James Akel comenta que é proibido o Brasil dar dinheiro a outro país sem autorização do Congresso

A Constituição não permite que se dê dinheiro a outro país sem autorização do Congresso.

Dilma fez isto e deu uma fortuna pra Cuba em caráter sigiloso.

Quem carimbou o sigilo foi Fernando Pimentel, outro comunista que misteriosamente ganhou eleição de Minas e deu medalha pra guerrilheiro cubanista.

O Congresso não teve competência pra decretar impeachment de Dilma ano passado, dentro do mandato em que ela deu o dinheiro.

Algo me faz acreditar que temos um Congresso de entreguistas e aproveitadores que permite os desmandos de Dilma.

O PSDB fez parte desta entrega a Cuba tanto amada por Fernando Henrique Cardoso e Aloysio Nunes Ferreira.

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 08h23 no dia 29/04/2015

James Akel comenta que Record e SBT vão perder tempo com reality show de culinária

O show de culinária que o SBT vai exibir com a Ticiane Villas Boas é igual ao show de culinária que a TV Record vai colocar no ar.

A TV Record teve a ideia antes.

Lógico que os dois programas nada tem a ver com tv aberta.

Os dois são um bom perfil de tv a cabo e não vão dar ibope à altura do que precisa.

É a falta de entendimento dos donos de tv sem saber quem está vendo a tv e fazendo tv pra tv a cabo dentro da tv aberta.

Por isto que os dois estão a cada dia mais entregando o outro pra TV Globo, que estava em sua pior fase e já começa a ter mais ibope.

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 08h24 no dia 29/04/2015

James Akel elogia as novidades do CQC para 2015

 

A mim chamou atenção um texto do analista de tv Mauricio Stycer sobre um quadro do programa CQC.

Nesta nova temporada eu vi os primeiros programas e não gostei da postura indefinida do apresentador Dan Stulbach que tentava copiar outra pessoa.

Mas hoje ao ver o comentário sobre um determinado quadro do programa, fui ver os vídeos e me surpreendi.

Vi o quadro do excelente  repórter Lucas Salles indo atrás de pessoas que escreveram bobagem em sites e colocando a pessoa na frente da câmera pra que a pessoa peça desculpas do que falou.

Lucas Salles dá show de trabalho.

Este quadro e este repórter se estivessem no Fantástico dariam excelente ibope.

Leveza, inteligência, sagacidade, além de muita educação , classe e carisma, mostram alguém que em breve deve ser contratado pra algum lugar de mais ibope.

Aliás o CQC, que foi criação de Diego Guebel, só não tem mais ibope porque o mesmo Diego Guebel cuida da programação de toda TV Bandeirantes e não está sabendo criar uma grade que dê ibope.

Vamos lembrar que Galvão Bueno, Luciano Huck e Faustão estiveram no começo da carreira na TV Gazeta e hoje são o grande sucesso da TV Globo.

Sem dúvida nenhuma Lucas Salles tem o mesmo caminho.

E minha surpresa maior e até fiquei contente com isto foi ver o apresentador Dan Stulbach tendo mudado sua postura e sendo ele mesmo.

Dan passou a falar normalmente no programa, explanando suas ideias e levando pensamento e sentimento ao povo.

Dan é um excelente diretor de teatro e resolveu passar toda esta sua experiência ao povo que vê tv.

Agora temos um apresentador diferente e mostrando sua verdade no CQC que não precisava de ninguém que imitasse o apresentador anterior.

Volto a ter vontade de ver o CQC novamente.

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 10h13 no dia 29/04/2015

Leitor vê incoerência no “CQC Haters”; repórter do programa se explica

cqchaterslucas1Áreas de comentários em sites, blogs ou nas redes sociais se tornaram o espaço para disseminação de preconceitos, ofensas, mentiras e muito ódio. Anônimos ou com a cara exposta, os chamados “haters” não têm medo ou vergonha de expor, com violência verbal, o que pensam a respeito de pessoas que nem conhecem ou de situações que não entendem.

É com o objetivo de confrontar esses comentaristas que o “CQC”, da Band, tem apresentado um quadro bastante peculiar, chamado “Haters”. O programa busca identificar autores de comentários odiosos e o repórter Lucas Salles tenta entrevistá-los.

Nesta terça-feira (28), recebi um e-mail sobre o quadro. O estudante Lucas Lima me escreveu fazendo uma crítica que julguei muito pertinente à atração. Deixando muito claro que é contra os comentários odiosos, ele escreveu o seguinte:

“À primeira vista achei simpático o quadro ‘CQC Haters’, porém essa impressão durou pouco. Passei a enxergar o quadro como pouco afeito à liberdade de expressão. Sim, devo admitir que a intenção de surpreender os ‘haters’ em seu pretenso anonimato é interessante, mas há aí um problema que uma fala do repórter Lucas Salles nesta edição explicitou. Ele disse: ‘Você não pode sair por aí dizendo tudo que você pensa, porque o que você pensa pode ser uma merda’.

Ora, a liberdade de expressão abrange tudo que não fira a Constituição e as leis. No caso brasileiro, não se pode incorrer em calúnia, injúria e difamação, bem como fazer apologia ao crime, à violência e ao consumo de drogas ilícitas. Não se enquadrando em nenhuma das práticas citadas, todos têm direito de digitar a merda que quiserem. Um programa com pretensões humorísticas e jornalísticas com certeza não deve ser o lugar de julgar opiniões alheias, correndo o risco de assim equiparar-se aos intolerantes haters.”

Procurei o repórter Lucas Salles e mostrei a ele o e-mail de seu xará.

Agora, a resposta de Salles:

cqchaterslucas3“Em primeiro lugar, muito obrigado pelo seu ponto de vista! Sua opinião é muito importante para o programa e, principalmente, para mim. De verdade. Irei me explicar agora.

Em segundo lugar, confirmo a frase citada por você. Sim, eu a disse e, nesse momento, afirmo que foi um erro. Ela pode ser muito mau interpretada (e foi!). O erro foi meu. Mais de ninguém. Por isso, agora, peço desculpas ‘pessoalmente’ por ela. Gostaria de levantar alguns pontos!

Com certeza, eu fui infeliz nesta frase. Mas, o que eu queria dizer, é que antes de falarmos alguma coisa, devemos pensar sobre. Não façam o mesmo que eu fiz ao ‘falar essa frase’. Dei o exemplo da pior forma possível! Porém, a minha frase, na maneira em que foi colocada, não dizia a respeito sobre ninguém, nem sobre nenhum caso e nem refletia nenhum pensamento/sentimento meu (preconceito, ódio, raiva). Minha frase foi colocada como uma ‘dica’. É claro que é um pensamento meu, mas sem nenhum pré conceito. Usei as palavras erradas? Usei. Isso é um erro? É. Por isso, peço desculpas por ela.

cqchatersfraseO quadro ‘Haters’, do qual eu me orgulho muito em fazer parte, vai atrás de pessoas que disseminam o seu ódio através de comentários maldosos, preconceituosos e mal intencionados. Muitos, inclusive, vêem isso como uma ‘profissão’. Ficam horas atrás de um computador, mandando mensagem de ódio para outras pessoas e, às vezes, hackeam a vítima afim de descobrir seu telefone, sua residência, entre outras coisas.

Tem que haver um limite para isso, sim, Lucas. Isso, sem sombra de dúvidas, é uma merda. E olha que eu pensei antes de falar! Mas não acho nenhuma outra palavra melhor que possa resumir a situação chata que é causada pelos haters! E é por isso que criamos este quadro. Primeiro, para entender o que se passa na cabeça de uma pessoa que faz esse tipo de comentário. Segundo, para conversar com o ‘hater’ e saber qual finalidade ele queria atingir com o seu comentário. E terceiro, porque achamos importante criamos uma ‘consciência’ para o nosso público. Onde as pessoas possam ver que, um ‘simples comentário’, faz uma filha chorar, uma mãe sofrer, um amigo ficar irritado…

Queremos mostrar a lei mais simples do universo: toda ação gera reação. E não é por que você está na internet que você está protegido. Estamos atrás deles, custe o que custar.

Mais uma vez, peço desculpas pela má interpretação da frase. Viva a liberdade de expressão! P.S.: Mas viva também o respeito pelo próximo, né? P.S.2: Não queremos “cagar regra”, tá? É mais para mostrar ao público e criarmos essa consciência!”

Os meus parabéns aos dois Lucas. É assim, educada e civilizadamente, que se discute.

 

Maurício Stycer

James Akel divulga inauguração da nova loja da Cajec na Rua Augusta

A Cajec  – Casa de Apoio à Criança com Câncer “José Eduardo Cavichio” inaugura sua nova loja de produtos produzidos na oficina de costura da instituição. A loja, cedida por um doador da casa,  está localizada à rua Augusta, 2690 – loja 328 – Cerqueira César – SP. Venha nos visitar. Adquira os produtos Cajec. A sua contribuição ajuda a manter  a  estrutura de atendimento às crianças assistidas da instituição e seus acompanhantes. Participe, colabore. A sua ajuda é muito importante para o combate e prevenção ao câncer infantojuvenil.

A Cajec  abriga  até 40 crianças e adolescentes com câncer, e seus acompanhantes, de todo o Brasil e da  América Latina. É uma instituição filantrópica sem fins lucrativos que necessita de todo tipo de doação. Alimentos é necessidade premente da instituição. A Cajec não recebe nenhuma ajuda governamental. A instiuição mantém suas aitivdades com doações de pessoas jurídicas e físicas.
A sede da instituição está localizada a rua Preciosa, 86 – Parque Monte Alegre – Taboão da Serra – SP – CEP 06756-170. Novos telefones: 4787-7149 / 4701-4194 ou 2922-9369. Grata pelo empenho em nos ajudar.
Maria Luiza Centelles – Presidente Fundadora – centelles@cajec.org.br -cel.9 4518-1331


Escrito por jamesakel@uol.com.br às 14h10 no dia 29/04/2015

James Akel comenta vitórias do Gugu sobre o Programa do Ratinho

 

A coluna de tv da Folha de hoje escrita por Lígia Mesquita mostra que Gugu ganhou 14 vezes contra apenas 5 do SBT.

A maior parte do tempo a disputa foi contra o programa do Ratinho.

Triste ver que uma emissora do porte do SBT e do custo do Programa do Ratinho perca tanto de um programinha tão ruim quanto é o do Gugu.

Pra que serve ocomando geral de Daniela Beyrute?
Pra nada.

 

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 14h48 no dia 29/04/2015

James Akel comenta serventia da programação da Rede TV!

 

Li outro dia uma entrevista do dono da RedeTV, Amilcare Dallevo.

Nesta entrevista Amilcare fala que a cada dia ganha mais ibope e que a programação de sua emissora é cuidada por uma equipe de 8 pessoas que estudam programas.

Então fui ver os números de ibope que mostram 1 ou abaixo de 1 a média diária da RedeTV agora.

Quer dizer que tem um equipe de 8 pessoas pra dar 1 de ibope.

Talvez o objetivo da emissora não seja o ibope mas apenas o faturamento, o que é louvável empresarialmente.

 

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 16h22 NO DIA 29/04/2015