Números de ontem do TV TOTAL

Isabel Vilela_Juliana Silveira

País Visualizações
Sinal BrasilBrasil 822
Sinal Estados UnidosEstados Unidos 93
Sinal PortugalPortugal 11
Sinal AustráliaAustrália 7
Sinal United KingdomUnited Kingdom 5
Sinal AngolaAngola 4
Sinal IndiaIndia 2
Sinal EspanhaEspanha 2
Sinal SurinameSuriname 2
Sinal IrelandIreland 2
Sinal TurquiaTurquia 1
Sinal MéxicoMéxico 1

Classificação da Serie A do Campeonato Brasileiro após a trigésima quarta rodada

Natalie Teeger

Pos Times Pts J V E D GP GC SG % M Classificação ou rebaixamento
1 Minas Gerais Cruzeiro 70 34 21 7 6 60 34 +26 68 Estável Segunda fase da Copa Libertadores de 2015
2 São Paulo São Paulo 66 35 19 9 7 57 38 +19 63 Estável
3 Rio Grande do Sul Internacional 60 35 18 6 11 46 38 +8 57 Aumento2
4 Rio Grande do Sul Grêmio 60 34 17 9 8 34 19 +15 59 Baixa1 Primeira fase da Copa Libertadores de 2015
5 São Paulo Corinthians 60 34 16 12 6 43 25 +18 59 Baixa1
6 Minas Gerais Atlético Mineiro 58 34 16 10 8 45 34 +11 57 Estável
7 Rio de Janeiro Fluminense 57 34 16 9 9 52 32 +20 56 Estável
8 Rio de Janeiro Flamengo 47 34 13 8 13 40 41 –1 46 Estável
9 São Paulo Santos 46 34 13 7 14 38 33 +5 45 Estável
10 Paraná Atlético Paranaense 46 34 13 7 14 38 39 –1 45 Estável
11 Goiás Goiás 44 34 12 8 14 33 34 –1 43 Estável
12 Pernambuco Sport 44 34 12 8 14 29 42 –13 43 Estável
13 Santa Catarina Figueirense 40 34 11 7 16 32 44 –12 39 Estável
14 São Paulo Palmeiras 39 34 11 6 17 32 51 –19 38 Estável
15 Bahia Vitória 37 34 10 7 17 36 46 –10 36 Estável
16 Paraná Coritiba 37 34 9 10 15 34 41 –7 36 Estável
17 Santa Catarina Chapecoense 36 34 9 9 16 30 38 –8 35 Estável Zona de rebaixamento à Série B de 2015
18 Rio de Janeiro Botafogo 33 34 9 6 19 31 43 –12 32 Estável
19 Bahia Bahia 31 34 7 10 17 26 38 –12 30 Estável
20 Santa Catarina Criciúma 30 34 7 9 18 24 50 –26 29 Estável

Chapecoense 0 x 1 Vitória

0 x 1

34ª RODADA
VITÓRIA BATE CHAPE NA ARENA CONDÁ, SAI DO Z-4 E PÕE NA DEGOLA O OPONENTE
Em jogo truncado e de pouca qualidade técnica, atacante Dinei faz 1 a 0 após forte chute dentro da área e tira os baianos da zona de rebaixamento
Num confronto direto pela permanência na Série A, o Vitória bateu a Chapecoense por 1 a 0 na Arena Condá, em Chapecó, e conseguiu deixar a zona de rebaixamento na noite deste domingo. Apesar do histórico ruim como visitante, o time baiano soube aproveitar sua oportunidade e obteve os três pontos necessários para sair e colocar o adversário no Z-4. Aos 35 minutos do segundo tempo, Dinei soltou a bomba dentro da área e fez o único gol do duelo, válido pela 34ª rodada do Brasileirão.

A partida foi truncada em boa parte do tempo. A Chapecoense tomou a iniciativa, mas parou na marcação do adversário e na ineficiência do setor de armação do time. O Vitória apostou mais nos contragolpes e na marcação na meia-cancha. As equipes abusaram dos erros, e os atacantes perderam boas chances de gol.

Com o resultado, o time verde e branco caiu para a 17ª posição, com 36 pontos. O Rubro-Negro baiano tem 37 pontos e ganhou a 15ª colocação na tabela do Brasileiro. Pela próxima rodada do Brasileiro, a Chapecoense encara o Fluminense às 19h30 da próxima quinta-feira, no Maracanã. O Vitória vai receber o Coritiba no Barradão, às 21h da quarta.

Leandro e Willie, Vitória X chapecoense (Foto: Márcio Cunha / Agência estado)
Fora de casa, Vitória equilibra partida, bate Chape e troca de posição (Foto: Márcio Cunha / Agência Estado)

 

O jogo

Logo no início, a Chapecoense, com a vantagem de jogar em casa, foi para cima do adversário. Com velocidade e boa articulação pelo lado direito, os anfitriões incomodaram o Vitória. Já no segundo minuto, após bate-rebate na área dos baianos, o lateral Fabiano pegou a sobra, e a bola explodiu no travessão. Apesar de ter mais iniciativa e volume de jogo, a equipe verde e branca falhava muitas vezes no último passe.

Com o tempo, o técnico Ney Franco tratou de ajustar o meio-campo do Leão. Os visitantes acertaram a marcação no setor, e o confronto ficou mais equilibrado. Da metade para o fim do primeiro tempo, o time rubro-negro chegou a ter superioridade em alguns momentos da partida, mas sem assustar o goleiro Danilo.

O técnico Jorginho promoveu uma substituição ainda no intervalo. Colocou Nenén no lugar de Ricardo Conceição e deixou a Chape com dois armadores no meio-campo. A qualidade do passe de Nenén melhorou o setor de criação do time. E a volta do intervalo teve a Chape novamente superior. Aos 13 minutos, Camilo tocou na área para Leandro, que ajeitou de primeira para o atacante Tiago Luis. O camisa 7 chutou de bico, mas para fora.

Com o cenário favorável para o Verdão, Ney Franco mexeu no Vitória. Pôs Juan no confronto. E no seu primeiro lance, o lateral perdeu chance incrível de gol. Aos 17, Nino cruzou na área, e a bola passou pelo goleiro Danilo. Sozinho no lado esquerdo da área, Juan bateu de primeira, com categoria, só que para fora. A partida ficou truncada, com a Chape tendo iniciativa e o Vitória apostando nos contragolpes. Aos 27, Tiago Luis ainda desperdiçou chance na frente do goleiro. Mas o atacante Dinei não errou quando teve a oportunidade. Na parte final do confronto, aos 35 minutos, ele tabelou com Cáceres e soltou a bomba para o fundo das redes. A Chape ainda tentou o gol de empate, mas mostrou nervosismo e pouco conseguir fazer nos últimos minutos da partida.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Atlético Mineiro 1 x 1 Figueirense

1 x 1

34ª RODADA
FORA DO G-4, GALO EMPATA COM FIGUEIRA, VIVO NA LUTA PARA FICAR NA ELITE
Catarinenses conquistam ponto importante na busca pela permanência na Série A. Já o Galo vê vaga para Libertadores pelo Brasileiro mais difícil.
O roteiro não se repetiu. O Atlético-MG não conseguiu matar o adversário no Independência, como tem feito com propriedade neste Brasileirão. Na noite deste domingo, o Figueirense saiu vivo da casa do Galo com o empate por 1 a 1. O resultado faz os catarinenses seguirem firmes na luta para permanecerem na elite do futebol brasileiro. Com 40 pontos ganhos, ocupam a 13ª posição e estão quatro pontos à frente do 17º colocado, a Chapecoense.

O Atlético-MG, que entrou em campo com um time cheio de reservas, segue fora do G-4. Está em sexto lugar, com 58 pontos. Agora, terá que apostar ainda mais na conquista da Copa do Brasil para garantir uma vaga na Libertadores do ano que vem. Foi um empate até em golaços, em belos chutes de Jefferson, que abriu o placar para o Figueira, e de Dodô, que igualou para os donos da casa. Os dois times voltam a campo no meio de semana, pela 35ª rodada. Enquanto o Galo recebe o Flamengo, na próxima quarta-feira, no Independência, às 22h (de Brasília), o Figueira encara o Botafogo, no mesmo dia, às 19h30 (de Brasília), em São Januário.

O Atlético-MG teve em Dodô a melhor figura em campo no primeiro tempo. Como um veterano, o jovem meia, de 20 anos, comandou o time misto do Galo – titulares foram poupados por conta das finais da Copa do Brasil. Quase todas as bolas passavam pelos pés da revelação atleticana, que abusou das finalizações, levando perigo ao gol de Thiago Volpi.

O Figueirense, por sua vez, limitou-se a marcar o time alvinegro. Como se o empate fosse uma vitória – ou a melhor forma de sair vivo do Horto. Mas o time de Argel Fucks ainda achou um gol, mesmo tendo sido dominado pelo Galo durante quase toda a primeira etapa. No último minuto do primeiro tempo, Jefferson acertou um belo chute, no ângulo de Victor. Um golaço!

Empate com estilo

O Atlético-MG voltou para o segundo tempo com Carlos e Luan. A aposta era repetir o sistema “rolo compressor” que deu certo contra Corinthians, Flamengo e Cruzeiro pela Copa do Brasil. E não demorou muito para o Galo empatar. Carlos brigou de cabeça na área, Josué ajeitou para Dodô pegar de primeira, aos 6 minutos. Outro golaço no Independência.

O 1 a 1 no placar deixou o jogo aberto. Levir colocou Dátolo. Argel lançou Mazola e Yago. O gol era questão de tempo. E para qualquer lado, já que o Galo se mandava para o ataque, e o Figueira não se intimidava e arriscava as descidas. Mas o placar não mudou, e o Figueira saiu mais feliz do Independência.

 GLOBO ESPORTE.COM

São Paulo 2 x 0 Palmeiras

2 x 0

34ª RODADA
SÃO PAULO VENCE CLÁSSICO E SEGUE NA COLA DO LÍDER, E PALMEIRAS SE COMPLICA
Com gols de Luis Fabiano e Rafael Toloi, equipe de Muricy Ramalho vence por 2 a 0 e chega aos 66 pontos. Alviverde volta a ficar perto do Z-4.
O São Paulo foi amplamente superior ao Palmeiras na noite deste domingo, principalmente no primeiro tempo, venceu por 2 a 0 no Morumbi, em jogo válido pela 34ª rodada do Brasileirão, e segue na perseguição ao Cruzeiro. Com 66 pontos, o Tricolor continua quatro atrás do líder, que ainda tem um jogo a menos (o São Paulo já disputou sua partida da 35ª rodada). E o Verdão se complica cada vez mais. Com 39 pontos, a equipe, que acumulou sua segunda derrota consecutiva, está apenas três à frente da Chapecoense, primeiro clube dentro do Z-4. Para piorar, o time alviverde fecha o campeonato nacional sem vencer um clássico.

O São Paulo voltará a campo pelo Brasileirão apenas no próximo domingo, no clássico diante do Santos, na Arena Pantanal, em Cuiabá. Na quarta, o Tricolor muda o foco e encara o Nacional, em Medelim, pela semifinal da Copa Sul-Americana, na Colômbia. O Palmeiras, na quarta-feira, estreia em sua nova arena contra o Sport, pela 35ª rodada do Brasileirão.

 

Luis Fabiano comemora gol do São Paulo contra o Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)

Luis Fabiano comemora gol marcado no primeiro tempo do Choque-Rei (Foto: Marcos Ribolli)

O jogo

O São Paulo teve muito mais posse de bola e, logo no começo, só não abriu o marcador porque Prass fez milagre em cabeçada de Alan Kardec. Aos 21, o goleiro palmeirense não pôde fazer nada quando Luis Fabiano recebeu cruzamento de Hudson para balançar a rede. Foi o 100º gol do camisa 9 em Brasileiros com a camisa do São Paulo.

No Verdão, pouca coisa funcionou após o gol. Dorival Júnior apostou em Felipe Menezes como substituto de Valdivia, mas o meio-campista não apareceu. Quando tinha posse de bola, principalmente com Marcelo Oliveira, melhor do time, ninguém aparecia para receber. O Alviverde saiu mais para o jogo após ficar em desvantagem e teve uma grande chance, mas Henrique parou em Ceni. Kardec, em duas oportunidades, quase aumentou para os donos da casa.

Na etapa complementar, o jogo mudou completamente. O Palmeiras adiantou a linha de marcação e ameaçou o Tricolor, que ficou sem saída. O São Paulo também cometeu alguns vacilos de marcação no sistema defensivo, o que deixou Rogério Ceni transtornado. O problema do Verdão era que, se sobrava espaço, faltava qualidade. Individualmente, todas as peças ofensivas deixaram a desejar. Tanto que o camisa 1 tricolor, apesar de ver a bola passar perto de sua área, não trabalhou. Dorival Júnior, que acabou expulso de campo, ainda tentou dar novo gás com a entrada de Mazinho na vaga de Wesley, mas nada adiantou. E o São Paulo, na sua única finalização no segundo tempo, fez 2 a 0, com Rafael Toloi, para garantir a vitória.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Internacional 1 x 0 Goiás

1 x 0

34ª RODADA
INTER VENCE GOIÁS COM GOLAÇO DE BICICLETA DE PAULÃO E SE MANTÉM EM 3º
Zagueiro deixa banco de reservas, anota aos 33 minutos do segundo tempo e tira Colorado do sufoco; Esmeraldino só se defende e estaciona na tabela.

O Inter contava com a lei das probabilidades para encaminhar a vaga à Libertadores. A contar deste domingo, teria três jogos consecutivos em casa. Ganhando tais compromissos, fincaria pé no G-4. O caminho para tanto, todavia, foi iniciado nesta 34ª rodada da maneira mais improvável possível. Com um golaço de bicicleta de um zagueiro que era reserva e só entrou no segundo tempo por uma lesão do titular do posto. Paulão virou o herói improvável no 1 a 0 sobre o Goiás, nesta tarde no Beira-Rio.

O Goiás, é bom ressaltar, pouco tentou fazer para sair com resultado diferente. Procurou se defender diante de um Inter completamente dono do duelo, embora sentisse claramente os desfalques de Aránguiz, na seleção chilena, e Alex e Nilmar, lesionados, além da pressão de não vencer há duas partidas – perdera para Grêmio e empatara com o São Paulo. Se não fosse o goleiro Renan, ex-Inter, o sofrimento vermelho poderia ter sido menor. O golaço de Paulão só saiu em sobra de escanteio aos 33 minutos do segundo tempo.

O resultado deixa o Inter no terceiro lugar, com 60 pontos, ultrapassando o Grêmio pelo número de vitórias. O Esmeraldino se mantém em posição intermediária, é 11º, com 44 pontos e praticamente sem risco de brigar contra o rebaixamento nas últimas rodadas.

Como teve a 35ª rodada adiantada, no empate em 1 a 1 com o São Paulo na última quarta-feira, o Inter só retorna a campo no sábado, pela 36ª, diante do Atlético-MG, no Beira-Rio, às 19h30. O Goiás tem mais um páreo duro. Na quarta, às 21h, recebe o Corinthians, no Serra Dourada.

Renan salva… até que Paulão aparece

O primeiro tempo começou no ritmo prometido pelos colorados durante a semana. Se era preciso vencer as três partidas consecutivas em casa, nada melhor do que imprimir pressão. Os 15 minutos iniciais foram todos do Inter. Aos 14, o zagueiro Ernando, ex-Goiás, perderia grande chance, ao isolar chute sem goleiro. Logo depois, o Colorado perderia muito mais do que gol: além de não ter Aránguiz, Alex e Nilmar, viu Alan Patrick sair com dores musculares. Valdívia entrou no seu lugar, mas o time de Abel Braga não mais seria o mesmo.

Senha para o Goiás crescer, com a boa atuação de Thiago Mendes e em contragolpes de Esquerdinha e Erik. Faltou ao Esmeraldino, no entanto, contundência. Que sobrou a Willians, aos 39 minutos, em lance que acordou um Beira-Rio já sonolento e torcendo pelo intervalo. Em cruzamento certeiro do volante, Rafael Moura cabeceou sozinho e só não marcou por milagre de Renan. O primeiro tempo ia embora com o triplo de finalizações vermelhas (6 a 2), porém com resultado insuficiente para a manutenção no G-4.

Se a etapa inicial foi unilateral, o segundo tempo foi praticamente todo colorado. O problema é que, diante de tantos desfalques, o Inter ampliou ainda mais sua dependência de D’Alessandro. Todas as bolas caíam para o maestro do time, tornando a equipe um tanto previsível. O camisa 10 se esforçou. Foi o que mais finalizou do lado vermelho, com três investidas. E, aos 26 minutos, lançou Jorge Henrique para o lance de maior perigo, em cruzamento que quase virou gol – Rafael Moura não alcançou a bola por detalhe.

Um detalhe que quase custou caro ao Inter. Se não fosse outro detalhe. Paulão, que perdera a condição de titular, foi obrigado a entrar após dores no joelho de Alan Costa. Aos 33 minutos, o zagueiro de pouca habilidade técnica viveu seu instante de craque. Emendou uma bicicleta como manda o figurino e fuzilou Renan, após sobra de escanteio. Depois de tamanha façanha, o terceiro lugar é do Inter por direito.

Paulão marca o gol de bicicleta para o Inter (Foto: Tomás Hammes / GloboEsporte.com)
Paulão marca o gol de bicicleta para o Inter (Foto: Tomás Hammes / GloboEsporte.com)
GLOBO ESPORTE.COM

Bahia 1 x 2 Corinthians

1 x 2

34ª RODADA
CORINTHIANS VENCE, MANTÉM LUTA POR G-4 E AFUNDA BAHIA NA ZONA DA DEGOLA
Timão vai a Salvador e consegue fazer 2 a 1 no time baiano com um gol decisivo de Renato Augusto. Tricolor fica cada vez mais perto da queda.

O Corinthians recorreu à experiência e foi recompensado com uma vitória fundamental sobre o Bahia, por 2 a 1, neste domingo, na Fonte Nova, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com um gol de Renato Augusto nos minutos finais, o Timão se manteve na briga por vaga na Taça Libertadores e afundou ainda mais o time baiano na zona de rebaixamento – as chances de fuga do Tricolor da Série B diminuem a cada rodada.

Há jogadores que não precisam estar o tempo inteiro em campo para resolver. Danilo é um que trata partidas decisivas como se fossem comuns. Com poucos minutos em campo, o experiente meia do Corinthians fez grande jogada e abriu o caminho para o gol da vitória. Antes, Malcom havia aberto o placar no primeiro tempo. Kieza marcou o gol do Bahia.

O Corinthians vai aos 60 pontos e fica na quinta colocação – subiu uma posição graças ao empate do Atlético-MG com o Figueirense, na noite deste domingo. O Bahia continua com 31, a seis do Coritiba, o primeiro time fora da zona da degola.

Os dois times voltam a campo na próxima quarta-feira, às 21h (horário de Brasília), em partidas fora de casa. O Bahia enfrenta o Criciúma, em confronto direto na luta contra o rebaixamento, enquanto o Corinthians vai a Belém enfrentar o Goiás.

Malcom comemora gol do Corinthians contra o Bahia (Foto: Getty Images)
Malcom comemora primeiro gol do Corinthians: vitória fundamental fora de casa (Foto: Getty Images)

O jogo

O Corinthians esperava um Bahia no ataque, e foi o que Charles Fabian tentou escalando dois laterais de cada lado (Galhardo e Railan na direita, Pará e Guilherme Santos na esquerda). O time da casa teve mais posse de bola por boa parte do primeiro tempo, mas faltou qualidade para jogadas que furassem a defesa corintiana. Mano Menezes, com razão, fez o Timão aguardar a melhor oportunidade para surpreender em um contra-ataque.

Foi justamente num lance rápido que os visitantes abriram o placar. Quando o Bahia mais pressionava, Cássio mostrou que os treinos diários de reposição de bola deram resultado. Num longo lançamento do goleiro, Malcom dominou e bateu de esquerda, levando os alvinegros ao 1 a 0, com 24 minutos de partida.

O Tricolor só conseguiu responder na bola parada, quando Galhardo travou grande duelo com Cássio. O lateral do Bahia quase fez um gol olímpico, enganando os corintianos e acertando o travessão.

No segundo tempo, o Corinthians demorou a engrenar. Tocou a bola de lado, deixou o jogo morno ao estilo de Mano Menezes, mas não deu um chute sequer nos primeiros 25 minutos. Num filme que se repete com frequência em 2014, o Timão deixou o rival empatar para só depois acordar. William Barbio, uma das apostas de Charles para o segundo tempo, encontrou Kieza na área para marcar 1 a 1.

Só aí Mano se mexeu. Lançou Danilo e Gustavo Tocantins. Não foi preciso muito tempo para os dois aparecerem. Danilo, novamente decisivo, cruzou na cabeça de Renato Augusto: 2 a 1, aos 38 minutos. Nos pés da experiência, o Timão sobrevive por mais uma rodada no Brasileiro.

 

GLOBO ESPORTE.COM