Criciúma 0 x 3 Grêmio

 0 X 3 

34ª RODADA
TABELA REFLETIDA: GRÊMIO FAZ 3 A 0 E BATE O CRICIÚMA COM FACILIDADE EM SC
Com tranquilidade, gremistas vencem com gols de Dudu, Barcos e Ramiro; pior ataque do Brasileirão, Tigre passa em branco diante da melhor defesa
O abismo entre os times se refletiu no campo. Com facilidade, o Grêmio marcou dois no primeiro tempo e um no segundo para bater o Criciúma no Heriberto Hülse neste sábado. Lanterna, o Tigre praticamente não ameaçou a equipe que se assegura no G-4. O triunfo por 3 a 0 consolida os gremistas na zona de classificação à Libertadores ao final da 34ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A classificação na tabela também se refletiu em campo. Nas cabeças do Brasileirão, o Grêmio não perdeu a sua e se aproveitou do destempero do último colocado. Em uma falha do zagueiro e numa jogada de escanteio, Dudu e Barcos encaminharam a vitória. O Tigre não passou do esboço da reação no segundo tempo. Apenas solucionou em parte suas deficiências até Ramiro fazer o terceiro aos gaúchos. O jogo também foi marcado por um objetivo atirado no gramado, identificado pelo quarto árbitro como uma haste de óculos.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, a 35ª, os gremistas tentam dar um passo importante para se firmar no G-4. Na volta à Arena, recebem o líder Cruzeiro, às 21h50 de quinta-feira. Na lanterna e com chances cada vez menores de evitar a degola, o Criciúma recebe o Bahia em condição similar, às 21h de quarta-feira.

Comemoração do Grêmio contra o Criciúma (Foto: Fernando Ribeiro / Agência estado)
Comemoração do Grêmio contra o Criciúma (Foto: Fernando Ribeiro / Agência estado)

O jogo

Despretensão travestida de precisão. O Grêmio tomou o campo e deu a bola pro Criciúma tocar em sua intermediária ou na defesa. Tanto que foi na frente da grande área do adversário que os gremistas chegaram ao primeiro gol. O zagueiro Joílson podia ter isolado, só não poderia deixar que Dudu a tomasse para abrir o placar aos 12 minutos de jogo. A pressão sobre o lanterna ficou absurda, com a torcida tão desesperada quanto o time em campo. Tranquilo, não apenas pela vantagem assegurada, os visitantes chegaram ao segundo. Barcos completou a batida de escanteio para dentro.

Sobretudo, o Criciúma precisava ao menos dar uma resposta positiva ao seu torcedor, maioria dos 9.050 espectadores no Heriberto Hülse. Por conta disso, o técnico Toninho Cecílio refez o Tigre com o atacante Maurinho e o meia Paulo Baier, nas vagas de Martinez e o lateral Luís Felipe, que fez um primeiro tempo muito fraco. Bastaram apenas para acabar com a facilidade que o Grêmio encontrou. Não o suficiente para propiciar uma reação.

Tranquilo, os gremistas suportaram as poucas investidas do adversário e acharam o caminho para mais. Aos 20 minutos, Ramiro fez o terceiro. E o Grêmio só não fez mais porque o goleiro Bruno evitou o pior. O técnico Felipão botou Allan Ruiz, Lucas Coelho e Everton no jogo, nas vagas de Luan, Barcos e Dudu, e seu time controlou o placar e fez jus à outra situação que a tabela aponta: a melhor defesa triunfou sobre o pior ataque.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Fluminense 1 x 0 Botafogo

1 x 0

34ª RODADA
NO CLÁSSICO VOVÔ, FLU, NA TEIMOSIA, USA CABEÇA, VENCE BOTA E EMBOLA G-4
Edson faz de cabeça aos 28 minutos do 2º tempo e deixa tricolores firmes na briga por vaga na Libertadores. Alvinegro segue lutando para não cair
Dizem que a experiência anda de mãos dadas com a teimosia. Foi o que se viu no Clássico Vovô na noite deste sábado. No gramado do Maracanã pesado pela chuva, dois “velhinhos” travavam duelo à parte: o Fluminense sonhava vencer para voltar ao G-4 – dependendo de combinação de resultados – repetindo sem parar a jogada aérea. O Botafogo queria os três pontos para seguir na luta de não ser rebaixado insistindo nos contra-ataques durante os 90 minutos. E depois de tanto cruzar e cruzar para a área, o Tricolor conseguiu o seu gol de cabeça e levou a melhor. O potiguar Edson, de 23 anos, testou firme e marcou o gol da vitória, aos 28 minutos do segundo tempo.

O triunfo tricolor de 1 a 0 deixou o Flu com 57 pontos, em 5º lugar, embolado na briga pelo G-4, e fez a felicidade dos tricolores, que foram ao Maracanã em maior número do que os rivais – a renda, de R$ 685.900, teve público pagante de 19.709 e 22.608 presentes. Em situação mais dramática, o Botafogo segue com 33 pontos e na amarga 18ª posição. Na próxima rodada, a de número 35, os dois clubes cariocas terão pela frente adversários catarinenses. O Tricolor receberá no Maracanã a Chapecoense, na quinta-feira. O Alvinegro enfrentará na véspera, na quarta, o Figueirense, em São Januário.

Teimosia sem gol

Os dois times sabiam da necessidade de vencer, mas cada um entrou com uma estratégia. E ambos deixaram o primeiro tempo sem balançar a rede. O Flu mais ofensivo, mas também mais óbvio. O lema parecia ser “todas as bolas aéreas para o Fred”. Seja com Chiquinho, pela esquerda, ou Jean, pela direita, a dificuldade foi grande. Primeiro porque o lateral-esquerdo errava os cruzamentos. Segundo porque a zaga alvinegra estava bem posicionada e marcava bem o atacante. Com Wagner se limitando a toques laterais e Sobis sem achar posição, era Conca quem armava com lucidez, mas tinha pouco espaço. Marcelo Mattos, onipresente no retorno, era um dos cães de guarda.

Edson comemora gol do Fluminense contra o Botafogo (Foto: Paulo Sergio / Photocamera)
Após testada firme, Edson comemora gol do Flu contra o Botafogo (Foto: Paulo Sergio / Photocamera)

E foi o camisa 5 quem deu o primeiro susto na partida. O Botafogo se defendia com muitos e sabia que precisava atrair o adversário para dar o bote no contra-ataque, explorando a velocidade de Jobson. E ele sofreu falta logo no começo. Régis cobrou, Marcelo Mattos cabeceou para boa defesa de Cavalieri. O time seguiu rezando a cartilha e, aos 25 minutos, viu Carlos Alberto, até então bem marcado por Valencia, livre, perder a maior chance. O camisa 19 tentou firula a mais e deu tempo a Marlon de prensar a bola. Foi a senha para algum tricolor arriscar, nem que fosse de fora da área. Edson tentou, mas sem direção. Precisou Conca dar caneta em Andreazzi daquelas de valer o ingresso para o Flu acordar mais no jogo. Logo, logo, Sobis deu mais emoção, batendo cruzado para Jefferson brilhar. Fora isso, a equipe não transformou o domínio em chances de gol.

Testada firme de Edson

Na segunda etapa, o Flu seguiu em busca do gol. E o Botafogo, no contra-ataque, teve mais uma chance, em arrancada de Andreazzi. Mas o jogador bateu em cima de Cavalieri. Dessa vez, o Flu acertou no troco: Jean finalmente cruzou na cabeça de Fred, e a bola foi para fora, mas chegou perto do gol. O time insistia no jogo aéreo. O centro de Chiquinho encontrou Conca livre para a cabeçada, mas Dankler salvou o que poderia ser o primeiro gol da partida. Toma lá, dá cá. E já sem Jobson e Andreazzi, mas com Gegê e Bolatti, o Alvinegro assustou no lançamento para a velocidade de Murilo. Mas o jogador encobriu demais Cavalieri e a trave.

Cristóvão resolveu mexer, e sacou Sobis para pôr Walter. Logo depois, o gol tricolor: Wagner acertou um cruzamento, e Edson, elétrico na partida, subiu mais alto que a zaga alvinegra e testou firme, aos 28. Jefferson ainda tocou na bola, mas nada pôde fazer: 1 a 0 para o Flu. O Botafogo foi obrigado a se soltar mais ao ataque, e o Flu seguiu na teimosia das jogadas aéreas. No fim, em meio ao desespero alvinegro, a torcida tricolor pedia “olé”. Walter, perto da bandeirinha de escanteio, deu sua sambadinha. Era hora de segurar o resultado e comemorar. A briga pela Libertadores está mais viva do que nunca. O Botafogo segue no drama para não ser rebaixado.

GLOBO ESPORTE.COM

José Loreto planeja filho com Débora Nascimento para breve

José Loreto planeja filho com Débora Nascimento para breve

Namorando desde 2012, José Loreto e Débora Nascimento querem ser pais em breve. Pelo menos é o que diz o ator.

Em entrevista para a revista Contigo!, José comentou que ele quer muito ser pai logo e formar uma família com Débora, mais do que ela, que tem menos pressa e paciência: “Acho que eu tenho mais pressa do que Débora. Ela fala que vamos ter um bebê daqui a quatro anos. E eu planejo ser pai em 2016”.

O ator conta que se interessou por paternidade desde quando era muito novo, e que seu desejo de ter um filho, se acontecer, será um grande sonho realizado, pois para ele não há nada melhor do que ser pai: “Ter filho é um jeito de a gente se eternizar. Posso ir embora, mas vou deixar meu legado. No futuro, alguém vai se lembrar de mim de verdade”.

José Loreto e Débora Nascimento estão juntos desde 2012, quando atuaram juntos no mega sucesso “Avenida Brasil”.

Atualmente, os dois estão no ar com trabalhos diferentes na TV. Loreto está em “Boogie Oogie”, enquanto Débora atua na recém-estreada “Alto Astral”.

NaTelinha

Brasil, Argentina, China e Estados Unidos participarão do Torneio Internacional de Futebol Feminino

14e24-logo_band_p

A Bandeirantes e a Federação Paulista de Futebol definiram as seleções que irão participar da próxima edição do Torneio Internacional de Futebol Feminino, entre 10 a 21 de dezembro, em Brasília.
O evento vai contar com as participações de Brasil, Argentina, China e Estados Unidos.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Joel adota discurso de cautela sobre acesso e pede Vasco “estrategista”

Time carioca tem próximos dois duelos no Rio, contra Vila Nova e Icasa. Para o treinador, equipe não pode perder em casa. Com 59 pontos, Vasco segue em 3º

Depois da “bobeira” no primeiro tempo contra o Ceará, como ele mesmo definiu em relação aos gols sofridos que decretaram a derrota na Arena Castelão, Joel Santana adotou um discurso de cautela ao falar do acesso do Vasco à Série A. O técnico cruz-maltino citou a experiência que tem no futebol, pediu para que ninguém se precipite, mas está confiante para os dois jogos em casa. Para ele, perder pontos no Rio seria “um suicídio” nesta reta final da Série B.

– Não vamos nos precipitar (ao falar em acesso garantido). O futebol já me ensinou muita coisa. Claro que nós temos seis pontos para disputar dentro de casa. Se a gente perder dentro de casa, a gente tem de se suicidar. Disputa uma competição tão difícil, coloca uma vantagem como essa, com dois jogos dentro de casa e perde… Os dois adversários que nós jogamos, um o Vasco perdeu (Vila Nova, no primeiro turno) e o outro o Vasco empatou (Icasa). Então, você tem que ter cuidado nas palavras, porque o futebol é feito de equilíbrio, de ser pensativo, estrategista, não deixar isso envolver os jogadores para a próxima partida. O tempo é curto. Vamos trabalhar – afirmou.

O tempo de descanso para o Vasco é pequeno. Nesta terça-feira, às 21h50 (horário de Brasília), em São Januário, o time carioca encontra o Vila Nova, equipe já rebaixada para a Série C. Com 59 pontos, na terceira colocação, o Vasco está perto de finalmente abocanhar uma das vagas na elite para o próximo ano. Para Joel, o time decide o futuro nesta semana com dois confrontos no Rio de Janeiro (o segundo é contra o Icasa, sábado, no Maracanã).

joel, santana, vasco, técnico (Foto: Juscelino Filho)
Joel Santana quer Vasco estrategista para últimos jogos da temporada (Foto: Juscelino Filho)

– O time não criou suficiente para empatar o jogo ou tentar vencer o Ceará. A conversa que foi colocada era a seguinte: se colocar o primeiro, o segundo vem logo atrás. Mas não conseguimos fazer o primeiro, ficamos ali mastigando bola para lá e para cá. Vamos para outra. Não adianta ficar resmungando. Vamos pensar logo na terça-feira e no sábado, que essa semana a gente decide a nossa vida.

O técnico vascaíno alertou ainda para o ímpeto das demais equipes ao entrarem em campo diante do time da Colina. Joel parabenizou o Ceará pela vitória, que levou a equipe de voltar ao G4 da Segundona, e novamente lamentou o fato de o Vasco ter jogado bem no primeiro tempo, mas ter saído para o intervalo em desvantagem.

– Geralmente, o comportamento dos adversários é diferente porque vai jogar contra o Vasco. É o Vasco que dá motivação, é o Vasco que faz o jogador aparecer. Agora, para o pessoal da terra, você acha que o Ceará que jogou hoje estaria nessa posição? Jogaram hoje o que eles podiam tirar de suor e de sangue. Parabéns para eles. Mas, eu já falei e vou repetir, o resultado realmente incomoda, mas eu acho que nós não fizemos uma partida para sair do primeiro tempo com 2 a 0. Mas saímos. É ter calma, paciência, equilíbrio. Terça estaremos lá em São Januário com o nosso grupo e nossa torcida – finalizou.

 

GLOBO ESPORTE.COM