Angelina Muniz será protagonista de especial da Record; saiba mais

Angelina Muniz será protagonista de especial da Record; saiba mais

Aos poucos, a Record vai definindo o elenco de seus outros dois especiais de fim de ano que estão com pré-produções um pouco atrasadas.

Segundo o jornalista Fernando Oliveira, a direção de teledramaturgia definiu que Angelina Munizserá protagonista do especial “Marlucy e Marcelly”.

No programa, Angelina dará vida a uma vendedora de picolé do Piscinão de Ramos, no Rio de Janeiro. Na história escrita por Carla Piske e produzida em parceria com a Gullane Filmes, a personagem sairá em busca da filha desaparecida.

Além disso, em seu elenco, também estarão Cacau Mello, Camilo Bevilacqua, Dedina Bernardelli, Laís Said, Paulo Nigro e William Vita. O especial é um dos quatro que a Record deverá colocar no ar em dezembro.

O primeiro é o telefilme “O Amor Custa Caro”, que tem em seu elenco nomes como Luiza Curvo, Nicola Siri, Lu Grimaldi, Guilherme Duarte e Pedro Cassiano, com texto de André Ristum. O segundo é “Manual Prático da Melhor Idade”, com Ítala Nandi, Íris Bruzzi, Stela Freitas, Claudete Pereira, Juliana Didone e Guilherme Winter no elenco, e texto de Renê Belmonte, que foi colaborador da versão brasileira de “Rebelde”.

O terceiro é uma produção escrita por Marcílio Moraes, atualmente no ar com “Plano Alto”, que será baseado no conto homônimo de José Cândido de Carvalho, “Porque Lulu Bergantim Não Atravessou o Rubicon?”.

NaTelinha

Veja o que os homens pensam antes de te levar para um primeiro encontro

Vocês já estão flertando faz um tempinho. Agora, finalmente tomaram coragem para marcarem um encontro romântico. Nesta situação, é muito comum nós, mulheres, ficarmos inseguras em relação ao que vestir ou como agir.

Porém, você já parou para pensar como eles se sentem? Doce engano acreditar que só porque são homens não têm o direito de ficarem nervosos, ter dificuldades para escolher uma roupa ou travar na hora de sair de casa.

Segundo especialistas, existem alguns motivos, dúvidas, que podem fazer com que o rapaz dê um passo para trás antes do primeiro encontro. Listamos os mais comuns. Confira:

Cabelo

Não são apenas as mulheres que se preocupam com o visual dos seus cabelos. Os homens até podem não ligar muito durante alguns meses do ano, mas na hora de se arrumarem para sair, muitos deles se deparam com o dilema do cabelo sem corte, desalinhado, ou grande demais.

Roupa

Eles até podem ser mais práticos do que a gente na hora de escolher o que irá vestir. Porém, a roupa não pode estar amassada. O problema ganha proporções maiores se o rapaz não souber passar roupa e não tiver ninguém em casa para ajudá-lo.

A conta

Na empolgação, ele te convidou para o restaurante mais caro da cidade. Passado a euforia provocada pelo “sim” que ouviu de você, o rapaz perecebeu de que não tem condições de pagar pela conta. E como é um primeiro encontro, pedir que rachem a dívida está fora de cogitação. Sendo assim, ele tem como alternativas: falar a verdade e sugerir um local mais em conta; usar o cartão de crédito, mas consumir quase nada; inventar uma desculpa para cancelar o encontro.

Semelhança

Do mesmo jeito que nós, mulheres, buscamos parceiros que dividem as mesmas ideias que a gente, eles também não querem apenas um rostinho bonito. Então, para o rapaz também não há nada pior do que o casal estar frente a frente e não ter assunto para desenvolver uma conversa.

Carro

Embora não haja uma regra nos dias atuais, tem muita mulher que curte homens cavaleiros e educados. O dilema de abrir ou não a porta do carro para a companheira é um dos que mais perdura na cabeça deles em um primeiro encontro. De acordo com especialistas, a atitude depende do jeito de cada um.

Bebida     

O consumo de bebidas alcoólicas também é um dos motivos que podem travar o rapaz. Como vocês mal se conhecem, ele fica com receio de ser julgado pelo número de copos que tomar ou de passar a falsa impressão de ser um compulsivo por álcool.

Horários

Outro dilema que perturba os homens é a questão do horário. Se por um lado eles não querem deixar a garota esperando, por outro temem chegar cedo demais e dar impressão que estão ansiosos pelo encontro.

Perguntas  

Nem sempre o cara é um exibicionista, do tipo que só curte falar de si. Às vezes, ele tem interesse em saber mais a seu respeito. Porém, por medo ou insegurança acaba soltando a língua. Alguns, depois de um tempo de conversa, sentem mais a vontade para deixá-la falar.

Certinho

Às vezes o rapaz não é tão politicamente correto quanto aparenta, mas isso não significa que seja um machista grosseirão. Em um primeiro encontro é comum ele pensar mil vezes antes de tomar certas atitudes. Tendo a oportunidade de outros encontros você já vai conseguir descobrir se ele agiu por cautela ou é um sapo disfarçado de príncipe.

 

NaTelinha

O que está acontecendo com o time do Ceará?

Treinador alvinegro vai precisar mostrar novamente seu comando (Foto: Christian Alekson/Cearasc.com)

Treinador alvinegro vai precisar mostrar novamente seu comando (Foto: Christian Alekson/Cearasc.com)

Parece… Eu estou escrevendo, parece que depois da traumática eliminação para o Botafogo, pela Copa do Brasil, o Ceará não conseguiu se recuperar do golpe.

Com algumas raras apresentações, vitória sobre o América/MG, 5×2, por exemplo, a equipe alvinegra caiu de rendimento e viu surgir imperfeições no elenco que até então seriam difíceis de serem contestadas.

Nikão, Eduardo, Sandro, Vicente e até João Marcos e Magno Alves não estão com a mesma áurea do sucesso conquistado no primeiro semestre. Isso sem falar no técnico Sérgio Soares, que começa a ser contestado por substituições e escalações realizadas.

O alento é que a gordura conquistada, principalmente no 1º turno, ainda deixa o Vovô a apenas dois pontos do G4. Os rivais também já passaram por essa caída, o Avaí (4º colocado) é um deles.

Por outro lado, a Ponte Preta, atual líder, deu uma ótima arrancada que já a deixa a sete pontos de distância do 5º lugar. E o exemplo da equipe de Campinas é que faz com que também se questione: Porque o Ceará não está lá no topo, assim como a Ponte? O que foi que aconteceu com o time?

Na próxima rodada, o Ceará enfrenta o Icasa, que está na zona de rebaixamento, no Romeirão.  Uma vitória simples e um derrota (provável) do Avaí para a Ponte Preta, em Campinas, leva o time alvinegro de volta ao G4.

Resta saber se depois da apresentação ruim diante do Joinville, com derrota, falhas terríveis e de alguns jogadores destemperados, o Ceará vai conseguir não só chegar ao tão sonhado grupo de acesso, mas se manter.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 19/10/2014

Resultado foi ruim, poderia ser pior, mas o Fortaleza tem tudo para garantir o acesso

Marcelinho Paraíba é um dos líderes do Tricolor (Foto: Nodge Nogueira/Fortalezaec.net)

Marcelinho Paraíba é um dos líderes do Tricolor (Foto: Nodge Nogueira/Fortalezaec.net)

Dizer que o empate sem gols com o Macaé, fora de casa, no primeiro jogo do mata-mata não foi ruim para o Fortaleza é exagero. Claro que foi ruim. Até porque, qualquer empate com gols, elimina o time tricolor.

Um vacilo, um erro da zaga ou uma falha da arbitragem, podem atrapalhar tudo. Isso sem contar naquele velho clichê: “Tem dia que a bola não quer entrar”.

O técnico do Macaé, Josué Teixeira, já avisou que vai jogar lá atrás, esperar o erro do time tricolor e o apoio da torcida virar impaciência.

Por outro lado, da mesma forma, acho exagero acreditar que o Fortaleza não pode ganhar no Castelão. Marcelinho Paraíba, ao final da partida desse sábado, foi muito feliz em sua declaração: “Vamos jogar em casa, no campo que a gente conhece e com 60 mil torcedores a nosso favor. Só depende da gente”.

O Fortaleza só precisa de uma vitória simples. Por isso, a zaga fluminense pode errar, vacilar e o árbitro falhar. Se não bastasse, vejo o time leonino superior. Se estiver num dia comum, não precisa nem estar inspirado, creio num triunfo tricolor sem maiores problemas.

O grande entrave é saber se o gol não sair no 1º tempo, a ansiedade e a pressão pelo resultado positivo vão afetar Marcelinho, Corrêa, Robert e cia.

Assim como em 2012, contra o Oeste, e ano passado, ante o Sampaio Corrêa, o Fortaleza tinha tudo para garantir a vitória e conquistar seu objetivo, no próximo sábado, a projeção é a mesma.

Sem querer desmerecer, mas se o Fortaleza não conseguir ganhar do esforçado time do Macaé, mas que tecnicamente deixa muito a desejar, realmente, não merece o tão sonhado acesso.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 19/10/2014

17 dos 22 parlamentares da atual bancada cearense apoiam petista

Dilma tem a adesão de 77% dos federais no CE e de todos os senadores. Aécio conta com 5 parlamentares

565dc-ceara

A disputa entre a presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB) no segundo turno das eleições presidenciais provocou, nos últimos dias, movimentação de partidos e dissidências de políticos em busca de costurar novas alianças, que prometem ajudar na definição do novo mandatário do País.

No Ceará, um dos principais bastiões nordestinos visados pelos presidenciáveis, com 6,1 milhões de eleitores, a configuração da atual bancada no Congresso Nacional revela que o apoio dos parlamentares cearenses aos candidatos é proporcional às intenções de votos que cada um dos dois alavancou no Estado no primeiro turno. Em 2015, haverá 45,5% de renovação entre os deputados federais eleitos no Ceará.

Aqui, a petista, que obteve 68% dos eleitores, tem ao seu lado 17 dos 22 deputados federais (77,27% do total) e todos os três senadores. Já o tucano, que registrou 15% da preferência dos cearenses, conta com a adesão de cinco deputados à sua candidatura.

Dilma parte para o segundo turno com o apoio de três parlamentares do PMDB, sendo um senador e três deputados; os cinco representantes cearenses do PROS na Câmara Federal; quatro deputados e um senador petista; três do PCdoB, sendo um senador; uma deputada do PR, além de um integrante do PTB, que nacionalmente fez coligação com o candidato tucano. Aécio concentra os únicos integrantes do PSDB, SD, PSD na bancada cearense, além de um dissidente do PMDB e do PP, partidos que formam a base de sustentação do governo Dilma.

Acompanhando uma ala nacional do PMDB que se incorporou ao projeto político tucano após insatisfações com o governo petista, o deputado Danilo Forte reiterou, nesta semana, sua vinculação à candidatura de Aécio. O parlamentar, porém, é o único dos quatro integrantes do partido na bancada cearense a tomar esta decisão. Os outros integrantes da legenda, a qual abriga o presidente estadual da sigla e candidato ao Governo do Estado, senador Eunício Oliveira (PMDB), dizem que permanecem fiéis à campanha de Dilma e de Michel Temer, vice-presidente da República e presidente nacional do partido.

Danilo explica que sua oposição à decisão do PMDB ocorre por dois motivos: o primeiro é o fato de a petista “ter anunciado muito e realizado pouco pelo Ceará”; o segundo é o próprio conflito interno com o PT, que, ele diz, não compartilha o poder, excluindo os peemedebistas da elaboração de políticas públicas. “É uma demonstração clara que o governo não atende às demandas das bancadas. Não é uma postura serviçal que vai dar maior altivez à bancada”.

Para ajudar na campanha de Aécio, Danilo está visitando os municípios em que foi votado e estimulando o debate para acabar com o que ele chama de “liturgia do medo”. “Aécio sabe dos problemas sociais. Ele vai dar atenção mais às questões dos cearenses”, opinou.

Unidos

O deputado Mauro Benevides representante da chamada ala do “PMDB histórico” avalia que, atualmente, o partido é apontado como fracionado, mas no Estado a posição oficial da sigla é que se mantenha a decisão da convenção nacional, a qual, segundo ele, “no julgar de muitos tem procurado corresponder às conquistas do povo brasileiro”. “Na bancada, há vozes divergentes, mas majoritariamente o partido no Ceará mantém o apoio à primeira mandatária do País”, confirmou.

Sobre a possibilidade de as dissidências prejudicarem a campanha petista, o deputado avalia que numa disputa acirrada qualquer insurgência partidária representa um ônus ao candidato. “Melhor seria se o partido adotasse uma postura solidária sem discrepâncias capazes de fragilizar a candidatura”, opinou Mauro Benevides, que não foi reeleito.

O deputado Mário Feitoza (PMDB) também disse que segue posição nacional da sigla apesar de afirmar que é amigo de Aécio Neves. “Acompanho o meu partido. Gostaria muito que a mensagem dele (Aécio) fosse positiva para o Brasil, mas no momento apoio Dilma”, declarou o parlamentar que disse ter liberado os seus 56 mil eleitores a votar em quem quiserem.

Aníbal Gomes (PMDB), que diz também continuar firme com a petista, avalia que a divisão entre parlamentares não deve prejudicar a candidatura da presidente. Segundo ele, a cisão na legenda não deve atrapalhar, ainda, a governabilidade de quem assumir a Presidência. Seja quem for o vencedor, o parlamentar diz que o PMDB “vai ter que assumir responsabilidade”.

Além da dissidência peemedebista, os deputados José Linhares (PP) e Manoel Salviano (PSD) resolveram remar contra o comando de suas siglas, que fazem parte da coligação de Dilma, e apoiam Aécio Neves.

Salviano diz estar trabalhando na coordenação da campanha tucana no Cariri, onde está seu reduto eleitoral. “O projeto de Aécio é uma nova filosofia de mudança de componente político e administrativo para o Estado”, afirmou.

Apesar de ter perdido apoio de integrantes da base aliada entre a bancada cearense, a presidente mantém um aliado no PTB local, que nacionalmente está com Aécio. Arnon Bezerra diz que o apoio à presidente deve-se ao olhar “carinhoso” que ela teve com o Ceará, com a realização de obras estruturantes. “Disparado é o projeto mais eficaz para o Estado”, defendeu.

Sobre a influência da bancada na disputa presidencial, ele acredita que o apoio de parlamentares garante segurança ao eleitor, que cria uma identidade entre o candidato e o deputado ou senador. “Dilma já goza de simpatia e ampla preferência no Estado. O apoio da maioria da bancada dá mais segurança para elegê-la”, avaliou.

Oposição

Único representante tucano na bancada, o deputado Raimundo Gomes de Matos considera que o fato de não ter o apoio da maioria dos parlamentares não prejudica a campanha de Aécio no Estado. Para ele, no segundo turno, há uma dimensão de interdependência da vinculação do voto do deputado com a eleição presidencial.

Ele avalia ainda que o fato de o PSDB não ter o apoio da maioria no Congresso não vai interferir na governabilidade de Aécio, caso seja eleito. “O que vai garantir a maioria é termos deputados que apoiam a proposta de Aécio e não criem uma subserviência de toma-lá-dá-cá”.

Mesmo com a decisão do PDT de liberar seus filiados no segundo turno, o ex-líder do partido na Câmara, André Figueiredo, afirma que o diretório estadual vota com a presidente por conta do que “ela representa para o Ceará em termos de perspectivas e avanços nos projetos estruturantes”. Ele considera que o poder de influência da bancada na votação presidencial não é decisivo, mas pode ser “uma força auxiliar para buscar um poder de convencimento maior nas candidaturas que apoiamos”.

Para o líder do PT na Câmara, deputado José Guimarães, as cisões na bancada não preocupam a campanha petista no Estado. Na análise dele, a presidente deve ampliar o percentual de votos para até 80% no Ceará. “As pessoas não podem ser oposição de dia e governo à noite. Não pode ser governo quando quer benefício e, no outro dia, oposição. Tem que ter fidelidade ao projeto vitorioso”, afirmou.

O parlamentar disse que trabalha com a vitória de Dilma Rousseff, mas, caso o adversário vença, a bancada deverá cobrar do governo obras que são fundamentais para alavancar o desenvolvimento social e econômico do Estado. “O Ceará tem que estar acima de tudo”..

Julianna Sampaio
Repórter

Diário do Nordeste – Política – 19/10/2014

v