Japan-United Arab Emirates playmakers take centre stage

January 22, 2015 – 10:42PM

Ian McCullough

Keisuke Honda.

Keisuke Honda. Photo: Getty Images

Two of the biggest stars of the Asian Cup face off in Sydney on Friday when Japan’s Keisuke Honda and the UAE’s Omar Abdulrahman battle for a spot in next week’s semi-finals.

Honda, who plays for Italian giants AC Milan, has been in sparkling form for the defending champions, scoring in all three of their Group D encounters.

The spiky-haired deadball specialist now boasts 28 goals in 68 international appearances enjoys rock star status in his homeland as one of the finest players Japan has produced.

Abdulrahman is held in similarly high esteem in the UAE and almost became the first Emirati to join an English Premier League club when he was offered a four-year deal by Manchester City 18 months ago, only for the move to break down due to visa problems.

The silky-skilled wideman has been a stand-out in this tournament because of his exceptional ability on the ball even more than his afro-style haircut.

Abdulrahman was man of the match in the 2-1 win over Bahrain that sealed the UAE’s first quarter-final spot since 1996 and the best player on the park in Brisbane during Monday’s last-gasp 1-0 defeat to Iran that denied his side top spot in Group C.

It was during that game he showcased his dribbling ability with a brilliant run into the Iran box that left four defenders in his wake.

Japan boss Javier Aguirre, a Mexican who counts Atletico Madrid, Osasuna and Espanyol amongst his former clubs, is well aware of the threat posed by 23-year-old Abdulrahman.

But he is also wary of young UAE striker Ali Mabkhout, who like Honda has scored three Asian Cup goals.

“I have watched the UAE’s games and I think he (Abdulrahman) is a wonderful player and I know European teams are looking at his high level play,” Aguirre said.

“But one player can’t win games … the UAE won as a team and we hope to take care of him the same as other players like Mabkhout.”

The Samurai Blue looked every inch tournament favourites in this week’s 2-0 win over Jordan, a performance that left opposing coach, former England star Ray Wilkins drooling.

Wilkins, who played 84 times for his country, believes Aguierre’s side are on course for a fifth Asian Cup crown.

“Tactically they’re exceptional,” he said.

“They have a fantastic mixture of youth and experience. Everything is good about the Japanese.”

Aspirations are high in Japan, who were bitterly disappointing at the World Cup in Brazil, finishing bottom of a group containing Columbia, Greece and the Ivory Coast.

It cost Alberto Zaccheroni his job and Aguirre, who coached Mexico at the 2002 World Cup, has warned an expectant nation not to expect a straight-forward victory.

“We must fight in the 90 minutes of each game and respect our opponents and hope to continue as we have done,” he said.

“From my experience in the Copa America, the World Cup and the Gold Cup, our chances are the same as the other seven teams; we start from zero from now.”

AAP

 

Source : The Canberra Times

Canberra Stadium pitch the best in the Asian Cup ahead of Iran v Iraq quarter-final

January 22, 2015 – 5:22PM

Lee Gaskin

Sports reporter at The Canberra Times

The Canberra Stadium surface: so good you could eat spaghetti off it.

The Canberra Stadium surface: so good you could eat spaghetti off it. Photo: Reuters

The Canberra Stadium playing surface has been transformed from a laughing stock to the best in the country.

Fifteen years after the debacle of having the grass needing to be painted green for the 2000 Olympic Games football tournament, Canberra Stadium has become the darling of the Asian Cup.

The playing surface has been given rave reviews ahead of Friday night’s seventh and final game in the national capital – the quarter-final between arch-rivals Iraq and Iran.

While Brisbane Stadium’s shoddy surface has copped criticism from pillar to post, there’s been no such dramas in Canberra, where an immaculate ground has been the perfect setting for sparkling football.

Tran Quoc Tuan from the Asian Football Confederation Organising Committee gave Canberra Stadium the ultimate compliment on Thursday, presenting a plaque to ACT Minister for Sport and Recreation Shane Rattenbury.

“We are very happy that the pitch quality of the stadium is the best in the tournament,” Quoc Tuan said.

Take that, Sydney.

That that, Melbourne.

Take that, Newcastle.

Canberra. The best pitch quality in all of the Asian Cup.

The ringing endorsement from the AFC will be a feather in the bow of the ACT government the next time they go to the table with Football Federation Australia and bid for a Socceroos game.

The ACT government paid $3.5 million to host seven Asian Cup games, an investment which on the surface appears to have been a raging success.

“It’s a wonderful privilege to have the games in Canberra,” Rattenbury said.

“Canberra can be a little bit dead at this time of year as most people are away on holidays, but the Asian Cup has brought some life to the city and everyone is talking about the games.

“Each of the games had their own flavour and nationalities that have come to the city.”

More than 63,000 people have attended the six games so far in Canberra, including a sold-out crowd of 18,457 to watch China beat North Korea 2-1.

Another near capacity crowd is expected for the quarter-final, with Iraq’s passionate supporters to be joined by the large Iran contingent which has followed its team during the tournament.

Iran coach Carlos Queiroz said the support had been invaluable to his team’s success.

“The way the fans have created the beautiful party and nice environment around the stadium is always great motivation for the players,” Queiroz said.

“My message to the fans is to welcome them and thank them for their support.

“We should show our gratitude and play a great football match.”

 

Source : The Canberra Times

AFC Asian Cup Iran v Iraq quarter-final draws football fanatics to Canberra

January 22, 2015 – 11:45PM

Megan Gorrey

Reporter at The Canberra Times

Self-confessed football fanatic Ali Parvizi (centre), of Bonython, will cheer on Iran at Friday's AFC Asian Cup quarter-final at Canberra Stadium. He will be joined by his children Navid, 8, (left), and Anita, 7, (right), as well as (back, from left) family members Mehri Roses-Parvizi, Maryam Parvizi and Danielle Parvizi.

Self-confessed football fanatic Ali Parvizi (centre), of Bonython, will cheer on Iran at Friday’s AFC Asian Cup quarter-final at Canberra Stadium. He will be joined by his children Navid, 8, (left), and Anita, 7, (right), as well as (back, from left) family members Mehri Roses-Parvizi, Maryam Parvizi and Danielle Parvizi. Photo: Jamila Toderas

When Ali Parvizi’s family fled Iran for Australia in the 1980s, it was to escape a nation at war with neighbouring Iraq.

The significance of the opportunity to cheer on his home country when the rival Middle Eastern teams battle it out at Canberra Stadium on Friday has not escaped Mr Parvizi.

He’s among thousands of local fans gearing up for the last AFC Asian Cup match to be played in Canberra – Iran and Iraq’s quarter-final contest.

Strong turnouts at the tournament, which surpassed early predictions and were helped by a steady stream of interstate visitors, have excited football fans and bolstered Canberra’s tourism sector in recent weeks.

Mr Parvizi, an assistant director at the Australian Institute of Sport, snapped up 58 tickets for his close friends and family to attend Friday’s contest.

“We’re so excited the team’s coming to Canberra and we know that thousands of people are coming down from Sydney for the game.”

Mr Parvizi said Friday’s match would be a once-in-a-lifetime experience but his dream was to watch Iran face off against Australia in the grand final.

“If Iran does play Australia in the grand final, your heart’s in one place but Australia’s our home.

“At the end of the day we’re out there to watch a beautiful game and the best team will win.”

Local organising committee ambassador Mohammed Alali, who moved to Australia from Iraq 20 years ago, said Friday’s contest was about more than football for Iraqi fans – it was about hope.

“Although we are here, our hearts are back home and the country’s still going through difficult times.

“It gives hope the country will go back to being normal. It reminds us of something we used to have before, and it’s a good opportunity for Iraq competing with other nations.

“So I think this game is most important.”

Mr Alali said many different cultural groups and communities from the ACT and further afield had enjoyed the Canberra games.

“It’s good for small businesses and hotels with all the people coming from other states.”

Mr Parvizi said it was encouraging to see such high-profile sporting teams being lured to the city.

“It’s been great for football and great for Canberra.”

More than 34,000 people attended the first four Asian Cup games in Canberra, with another 18,000 fronting up for Sunday night’s match between China and North Korea. Up to 70,000 people are expected to go through the gates for the seven games.

Visit Canberra director Ian Hill said more than 60,000 tickets were sold for the first six matches and he expected Friday’s game would be a sell-out.

“It’s great to have these nations playing in the capital.”

“Some of the teams have based themselves here at the Australian Institute of Sport for training, like Oman and Kuwait, and it’s been great having them here.”

Mr Hill said Canberra’s hospitality industry was boosted by the influx of players and team staff, Asian Football Confederation employees and busloads of fans.

“We’ve been working very closely with the accommodation sector for the past few months ahead of the Asian Cup and the Cricket World Cup, and we’ve just had the Prime Minister’s XI match.

“That’s been a real shot in the arm for those hotels.”

Mr Hill said televised matches showcased bumper Asian Cup crowds, an immaculate Canberra Stadium and beautiful images of the city, and helped put the capital on the map.

He believed the local success of the competition would bode well for future conversations with national and international sporting bodies.

“It’s a very competitive space, so you’ve got to show your credentials and I think Canberra’s done that in spades in the past couple of weeks.”

 

Source : The Canberra Times

Consolidados GRANDE SP 21/01/2015

Reprise de O Rei do Gado bate recorde; BBB15 cresce no segundo dia de exibição.

Impulsionada pelos últimos capítulos de Cobras & Lagartos, a reprise de O Rei do Gado bate recorde de audiência. À noite, o Big Brother Brasil 15  cresce no segundo dia de exibição.

Sem Marcelo Rezende no comando, o Cidade Alerta recua e fragiliza o horário nobre da Record.

No SBT, Bom Dia & Cia permanece na vice-liderança. Programa do Ratinho e o Programa do Ratinho também conquistam o segundo lugar.

Confira, abaixo, as principais audiências desta quarta-feira, 21 de janeiro:


Mais Você – 6
Bem Estar – 6
Encontro com Fátima Bernardes – 7
Vídeo Show – 10
Sessão da Tarde – 10
Vale a Pena Ver de Novo: Cobras e Lagartos – 16
Vale a Pena Ver de Novo: O Rei do Gado – 18
Malhação – 15
Boogie Oogie – 17
Alto Astral – 21
Império – 34
Big Brother Brasil – 27
Luz, Câmera, 50 Anos (Dercy de Verdade) – 17


Fala Brasil – 4
Hoje em Dia – 4
Balanço Geral SP – 5
Programa da Tarde – 4
Cidade Alerta – 7
Vitória – 5
Milagres de Jesus – 6


Bom Dia & Cia – 5
Um Maluco no Pedaço – 6
Chapolin – 6
Casos de Família – 6
Esmeralda – 7
Sortilégio – 6
A Feia Mais Bela – 6
Chiquititas – 12
Rebelde – 5
Roda a Roda – 7
Programa do Ratinho – 7
Conexão Repórter – 5
The Noite com Danilo Gentili – 4


Jogo Aberto – 3
Brasil Urgente – 4
Jornal da Band – 4
A Liga – 3

Um ponto no Ibope equivale a 67 mil domicílios. Esses números servem como referência para o mercado publicitário.

Fonte: IBOPE / MW – Praça São Paulo

O PLANETA TV

Maior audiência de Império é na Bahia

A novela levanta o horário nobre da Globo em Goiânia.

Em São Paulo, Império tem uma audiência média de 32 pontos, mas o melhor desempenho da novela é na Grande Salvador, onde pontua até 45 pontos.

De acordo com informações do jornal Folha de São Paulo, a novela das nove da Globo também vai bem em Florianópolis e no Rio de Janeiro.

Em Goiás, a trama de Aguinaldo Silva também elevou a média da Globo, que marcava 25 com Em Família. Na Grande Goiânia, o folhetim oscila entre 28 e 30 pontos.

O PLANE TV

Fundação Cearense de Meteorologia registra chuva em 40 municípios do Ceará

565dc-ceara

A Fundação Cearense de Meteorologia(Funceme) registrou, hoje, chuvas em 40 municípios do Interior. Ocorreram precipitações devido à influência de um sistema próprio para essa época do ano, o Vórtice Ciclônico de Altos Níveis que está sobre o Estado da Bahia, com ramificações no Ceará. As cinco maiores chuvas foram registradas em Granja (77mm), Barbalha (62.4mm), Novo Oriente (62mm), Juazeiro do Norte (42mm) e Aurora (41mm).

De acordo com o meteorologista da Funceme,Raul Fritz, a atuação do Vórtice Ciclônico de Altos Níveis é próprio desse período de pré-estação chuvosa, de janeiro até a primeira quinzena de fevereiro. “Esse sistema provoca chuvas localizadas e rápidas, geralmente de baixa intensidade, com enorme variação em um mesmo município”, explicou. “Esse fenômeno pode se dissipar em uma semana ou mesmo em um dia e recomeçar. É muito variável e imprevisível”, explicou Fritz.

A Funceme prevê para hoje e amanhã céu variando entre parcialmente nublado a claro em várias regiões do Estado, com possibilidade de chuva no Cariri cearense e Centro-Sul. A formação de nuvens ocorre sobre a influência do Vórtice Ciclônico. Nas bordas desse sistema há precipitações e no centro ocorre o inverso, não há chuvas. É formado pela circulação de ventos de altos níveis, cerca de 10km de altura, com nuvens em uma grande extensão. “O ar úmido sobe e nas bordas surgem nuvens que provocam chuva”, explicou Fritz.

As chuvas provocadas pelo Vórtice Ciclônico, que é um sistema transitório, são localizadas e variáveis. Um exemplo é o que ocorreu, ontem, em Granja, no extremo Norte do Ceará. Dois postos pluviométricos assinalaram precipitações de 77mm e 35mm no mesmo município.

Segundo registros da Funceme houve chuvas na cidade de Crato (27mm), Itapipoca (24mm), Santa Quitéria (21mm), Lavras da Mangabeira (19mm), Várzea Alegre (17mm), Barro (16mm), Missão Velha e Brejo Santo (13mm), Altaneira 12 (mm) e Farias Brito (11mm).

O principal sistema causador de chuvas no Ceará é a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) que permanece acima do Equador, distante do Ceará, provocando chuvas no Amapá e no Pará. A temperatura das águas superficiais do Oceano Atlântico está oscilando entre neutra e fria, impedindo que a ZCIT oscile para o Sul. “O bom para o Ceará é que as águas do Oceano Atlântico estivessem quentes, oscilando positivamente, maior do que a média”, observou Raul Fritz. Esse quadro desfavorável deve permanecer até março vindouro.

 

Diário do Nordeste – Diário Centro-Sul-21/01/2015

James Akel comenta a saída de Marília Gabriela do SBT

ee94e-mundonovelas_sbtretomasuaprogramac3a7c3a3o

Vamos aos fatos e o leitor vai entender.

O SBT convocou a imprensa pra fazer uma revelação ontem.

E a imprensa foi muitíssimo bem recebida, com uma grande e variada quantidade de comida de excelente qualidade.

Esperava-se que a revelação feita por Marília Gabriela fosse que ela teria um novo programa.

Mas eis que toda aquela verdadeira festa gastronômica foi cenário pra que ela dissesse que vai deixar o SBT agora.

Quando um artista deixa uma emissora é motivo de tristeza ou pelo lado do artista, ou pelo lado da emissora, ou pelos dois lados.

E ninguém faz festa por tristeza.

Aliás a Gabi estava excelente, contente, dizendo que vai continuar fazendo programa de entrevista na GNT e vai ser atriz de um seriado.

Ou seja, ela estava contente com as notícias.

Isto não se faz, Maria Gabriela, na casa que te acolheu com tanto carinho e afeto, tanto pelos funcionários quanto pela família Abravanel.

Se deseja fazer festa pra dizer que vai voltar a ser atriz da TV Globo e por isto vai deixar o SBT, alugasse um salão de hotel, fizesse a festa com seu dinheiro e anunciasse o que anunciou sem usar o SBT pra falar da sua carreira da TV Globo.

O SBT não merecia isto por tudo que te fez.

Mas, infelizmente, uma grande parte dos artistas é deste jeito, ficando no SBT ou TV Record apenas esperando uma chamada da TV Globo pra correr pra lá e ter ibope.

Marilia Gabriela é uma grande entrevistadora, uma excelente atriz.

Mas sua atitude desta vez, aliás mais uma vez, não foi das mais agradáveis.

Quanto ao SBT, uma emissora que sempre teve uma assessoria de imprensa de primeira qualidade, que sempre tratou muito bem seus contratados, prestou-se a um papel que não deveria ter se prestado.

Ao menos uma coisa foi positiva.

Nenhum membro da família Abravanel estava presente.


Escrito por jamesakel@uol.com.br às 09h43 no dia 21/01/2015

James Akel comenta justificativa da Eletropaulo para a redução das equipes de manutenção

A Folha de hoje revelou que a Eletropaulo vem reduzindo as equipes de manutenção sob justificativa que de são mais técnicas e melhores as atuais.

A justificativa da Eletropaulo é no mínimo insana.

Qualquer equipe de manutenção deve ser técnica e boa.

Não existe nada que não seja técnico quando se trata de manutenção da rede pelo perigo existente.

E a diminuição da equipe é inaceitável tanto por parte do governo quanto da população e cabe ação criminal contra a Eletropaulo por parte das associações de bairros e até do poder público.

O serviço de energia é uma concessão pública e pode ser rescindida por incompetência e desserviço contra a população.

A união ou o estado podem estatizar de novo o serviço ou entregar a alguém de mais competência


Escrito por jamesakel@uol.com.br às 09h17 no dia 21/01/2015

 

James Akel comenta erro grotesco da Rede Record ao colocar Ana Hickmann e César Filho no Hoje Em Dia

O site Notícias da TV, editado por Daniel Castro, revelou que a diretoria artística da TV Record está desesperada com o péssimo desempenho do Hoje em Dia que é comandado por César Filho e Ana Hickmann.

Além de ter péssimo ibope perdendo direto e longe do SBT, ficou perto da RedeTV e TV Cultura.

Foi revelado que esta semana César Filho e Ana Hickmann foram chamados pra uma reunião com o diretor do programa Bruno Gomes e o diretor artístico Paulo Franco.

A produção do programa está sendo cobrada e até executivos da emissora estão fora do Brasil procurando comprar produtos pra dar ibope ao programa.

Eu só tenho que achar engraçadíssimo isto tudo porque já era esperado.

Mas a prepotência e a arrogância da diretoria da TV Record foram preponderantes pra esta situação acontecer.

Primeiro podem parar de procurar produtos fora do Brasil pois lá não tem nada que vá resolver o problema.

Depois parem de cobrar quem não pode resolver.

A produção não tem culpa de não ser preparada pra criar pois o diretor do programa jamais assim procedeu.

E se o diretor do programa não procedeu assim é porque não sabe o que fazer.

A produção do programa tem que ter comando do diretor do programa desde que o diretor saiba o que fazer no comando do programa.

Com toda certeza pelos fatos demonstrados o diretor não sabe o que está fazendo.

E o diretor artístico Paulo Franco, chamado de menino de ouro pelo Roberto Justus, sabe menos ainda do que faz.

A TV Record está na sua pior fase de entretenimento por responsabilidade dos diretores da área artística que não tem conhecimento necessário do que estão fazendo.

Engraçado terem chamado pra reunião o César Filho e a Ana Hickmann que com certeza nada tem a acrescentar.

Quem sai prejudicado é o jornalismo da emissora na hora do almoço que recebe um péssimo ibope do Hoje em Dia e demora pra colocar tudo em ordem com o competentíssimo Reinaldo Gottino, que tem ao seu lado os muito bons Renato Lombardi e Fabíola Reipert tendo na retaguarda uma excelente equipe de jornalismo.

Se o leitor tem um saco de arroz e coloca um pouco na panela pra cozinhar e o arroz queimar, não adianta tentar desqueimar o arroz.

Precisa colocar arroz novo e não deixar queimar mais.

Nem preciso desenhar isto pra que se entenda


Escrito por jamesakel@uol.com.br às 09h45 no dia 22/01/2015

James Akel comenta como o preço da cerveja inflacionou no Brasil de 2000 para 2015

No ano 2000 o salário era 330 e a cerveja custava 1 real.

Dava pra comprar 330 garrafas de cerveja.

Hoje o salário base era até outro dia de 724 reais e a cerveja custa 5 reais.

Dá pra comprar apenas 145 garrafas de cerveja.

Que os governos petistas tenham permitido o mensalão e o petrolão o povo nem entende bem o que tudo isto seja.

Mas reduzir a quantidade de garrafas de cerveja na mesa do povo isto é inaceitável.


Escrito por jamesakel@uol.com.br às 09h53 no dia 22/01/2015