A TV deve se ligar mais na importância das madrugadas

Monalisa Perrone no cenário do "Hora Um"

Monalisa Perrone no cenário do “Hora Um”

Desde muito tempo aqui se bate na tecla da quase nenhuma atenção que as nossas grandes redes têm com a faixa da madrugada. É inadmissível, nos dias atuais, verificar que isto ainda acontece, em contrariedade ao número ascendente de pessoas acordadas neste horário.

A justificativa usada, e há muito tempo, é que o baixo número de ligados não incentiva maiores investimentos, mas só que nunca se considerou o inverso. Será que a baixa qualidade ou a falta de maiores atrativos na programação não se transformou em um desestimulador a ser levado em conta?

É raro encontrar nos canais abertos alguma coisa que dê para assistir, além de programas de igrejas e filmes muito velhos. Fora isso não existe rigorosamente nada. O atrativo é nenhum e até agora ninguém se encorajou a tentar alguma coisa por aí.

Se a Globo lançou o “Hora Um”, às 5 da manhã, e se deu bem, é um sinal importante a ser considerado. E a TV, cada vez mais viva, deve sempre levar em conta que, enquanto é noite aqui, o mundo já está acordado há muito tempo, em inúmeros outros lugares.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.