Além do Tempo terá formato de duas novelas em uma

Artifício será utilizado para driblar grande quantidade de capítulos.

Paolla Oliveira escurece os cabelos para a vilã de Além do Tempo (Foto: Fábio Rocha/GShow)

Próxima novela das seis com estreia prevista em 13 de julho, Além do Tempo, da autora Elizabeth Jhin, terá um formato diferente do habitual. O estilo foi encontrado por Jhin e se encaixa no enredo da trama, além de proporcionar um maior fôlego à história, que terá uma grande quantidade de capítulos. A previsão é de que a novela tenha 197 capítulos.

De acordo com o jornal Extra, Elizabeth Jhin lançará o espiritismo como artifício para fazer duas novelas em uma. A trama contará histórias de pessoas que vivem, odeiam, amam e morrem no Brasil do século XIX. Na segunda metade da novela, haverá um salto de 150 anos na história. As mesmas pessoas estarão vivendo no século XXI e terão a chance para corrigirem seus erros.

A fim de facilitar a compreensão por parte dos espectadores, os mesmos atores farão os diferentes personagens nas duas épocas e terão os mesmos nomes. Rafael Cardoso será o mocinho Frederico; Aline Moraes, a mocinha Lívia; e Paolla Oliveira, a vilã Melissa. Para conferir todo o elenco de Além do Tempo,clique aqui.

 

O Planeta TV

Paloma Duarte é cogitada para novela das sete da Globo

A atriz não renovará seu contrato com a Record.

Paloma Duarte durante a novela Máscaras (Foto: Michel Ângelo/TV Record)

O nome de Paloma Duarte é sondado para Totalmente Demais (título provisório), a próxima novela das sete da Globo. Ainda não há nada oficial, mas existem conversas sendo realizadas entre a emissora e a atriz.

Contratada da Record há dez anos, Paloma Duarte não fará mais parte do casting da emissora. A atriz não renovará seu contrato, que terminará em junho deste ano. No ano passado, Paloma foi vista fazendo uma visita ao Projac, a fábrica de sonhos e fantasias da Rede Globo.

 

O Planeta TV

SBT fecha mês de abril na vice-liderança no Rio Grande do Sul

SBT fecha mês de abril na vice-liderança no Rio Grande do Sul

 

O SBT RS, filial do canal de Silvio Santos no estado, comemora o seu fechamento de audiência em abril, onde teve mais um mês de vice-liderança.

Segundo dados de audiência obtidos com exclusividade pelo NaTelinha, o canal completou cinco meses consecutivos em segundo lugar, em todas as faixas horárias.

Na média das 24 horas de programação, a emissora alcançou 10% de crescimento e fechou abril com 3,6 pontos de audiência e 10,0% de share, contra 3,2 da Record. No período da manhã, das 6h às 12h, o SBT RS manteve a vice-liderança com aumento de 12%, o maior índice entre as emissoras concorrentes. Na média mensal, a emissora obteve 2,5 pontos contra 2,3 da sua principal concorrente.

No horário da tarde, das 12h às 18h, o SBT RS atingiu a maior média dos últimos 12 meses, com 13% de acréscimo em audiência e média de 4,5 pontos contra 4,1 da Record RS.

Durante o horário nobre, das 18h à 24h, a filial da rede de Silvio Santos soma em abril cinco meses na vice-liderança isolada de audiência e se destaca com a melhor média mensal do último ano. A emissora registrou um crescimento de 8% e média de 5,5 pontos contra 5,0 da Record, que tem até marcado bons índices em Porto Alegre com “Os Dez Mandamentos”.

E na faixa da madrugada, das 24h às 6h, o SBT RS manteve a vice-liderança com crescimento de 2% e média de 1,9 ponto, contra 1,5 da Record.

Os programas locais continuam se destacando, com todos fechando em segundo lugar. O jornal “SBT Rio Grande”, apresentado por Marcelo Coelho, registrou subida de 23% em audiência e 20% em participação em abril. Com média mensal de 3,7 pontos e share de 10,8%, o jornalístico completa 11 meses na vice-liderança consecutiva, contra 2,5 da Record, que exibe o “Hoje em Dia” e o “Balanço Geral” na faixa.

Já o “SBT Esporte”, no ar após o jornalístico, alcançou o segundo lugar em abril com crescimento de 27% em audiência e participação. Com o maior índice dos últimos 12 meses, o programa garantiu 3,9 pontos de média e 9,6% de share contra 3,8 da terceira colocada.

Por fim, o Masbah” fechou 12 meses de vice-liderança absoluta em abril, com média mensal de 3,4 pontos e share 8,6% contra 2,3 da Record.

Os números são consolidados e refletem a preferência de um seleto grupo de telespectadores na Grande Porto Alegre.

 

NaTelinha

Morre o ator Elias Gleizer, aos 81 anos

Morre o ator Elias Gleizer, aos 81 anos

Um dos atores mais longevos da história da Globo, o ator Elias Gleizer faleceu na manhã deste sábado (16), no Hospital Copa D’or, no Rio de Janeiro.

Elias estava internado desde o último dia 6 de maio e morreu por falência circulatória em decorrência de um trauma.

Desde 2011, o ator sofria com um problema renal crônico e passou por várias internações de 2011 para cá.

Filho de judeus poloneses que fugiram da perseguição na Europa, Elias Gleizer surgiu na TV Tupi, no fim da década de 1950. Fez a novela “José do Egito”, em 1959. Depois engatou uma série enorme de novelas e outros teleteatros na própria Tupi. Fez nada menos que 25 trabalhos na emissora pioneira. Seu tipo bonachão, um corpo grande, aliados ao olhar doce, encaixavam-se sempre em variados papéis.

Se transferiu para a Band com a falência da Tupi, onde fez “Meu Pé de Laranja Lima”, dente outras novelas. Depois de uma passagem rápida pelo SBT, se transferiu para a Globo, onde sua primeira novela foi “Fera Radical”. Lá, fez mais de 20 tramas também.

Entre seus papéis mais marcantes, estão o Jairo, de “Tieta”, o tio Zé de “Sonho Meu”, o Canequinha de “Anjo de Mim”, e, principalmente, o Vô Pepe de “Era uma Vez”, em 1998, onde acabou caindo nas graças do público infantil.

Elias Gleizer nunca se casou e não teve filhos. Nas suas redes sociais, a Rede Globo lamentou a morte do ator. Ainda não há informações de seu enterro.

NaTelinha

James Akel comenta o fato de Joaquim Lvey querer taxar heranças

 

O ministro Joaquim Levy estuda ato covarde contra a classe média.

Ele quer taxar heranças.

Ora, as grandes fortunas não se afetam com taxas mas a classe média é covardemente agredida.

Uma pequena ou média casa de classe média, quando deixada de herança, é um bem simples de família e uma taxação muitas vezes não encontra recurso por parte do recebedor da herança.

Muitas pessoas de classe média nos dias de hoje adiam a abertura de inventário por falta de dinheiro para pagamento de taxas sobre os bens deixados.

Imagine acrescentar a isto uma taxa da Dilma, que fez o que fez com o Brasil e agora quer que a classe média pague das cagadas de seu governo.

Esta gente está acabando com a classe média e o Brasil, os políticos que deveriam ser de oposição são cúmplices do petismo e os militares ficam de braços cruzados para tristeza do povo que realmente paga as contas da bandalheira brasileira.


Escrito por jamesakel@uol.com.br às 13h22 no dia 16/05/2015

James Akel comenta o fato de Marco Aurélio Cunha ter renunciado ao mandato de vereador

Alguém imagina um vereador que ganha bem e tem uma enorme verba de representação renunciar o cargo pra ter carguinho na CBF? Pois o Marco Aurélio Cunha desprezou os mais de 50 mil eleitores que lhe deram voto pra ganhar um cargo na CBF.

Só pode ser uma grana boa pra largar a vereança e suas vantagens.

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 20h41 no dia 16/05/2015