedor, o Coelho não tomou conhecimento do Tricolor e aplicou um impiedoso 4 a 1 na equipe pernambucana. Na segunda etapa, apesar da melhora dos adversários pernambucanos, o placar continuou o mesmo. Os gols da partida foram marcados por Robertinho, Mancini, Sacoman (contra) e Marcelo Toscano, para os mineiros. Enquanto Pedro Castro marcou para os corais.

Com o resultado, o América-MG chega aos quatro pontos na tabela de classificação e sobe para o sétimo lugar. Enquanto isso, o Tricolor segue com três, caindo para 15ª posição. Na próxima rodada, o Coelho encara o Bragantino, em Bragança Paulista. Já o Santa Cruz recebe o ABC, no Arruda. Os jogos ocorrem sexta-feira, às 19h30.

América-MG x Santa Cruz Série B (Foto: Daniel Teobaldo / Estadão Conteúdo)
América-MG x Santa Cruz fizeram confronto aberto e de muitos gols na Série B
(Foto: Daniel Teobaldo / Estadão Conteúdo)

Um atropelamento. Essa é a melhor definição para o primeiro tempo da partida. Sem tomar conhecimento do Santa Cruz, que pareceu não ter entrado em campo, o América-MG demorou apenas um minuto para mostrar quem manda no Independência. Aproveitando-se da frágil defesa coral, Robertinho empurrou a bola para o fundo das redes tricolor. Feito repetido por Mancini, aos oito, e Diego Sacoman, contra, aos 15. Massacre que deixou a equipe do técnico Ricardinho atônita em campo.  Sem forçar, o Coelho chegou ao quarto gol com Marcelo Toscano. O vexame coral só não foi maior porque Pedro Castro, no último minuto, diminuiu.

Duas bolas na trave, um gol anulado e duas chances claras de gol. Tivesse aproveitado o que criou no segundo tempo, o Santa Cruz conseguiria um placar histórico no Independência. A reação, porém, não aconteceu. Mesmo mostrando um futebol infinitamente melhor do que na primeira etapa, o Tricolor não conseguiu nem mesmo diminuir a distância do placar. Acomodado pela vantagem elástica, o América-MG praticamente não entrou em campo na segunda etapa. Investindo no toque de bola e tirando proveito do nervosismo dos pernambucanos, o Coelho só viu o tempo passar até o apito final.

GLOBO ESPORTE.COM

Atlético Goianiense 0 x 0 Botafogo

O JOGO

NINGUÉM MERECIA GANHAR

Poucas partidas nesta Série B tiveram tantos erros quanto Atlético-GO e Botafogo, neste sábado, no Mané Garrincha, em Brasília. Passes, cruzamentos, finalizações… até laterais foram mal executados. O pouco futebol das duas equipes fez jus a um gramado em péssimo estado, algo difícil de compreender em uma grandiosa arena construída para a Copa do Mundo. Não à toa o placar de 0 a 0 resumiu os 90 minutos. Ninguém mereceu ganhar.

Com o resultado, o Bota perdeu o 100% de aproveitamento. Tem, agora, sete pontos em três partidas, digno da terceira colocação no campeonato. O Dragão é o oitavo, com quatro pontos. As duas equipes voltam a campo no próximo sábado. No Engenhão, às 16h30 (de Brasília), o Botafogo recebe o Vitória. Mesmo horário em que o Atlético-GO, no Heriberto Hülse, desafia o Criciúma.O público de Brasília não se entusiasmou com a partida. No total, 7.822 pessoasm foram ao estádio. A renda chegou a R$ 361.780.Sonolento, devagar, desinteressante… Não faltaram adjetivos negativos para resumir o primeiro tempo. Botafogo e Atlético-MG abusaram dos passes errados, da falta de criatividade e do futebol burocrático. O chutão e a bola parada ditaram o ritmo. Lulinha, em chute cruzado, foi quem mais levou perigo ao gol de Márcio. O seu time abandonou a postura defensiva e tentou atacar, então, Arthur, ao receber livre, finalizou com força, mas parou em Jefferson. O ex-atacante do Fla, ainda, marcou gol, corretamente anulado por impedimento. Com Diego Jardel no lugar de Daniel Carvalho, René Simões tentou apostar mais na qualidade após o intervalo. Mas foi o Atlético-GO quem assustou: Rafinha tentou cruzar e acertou o travessão. O Bota passou a pressionar. Diego Jardel e Elvis, em chutes de fora, quase abriram o placar. Arthur, em contragolpe, após driblar Jefferson, perdeu outra chance. No fim, o empate sem gols foi o máximo que a partida mereceu. Sem mais.
ELVIS

No marasmo do primeiro tempo, Elvis foi quem se destacou. Era quem errava menos passes, tentava algo diferente. Só. Foi na etapa final que apareceu mais. Quase marcou em lindo chute cruzado, defendido por Márcio.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Mogi Mirim 1 x 1 Sampaio Corrêa

O JOGO

TUDO IGUAL

O empate por 1 a 1 na noite desta sexta-feira, no Romildão, manteve o Mogi Mirim em baixa e o Sampaio Corrêa em alta na Série B do Brasileiro. Mas a diferença na tabela não se refletiu em campo. Os paulistas mostraram superação para buscar a igualdade com Júnior Juazeiro no segundo tempo e evitar a terceira derrota seguida. Já o Sampaio, eficiência à parte no gol de Robert, deixou a desejar e perdeu o aproveitamento de 100% e também a chance de dormir na liderança (Foto: Guto Marchiori).

DESTAQUE
OLHO NA TABELACom sete pontos, o Sampaio Corrêa dorme na segunda colocação. No complemento da rodada, só corre o risco de ser ultrapassado pelo Bahia, que, com quatro pontos, enfrenta o CRB, fora de casa. Na parte de baixo, o Mogi somou o primeiro ponto, mas continua na zona de rebaixamento.

 

DESTAQUE

AGENDA

Mogi e Sampaio voltam a campo no outro sábado. Em duelo paulista contra o Oeste, fora de casa, o Sapo busca a primeira vitória, às 21h. Mais cedo, o Sampaio faz confronto direto pela primeira posição contra o Náutico, atual líder, a partir das 16h30, em São Luis.

 

DESTAQUE

RESUMO

O primeiro tempo foi fraco tecnicamente. Os times começaram abusando das ligações diretas. Faltava criatividade no meio de campo. Bastou o Sampaio colocar a bola no chão uma vez e pensar a jogada para chegar ao gol, após bela tabela entre Daniel e Válber que Robert completou. A partir daí, os visitantes praticamente abdicaram do ataque e chamaram o Mogi, que começou a evoluir timidamente. Geovane, ao acertar a trave, proporcionou o principal lance dos donos da casa antes do intervalo. O segundo tempo teve uma pressão inicial do Sapo que resultou no empate. Com as mudanças (Rivaldinho, Geovane Lobo e Júnior Juazeiro), Edinho colocou a equipe para a frente. Rivaldinho deu novo gás ao ataque. Ele tentou uma, duas, três vezes… Na terceira, o seu rebote caiu nos pés de Júnior Juazeiro, que acabara de entrar, marcar. Quando parecia que o Mogi seguiria em cima até achar a virada, o ritmo caiu. Apesar dos espaços, nenhum dos lados fez mais para merecer a vitória.

 

 

 

DESTAQUE

COMO FICA?

Em seu terceiro jogo como técnico profissional, Edinho conseguiu o primeiro ponto, o que deve ser suficiente para seguir à frente do cargo e dar sequência ao trabalho no Mogi.

 

DESTAQUE

NA BRIGA

Os autores dos dois gols da partida lideram a artilharia da Série B ao lado de outros nove jogadores. Robert e Júnior Juazeiro já marcaram duas vezes, a exemplo de Escudero (Vitória), Anderson Aquino (Santa Cruz), Júnior Negão (Oeste), Edvânio (Sampaio Corrêa), Wagninho (Oeste), Válber (Sampaio Corrêa), Elton (Vitória), Pipico (Macaé) e Zé Roberto (Bahia).

 

DESTAQUE

DECEPCIONANTE

A torcida do Mogi deixou a desejar novamente. Apenas 604 pagantes compareceram, para uma renda de R$ 7.010,00

 

GLOBO ESPORTE .COM

 

 

 

Vitória 4 x 1 Bragantino

Vitória ameniza crise com goleada sobre o Bragantino pela Série B

Dominante do início ao fim, Leão faz 4 a 1 sem dificuldades no Barradão.
Resultado sela as pazes entre equipe baiana e torcedor

O Vitória colocou a crise de lado na noite desta sexta-feira ao golear o Bragantino por 4 a 1, no Barradão, pela terceira rodada da Série B do Brasileiro. Se antes do jogo, a equipe era contestada por torcedores, o conjunto baiano deixou o campo aclamado pelo público presente no estádio. Escudero, Rogério, Elton e Diogo Mateus marcaram para os donos da casa. Chico foi o autor do gol de honra do Massa Bruta.

O resultado deixa o Vitória temporariamente na quinta colocação com seis pontos conquistados e quatro gols de saldo. O Bragantino cai para a 16ª posição e pode até terminar a rodada na zona de rebaixamento, dependendo dos resultados deste sábado.

Frame Vitória x Bragantino comemoração (Foto: Reprodução)
Vitória comemora a vitória sem sustos sobre o Bragantino nesta sexta-feira (Foto: Reprodução)

O Bragantino volta a campo na próxima sexta-feira, às 19h30, quando recebe o América-MG no Nabizão. O Vitória volta a campo no sábado, às 16h30, quando visita o Botafogo, no Engenhão.

O jogo

Nas entrevistas antes do confronto, o técnico Osmar Loss, do Braga, repetia a importância de segurar o ímpeto do Vitória nos primeiros 15 minutos. Não adiantou. Com quatro minutos, Vander errou uma cabeçada sem goleiro. Logo depois, aos sete minutos, mais um vacilo do Massa Bruta. Alemão afastou mal o cruzamento e a bola sobrou no pé de Escudero. Da entrada da área, o meia bateu com classe para abrir o placar e transferir a pressão de lado. Forçado a buscar o empate, o Bragantino foi ao ataque e deu brecha para a velocidade do Vitória. Os baianos até poderiam ter aumento, mas perderam chances claras de gol.

As oportunidades desperdiçadas no fim da primeira etapa não se repetiram no segundo tempo. O Vitória veio avassalador, o Bragantino veio sonolento e o resultado foi dols gols em cinco minutos. Com um minuto, Douglas saiu jogando errado, Elton recebeu livre, dentro da área e ampliou. Logo depois, foi Pedro Henrique quem errou na saída de bola. O Vitória recuperou, Rogério foi lançado, limpou Douglas e marcou o terceiro.

O terceiro gol fez com que o Vitória recuasse, e o Bragantino dominasse o jogo. Em um lance polêmico, Alan Mineiro até balançou as redes, mas a arbitragem marcou pênalti antes, quando Jobinho foi derrubado. Erick cobrou rasteiro, e Fernando Miguel fez grande defesa. Os paulistas só conseguiram o gol aos 28 minutos, quando Chico invadiu a área com liberdade, e bateu com classe na saída do goleiro. Quando o Braga aumentava o ritmo, Diogo Mateus colocou fim à reação dos paulistas. Em jogada pela direita, ele deixou Moisés no chão e acertou uma bomba, no ângulo de Douglas para fechar o placar e selar a goleada do Leão.

 

GLOBO ESPORTE .COM